PETS

RESPOSTAS DO ENEM 2021

domingo, 30 de junho de 2019

Trump/Kim: Uma foto para os livros de História

Líder norte-coreano Kim Jong Un recebe o presidente americano. Data: 30 de junho de 2019.
Trump/Kim: Uma foto para os livros de História. Foto: Jérôme Cartillier / Twitter
“Você quer que eu cruze a linha?” “Me sentirei muito honrado se você cruzar”. Com essas palavras, Donald Trump e Kim Jong Un cumpriram, neste domingo, na fronteira entre as duas Coreias, uma noca aproximação, aparentemente espontânea, que parecia inverossímil até o último momento.

Cartunista é despedido por desenhar Trump jogando golf perto de pai e filha que morreram afogados

O vínculo que o cartunista Michael de Adder tinha com vários jornais canadenses chegou ao fim de forma abrupta. Tudo por causa de um cartoon que nem chegou a ser publicado.
Na imagem, desenhada por Adder, podia ver-se Donald Trump de taco na mão, junto a um carrinho de golfe, no chão, mesmo ao seu lado, estão Óscar e Valeria, pai e filha, que morreram afogados, recentemente, quando tentavam atravessar o Rio Grande, que serve de fronteira natural entre o México e os EUA. “ Vocês se importam que eu continue o jogo?”, pergunta o Presidente dos EUA do cartoon.

O despedimento foi revelado pelo próprio cartunista, que informou nas redes sociais que tinhas sido dispensado de todos os meios do grupo New Brunswick.

Michael de Adder pede, no entanto, aos seguidores para que não o vejam como uma vítima, sublinhando que teve uma carreira de sucesso e que vai ter um livro, a sair em setembro, no qual estão reunidos vários dos seus melhores cartoons.

Fonte: Jornal SOL / Sapo.

Charge do Benett: cocaina em avião da FAB

Charge do Benett: cocaina em avião da FAB.

Charge do Jorge Braga: Planeta Plástico

Charge do Jorge Braga: Planeta Plástico.

Charge do Jorge Braga: 239 novos agrotóxicos

Charge do Jorge Braga: 239 novos agrotóxicos.

sábado, 29 de junho de 2019

Bolsonaro recua sobre Venezuela para não 'polemizar' com Putin

O presidente Jair Bolsonaro admitiu neste sábado (29) que desistiu de cobrar a Rússia sobre a crise na Venezuela para "não polemizar" com Vladimir Putin. 
Putin e Bolsonaro durante cúpula do G20 em Osaka, Japão (foto: EPA).
Moscou é a principal aliada do regime de Nicolás Maduro, considerado ilegítimo pelo Brasil, que apoia o autoproclamado presidente Juan Guaidó.

"Nós sabemos que quem decide o futuro do mundo são as potências nucleares, então não quis polemizar com o senhor Putin, e tocamos o barco", disse Bolsonaro. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, um rascunho do discurso do presidente na reunião dos Brics durante a cúpula do G20 previa uma cobrança de ajuda para a transição de governo na Venezuela - além da Rússia, a China também apoia Maduro.

"Eu estava na presença do presidente da Rússia e vi que não era o momento de ser mais agressivo na questão", acrescentou Bolsonaro. O Brasil é o atual presidente rotativo dos Brics, que também reúne África do Sul e Índia, e sediará a cúpula anual do grupo, em novembro, em Brasília.

Fonte: (ANSA).

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Inscrições abertas para a V Olimpíada Brasileira de Geografia (OBG)

Estão abertas, até o dia 12 de julho, as inscrições para a Olimpíada Brasileira Geo-Brasil 2019, que compreende a V Olimpíada Brasileira de Geografia (OBG) e a III Olimpíada Brasileira de Ciências da Terra (OBCT). Podem participar estudantes de escolas públicas e particulares do Brasil, do 9° ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, com menos de 18 anos de idade.


As escolas devem inscrever equipes compostas por um professor e três estudantes. As provas serão realizadas em quatro fases, sendo três on-line e uma final presencial, que será realizada no campus da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em São Paulo. As provas da primeira fase serão realizadas de 5 a 10 de agosto, com 20 questões de múltipla escolha. Os resultados das etapas on-line serão divulgados no dia 28 de agosto.

O objetivo da competição é promover o estudo das Ciências da Terra e de Geografia, estimular a convivência entre estudantes e professores, a prática de procedimentos científicos na solução de problemas, o incentivo ao estudo diligente e a interação entre os participantes.

Bolsonaro chega ao G20 e diz que Alemanha tem muito o que aprender com o Brasil sobre meio ambiente

Declaração foi resposta a comentários da chanceler Angela Merkel que, no parlamento, afirmou ver com 'grande preocupação' a atuação do presidente brasileiro em relação ao desmatamento. Encontro reúne cúpula das 20 maiores economias do mundo em Osaka, no Japão.

Logo após desembarcar em Osaka, no Japão, onde participará de cúpula das 20 maiores economias do mundo (G20), o presidente Jair Bolsonaro disse que a Alemanha tem muito a aprender com o Brasil sobre questões ambientais. Ele faz sua estreia no G20 a partir desta quinta-feira (27).

Assim como Bolsonaro, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, general Augusto Heleno, também rebateu a fala da chanceler alemã Angela Merkel. A líder alemã afirmou que quer conversar com Bolsonaro sobre o desmatamento no Brasil.

Questionado sobre jornalistas sobre o tema, o presidente Jair Bolsonaro declarou:

"Nós temos exemplo para dar para a Alemanha, inclusive sobre meio ambiente. A indústria deles continua sendo fóssil em grande parte de carvão, e a nossa não. Então, eles têm a aprender muito conosco."

A resposta de Bolsonaro se refere a declarações de Merkel durante uma sessão no Parlamento alemão na quarta-feira (26). Ela disse que deseja conversar com o presidente brasileiro durante os a cúpula no Japão sobre o desmatamento no Brasil. "Percebo como dramático o que está acontecendo no Brasil", descreveu a chanceler alemã.

"Vejo com grande preocupação a questão das ações do presidente brasileiro [em relação ao desmatamento] e, se ela se apresentar, aproveitarei a oportunidade no G20 para ter uma discussão clara com ele", disse Angela Merkel.

Diante disso, Bolsonaro disse que espera ser respeitado pelos colegas.

"O presidente do Brasil que está aqui não é como alguns anteriores, que vieram aqui para serem advertidos por outros países. A situação aqui é de respeito para com o Brasil. Não aceitaremos tratamento como no passado", afirmou.


O presidente da República questionou, ainda, as reportagens que informaram sobre a fala de Merkel em uma sessão pública do parlamento alemão.

"Eu vi o que tá escrito. Lamentavelmente grande parte do que a imprensa escreve não é aquilo", disse ele. "Tem que fazer a devida filtragem para não deixar ser contaminado por parte da mídia escrita, em especial."

Fonte: G1.

Quem é o sargento preso com 39kg de cocaína no avião da FAB?

Manoel Silva Rodrigues, detido nesta quarta pela polícia espanhola num voo da Força Aérea Brasileira, é segundo-sargento da Aeronáutica. 
Reprodução
O segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, preso em Sevilla, na Espanha, por transportar cocaína
Foto: Reprodução.
Ele fez ao menos 29 viagens desde 2011, muitas delas com as equipes de Bolsonaro, Temer e Dilma. Em nota, a assessoria do governo disse que 'o militar não trabalha na Presidência da República e não estaria na comitiva presidencial'.

O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica divulgou a seguinte nota no Twitter:

NOTA OFICIAL 
Nota à imprensa

"O militar detido no aeroporto de Sevilha, na Espanha, nessa terça-feira (25). por suposto envolvimento no transporte de entorpecentes, é Sargento da Aeronáutica que exerce a função de comissário de bordo em uma aeronave militar VC-2 Embraer 190.

Esclarecemos que o sargento partiu do Brasil em missão de apoio à viagem presidencial, fazendo parte apenas da tripulação que ficaria em Sevilha. Assim, o militar em questão não integraria, em nenhum momento, a tripulação da aeronave presidencial, uma vez que o retorno da aeronave que transporta o Presidente da República não passará por Sevilha, mas por Seattle, Estados Unidos.

O militar encontra-se preso à disposição das autoridades espanholas. O Comando da Aeronáutica instaurou Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar todas as circunstâncias do caso.

Medidas de prevenção a esse tipo de ilícito são adotadas regularmente. Em vista do ocorrido, essas medidas serão reforçadas.

O Comando da Aeronáutica reitera que repudia atos dessa natureza, que dá prioridade para a elucidação do caso e aplicação dos regulamentos cabíveis, bem como colabora com as autoridades.

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA AERONÁUTICA."

Fontes: MetrópolesO Estado de S.Paulo e Força Aérea Brasileira.

quarta-feira, 26 de junho de 2019

Crianças imigrantes sem condições de higiene têm pouco acesso a água e comida nos EUA

Bebês chegam a estar dias sem mudar a fralda e são as crianças com 7 ou 8 anos que tomam conta das mais novas.
O responsável pela imigração nos Estados Unidos anunciou a demissão após o escândalo de maus-tratos a crianças nos centros de detenção. Um dia depois de serem retirados de um centro sobrelotado, no Texas, cerca de 100 menores foram enviados de volta para o abrigo onde falta água, comida e condições mínimas de higiene, e onde as crianças de 7 e 8 anos têm de cuidar dos bebês.

Fonte: SIC Notícias.

A foto que ilustra o drama dos migrantes no México

A família de El Salvador estava há uma semana em Matamoros (Tamaulipas), mas a espera para serem atendidos pela Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA levou-os ao desespero e à decisão de atravessarem a nado o Rio Bravo, que separa Ciudad Juárez, no México, de El Paso, nos Estados Unidos, onde queriam procurar asilo.

A fotógrafa Julia Le Duc, que acompanhou a travessia, contou ao jornal El País que em conversa com a mãe soube que "o marido tinha ido com a filha atravessar o rio até Brownsville (no Texas) e quando voltou para ajudar a mulher na travessia, a menina atirou-se à água. Não sei se pensou que era uma brincadeira, mas quando a corrente a levou ela disse-lhes adeus"

O duro momento atraiu muitos curiosos através dos gritos de desespero da mulher.

As autoridades de segurança de Matamoros foram alertadas e foi montada uma operação no domingo à tarde, que foi depois suspensa durante a noite. Na segunda-feira de manhã, os dois corpos foram descobertos por agentes a 500 metros da zona onde se haviam perdido.

A família, que fez aumentar o já extenso número de mortes devido à crise migratória, partiu de El Salvador em abril e entrou no México através da fronteira de Tapachula (Chiapas), onde lhes foi concedido um visto humanitário que lhes permitia residirem legalmente no país enquanto aguardavam asilo nos EUA.

Fonte: SIC Notícias.

terça-feira, 25 de junho de 2019

Governo federal libera mais 42 agrotóxicos no Brasil e amplia recorde desde a posse de Bolsonaro

O Ministério da Agricultura autorizou a utilização de 42 novos agrotóxicos no Brasil,ampliando o recorde de pesticidas liberados pelo governo federal neste ano. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta última segunda-feira (24).

Plantação de soja no Brasil Foto: Michel Filho / Agência O Globo


Ao todo, a pasta liberou 239 novos agrotóxicos no país desde janeiro. Segundo o ministério, boa parte das substâncias segue fórmulas que já estão no mercado — apenas uma delas nunca havia sido introduzido no Brasil—, e a medida visa aumentar a concorrência.

Na lista, há itens que já foram banidos pela União Europeia e vários definidos como "muito perigosos para o meio-ambiente" pelo próprio governo. 

Em abril, a ministra da Agricultura , Tereza Cristina (DEM), atribuiu as liberações recordistas neste ano a critérios "técnicos" que eram barradas em governos anteriores por conta de "processo ideológico".

Oficialmente, a pasta defende a autorização do uso destas novas fórmulas para “aumentar a concorrência e baratear custos” dos agrotóxicos , enfatizando que os produtos são fórmulas “genéricas” de princípios ativos já produzidos no Brasil.

A engenheira agrônoma e porta-voz do Greenpeace, Marina Lacôrte, diz que a regulamentação dos agrotóxicos autorizados neste ano ignora bases cientificas: 
Sem teste

O novo agrotóxico introduzido no Brasil, segundo a ONG, não foi sequer testado na União Europeia, seria muito tóxico e prejudicial aos animais aquáticos. Chamado de Florpirauxifen-benzil, ele não consta no cadastro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

O Greenpeace estima que 30% dos agrotóxicos liberados desde janeiro já foram vetados no bloco europeu. O crescimento no número de produtos no país começou em 2016, mas aumentou consideravelmente desde a posse do novo governo, apoiado pela bancada ruralista.

O governo já atendeu a 440 outros pedidos de registro de agrotóxicos , que ainda precisam passar por etapas burocráticas até a liberação.

— O cliente da Anvisa e do Ministério do Meio Ambiente é a sociedade, não as empresas. Claro, elas são também parte do processo. Ninguém está falando em parar de usar agrotóxicos da noite para o dia. Isso é impossível. Mas estamos pedindo políticas públicas voltadas para esse problema — defende a porta-voz da ONG. — O agronegócio conta com o retorno econômico, tratado com muito orgulho pelo setor, mas deixa de fora a contaminação de água, que não pode ser mais aproveitada, e a do solo. Isso inviabilizará a produção a longo prazo.

Procurados, Anvisa e Ministério do Meio Ambiente não haviam se manifestado até a conclusão desta reportagem.

* Estagiário, sob orientação de Marco Aurélio Canônico.
Fonte: G1.

sábado, 22 de junho de 2019

Exercícios de Geografia sobre Fernando de Noronha - com Gabarito

Questão 01 - IF-TO - 2019 - O Arquipélago de Fernando de Noronha é formado por vinte e uma ilhas, numa extensão de 26 km², tendo uma principal – a maior de todas também chamada "Fernando de Noronha" –, como única ilha habitada. As demais estão contidas na área do Parque Nacional Marinho e são desabitadas, só podendo ser visitadas com licença oficial do IBAMA.
Disponível em: http://www.ilhadenoronha.com.br. Acesso em: 26 abr. 2019 (adaptado). 
Em relação ao horário oficial de Brasília, o Arquipélago apresenta:
A) localização em fuso diferente e acréscimo de 2 horas.
B) localização no mesmo fuso e mesmo horário.
C) localização em fuso diferente e acréscimo de 1 hora. 
D) mesmo horário e localização com diferença de cinco fusos.
E) seis fusos de diferença e duas horas a menos.

Questão 02 -  - UNIG ITAPERUNA 2018.1 -

O arquipélago de Fernando de Noronha é constituído por ilhas oceânicas brasileiras, sendo que sua origem está vinculada
a) ao relevo continental.
b) à acumulação de corais.
c) ao vulcanismo submarino. 
d) aos dobramentos secundários.
e) ao surgimento de blocos falhados.

Questão 03 - UVA 2004.2 -  As ilhas oceânicas brasileiras: Fernando de Noronha, Trindade e Martin Vaz, são de constituição:
A) aluvial
B) sedimentar
C) coralígena
D) vulcânica

Questão 04 - UPENET/IAUPE - 2019 - UPE - Segundo a Constituição do Estado de Pernambuco de 1989, o Arquipélago de Fernando de Noronha constitui região geoeconômica, social e cultural do Estado de Pernambuco, sob a forma de Distrito Estadual: 
I. Dotado de estatuto próprio, com autonomia administrativa e financeira. 
II. O Distrito Estadual de Fernando de Noronha será dirigido por um Administrador-Geral, nomeado pelo Governador do Estado, com prévia aprovação da Assembleia Legislativa. 
III. Os cidadãos residentes no Arquipélago elegerão pelo voto direto e secreto, concomitantemente com as eleições de Governador do Estado, sete conselheiros, com mandato de quatro anos, para formação do Conselho Distrital, órgão que terá funções consultivas e de fiscalização na forma da lei. 
IV. O Distrito Estadual de Fernando de Noronha deverá ser transformado em Município quando alcançar os requisitos e exigências mínimas, previstos em lei complementar estadual. 
Assinale a alternativa CORRETA. 
A) Todos os itens estão corretos. 
B) Todos os itens estão incorretos. 
C) Existe apenas um item correto. 
D) Existem apenas dois itens corretos. 
E) Existem apenas três itens corretos.

Questão 05 - ENEM 2015 - PPL - Energia de Noronha virá da força das águas
A energia de Fernando de Noronha virá do mar, do ar, do sol e até do lixo produzido por seus moradores e visitantes. É o que promete o projeto de substituição da matriz energética da ilha, que prevê a troca dos geradores atuais, que consomem 310 mil litros de diesel por mês.
GUIBU, F. Folha de S. Paulo, 19 ago. 2012 (adaptado).

No texto, está apresentada a nova matriz energética do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha. A escolha por essa nova matriz prioriza o(a)
A) expansão da oferta de energia, para aumento da atividade turística.
B) uso de fontes limpas, para manutenção das condições ecológicas da região.
C) barateamento dos custos energéticos, para estímulo da ocupação permanente.
D) desenvolvimento de unidades complementares, para solução da carência energética local.
E) diminuição dos gastos operacionais de transporte, para superação da distância do continente.

Questão 06 - OBG 2015 - Fernando de Noronha constitui uma ilha vulcânica formada essencialmente por rochas do tipo:
a) Gnaisse.
b) Granito.
c) Arenito.
d) Calcário.
e) Basalto.

GABARITO
01 - C
02 - C
03 - D
04 - A
05 - B
06 - E

Escudo do Los Angeles Lakers - Desenho para Imprimir e Colorir

Escudo do Los Angeles Lakers - Desenho para Imprimir e Colorir.

Escudo do Toronto Raptors - Desenho para Imprimir e Colorir

Escudo do Toronto Raptors - Desenho para Imprimir e Colorir.

Escudo do Golden State Warriors - Desenho para Imprimir e Colorir

Escudo do Golden State Warriors - Desenho para Imprimir e Colorir.

Charge de Zé Dassilva: Demarcação de Terras Indígenas

Charge de Zé Dassilva: Demarcação de Terras Indígenas.

Professora incentiva acessibilidade, e alunos montam mapas em braile e texturizados

Tarefa foi passada para alunos do oitavo ano do ensino fundamental

Uma educação mais inclusiva. Esse foi o desejo que fez com que a professora Gabriela Costa, de 34 anos, pensasse "fora da caixinha" e propusesse um desafio a seus alunos, em uma escola particular na Pavuna, Zona Norte do Rio. O trabalho deste trimestre tinha como tema as "conquistas napoleônicas", conteúdo do oitavo ano do Ensino Fundamental, em que estudantes teriam que elaborar os mapas com territórios do imperador francês. A diferença é que os cartazes teriam que ser texturizados e também apresentar legendas e título em braile — para que deficientes visuais pudessem compreender as informações trazidas pelos adolescentes.

Trabalho de um grupo de alunos Foto: Reprodução/Facebook
Trabalho de um grupo de alunos Foto: Reprodução/Facebook.
Num primeiro momento, contou a professora, alguns ficaram receosos com o desafio que tinham pela frente. Não durou muito tempo. A molecada, formada por alunos de 12 a 14 anos, abraçou a ideia e, após bastante esforço, apresentaram os trabalhos. Mais do que isso: ficaram muito ourgulhosos do que realizaram, nas palavras da própria Gabriela.

— Neste trimestre, após abordarmos o tema de inclusão e necessidades especiais em sala de aula, para tentar compreender um pouco a realidade dessas pessoas, tive a ideia de dar acesso através de um conteúdo de Historia que normalmente tem uma abordagem mais tradicional — explicou a professora, que acrescentou: — No início não exigi o braile na legenda, mas percebemos que tinha o alfabeto no livro de ciências e os alunos encararam o desafio.

Os estudantes deixaram a imaginação rolar. Na elaboração dos mapas, os adolescentes utilizaram materiais como bolinhas, pedras, gravetos e algodão — para que, pelo tato, fosse possível diferenciar cada território. Além das legendas em braile. Na visão da professora, é importante incentivar a acessibilidade e também lidar com as diferenças, dentro de sala de aula.

— Não existe no currículo formal uma disciplina que aborde a temática da acessibilidade, ela, então, tem que ser feita de maneira transversal ao que está sendo trabalhado em sala de aula. Não é apenas importante, é essencial, pois se isso não for feito, não haverá outro lugar para que os alunos aprendam sobre estratégias de inclusão — disse a professora de história, que leciona em salas de aula há quatro anos. Nos outros sete de profissão, atuou em pesquisas históricas.

Gabriela contou que não tem alunos com necessidades especiais, mas argumenta que tarefas dessa natureza são importante para todos:

— Neste trabalho, o material não serve para incluir já que não tenho um aluno com esta necessidade, mas apresenta para comunidade escolar que estas estratégias existem e devem ser colocadas em prática — opinou ela. — Os mesmos alunos do oitavo ano já pediram para pensarmos em outro trabalho que atinja outras outros grupos. Vamos pensar.

Fonte: Rafael Nascimento / G1.