sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Exercícios de História sobre a Lei Eusébio de Queirós - com gabarito

Questão 01 - FUVEST 2009 - Transferência – A lei Eusébio de Queirós, de 1850, que proibia o tráfico negreiro no país, foi aprovada, visando
a) seguir o mesmo procedimento adotado na época pelos demais países escravistas da América. 
b) estancar a saída de capital, decorrente dos lucros auferidos pelo tráfico sob controle dos portugueses. 
c) atender a pressão diplomática e militar do governo inglês sobre o governo brasileiro para proibir o tráfico. 
d) satisfazer a crescente mobilização da opinião pública nacional e internacional contra a escravidão. 
e) separar a escravidão do tráfico, preservando assim os interesses dos proprietários de escravos. 

Questão 02 - UFT 2017.2 - Transferência - A Lei Eusébio de Queiroz, aprovada em setembro de 1850, é de grande importância na História do Brasil, por dar o primeiro passo em direção ao fim da escravidão.
Essa lei garantia a: 
(A) extinção do Tráfico Negreiro. 
(B) libertação das mulheres escravas. 
(C) soltura dos escravos com mais de 70 anos. 
(D) construção de quilombos governamentais. 
(E) liberdade das crianças nascidas a partir daquela data

Questão 03 - UPF 2018.1 - “Era um sonho dantesco… o tombadilho
Que das luzernas avermelha o brilho. 
Em sangue a se banhar. 
Tinir de ferros… estalar de açoite… 
Legiões de homens negros como a noite, 
Horrendos a dançar… 
Negras mulheres, suspendendo às tetas 
Magras crianças, cujas bocas pretas
Rega o sangue das mães:
Outras moças, mas nuas e espantadas,
No turbilhão de espectros arrastadas,
Em ânsia e mágoa vãs!”
(ALVES, Castro. O Navio Negreiro. São Paulo: Global, 2016)
Essa é uma parte do poema “O Navio Negreiro”, escrito em 1869 pelo poeta baiano Castro Alves. A lei Eusébio de Queiroz, que proibiu o tráfico negreiro para o Brasil, foi promulgada em 1850. Castro Alves, que apoiava a causa abolicionista, teria escrito esse poema 19 anos depois da referida lei, com o objetivo de
a) impedir a revogação da lei que proibiu o tráfico transatlântico de negros africanos, como era o desejo de muitos traficantes que haviam perdido seus lucrativos negócios. 
b) abolir a escravidão, ao menos na região onde nasceu, a Bahia, que, no século XIX, era a principal região escravista do Brasil.
c) persuadir intelectuais que eram seus contemporâneos a aderirem à causa abolicionista, como Joaquim Nabuco, Luís Gama e José do Patrocínio, reconhecidos escravocratas.
d) dramatizar em versos o sofrimento dos negros africanos no momento em que tiveram que sair de sua terra em direção ao Brasil, transportados nos porões dos navios negreiros, para contribuir assim com a luta pelo fim da escravidão.
e) apenas preservar a memória do sofrimento dos africanos que haviam sido escravizados, pois, em 1869, o Brasil já havia abolido a escravidão, sendo o último país do continente americano a acabar com a vergonhosa prática.

Questão 04 - CEFET-MG - 2012 - Técnico Concomitância Externa e Subsequente -
“1850 não assinalou no Brasil apenas a metade do século. Foi o ano de várias medidas que tentavam mudar a fisionomia do país, encaminhando-o para o que então se considerava a modernidade.” (FAUSTO, Boris. História do Brasil. 2.ed. São Paulo: EDUSP/FDE, 1995. p.197.)
Dentre as medidas adotadas nesse ano, aquelas que contribuíram decisivamente para substituir a mão de obra escrava pela livre foram a (o)
a) Lei de Terras e o Código Comercial.
b) Lei de Terras e a Lei Eusébio de Queiroz.
c) Código Comercial e a centralização da Guarda Nacional.
d) Lei Eusébio de Queiroz e a centralização da Guarda Nacional.

Questão 05 - UNIFOR  - 2001.1 - Do ponto de vista social, a Lei Euzébio de Queirós (1850) possibilitou, no Brasil, o fortalecimento do
(A) movimento abolicionista, estimulando a imigração européia na segunda metade do século XIX, que seria absorvida pelo sistema de parceria e pelo trabalho assalariado.
(B) o empobrecimento da aristocracia agrária em razão dos grandes prejuízos provenientes da extinção do tráfico negreiro e da implantação do trabalho assalariado na primeira metade do século XIX.
(C) a decadência do comércio interno de escravos, favorecendo significativas mudanças na situação dos negros que passaram a ser contratados como mão-de-obra assalariada no final do século XIX.
(D) a criação de uma camada social rural empobrecida, composta de ex-escravos, imigrantes europeus e sem-terras que passaram a pressionar o governo imperial no sentido de realizar a reforma agrária.
(E) a substituição do trabalho assalariado do imigrante europeu pelo do ex-escravo, favorecendo os cafeicultores com uma mão-de-obra menos qualificada mas, mais barata.

Questão 06 - UNIFOR - 2006.1 - Lei no 531 de 4 de setembro de 1850 estabelece medidas para a repressão do tráfico de africanos neste Império.
(...) art. 1o. – as embarcações Brasileiras encontradas em qualquer parte, e as estrangeiras encontradas nos portos, enseadas, ancoradouros ou mares territoriais do Brasil, tendo a seu bordo escravos (...) ou havendo-os desembarcado, serão apreendidas pelas autoridades, ou pelos navios de Guerra Brasileiros, e consideradas importadoras de escravos. (...) Eusébio de Queirós.
(Antonio Mendes Jr. et al. Brasil-História. Texto e Consulta. Império. São Paulo: Brasiliense,1977. p.276) 
Com essa lei o Brasil tornava ilegal o tráfico de escravos. Expressam as conseqüências dessa lei:
(A) o crescimento do preço dos escravos, o incentivo à imigração e a oposição da sociedade à campanha abolicionista. 
(B) a queda do preço dos escravos, as leis coercitivas à imigração e a liberação de capitais dinamizando a economia brasileira.
(C) a liberação de capitais dinamizando a economia brasileira, o incentivo à imigração e a oposição da sociedade à campanha abolicionista.
(D) a adesão de vários setores da população à campanha abolicionista, o incentivo à imigração e o crescimento do preço dos escravos.
(E) a adesão de vários setores da população à campanha abolicionista, o incentivo à imigração e a aversão do brasileiro ao trabalho braçal.

Questão 07 - UNIFOR 2010.1 - Com a abertura dos portos no Brasil, em 1808, foi permitida a entrada de outros imigrantes europeus livres além dos portugueses, até então os únicos, ao lado dos escravos, que podiam se fixar no Brasil. O fluxo de imigrantes livres, porém, foi muito pequeno, já que, praticamente, não havia empregos que pudessem ser oferecidos a eles. As funções urbanas (comércio, funcionalismo público e serviços em geral) eram exercidas pelos portugueses e seus descendentes, enquanto as atividades econômicas de base agrária ficavam a cargo dos escravos. Esse quadro começa a se alterar a partir de 1850, com a proibição do tráfico negreiro, através da
(A) Lei Áurea.
(B) Lei Eusébio de Queirós.
(C) Lei de Cotas de Imigração.
(D) Lei de Cotas de Emigração.
(E) Lei do Ventre Livre.

Questão 08 - UVA 2006.2 - A Lei Euzébio de Queiroz referia-se à:
A. proibição do tráfico negreiro.
B. liberdade imediata dos negros.
C. liberdade dos sexagenários.
D. imigração italiana.

Questão 09 - Instituto Machado de Assis - Prefeitura Municipal de Paulistana-PI - 
A Lei Eusébio de Queirós de 1850 pretendia:
A) Controlar o tráfico negreiro
B) Dar liberdade para os filhos de escravos nascidos a partir da referida data
C) Extinguir o tráfico negreiro
D) Liberdade aos escravos sexagenários

GABARITO
01 - C
02 - A
03 - A
04 - B
05 - A
06 - D
07 - B
08 - A
09 - C

Nenhum comentário: