PETS

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Chuvas, rios e cidades




Chuvas, rios e cidades. Ilustração Ítalo Stephan, publicado no livro "Fábulas urbanas e outras lições sobre as cidades", de 2019.

Post original  no blog de Ítalo Stephan:
 https://italostephanarquiteto.blogspot.com/2020/01/meio-ambiente.html

Quem é você?


Para ver o poema completo acesse:
https://poetaambulantew.blogspot.com/2020/01/quem-e-voce.html?m=0

Veja também os poemas mais acessados:

O Preconceito Tem Idade

Queria Falar de Amor

Eternos

Nessa Embarcação da Vida

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Arqueólogos descobrem conjunto de ilhas artificiais pré-coloniais na Amazônia

Pesquisadores atribuem construções monumentais a populações indígenas da Amazônia Antiga.

‘É construção de índio’, explicaram os ribeirinhos sobre o lugar onde moram: as cerca de 20 ilhas artificiais recentemente descobertas por arqueólogos do Instituto Mamirauá na região do Médio e Alto Solimões, na Amazônia. As ilhas são sítios arqueológicos de antigas aldeias construídas em áreas de várzea nos períodos pré-colonial e colonial.
Ilhas artificiais foram construídas em região de várzea, ecossistema alagável (Foto: Márcio Amaral).
Nomeadas pelas populações locais como ‘aterrados’, as estruturas de terra ficam próximas a áreas com depressões, chamadas de ‘cavadas’, de onde foi retirado o material para a construção das ilhas, há centenas de anos.

Na Amazônia, construções similares foram encontradas na Ilha do Marajó, no Pará, e em Llanos de Mojos, na Bolívia. 

Agora, mais uma vez, a comunidade científica encontra evidências do que foi visto e descrito no século 16 por cronistas europeus que percorreram os rios e matas do interior da Amazônia e que também é corroborado pela tradição oral das populações do presente. 
Primeiras descobertas

As primeiras informações sobre essas construções na região do Médio Solimões, no Amazonas, foram coletadas em levantamentos de campo realizados na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, em 2015. 

Em julho de 2018, um aterrado foi encontrado durante uma expedição ao rio Juruá, na mesma região. 

A descoberta foi possível após a indicação de um ribeirinho de uma comunidade da Reserva de Desenvolvimento Mamirauá, unidade de conservação da região e uma das principais áreas de atuação do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). 

Depois disso, foram encontradas mais três no rio Jutaí e outras cinco nos rios Japurá e Auatí-Paraná.
O conjunto

Guiado por informações de um morador da cidade de Tonantins (AM), o arqueólogo do Instituto Mamirauá Márcio Amaral subiu, em outubro, para a região do rio Içá, no Alto Solimões.

Depois de cinco dias de viagem a barco, o pesquisador descobriu um conjunto de treze ilhas artificiais. “Esse número, que pode ser ainda maior, configura um padrão de ocupação em uma área ainda maior do que as ilhas encontradas no Marajó. ”

Cada uma apresenta área entre 1 e 3 hectares e medem de seis e sete metros de altura.

“Faz a gente ponderar a quantidade de pessoas necessárias para construir, movimentar milhares de metros cúbicos de terra e fazer uma organização desse tipo. É preciso ter pessoas, organização para coordenar essas pessoas e é preciso ter engenheiros que projetaram essas estruturas para elas se sustentarem”, afirma o arqueólogo. 

Os achados corroboram a teoria de que a Amazônia era densamente populosa e composta por sociedades complexas e organizadas antes da chegada dos europeus.

As construções das ilhas estão em uma área atribuída aos antigos omáguas, povo indígena do tronco tupi que figura também nas crônicas antigas de navegadores espanhóis e portugueses que passaram pela região entre os séculos 16 e 19.

Acredita-se que os omáguas são ascendentes dos atuais kambebas, etnia amazônida com aproximadamente 1.500 indivíduos em território brasileiro.

Foram encontradas cerâmicas do estilo corrugado, caracterizado esteticamente pelas ‘rugas’, camadas modeladas nos vasos e peças. O estilo cerâmico datado do século 15 e 16 é comum a grupos tupis.

Testemunhos dos ribeirinhos da região dão mais pistas sobre a história das ilhas da região. 

Há relatos de reocupação das ilhas artificiais ao final do século 19 e início do século 20 por um grupo indígena que teria sido dizimado pela varíola, sobrevivendo apenas uma criança.

O indígena sobrevivente foi adotado por uma família do município de Santo Antônio de Içá e teve um filho, hoje um pedreiro de cerca de 70 anos. “É necessário localizarmos ele e tentar descobrir a que grupo pertencia o pai dele, se eram kambeba é uma evidência fascinante e indicativo de que descendentes dos omáguas estariam provavelmente reocupando os aterrados até o início do século passado”, explica o arqueólogo.

Também foram identificados fragmentos de cerâmica do estilo Hachurada Zonada, tipo ainda mais antigo – acredita-se que por volta de mil a.C.

Estratégias de sobrevivência

Não fosse a construção das ilhas, a área onde elas estão ficariam completamente inundada por ao menos seis meses do ano pela dinâmica de secas e cheias da várzea.

Espécies encontradas abundantemente nos locais de terra firme e cultivada pelas populações tradicionais da Amazônia, como o açaí, não prosperariam nessa região. 

Os ribeirinhos atuais relatam a existência de antigos currais de quelônios na região. As cavadas, áreas de onde foi retirada a terra para formar a ilha, podem ter sido utilizadas com este propósito. Seria um modo de garantir fonte de proteína animal nas chamadas entressafras, quando o alimento é escasso. 

Em varreduras de superfície das ilhas também foram encontrados vestígios do chamado ‘pão de índio’, material orgânico que indica técnica tradicional de armazenamento de alimentos de origem vegetal. 

Além disso, As localizações dos aterrados não eram escolhidas ao acaso. “Os aterrados estão posicionados em bocas de paranás e lagos com uma quantidade enorme de recursos pesqueiros. Tem muito peixe, quelônios, jacarés, é uma fauna muito rica. Então é uma localização estratégica”, diz o pesquisador. 

Márcio afirma que os dados são importantes para entender como os indígenas moldavam a paisagem, manejavam os recursos naturais e desenvolviam estratégias de sobrevivência adequadas ao ambiente em que viviam. 
Arqueologia e tradição oral

“É importante ressaltar que as pessoas já conheciam, mas isso era ignorado ou desconhecido pela comunidade científica”, diz Márcio que, antes de mais nada, conversa com moradores da região onde busca fragmentos e indícios de ocupações milenares. “A arqueologia precisa se voltar para quem mora nessas áreas porque essas pessoas são as conhecedoras e tem uma tradição oral que a gente consegue rastrear até há quatro, cinco gerações”, complementa.

Os pesquisadores do Grupo de Pesquisa em Arqueologia e Gestão do Patrimônio Cultural da Amazônia do Instituto Mamirauá ainda devem voltar ao conjunto de ilhas para dar continuidade às pesquisas, ampliando o levantamento e o mapeamento das ilhas artificiais. 

O custo, entretanto, é alto, e os pesquisadores carecem de recursos para as expedições científicas até as ilhas, que têm grande relevância para a compreensão da história da Amazônia. “É como se fossem pirâmides, mas construções de terra, não por isso menos importante. São também complexas e indicam um padrão de ocupação humana amplamente distribuída nas regiões do médio-alto disperso. ”
Texto: Júlia de Freitas / Instituto Mamirauá.

Questão - Cefet-CE 2008 - Em relação às características da cartografia automática

Em relação às características da cartografia automática ou cartografia assistida por computador, é VERDADEIRO afirmar que:
a) na década de 1980, com a utilização da informática, surgiu a tecnologia da cartografia automática.
b) ocorreu grande velocidade na produção de inúmeros mapas diferentes a partir de um mesmo conjunto de informações digitais.
c) na cartografia automática, os programas de computadores não realizam conversões de uma projeção para outra.
d) a cartografia automática não pode ser alimentada pelas tecnologias de sensoriamento remoto.
e) as informações arquivadas sob forma eletrônica formam um banco de dados denominado de escala.

Resposta: Letra B.

domingo, 19 de janeiro de 2020

Qual o fenômeno natural de aquecimento das águas equatoriais do pacífico?

a) EL NIÑO
b) LA NIÑA
c) EL PACÍFICO
d) LA PACÍFICA

Resposta: Letra A.
Comentário: El Niño é o maior fenômeno climático global: de tempos em tempos, uma enorme quantidade de água do Oceano Pacífico Equatorial se aquece, mudando o regime dos ventos alísios.

É a linha imaginária que determina a mudança do dia:

a) LATITUDE 
b) LONGITUDE 
c) EQUADOR 
d) INTERNACIONAL DA DATA

Resposta: Letra D.
Comentário: A “linha internacional de data” é uma linha imaginária que, por convenção, é representada pelo meridiano oposto ao Meridiano de Greenwich e que atravessa o Oceano Pacífico separando o mundo em dois: a leste é um dia a menos do que a oeste dela.

Atividade para Imprimir - Olimpíadas 2020 / Caça-palavras: Esportes Olímpicos

 Caça-palavras: Esportes Olímpicos.

Questão 30 - UVA/2006.1

A área assinalada no mapa corresponde a um conjunto de regiões com condições geográficas semelhantes. Assinale a alternativa com características comuns a essas regiões.
A. Correspondem à regiões tropicais com climas quentes, baixas altitudes e pertencem a países subdesenvolvidos. 
B. Correspondem às regiões temperadas, com temperatura amena, e pertencem a países desenvolvidos. 
C. São regiões desérticas, com altas temperaturas e com grandes riquezas minerais. 
D. São áreas frígidas, com baixas temperaturas onde predominam uma vegetação de musgos e líquens, que em poucos meses cresce, floresce e frutifica.

Resposta: Letra A.
Comentário: As áreas hachuradas representam as regiões que originalmente eram cobertas por florestas tropicais, Norte da América do Sul, Centro da África e Sul da Ásia denominados de países subdesenvolvidos.

Atividade para Alfabetização: Olimpíadas 2020 / Desembaralhe as Letras

Atividade para alfabetização de crianças que trabalha com o tema Olimpíadas 2020. Nessa atividade educativa, a criança deverá desembaralhar as letras para descobrir o nome de um esporte que estará presente nas olimpíadas de Tóquio.

Atividade para Alfabetização: Olimpíadas 2020 / Desembaralhe as Letras.

Atividade para Educação Infantil: Olimpíadas 2020 / Cubra os Pontilhados

Atividade para a Educação Infantil com o tema Olimpíadas 2020. Nessa atividade educativa, a criança deverá desenhar o símbolo dos jogos olímpicos.

Atividade para Educação Infantil: Olimpíadas 2020 / Cubra os Pontilhados.

RACISMO (Vídeo): PM revista mulher negra acusada por furto cometido por mulher branca

Um vídeo que mostra uma mulher negra sendo acusada por outros passageiros de ter furtado a carteira de uma idosa dentro de um ônibus em Curitiba viralizou nas redes sociais. O registro foi feito na última quinta-feira (16), por volta das 12h40, em um biarticulado da linha Santa Cândida x Capão Raso, próximo ao Shopping Estação. 


Na ocasião, policiais militares chegaram a revistar a bolsa da mulher, que não quis falar com a imprensa e nem registrou boletim de ocorrência. O vídeo, que até a noite deste sábado (18/01/2020) já somava 77 mil visualizações, mostra os passageiros acusando a mulher negra até que, após cinco minutos de confusão, o item roubado foi encontrado com uma outra passageira, de pele branca, da qual não haviam suspeitado.

De acordo com a vendedora Evelyn Duarte, de 22 anos, que filmou toda a ação, apesar de estar desesperada, a mulher acusada de furto manteve a calma e tentou explicar às pessoas que era inocente. "Chegou o momento em que os envolvidos foram para perto do motorista do ônibus e a idosa que teve a carteira roubada disse que chamaria a polícia. O marido desta senhora, um homem branco, repetia o tempo inteiro que a mulher negra que estavam acusando era a responsável pelo furto. Chegou a dizer, inclusive, que tinha visto a moça cometer o crime", explicou Evelyn em entrevista ao UOL. Em poucos instantes, policiais militares que estavam em uma viatura parada na Praça Oswaldo Cruz, na região central da cidade, entraram no ônibus e imediatamente começaram a revistar a bolsa da mulher.

Fonte: UOL.

sábado, 18 de janeiro de 2020

10 filmes sobre nazismo para te mostrar que esse é um assunto que deveria ficar no passado


01 – Jojo Rabbit

Um filme que vai estrear nos cinemas do Brasil apenas no começo de fevereiro de 2020, mas que anda dando o que falar no mundo, sendo até indicado ao Oscar. O filme conta através de muito bom humor e sátira aos costumes nazistas, a história do menino Jojo, um jovem de 10 anos, que tem como amigo imaginário Adolf Hitler, em uma Alemanha, durante a Segunda Guerra Mundial. Jojo quer muito fazer parte da Juventude Hitlerista. Até que um dia, ele descobre que sua mãe está escondendo uma menina judia no sótão de casa. Um dia, Jojo descobre que sua mãe (Scarlett Johansson) está escondendo uma judia (Thomasin McKenzie) no sótão de casa e tenta várias vezes expulsá-la. Depois de muita frustração, ele começa a desenvolver uma empatia pela sua colega de casa.

02 – O Pianista

O filme fala sobre as memórias de um pianista polonês chamado Wladyslaw Szpilman, que tocava peças clássicas em uma rádio de Varsóvia quando a 2ª Guerra Mundial chegava até a cidade no ano de 1939. Depois do início da Guerra, começaram as perseguições aos judeus poloneses pelos nazistas. O filme mostra, entre outras cenas marcantes, alemães construindo muros para isolar judeus no “Gueto de Varsóvia”. Além de mostrar a perseguição e a captura família do pianista, restando apenas ele, que precisa se esconder em locais abandonados a espera do final da guerra.

03 – O Zoológico de Varsóvia

Jan é responsável pelo zoológico de Varsóvia junto com sua esposa Antonina. Quando o país é invadido pelos nazistas, o casal se vê forçado a se reportar para o zoologista alemão, Lutz Heck. Com o tempo eles começam a trabalhar junto com a resistência e salvam centenas de vida, abrigando judeus clandestinamente no zoológico. 

04 – Olga

Filme brasileiro de 2004, conta o drama da guerrilheira Olga Benário, que foi uma jovem judia alemã. Militante comunista, é perseguida pela polícia e foge para Moscou, onde recebe treinamento militar e posteriormente a missão de acompanhar Luís Carlos Prestesde volta ao Brasil. Na viagem, enquanto planejam a Intentona Comunista contra Getúlio Vargas, os dois acabam se apaixonando. Com o fracasso da revolução, Olga acaba presa com Prestes e enviada grávida de 7 meses para a Alemanha Nazista sob as ordens do governo brasileiro. Lá tem sua filha Anita Leocádia na prisão feminina do Campo de Concentração de Barnimstraße. e é afastada da bebê. Olga em seguida é enviada para o Campo de Concentração de Ravensbrück, onde é seria na Câmara de Gás.

05 – Ele Está de Volta

Como seria Hitler nos tempos atuais? É essa a abordagem do filme, que a princípio é uma comédia que mostra o Führer “acordando” no local de seu bunker no século XXI. Sem entender bem o que anda acontecendo, ele começa a conviver em sociedade e as pessoas começam a achar que ele é um humorista fazendo imitação. Com o passar do tempo ele começa a reunir seguidores para recolocar seu projeto de poder em pauta e crescente. Com o passar do tempo, o que era uma grande piada acaba recolocando o nazismo como uma opção ao poder e o filme vai deixando quem assiste cada vez mais tenso.

06 – A Lista de Schindler

Um dos maiores clássicos do cinema mundial conta a história do alemão Oskar Schindler que viu na mão de obra judia uma solução barata e viável para lucrar com negócios durante a guerra. Graças a sua influência dentro do partido nazista, conseguiu com facilidade autorizações e abrir uma fábrica. O que poderia parecer uma atitude de um homem não muito bondoso, transformou-se em um dos maiores casos de amor à vida da História, quando ele abdicou de toda sua fortuna para salvar a vida de mais de mil judeus em plena luta contra o extermínio alemão.

07 – Raça

O filme conta a história de Jesse Owens, um atleta norte-americano que além de lutar contra o o racismo, também fez história ao participar dos Jogos Olímpicos de Berlim em 1936, em pleno regime nazista e ainda conquistou quatro medalhas de ouro sob os aplausos do alto comando do regime.

08 – O Menino do Pijama Listrado

Durante a Segunda Guerra Mundial, Bruno, um garoto de oito anos muda com sua família de Berlim para morarem próximo a um campo de concentração, onde seu pai acaba de se tornar comandante. Infeliz e solitário, ele anda pela região e certo dia encontra Shmuel, um menino judeu de sua idade. Embora a cerca de arame farpado do campo os separem, os meninos começam uma amizade proibida com realidades bem diferentes.

09 – A Vida é Bela

Na Itália, o judeu Guido e seu filho Giosué são levados para um campo de concentração nazista. Longe de sua esposa e querendo preservar o garoto dos horrores do lugar, ele tem que usar sua imaginação para fazer o menino acreditar que estão participando de uma grande brincadeira. 

10 – Bastardos Inglórios


Um grupo de judeus, liderado pelo tenente americano Aldo Raine, se une para combater o nazismo e forma o grupo conhecido como ‘Bastardos Inglórios’. Eles espalham terror durante o Terceiro Reich, e têm um ambicioso plano para dar fim ao poder de Hitler.

Fonte: Narrando Histórias.

Questão - Mackenzie 1997 - No relevo submarino, que não é uniforme

No relevo submarino, que não é uniforme, uma das regiões é marcada pela deposição de sedimentos de origem continental, com largura variável e destaca-se por ser importante área de pesquisa. Trata-se da:
a) Plataforma Continental.
b) Região Pelágica.
c) Região Abissal.
d) Zona do Talude.
e) Dorsal Marítima.

Resposta: [A]
Plataforma continental: Zona ou faixa da margem continental que se estende com gradiente topográfico suave do cordão litorâneo até o topo do talude continental onde apresenta profundidades da ordem de 150m.

O Preconceito Tem Idade


Wilane Henrique é autora do blog Poeta Ambulante, para ver o poema completo acesse:

https://poetaambulantew.blogspot.com/2020/01/o-preconceito-tem-idade.html?m=0

Como se chama o aparelho utilizado para medir a pressão atmosférica?

a) manômetro
b) termômetro
c) anemômetro
d) barômetro

Resposta: Letra D.
Barômetro é um instrumento científico utilizado em meteorologia para medir a pressão atmosférica.

O lago titicaca fica entre:

a) Peru e Equador
b) Peru e Bolívia
c) Colômbia e Peru
d) Colômbia e Venezuela

Resposta: Letra B.
O Lago Titicaca está localizado na fronteira do Peru e da Bolívia.

Questão 35 - UVA/2005.2

A região do Nordeste escura no mapa é:


A. o Meio-Norte 
B. a Zona da Mata 
C. o Sertão 
D. o Agreste

Resposta: Letra C.
Comentário: O mapa das sub-regiões do Nordeste apresenta uma área que abrange o domínio da caatinga e do clima semi-árido, conhecido como nordeste pecuário ou sertão.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Questão 13 - UFC 2010 – 1ª Etapa

A Geografia busca entender e explicar como se dá a construção do espaço geográfico pela sociedade. A leitura do espaço varia no tempo e de acordo com as concepções ideológicas dos pensadores cujas teorias orientam os estudos geográficos. Sobre estas concepções e o modo como explicariam as condições de pobreza e de desigualdade social no semiárido do Nordeste brasileiro, assinale a alternativa correta.

A) Para o Determinismo Geográfico, a associação de diferentes fatores sociais e econômicos resulta no desequilíbrio social e no subdesenvolvimento do semiárido.

B) Para a Geografia Cultural, as técnicas elementares e o ritmo de trabalho do camponês constituem as principais causas da pobreza da região sertaneja.

C) Para o Possibilismo, a relação mecanicista entre o homem e a natureza definiu o caráter de desigualdade e pobreza dominantes no semiárido.

D) Para a Geografia Crítica, a pobreza do semiárido está relacionada às condições do ambiente o qual apresenta, em grandes áreas, impossibilidade de exploração agropecuária.

E) Para a Geografia Quantitativa, a análise das condições naturais e socioeconômicas, através de métodos matemáticos e estatísticos, explica a pobreza e orienta as ações de combate às secas e aos seus efeitos.

Resposta: Letra E.
Comentário: A alternativa A é incorreta, pois, para o Determinismo Geográfico, o que justifica o desequilíbrio social e o subdesenvolvimento no semiárido são as influências desfavoráveis das condições naturais. Os defensores dessa corrente de pensamento interpretam que o subdesenvolvimento no semiárido é fruto da tropicalidade, ou seja, o clima quente e seco, associado às secas periódicas, são as principais causas da pobreza no Nordeste. A alternativa B é incorreta, pois, para a Geografia Cultural, o modo de vida do homem do campo, suas técnicas e seu ritmo de trabalho bem como a sabedoria popular, adquirida pelas experiências no campo, constituem um rico patrimônio cultural. A alternativa C é incorreta, pois os defensores do Possibilismo criticam a concepção fatalista e mecanicista da relação entre o homem e a natureza. A alternativa D é incorreta, pois, para a Geografia Crítica, a situação de pobreza está relacionada a uma situação de exploração da força de trabalho, em virtude da concentração de terras que tem beneficiado os grupos econômicos exógenos e a oligarquia local. O grande drama do Nordeste é explicado em função da exploração da seca pelos grupos dominantes que controlam a propriedade da terra e em função da comercialização da produção agrícola. A alternativa E é correta. Para a Geografia Quantitativa, as relações entre os elementos da natureza e os fatores socioeconômicos são passíveis de ser expressos em termos numéricos. Os métodos matemáticos e as técnicas estatísticas propiciam uma explicação para os fenômenos geográficos e, de posse desses dados, é valido pensar em ações de combate as secas.

Questão 20 - UFC 2010 – 1ª Etapa

Em um mapa de escala 1:100.000, um rio está representado da nascente até a foz por 5 cm. Qual é o seu comprimento real em km?
A) 500 km
B) 50 km
C) 15 km
D) 5 km
E) 1 km

Resposta: Alternativa D
A alternativa D é correta. A escala é uma relação constante que existe entre o comprimento gráfico e o comprimento natural homólogo. Na escala de 1:100.000, 1 cm equivale a 1 km no terreno, portanto 5 cm correspondem a 5 km no terreno.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Criança de apenas 10 anos junta latinhas para comprar seu material escolar e dos irmãos

Janaine de Carvalho, de 27 anos, trabalha em uma lanchonete e conta que além das dificuldades financeiras em casa,ela está em uma gravidez de risco. O marido, Maicon Mendes, de 29, está desempregado. Foi então assim que o pequeno Bryan, ao saber que os pais estavam sem dinheiro para comprar os materiais escolares dele e dos três irmãos, tomou sem medo essa atitude sem o conhecimento dos pais. Saiu de casa, pela manhã, para buscar o máximo de latinhas que encontrasse nas ruas.
Após um dia inteiro de procura e muito desespero da família, o Bryan foi encontrado praticamente do outro lado de sua cidade. Ele estava sem camisa, e com algumas latinhas.

Ao voltar para casa, com os pais, eles descobriram o mais incrível. Sabendo das necessidades da família, o garoto resolveu oferecer todas as latinhas que havia juntado para que pudessem comprar os cadernos escolares dele e dos irmãos. Ele estava disposto a recuar do sonho de ter um videogame, para ajudar os pais.

Apesar de sua atitude ter sido linda, os pais de Bryan o deixaram de castigo por um susto desses. Ainda mais porque sua mãe está em sua gravidez de risco e não pode ficar nervosa.

“Ele nos deixou muito preocupados. Dei uma bronca nele e pedi que nunca mais faça isso. Nós sabemos que ele fez tudo isso com boas intenções, ele é uma criança com sonhos. Mas não pode angustiar os pais assim. Nós o amamos”, conta a mãe. “Não consigo nem imaginar o que seria se tivesse acontecido algo de ruim com ele”, disse Janaine mãe de Bryan.

Os pais por fim não aceitaram as latinhas para comprar os materiais e disseram que irão resolver os problemas juntos.

“Nós compramos alguns cadernos para as crianças, agora falta o restante. É muita coisa e estamos realmente passando um momento muito difícil”, conta a mãe de Bryan.

E foi assim que essa história conquistou nosso coração, mais uma vez mostrando as crianças e sua bondade. Veja a foto abaixo de Bryan e sua família.



Via: temlondrina.com.br

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Número 2022 - Desenho para Imprimir e Colorir

Número 2022 - Desenho para Imprimir e Colorir.

Número 2021 - Desenho para Imprimir e Colorir

Número 2021 - Desenho para Imprimir e Colorir.


Número 2020 - Desenho para Imprimir e Colorir

Número 2020 - Desenho para Imprimir e Colorir

Número 90 - Desenho para Imprimir e Colorir

Número 90 - Desenho para Imprimir e Colorir.

Número 80 - Desenho para Imprimir e Colorir

Número 80 - Desenho para Imprimir e Colorir.

Número 70 - Desenho para Imprimir e Colorir

Número 70 - Desenho para Imprimir e Colorir.

Número 60 - Desenho para Imprimir e Colorir

Número 60 - Desenho para Imprimir e Colorir.

Outros números para colorir: Número 50Número 51Número 52Número 53Número 54Número 55Número 56Número 57,  Número 58Número 59Número 60.

Número 50 - Desenho para Imprimir e Colorir

Número 50 - Desenho para Imprimir e Colorir.

As bandeiras dos 12 países que disputarão a Copa América de 2020

Conheça todas as bandeiras dos países que disputarão a Copa América de 2020. A CONMEBOL Copa América de 2020 será a quadragésima sétima edição do evento e terá como países anfitriões, Argentina e Colômbia.

Bandeiras dos países que disputarão a Copa América de 2020:
Bandeira do Brasil.


Bandeira do Chile.

Bandeira da Colômbia.

Bandeira do Equador.
Bandeira do Paraguai.

Bandeira do Peru.

Bandeira do Uruguai.

Bandeira da Venezuela.


Bandeira do Catar.

Bandeira da Bolívia.

Bandeira da Argentina.
Bandeira da Austrália.


Questão 17 - FUNDEP (Gestão de Concursos) - 2019 - Prefeitura de Teixeiras - MG -

O programa Mais Médicos alocava médicos em locais onde havia carência de profissionais. Esse programa tinha como objetivo expandir o atendimento de saúde aos municípios com alto percentual de população em situação de extrema pobreza, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), além de 

A) ampliar a inserção do médico estrangeiro em formação nas unidades de atendimento do SUS, desenvolvendo seu conhecimento sobre a realidade da saúde da população brasileira. 
B) fortalecer a política de educação permanente por meio da atuação das instituições de educação superior na supervisão acadêmica das atividades desempenhadas pelos médicos. 
C) promover a troca de conhecimentos e experiências entre profissionais da saúde e médicos formados em instituições brasileiras. 
D) aperfeiçoar médicos estrangeiros para atuação nas políticas públicas de saúde brasileiras e na organização e funcionamento do SUS.

Resposta: Letra B.

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Africanos postam imagens positivas sobre o continente para combater o estereótipo mostrado pela mídia

Abra o jornal. Vá até a seção Internacional. Procure pela África. Você provavelmente vai encontrar matérias falando sobre guerra, fome, doenças, entre outras tragédias.

Inconformados com essa exposição negativa de seu continente, um grupo de jovens lançou a campanha #TheAfricaTheMediaNeverShowsYou no Twitter (em tradução literal, a África que a mídia nunca mostra para você).

A ideia é que todos possam compartilhar imagens poderosas e positivas desse continente e mostrar suas belezas, quebrar estereótipos e, nós, quanto brasileiros, entendemos bem isso.

De grandes estádios, arquitetura contemporânea até a alta moda, a campanha já ganhou milhares de tweets e ganha mais a cada segundo.

Diana Salah, que ajudou a organizar a campanha, disse: “Eu me envolvi porque cresci me sentindo envergonhada de minha terra natal, com imagens negativas que pintaram da África como um continente desolado.” Ela então acrescentou: “É tão importante mostrar a diversidade e a beleza da África que a grande mídia não mostra, e a mídia social foi a saída perfeita. Claro, a guerra e a pobreza continuam a ser questões reais para muitos em um continente de mais de 1 bilhão de pessoas. Mas isso não significa que a África não seja mais do que isso”.

Dê uma olhada nas fotos abaixo e veja que é impossível discordar da Diana:

GettyImages-453980346_ppm0ti

resize-1african10.JPG=s750x1300


africavibrant

screen-shot-2015-07-07-21.46.32

Fonte: Razões Para Acreditar.

Criança proibida de entrar na sala por estar “suada e fedorenta” será compensada

Família de menino barrado por professora receberá R$ 4 mil por dano moral.

Exposição de criança diante dos colegas teve consequências em seu desenvolvimento psicológico. O Município de Rio Piracicaba deverá arcar financeiramente com uma reparação pelo constrangimento que um adolescente experimentou, na infância, quando foi impedido de entrar na sala na volta do recreio. A professora disse que ele não estava apresentável.

A decisão é da 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que manteve sentença para condenar o ente público, mas excluiu a professora e a diretora da instituição do pagamento da indenização de R$ 4 mil.
CRIANÇA HUMILHADA EM CLASSE SERÁ COMPENSADA (FOTO: DIVULGAÇÃO).
A ação foi ajuizada pelo pai da vítima em 2010. Segundo os autos, em novembro de 2009, o menino, então com seis anos, ao retornar do intervalo, foi barrado pela professora. A mulher declarou, na frente de toda a classe, que o pequeno não entraria na sala de aula porque estava “suado e fedorento”.

De acordo com a família, o menino e outras crianças, depois de terem sido expulsas, foram obrigadas a voltar ao recinto, mas de cabeça baixa. O pai alegou ainda que a diretora tomou providências diante da indignação dos parentes das crianças, e acabou afastando a profissional.

No recurso contra a decisão, o Município argumentou que a atitude da professora pretendia promover a segurança e o bem-estar dos demais alunos, e que a advertência não atingiu apenas o menino, mas outros colegas na mesma situação. Outra alegação foi que o incidente não impactou a vida dos envolvidos de forma significativa.

Já a diretora e a professora defenderam que não poderiam fazer parte da ação, pois a responsabilidade era do Executivo Municipal.

Consequências emocionais para a criança

O relator do caso, desembargador Wagner Wilson, excluiu as duas profissionais da demanda. O magistrado ponderou que, conforme o Supremo Tribunal Federal, os agentes públicos são partes ilegítimas para figurarem no pólo passivo da ação, cabendo ao ente público demandar o agente causador do dano em ação própria de regresso, para avaliar se houve conduta culposa ou dolosa.

O relator considerou que o dano moral é presumido, pois se trata de grupo especialmente vulnerável, protegido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. Contudo, também ficou demonstrado que o episódio teve consequências emocionais para a criança.

Ela passou a apresentar gagueira, dores de cabeça e desconforto abdominal no momento de ir à escola, sintomas que desapareceram com o acompanhamento psicológico e a posterior mudança de estabelecimento de ensino. A humilhação, segundo o desembargador Wagner Wilson, tornou o menino inseguro e tímido.

“Disciplinar não é humilhar, não é constranger. É impor limites, mas com respeito. Impedir, publicamente, crianças de ingressarem na sala de aula, vindas do recreio, onde naturalmente brincam, correm, se sujam, suam e se divertem, intitulando-as de suadas e fedorentas, conduta vinda justamente da professora que, notoriamente, detém a admiração das crianças, especialmente as de tenra idade, extrapola os limites de um ato disciplinar”


Os desembargadores Bitencourt Marcondes e Leite Praça seguiram esse entendimento. Acesse a íntegra da decisão e o andamento processual.

Fonte: RIC Mais / Portal R7.

Questão 44 - ENEM 2010 - 1º dia

Democracia: “regime político no qual a soberania é exercida pelo povo, pertence ao conjunto dos cidadãos.” 
JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D. Dicionário Básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2006. 

Uma suposta “vacina” contra o despotismo, em um con texto democrático, tem por objetivo 
a) impedir a contratação de familiares para o serviço público. 
b) reduzir a ação das instituições constitucionais. 
c) combater a distribuição equilibrada de poder. 
d) evitar a escolha de governantes autoritários. 
e) restringir a atuação do Parlamento. 

Resposta: Letra D.
Comentário: Os governos autoritários representam sempre a maior ameaça ao regime democrático. A sociedade civil precisa impor sua participação nas políticas públicas para evitar os constrangimentos de um Estado mar - cado pelo despotismo.

Inscreva-se e conheça nosso Canal: