PETS

sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

Exercícios de Geografia sobre o Catar (I) - com respostas

Questão 01 - Complete as lacunas para dar sentido à frase.
Catar: País da Ásia, na península __________, na costa do Golfo____________, limitado aos sul pelos Emirados Árabes e pela _________________________.

Questão 02 - A maior parte da população do Catar está concentrada no espaço:
a) urbano
b) rural

Questão 03 - Como é composta a população do Catar atualmente?

Questão 04 - O futebol é o esporte mais popular do Catar. Em 2022, o país será sede: 
a) dos Jogos Olímpicos de Verão
b) dos Jogos Asiáticos
c) da Copa do Mundo FIFA
d) dos Jogos Mundiais Militares

Questão 05 - Atualmente a economia do Catar é baseada principalmente:
a) na extração de pérolas
b) na extração do petróleo
c) na agricultura
d) no comércio marítimo

Questão 06 - Sobre o Catar, assinale V para as afirmações Verdadeiras e F para as falsas.
( ) O Catar tem um clima desértico com verões quentes, invernos quentes e chuvas escassas.
( ) Não existem reservas de água no Catar em forma de rios e lagos.
( ) O território do Catar é montanhoso e desértico.
( ) A capital do Catar é Doha (em árabe, ad-Dawḥa, que significa 'a grande árvore').

RESPOSTAS:
01 - Arábica - Golfo Pérsico - Arábia Saudita
02 - A
03 - São apenas 12% de catarianos e a maior parte população desse país é composta por  estrangeiros, 
04 - C
05 - B
06 - V  - V - F - V.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

Exercícios de Geografia sobre a Chechênia (I) - com respostas

Questão 01 - Que fatores estão envolvidos na recusa do governo russo em aceitar a independência da Chechênia?

Questão 02 - O separatismo, que atinge algumas regiões, é outro grande problema na Federação Russa. Explique com suas palavras o caso da Chechênia.

Questão 03 - Quais são as principais razões do movimento separatista da Província Autônoma da Tchetchênia, localizada na porção leste da Rússia? Por que esse movimento representa uma ameaça à Rússia?

Questão 04 -  Explique o conflito da Tchetchênia, contextualizando geograficamente seu território (aspectos físicos e socioeconômicos).

Questão 05 - A Tchetchênia é uma república em guerra separatista contra a Rússia. Qual o principal interesse econômico e político da Rússia na manutenção da submissão da Tchetchênia?

RESPOSTAS:
01 - O governo russo não tem interesse em aceitar a independência da Chechênia, porque isso pode abrir um precedente para que outras regiões, sobretudo as do sul do país, também reivindiquem sua independência. Outros fatores envolvem questões econômicas e políticas, já que a Chechênia possui reservas de petróleo e de gás natural, além de ser cortada por importantes gasodutos.

02 - A localização da Chechênia, entre os mares Cáspio e Negro, é estratégica para a Rússia, já que parte significativa do petróleo que a Rússia exporta para a Europa vem do mar Cáspio. A etnia chechena, cuja religião é islâmica sunita, não se considera russa e pleiteia a independência política. Essa questão político-religiosa já provocou guerras em 1991 e 1999.

03 - A população da Tchetchênia é de maioria muçulmana. Ela vem lutando por sua independência com o objetivo de criar um Estado islâmico único. No entanto, o território tchetcheno localiza-se na rota de um dos principais oleodutos russos até o mar Cáspio, pelo qual escoam importantes produtos, como o petróleo. Isso explica o interesse russo em manter a província sob seu domínio. O separatismo da Tchetchênia representa também uma ameaça ao domínio da Rússia sobre outras repúblicas autônomas, que poderiam se motivar e seguir esse exemplo.

04 -  A Chechênia é uma das repúblicas da Federação Russa que se localiza no Sudoeste da Federação, na porção interior da Cadeia do Cáucaso, estendendo-se no sopé das montanhas. Encontra-se na fronteira da Federação Russa com o Geórgia. Ocupa uma área de climas temperados, variando do clima de montanha, mais frio, para o temperado continental. Os chechenos são um povo de origem indo-européia, com predomínio da religião islâmica. As atividades variam da criação de ovinos à agricultura. A Chechênia constitui uma área da passagem de um oleoduto, construído com capital russo, que transporta petróleo em direção ao Mar Negro (Europa). Isto torna a república de extremo interesse estratégico, pois abastece diversos consumidores (russos, europeus e até norte-americanos). Desde a década de 1990, a república tem reivindicado a independência, por movimentos nacionalistas e religiosos, que envolveram conflitos com o exército russo, atividades terroristas, como atentados às autoridades, e extensão dos conflitos às repúblicas vizinhas.

05 - A Rússia procura evitar a independência de suas repúblicas separatistas, como é o caso da Tchetchênia, para impedir o desmoronamento político do país, ou seja, a sua fragmentação, como ocorreu nos Bálcãs. O petróleo produzido no Mar Cáspio é transportado por oleodutos em direção à Europa, ou seja, ao Mar Negro. Portanto, a Tchetchênia é vital para a Rússia, pois os oleodutos cortam essa república separatista.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Exercícios de Geografia sobre a Crimeia (I) - com respostas

Questão 01 - A quem pertencia a península da Crimeia antes de ser anexada ao território russo?

Questão 02 - Como é composta a população da Crimeia atualmente?

Questão 03 - Por que a Rússia anexou a Crimeia?

Questão 04 - Explique por que a incorporação da Crimeia à Rússia difere da tendência de organização política do espaço geográfico mundial após o estabelecimento da Nova Ordem Mundial.

Questão 05 - Um referendo realizado no dia 17 de março na Crimeia, uma República Autônoma ucraniana de maioria russa, aprovou com 96,8% dos votos a adesão da região à Federação Russa. O referendo é o ápice de uma escalada de tensão que atinge a região há mais de um mês, com uma escalada militar russa e ucraniana na região gerada após a deposição do presidente ucraniano Viktor Yanukovich. 
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/03/entenda-o-que-mudana-crimeia-apos-referendo-aprovar-adesao-russia.html, acesso em 18/03/2014. 

Sobre a questão da Crimeia, é correto afirmar: 
a) A península da Crimeia foi conquistada pelos russos no século XVII, mas foi cedida pelo líder soviético Nikita Kruschev à Ucrânia em 1991, quando a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas foi extinta. 
b) O resultado do referendo de março foi prontamente reconhecido pelos representantes da União Europeia e pelos Estados Unidos, com base no princípio de autodeterminação dos povos. 
c) Os líderes políticos tártaros, representantes da principal minoria étnica da Crimeia, figuraram entre os principais entusiastas da adesão da região à Federação Russa. 
d) Após o referendo de março, a Federação Russa passou a considerar a Crimeia parte do seu próprio território, a despeito das reações dos países ocidentais. 
e) A Ucrânia teme perder a sua importante Frota do Mar Negro, sediada na base naval de Sebastopol, caso a Crimeia se torne de fato parte integrante da Federação Russa.

RESPOSTAS:
01 - A península da Crimeia pertencia à Ucrânia desde 1954 quando o líder soviético Nikita Kruschev entregou o território ao país como estratégia de redistribuição territorial da União soviética.

02 - A população da Crimeia é subdividida em três grupos predominantes: russos (65%), ucranianos (15%) e tártaros (12%).

03 - Por medo de perder a base naval na Crimeia, que fornece acesso ao Mediterrâneo para a esquadra russa do Mar Negro e a Rússia é contra o violento golpe (a revolução ucraniana em 2014), que foi idealizado principalmente pelos americanos, cujo objetivo é levar a Ucrânia para a Otan (aliança militar ocidental). A Rússia considera isso uma ameaça à sua soberania. A Crimeia foi parte da Rússia até 1954, quando o líder soviético Nikita Khrushchev, decidiu devolvê-la à Ucrânia. A península abriga uma maioria étnica russa.

04 - Durante a Velha Ordem Mundial, a Ucrânia era uma das repúblicas da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). A Ucrânia só obteve sua emancipação em 1922, quando da criação da URSS, pois, durante o período anterior era uma unidade do antigo Império Russo. Como membro da URSS, a Ucrânia integrava, portanto, ao país líder do socialismo mundial durante a Guerra Fria. Na Nova Ordem Mundial, que caracteriza a globalização, temse observado em diversas regiões do mundo, principalmente na Europa, um processo de fragmentação territorial, geralmente em função da insurgência nacionalista, como se observou, por exemplo, na antiga Iugoslávia e na divisão da Tchecoslováquia. O processo de incorporação territorial, como ocorreu com a Crimeia, que foi retomada pela Rússia (era território da Rússia até 1954, quando foi cedida à Ucrânia por decreto de Nikita Kruschchev, secretário geral do Partido Comunista da URSS), é uma exceção poucas vezes observada, sendo que um dos poucos exemplos está na reunificação da Alemanha.

05 - Letra D.
A Crimeia ganhou relativa autonomia durante a existência da URSS. Recentemente, a instabilidade política que assolou o país deveu-se ao fato de o governo ser contrário à aproximação do país em relação à União Europeia, optando por uma alinha - mento com Moscou. O governo caiu, o novo governo sinalizou uma apro - ximação em relação ao Ocidente e à União Europeia, atendendo a reivindicações populares, o que foi visto como uma afronta por Moscou. Políticos tártaros são contrários ao separatismo da Crimeia O novo governo ucraniano, movido por questões de ordem nacionalista, proibiu o uso da língua russa em seu território, o que levou parte da população da Crimeia a se insurgir contra a arbitrária atitude de Kiev. Separatistas de língua russa realizaram um plebiscito – obviamente, o separatismo venceu –, prontamente foi reconhecido por Moscou, mas não admitido como
legítimo pela União Europeia ou pelos Estados Unidos, intensificando o conflito. O interesse da Rússia, além das ambições expan - sionistas, está no porto de Sebastopol, sede de sua Frota do Mar Negro.

sábado, 19 de dezembro de 2020

Exercícios de Geografia sobre o Ártico (I) - com respostas

Questão 01 - O que vem provocando o aumento das temperaturas no Ártico e quais são os principais impactos gerados no meio ambiente?

Questão 02 - Quais países travam a disputa territorial do Ártico? Quais são os interesses desses países?

Questão 03 - Mesmo divergindo sobre as causas, a comunidade científica é unânime: o Oceano Ártico está derretendo. Em caso de derretimento de sua superfície, é esperado que os países banhados por esse oceano tenham maior interesse nesta área do globo. Aponte duas razões que justifiquem esse maior interesse.

Questão 04 -  Quais principais atividades econômicas estão sendo exploradas no Ártico?

Questão 05 - De que modo é possível analisar o desenvolvimento econômico e o quadro ambiental no Ártico?

RESPOSTA:
01 - O aumento das temperaturas no Ártico vem sendo provocado pelas mudanças climáticas. Os principais impactos são: o acelerado derretimento da calota polar; a emissão de quantidades significativas de gás metano na atmosfera, gerado pelo armazenamento de matéria orgânica e a consequente intensificação do efeito estufa; a perda do habitat de espécies da fauna e flora local; e o aumento global do nível do mar.

02 - Os países que são banhados pelo Oceano Ártico – Estados Unidos, Dinamarca, Canadá, Rússia e Noruega – travam uma disputa com a finalidade de poder explorar os recursos naturais além dos limites estabelecidos pelo acordo internacional, isto é, 200 milhas. É importante lembrar que outros países que não têm a soberania sobre esse território, como a China, também contestam a possibilidade de exploração. Os principais interesses desses países são: a exploração de recursos minerais, como o petróleo e o gás natural, e o controle de novas rotas marítimas.

03 -  Exploração de recursos minerais, destacando-se o petróleo e controle sobre as rotas de navegação entre os estreitos.

04 -  A pesca e a caça a mamíferos marinhos, a exploração de petróleo e gás e o estabelecimento de rotas marítimas para o transporte de mercadoria e para o turismo de luxo.

05 - O desenvolvimento econômico e a situação do meio ambiente nessa região são movimentos contraditórios. O degelo do ártico abre novas perspectivas de exploração mineral e novas atividades, como o turismo. Se essas formas de atividade econômica forem feitas respeitando o meio ambiente e as populações locais, podem até trazer algum benefício, visto que há populações muito pobres de acordo com o texto. Porém, esse degelo é consequência do aquecimento global, um processo que pode se tornar devastador nas próximas décadas, por mudar a dinâmica natural do Ártico, levando à extinção de espécies, obrigando populações a se mudar ou transformar seu modo de vida além de poder transformar o clima e suas regulações em escala global.

Exercícios de Geografia sobre o Brasil-China (I) - com respostas

Questão  01 - Quais os interesses do Brasil em se aproximar da China?

Questão 02 - A China, na atualidade, é o país que mais compra produtos brasileiros. Indique dois dos principais produtos brasileiros exportados para esse país e explique dois motivos para essa importação
 
Questão  03 - Quais são os principais produtos que o Brasil exporta para a China?

Questão  04 - Como os investimentos chineses no Brasil podem impactar a geopolítica mundial?

Questão  05 - Considerando o significativo aumento das trocas comerciais entre China e Brasil nos últimos anos e os grandes investimentos chineses em diversos países do continente africano, quais razões levam as universidades desse país a apostar nos estudos da língua portuguesa?

RESPOSTAS:
01 - Nos últimos anos, intensificaram-se as relações entre o Brasil e a China. Essa aproximação encerra interesses estratégicos no campo econômico e político. No âmbito econômico, o Brasil tem interesse no mercado consumidor chinês, em expansão, sobretudo para suas exportações que englobam desde produtos de baixo valor agregado, como a soja e o minério de ferro; produtos industrializados, como turbinas para o setor hidrelétrico; tecnologia: prospecção e lavra de petróleo em áreas profundas. O Brasil vislumbra ainda a possibilidade de um maior intercâmbio em setores como telecomunicações, biotecnologia e satélites, além da captação de investimentos chineses em infraestrutura, principalmente nos setores de transporte, especialmente no setor ferroviário, e na produção mineral, sobretudo o minério de ferro. No âmbito político, o Brasil, recentemente, ao reconhecer que a China é uma economia de mercado, obteve a promessa de Beijing de apoiar o interesse brasileiro em ingressar como membro permanente numa possível ampliação do Conselho de Segurança da ONU.

02 - Os principais produtos são minério de ferro e soja. Quanto ao consumo destes produtos, temos como justificativa: – minério de ferro: a grande importação dessa commodity por parte do país asiático se deve a sua elevada produção industrial, que requer grande consumo de aço. – soja: produto agrícola altamente consumido pela numerosa população chinesa e com utilização para alimentação animal.

03 - Nas exportações brasileiras para a China, predominam commodities, ou seja, produtos básicos e/ou semimanufaturados, com destaque para a soja e a hematita (minério de ferro).

04 - As trocas comerciais entre Brasil e China têm, de modo geral, apresentado elevação nos últimos anos, com destaque para os investimentos chineses nos setores de energia e siderurgia, ultrapassando os Estados Unidos. Essa estratégia chinesa, aplicada em diferentes países, demonstra seu potencial de crescimento econômico mundial e ampliação de influência geopolítica.

05 - Para se firmar no cenário internacional enquanto potência econômica, a China tem criado estratégias com o objetivo de articular melhor seus interesses geopolíticos com seus parceiros econômicos. Ao investir no ensino da língua portuguesa nas universidades do país, a China reconhece a importância das relações comerciais que mantém com o Brasil e com determinados países africanos, como Angola e Moçambique, que também têm o português como idioma oficial.

Características da produção agropecuária na América Latina

Em vários países da América Latina, grande parte da produção agropecuária é voltada para a exportação e praticada em extensas propriedades monocultoras. 

Essa estrutura produtora é herança dos tempos coloniais, das plantations, grandes áreas monocultoras de produtos tropicais (cana-de-açúcar, banana) destinados à exportação e cultivados por mão de obra escravizada. Atualmente, países como Colômbia, Paraguai, Cuba e Guatemala continuam economicamente dependentes da exportação de produtos agropecuários, principalmente café, cacau, cana-de-açúcar e banana, em geral produzidos com o emprego de técnicas tradicionais, o que resulta em baixa produtividade, como pode ser observado na fotografia abaixo, à esquerda. Seus investimentos em mecanização, fertilização, drenagem e recuperação de solos são escassos ou inexistentes. 

Em contrapartida, em países como Brasil, Argentina, México e Chile, a produção agropecuária de algumas regiões se caracteriza pelo uso intensivo de máquinas e sofisticada tecnologia, o que resulta em alta produtividade.

Características naturais da Oceania

As paisagens da Oceania são bastante diversificadas e incluem desertos, praias, montanhas nevadas, fiordes e vulcões ativos. 

As unidades de relevo do continente foram formadas ao longo de várias etapas da história geológica do planeta Terra. O substrato geológico das grandes massas territoriais, como o escudo australiano, situado no centro da placa tectônica, é composto de terrenos bastante antigos, que datam do Período Pré-Cambriano.

A ação dos agentes internos e externos do planeta ao longo do tempo permitiu o desenvolvimento de um subsolo altamente rico em recursos minerais e de um relevo amplamente desgastado, constituído de extensos planaltos rochosos, planícies sedimentares ao longo dos rios e altitudes que não ultrapassam os 500 metros acima do nível do mar.

Na Austrália, as maiores altitudes estão localizadas em sua porção leste, na Cordilheira Australiana.

Grande parte das ilhas e dos atóis da Oceania está situada no Círculo de Fogo do Pacífico, área caracterizada pela intensa atividade vulcânica em decorrência do encontro de placas tectônicas. Por isso, a formação de tais terrenos é mais recente. Muitas ilhas abrigam unidades de relevos e substratos desgastados, mas também formações geológicas do Período Cretáceo. Em alguns locais, é possível observar altitudes bastante elevadas, que atingem os 4000 metros, como o monte Wilhelm, , localizado na Papua Nova Guiné.

A grande variação latitudinal do continente influencia significativamente os tipos de clima encontrados na Oceania. As regiões próximas à linha do Equador e às Zonas Tropicais registram elevados índices de pluviosidade e temperaturas altas o ano todo. No entanto, parte do território da Oceania está inserida na Zona Temperada, como a ilha da Tasmânia, a porção sudeste e o sul da Nova Zelândia. Nesses locais, as temperaturas são mais amenas e os invernos úmidos são moderados.

O clima do continente também é fortemente influenciado pelos fatores da maritimidade e da continentalidade. Nas regiões litorâneas e nas diversas pequenas ilhas, os índices de pluviosidade são mais elevados, em virtude da umidade vinda do oceano Pacífico. Já na porção central da Austrália, grande parte da umidade é retida pela Cordilheira Australiana, o que permite a ocorrência de clima do tipo desértico, caracterizado pelos baixos índices de chuva, inferiores a 350 mm por ano.

Há, por fim, a ocorrência de clima do tipo mediterrâneo, especialmente no extremo sul da Austrália, com verões quentes e secos e invernos frios e úmidos, além de locais cujas temperaturas são bastante frias, devido à influência das altas altitudes, como na Cordilheira Australiana e na porção central da Nova Zelândia e da Papua Nova Guiné.

As unidades de relevo e os diferentes tipos de clima influenciam também na grande diversidade de vegetação presente na Oceania. Nas Zonas Equatoriais e Tropicais predominam vegetações caracterizadas por florestas densas e úmidas.

Nas faixas de transição entre os climas úmido e seco, ocorrem os tipos de vegetação adaptados aos menores índices de pluviosidade e às temperaturas elevadas, como as Pradarias e as Savanas.

A vegetação rasteira, composta principalmente de gramíneas e arbustos, é adaptada à baixa umidade presente em locais de clima desértico do interior da Austrália. 

Por fim, as Zonas Temperadas e de elevadas altitudes abrigam fragmentos de Florestas Subtropicais e vegetação de altitude, características de locais onde predominam temperaturas mais amenas ao longo do ano. 

A economia do Meio-Norte

No Meio-Norte, a criação de gado e a produção de algodão, de arroz e, mais recentemente, o cultivo da soja têm alavancado a economia regional. 

Também se destacam a coleta do coco babaçu e do palmito, além da extração da cera de carnaúba. Os produtos extraídos são utilizados como alimento e aproveitados para a produção de cosméticos, produtos de higiene e medicamentos. 

A maior parte da mão de obra envolvida na extração do coco babaçu é constituída de mulheres, as chamadas quebradeiras, que trabalham quase sempre em condições precárias e pagam para ter acesso às palmeiras em propriedades particulares. 

O trabalho das quebradeiras de coco babaçu, além de gerar renda para as famílias, é uma forma de proteção da vegetação original nas áreas onde se realiza a extração dessa matéria-prima.

A economia do Sertão

O Sertão abrange boa parte dos estados da Bahia, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Ceará e pequeno trecho de Sergipe e de Alagoas. 

A maioria da população rural do Sertão vive da agricultura e da pecuária de subsistência. A pecuária extensiva e a agricultura comercial de frutas, café, algodão, soja, milho, feijão, arroz e mandioca são as principais atividades econômicas. 

No interior do Sertão, existem os chamados brejos, áreas situadas nos sopés de serra e zonas de transbordamento de rios que são úmidas e florestadas, com solos férteis. Nas várzeas dos rios, permanentes ou intermitentes, há terrenos planos e encharcados para onde são carregados, na época chuvosa, materiais decompostos que formam no solo uma camada mais espessa e úmida, propícia à agricultura. 

Nos últimos anos, áreas irrigadas do Sertão vêm se tornando importantes produtoras agrícolas para atender aos mercados interno e externo. 

Quando aliadas, as modernas técnicas de irrigação, a baixa umidade do ar e as poucas chuvas da região oferecem condições favoráveis à agricultura. Além disso, algumas empresas agrícolas têm trocado o Centro-Sul do país pelo Sertão em razão do menor custo das terras e da localização estratégica para o escoamento da produção.

A economia do Agreste

O Agreste abrange partes dos estados de Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.

Muitos municípios do Agreste cresceram em decorrência da produção algodoeira, que se expandiu nessa sub-região a partir do século XIX, impulsionando as indústrias têxteis no século XX. Nas últimas décadas, as inovações tecnológicas incorporadas à produção resgataram a importância do algodão no Agreste, onde essa cultura tinha praticamente desaparecido em consequência de uma praga conhecida como bicudo do algodoeiro.

Campina Grande convive com a cultura do algodão desde o início do século XX. Atualmente, a cidade tem um polo têxtil consolidado e se destaca não só pelo volume de sua produção, mas por um diferencial tecnológico: o algodão colorido. Por ser naturalmente colorido, esse tipo de algodão não desbota facilmente e pode ser usado, sem restrição, por pessoas alérgicas a corantes.

Além do algodão, há na sub-região do Agreste predomínio de pequenas propriedades policultoras, nas quais são cultivados vários produtos, como o feijão, o milho, a mandioca, o café, o agave e a banana, entre outros.

Os caprinos (cabras) representam o principal rebanho de criação. No setor industrial, destacam-se as indústrias de doces, sucos, móveis, calçados e têxteis. A indústria têxtil do Agreste é considerada a segunda mais importante do Brasil, atrás apenas da de São Paulo.

O comércio é outra atividade relevante no Agreste. Nesse setor, destacam-se as feiras livres das cidades de Campina Grande (PB), Feira de Santana (BA), Vitória da Conquista (BA), Caruaru (PE) e Garanhuns (PE).

A Hidrografia da Região Nordeste

A escassez de chuva no Nordeste seco tem consequências na hidrografia da região. Ao longo do período de estiagem, a água dos rios torna-se escassa e passa a alimentar os lençóis subterrâneos, desaparecendo na superfície. A população local, então, busca obter água para seu abastecimento por meio de poços cavados nos leitos dos rios secos. 

Os rios que não apresentam águas superficiais durante o período de seca são chamados de intermitentes (ou temporários). É o caso da maioria dos rios nordestinos. A exceção é o São Francisco, um rio perene graças à localização de suas principais nascentes em uma região de elevados volumes pluviométricos, em Minas Gerais.

O rio São Francisco 

As águas do “Velho Chico”, como é popularmente conhecido o rio São Francisco, são utilizadas pela população ribeirinha na pesca e na agricultura, e também por fazendas e empresas do setor de frutas. 

Trata-se do rio mais importante da Região Nordeste, por seu aproveitamento na produção de energia elétrica (obtida pelas usinas hidrelétricas instaladas ao longo de seu curso), no transporte de cargas e em projetos de irrigação. 

O uso intensivo do rio nessas atividades tem consequências negativas, como seu assoreamento, o desmatamento de suas margens e a poluição. Um projeto que ganhou destaque nos últimos anos foi a transposição de suas águas.

O setor primário na Região Sudeste

A agropecuária da Região Sudeste é moderna, intensiva, ligada à agroindústria e tem grande importância na economia regional e nacional.

Embora a agricultura seja o setor econômico menos expressivo da região, o Sudeste possui forte herança agrícola. Os cultivos predominantes são cana-de- -açúcar, algodão, café e laranja.

A utilização de maquinário moderno, fertilizantes químicos e sementes selecionadas, além do trabalho de agrônomos qualificados, elevou a produtividade e a rentabilidade agrária da região. O estado de São Paulo responde por cerca de três quartos da produção nacional de laranja e mais da metade da cana-de-açúcar produzida no país. Minas Gerais e Espírito Santo são responsáveis por mais da metade da produção nacional de café. 

A maior parte das atividades pecuárias se desenvolve de forma intensiva e com espécies selecionadas, o que garante a alta produtividade. A região tem o segundo maior rebanho bovino do Brasil (perdendo apenas para a Região Centro-Oeste) e a maior produção de leite do país, concentrada principalmente em Minas Gerais e parte de São Paulo. Essas unidades produtivas abastecem as indústrias de laticínios. 

Com relação à extração de recursos minerais, na região são encontradas jazidas de níquel, cobre, prata, cromo, zinco, calcário, chumbo, urânio, cassiterita, manganês, bauxita, diamante e ouro, entre outras. Destaca-se a extração de petróleo e minério de ferro. 

Explorado principalmente no chamado Quadrilátero Ferrífero, o minério de ferro abastece tanto o mercado interno quanto o externo. Atualmente, o Brasil é grande exportador dessa matéria-prima, especialmente para a China.

A indústria na Região Sul

A Região Sul é a segunda mais industrializada do Brasil, atrás apenas do Sudeste. O desenvolvimento de pequenas unidades agrícolas familiares deu origem a pequenas e médias indústrias. Inicialmente ligadas ao setor de transformação e beneficiamento de produtos primários, elas passaram a se associar às indústrias metalúrgicas e de máquinas agrícolas. 

Além de um parque industrial diversificado, o Sul conta com boas condições de infraestrutura — como rodovias e ferrovias — e fontes de energia, que favorecem seu desenvolvimento. Destacam-­se os setores metalúrgico, alimentício, calçadista, têxtil e de bebidas. 

Também contribui para o desenvolvimento industrial da Região Sul a proximidade com o grande mercado consumidor do Sudeste, o que gera integração entre as duas regiões.

Áreas de concentração industrial

As áreas de maior concentração industrial do Sul são a região metropolitana de Porto Alegre e a região metropolitana de Curitiba, que apresentam grande mercado consumidor, mão de obra qualificada e polos industriais bastante diversificados. 

No Rio Grande do Sul, os municípios de Caxias do Sul e Rio Grande se destacam pelo forte crescimento industrial com base na produção de óleos vegetais, no refino do petróleo e na fabricação de fertilizantes. 

No Paraná, os municípios de Londrina, Maringá, Cianorte, Ponta Grossa e Foz do Iguaçu são outros importantes centros industriais da Região Sul. 

No estado de Santa Catarina, as atividades econômicas se concentram nas cidades de Joinville, Blumenau, Jaraguá do Sul, Gaspar e Brusque. 

Região Sul: Vegetação e Hidrografia

As elevações planálticas da Região Sul também abrigam um tipo de vegetação bastante específico: a Mata dos Pinhais — ou Mata das Araucárias —, que, em geral, se desenvolve em áreas onde predomina o clima subtropical, com verões quentes e invernos mais rigorosos.

As araucárias tiveram sua área de abrangência bastante reduzida pela ação humana, restando de sua formação nativa apenas trechos pequenos e isolados.

A Mata Atlântica, que originalmente cobria boa parte da Região Sul, hoje se encontra quase totalmente devastada. A expansão agrícola e a urbanização foram os fatores responsáveis pela devastação da cobertura vegetal no Sul. Se, por um lado, a ocupação da região em pequenas unidades fundiárias foi um fator positivo para a economia da região, por outro, acabou reduzindo drasticamente a vegetação nativa.

Os rios da região são aproveitados para navegação, irrigação de áreas agrícolas, abastecimento urbano e geração de energia. Destacam-­se, entre eles, o Jacuí e o Uruguai, no Rio Grande do Sul; o Itajaí, em Santa Catarina; e o Paraná e o Iguaçu, no Paraná.

Utilizado como via de navegação desde o início da colonização da América, atualmente o rio Paraná tem um importante papel na integração dos países sul­americanos. Há uma expressiva movimentação comercial entre os estados da Região Sul e os países vizinhos — especialmente Argentina, Uruguai e Paraguai, fundadores do Mercosul com o Brasil —, que tende a aumentar com os investimentos em hidrovias e rodovias ligando portos e áreas de produção agropecuária.

Região Sul: Clima e Relevo

Enquanto as demais regiões do país apresentam variações do clima tropical, no Sul predomina o clima subtropical. Nessa região, as chuvas são regulares e abundantes, com precipitações entre 1 250 e 2 000 milímetros anuais.

A variação sazonal de luminosidade constitui um dos principais aspectos das paisagens naturais sulistas. Além disso, durante o ano há expressiva diferença entre as temperaturas mais baixas e as mais elevadas (amplitude térmica). No inverno ocorrem geadas e, eventualmente, neve nas partes altas dos planaltos.

O relevo do Sul é caracterizado pela presença de serras e chapadões ondulados que compõem os Planaltos e Chapadas da Bacia do Paraná. Na porção oriental da divisa do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina se destacam os paredões verticais.

No período colonial, os planaltos da Região Sul foram vias de acesso utilizadas por jesuítas e bandeirantes, que, ao longo dos caminhos trilhados, fundaram aldeias e vilas, algumas das quais se transformaram em grandes cidades.

Alguns problemas ambientais afetam a Região Sul, como os deslizamentos de encostas em Santa Catarina, as inundações no vale do Itajaí e ao longo do rio Iguaçu, os vendavais frequentes em determinadas áreas, o risco de arenização na campanha Gaúcha e os processos erosivos em trechos do noroeste do Paraná.

Clima da Região Centro-Oeste

Na  Região Centro-Oeste o clima Tropical é do tipo Semiúmido, com alternância de estações secas e úmidas. As principais características do clima Tropical observadas no Centro-Oeste são as elevadas temperaturas, cujas médias ficam acima de 18 ºC, e a sucessão de períodos de chuva e de estiagem. 

A estação chuvosa ocorre entre os meses de outubro e março, durante o verão, período em que as médias térmicas estão bastante elevadas. Já a estiagem se prolonga ao longo do inverno, de abril a setembro, período de temperaturas mais amenas, entre 20 ºC e 24 ºC.

Aspectos Físicos da Rússia

A Rússia, maior país do mundo, tem 17098240 km² de área, que se dividem entre os continentes europeu e asiático. Cerca de dois terços do seu território estão situados na Ásia, mas a capital do país, Moscou, localiza-se na porção europeia. 

Os montes Urais estabelecem a divisão entre a parte europeia e a parte asiática do território russo. Neles, estão localizadas jazidas minerais, especialmente de carvão. Em seu relevo, destacam-se duas grandes planícies: a Russa, situada no noroeste, e da Sibéria, na porção centro-ocidental. A leste da planície da Sibéria está localizado o planalto Central Siberiano, em que há cadeias montanhosas antigas, com concentração de minerais, como ouro e diamantes. 

Na parte asiática do território russo, predominam climas frios. Ao norte, ao longo do litoral, a Tundra aparece associada ao clima polar. À medida que as latitudes diminuem, o clima é frio e há predomínio da Taiga ou Floresta de Coníferas. Ao sul, onde o clima se torna mais seco, ocorrem as Estepes. 

A leste dos montes Urais, na porção europeia, o clima é temperado e o bioma característico é a Floresta de Coníferas, que abastece as indústrias de papel e de madeira. Ao sul, verifica-se um clima temperado mais ameno e a presença da Floresta Temperada e da Pradaria. Essa área é a mais populosa, e nela ocorre o maior aproveitamento da terra para a agricultura no solo tchernozion.

Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP)

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) foi criada em 1960 com o objetivo de coordenar e unificar as políticas de produção e oferta do petróleo entre os países-membros e, assim, controlar preços de venda do produto no mercado mundial. Com sede em Viena (Áustria), é constituída por 12 países exportadores de petróleo de diferentes continentes: Irã, Iraque, Kuwait, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Catar, Venezuela, Equador, Líbia, Argélia, Nigéria e Angola
De acordo com dados da própria organização, mais de 80% das reservas mundiais comprovadas de petróleo estão situadas nos territórios de seus países-membros, e 65% delas estão localizadas no Oriente Médio.

Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (Apec)

Bloco econômico fundado em 1989, reúne países da América, Ásia e Oceania banhados pelo oceano Pacífico. Com sede em Cingapura, é constituído por 21 países-membros: Austrália, Brunei, Canadá, Chile, China, Hong Kong, Indonésia, Japão, Coreia do Sul, Malásia, México, Nova Zelândia, Papua-Nova Guiné, Peru, Filipinas, Rússia, Cingapura, Taiwan, Tailândia, Estados Unidos e Vietnã.
O objetivo principal da Apec é a redução de tarifas alfandegárias entre os países-membros, afim de estabelecer uma área de livre-comércio. O bloco enfrenta dificuldades de consolidação em razão de disputas de liderança entre as potências que integram o bloco e de diferenças socioeconômicas entre os países, entre outros fatores.

Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean)

A Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean) surgiu em 1967. Com sede em Jacarta (Indonésia), a organização conta com dez países-membros: Indonésia, Malásia, Filipinas, Cingapura e Tailândia, desde 1967; Brunei, a partir de 1984; Vietnã, desde 1985; Mianmar e Laos, a partir de 1997; e Camboja, desde 1999. Papua-Nova Guiné e Timor Leste participam como membros observadores.

Bandeira da ASEAN.

A Asean é um bloco econômico regional que tem como principal marca a área de livre-comércio. Além disso, desenvolve e coordena programas de cooperação entre os países-membros nas áreas de agricultura, indústria, energia, transporte, comunicação, segurança, tecnologia, educação, turismo e cultura. 

Nos últimos anos as relações comerciais entre os países-membros e os países que não pertencem ao bloco, principalmente a China e o Japão, têm aumentado significativamente.

Conselho de Cooperação do Golfo (CCG)

Com sede em Riad, capital da Arábia Saudita, o CCG foi criado em 1981. Trata-se de uma organização política, econômica e social constituída por Arábia Saudita, Barein, Catar, Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Omã, países localizados no Oriente Médio. Em 2001, o Iêmen tornou-se observador, participando de algumas reuniões da organização.
Os países-membros do CCG têm economia baseada na extração de petróleo e gás natural. Juntos, eles detêm 45% das reservas mundiais conhecidas de petróleo e 17% das jazidas de gás natural. Entre os objetivos do CCG estão a cooperação nas áreas de economia, finanças, segurança e defesa e o desenvolvimento de programas conjuntos em educação, cultura, saúde, turismo, direitos humanos, meio ambiente, ciência e tecnologia.

Recursos Minerais da Rússia

A vastidão do território russo e a variada formação geológica são responsáveis pela presença de um rico subsolo. As jazidas de petróleo e de gás são abundantes e fazem da Rússia a terceira maior produtora de petróleo e a segunda produtora de gás natural do mundo. Esses recursos são fundamentais para o abastecimento de energia e matéria-prima às indústrias química, mecânica e pesada russas. 

A Rússia também se tornou grande fornecedora de gás natural aos países europeus. A distribuição do gás ocorre por meio de gasodutos. 

O país também está entre os cinco maiores produtores mundiais de diamantes, minério de ferro, níquel, potássio e urânio.

Agropecuária da Rússia

A agropecuária é uma atividade importante para a economia russa, apesar das dificuldades enfrentadas com os invernos prolongados e rigorosos. 

Os principais cultivos são: trigo, centeio, beterraba açucareira, linho, algodão, girassol e cevada. Na atividade pecuária, destacam-se os rebanhos bovino, ovino e suíno.

Clima da Ásia

A ampla extensão latitudinal do continente asiático proporciona variados tipos de clima, que, combinados a outros elementos (relevo, vegetação, hidrografia), formam diversificados ambientes naturais.

O norte do continente apresenta climas polar e frio, com invernos longos e rigorosos, cujas temperaturas podem atingir 50 °C negativos.

As penínsulas da Indochina e Malaia e o arquipélago da Insulíndia apresentam climas equatorial e tropical, marcados pelas altas temperaturas e pelas chuvas abundantes.

A Ásia Central, localizada a leste do mar Cáspio e ao norte da Cordilheira do Himalaia, é caracterizada pela ocorrência de climas Desértico e Semiárido, influenciados pela continentalidade, já que estão distantes da atuação das massas de ar úmidas originadas nos oceanos.

No Oriente Médio, que compreende países mais a oeste da Ásia, predominam os climas Desértico e Semiárido, motivo pelo qual os desertos dominam as paisagens. A região é marcada por elevada amplitude térmica, podendo registrar variações de até 50 °C do dia para a noite nas áreas mais secas. As áreas mais habitadas são aquelas em que há o afloramento de águas subterrâneas, como ocorre em Damasco (Síria) e em Riad (Arábia Saudita). 

A parte mais oriental da Ásia — onde se localizam China, Japão, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Taiwan e Mongólia — apresenta os climas Subtropical e Temperado. No oeste da China, predominam os climas Frio de Montanha e Desértico. O deserto de Gobi ocupa o sul do território da Mongólia e parte da China.

Ásia Setentrional

A Ásia Setentrional abrange a porção asiática da Rússia em toda a sua extensão leste-oeste. Apresenta climas dos tipos polar e frio, com invernos longos e rigorosos, cujas temperaturas podem atingir até 50 °C negativos. 

Suas formações vegetais estão adaptadas às rigorosas condições climáticas. Predominam a Taiga ou Floresta de Coníferas, que cobre grande parte da região e é intensamente explorada para a obtenção de madeira e celulose, e a Tundra, ao norte, uma vegetação rasteira muito resistente às baixíssimas temperaturas. 

A hidrografia da Ásia Setentrional é formada por rios extensos, como o Ob, o Ienissei e o Lena, bastante aproveitados para a geração de energia elétrica em seus trechos de planalto, ao sul. Boa parte dos cursos de água permanece congelada durante o inverno. 

A região é ocupada por campos de exploração de petróleo e gás, além de grandes plantações agrícolas que se beneficiam do solo denominado tchernozion, rico em nutrientes.

Aspectos Físicos da Ásia Central

A região da Ásia Central é composta de cinco países situados a leste do mar Cáspio: Cazaquistão, Uzbequistão, Turcomenistão, Tadjiquistão e Quirguistão.

Com uma área de aproximadamente 4 milhões de km² , a Ásia Central apresenta planícies e altos planaltos no leste, além de montanhas na divisa com o Oriente Médio (onde estão localizados Irã e Afeganistão). 

A vegetação é constituída basicamente por estepes e espécies típicas de áreas desérticas. Esse tipo de paisagem natural decorre do predomínio dos climas semiárido e desértico na região. 

Dois grandes rios, o Syr Daria e o Amu Daria, localizam-se na rede hidrográfica da Ásia Central, que apresenta muitos cursos de água temporários devido aos baixos índices pluviométricos.

Aspectos Físicos do Oriente Médio

O relevo do Oriente Médio é constituído em grande parte por planaltos circundados por montanhas. Em geral, as planícies estão situadas entre o litoral e os conjuntos montanhosos. No interior da região, entre os rios Tigre e Eufrates, localiza-se a planície da Mesopotâmia, de grande valor histórico-cultural. 

Os climas predominantes são o desértico e o semiárido, motivo pelo qual quase toda a região é constituída por desertos. As temperaturas variam de mais de 40 °C durante o dia a menos de 10 °C à noite. A alta amplitude térmica levou à concentração da população em cidades como Damasco, na Síria, e Riad, na Arábia Saudita, localizadas em regiões em que as águas subterrâneas afloram à superfície, formando oásis. 

As formações vegetais predominantes são as estepes áridas e as plantas xerófilas (adaptadas a climas desérticos) e, nos locais de climas mais úmidos, a vegetação mediterrânea.

Aspectos Físicos da Ásia Meridional

Os países que a compõem são a Ásia Meridional são: Índia, Sri Lanka, Paquistão, Nepal, Butão e Bangladesh.

A região apresenta três grandes unidades de relevo: a Cordilheira do Himalaia, o Planalto do Decã e a planície Indo-Gangética. 

A Cordilheira do Himalaia é uma cadeia de altas montanhas, situada na fronteira da China com a Índia, localizada no Nepal e no Butão. Registra mais de 2 000 quilômetros de extensão e picos muito elevados, incluindo o Everest.

O planalto do Decã, na porção centro-sul da Ásia Meridional, é constituído por rochas muito antigas e desgastadas por processos erosivos.

A planície Indo-Gangética, situada entre a Cordilheira do Himalaia e o Planalto do Decã, é formada pela ação das águas das chuvas e dos rios Indo e Ganges. 

O clima predominante é o tropical, sujeito ao regime das monções, cuja principal característica é a sucessão de um inverno relativamente seco (novembro a fevereiro), uma estação quente e sem precipitações (março e abril) e um verão muito chuvoso (junho a setembro). O período seco corresponde às monções de inverno; os quatro meses de chuva correspondem às monções de verão.

Exercícios de Geografia sobre a União Europeia (I) - com respostas

Questão 01 - Aponte argumentos que revelam a força econômica da União Europeia.

Questão 02 - Quais são as condições básicas para um país ingressar no bloco que forma a União Europeia?

Questão 03 - Explique a Zona do Euro.

Questão 04 - Cite pelo menos três países europeus que não integram a UE.

Questão 05 - Nos últimos anos, grupos radicais contra a União Europeia emergiram na cena política, não só na Grã-Bretanha, mas também em outros países. Qual o principal discurso adotado por esses grupos?

RESPOSTAS:
01 - É o maior bloco econõmico do mundo, composto por 27 países, único a atingir o maior grau de integração econômica entre os países-membros; apresenta um PIB maior que o dos Estados Unidos; tem sucesso no que se refere à livre circulação de pessoas, mercadorias e serviços.

02 - Estabilidade política com respeito aos direitos humanos, estabilidade econômica, ser aceito por todos os membros do grupo.

03 - Trata-se do conjunto de países da União Europeia que adota o euro como moeda.

04 - Alguns desses países são: Albânia, Andorra, Belarus, Liechtenstein, Macedônia, Moldávia, Montenegro, Sérvia, Noruega e Suíça.

05 - Esses grupos têm um discurso político nacionalista e contra a integração da UE. Geralmente, se munem de discursos xenofóbicos para justificar seus preconceitos com os imigrantes, e querem colocar toda a responsabilidade pelas crises na chegada desses imigrantes à Europa.

Alemanha: indústria e tecnologia

O setor industrial alemão é muito desenvolvido — em especial o siderúrgico — graças a um conjunto de fatores, entre eles: 

abundância de carvão mineral: garante ao país o atendimento a grande parte da demanda de suas indústrias, servindo para a geração de energia termelétrica; 

densa rede hidrográfica: favorece o escoamento da produção dentro da Alemanha e para os demais países europeus, sendo o Reno o principal rio do país. 

Apesar de a Alemanha possuir certas condições naturais favoráveis, sua produção agropecuária é deficitária em produtos hortifrutigranjeiros. Principalmente após a Segunda Guerra Mundial, o governo alemão passou a incentivar a indústria e as exportações. Os recursos obtidos com a exportação foram investidos fortemente no aprimoramento de infraestruturas de transporte, o que favoreceu a importação de alimentos e matérias-primas em geral. Os países do sul da Europa, em especial a Espanha e a Itália, tornaram-se os principais fornecedores de frutas e verduras para o mercado alemão. 

Com o incentivo do governo, a Alemanha se transformou no primeiro produtor europeu de máquinas de todos os tipos, das mais simples às mais complexas. As indústrias química, farmacêutica, eletromecânica e de construção mecânica representam os setores modernos da indústria alemã, tendo se tornado referências mundiais em seus respectivos ramos de atividade.

Fonte: A. Mais / Blog de Geografia.

A indústria do Reino Unido

No atual espaço produtivo do Reino Unido, convivem a tradição industrial, representada pelos setores de base, e os setores modernos. 
  • Grandes indústrias têxteis. O Reino Unido tem uma tradição manufatureira têxtil que remonta à Idade Média. Nos últimos tempos, em virtude do reduzido custo da mão de obra dos países asiáticos, a indústria tem transferido suas plantas manufatureiras para países do Extremo Oriente. 
  • Siderurgia. A atividade siderúrgica obteve êxito em razão da grande quantidade de carvão e de minério de ferro encontrada no país. 
  • Indústria de transformação. Com o sucesso da siderurgia de base, as indústrias eletromecânica, de construção naval, automobilística, aeronáutica e de máquinas têxteis também puderam se destacar na economia do país. 
Alguns setores da indústria britânica desenvolveram-se em um período mais recente, já no final do século passado. A partir da década de 1970, a indústria e o comércio incorporaram novos aparatos técnicos, modernizando alguns setores, como a indústria petroquímica, a eletroeletrônica e a alimentícia.

Fonte: A. Mais / Blog de Geografia.

A economia da França

A extensão territorial e as características físicas do território francês, como diferentes tipos de clima e de relevo, contribuem para a diversidade de suas atividades econômicas. 

A França tem uma das maiores áreas agricultáveis da Europa. Com exceção de produtos tipicamente tropicais, cujo cultivo não é adequado às suas condições climáticas, o país supre as necessidades de sua população e produz excedentes para exportar para os demais países europeus. 

Os produtos mais cultivados na França são a beterraba, empregada na fabricação de açúcar, e o trigo. A pecuária, desenvolvida de forma intensiva, garante o abastecimento de carnes e laticínios. 

No setor secundário, destaca-se a indústria metalúrgica. Além disso, modernas indústrias dos setores aeroespacial, automobilístico, têxtil, químico e de produção de máquinas respondem por grande parte do dinamismo industrial francês. 

Outra atividade econômica importante para o país é o turismo. A França sempre figura entre os países que mais recebem turistas todos os anos. O país apresenta dois grandes polos de atração: a cidade de Paris, por seu apelo histórico-artístico, e o litoral mediterrâneo, com alguns dos centros mais valorizados da Europa (Cannes, Nice e o conjunto da Costa Azul, ou Côte d’Azur).

Fonte: A. Mais / Blog de Geografia.

A economia da Itália

A Itália foi o primeiro país mediterrâneo a alcançar um importante desenvolvimento industrial, que não ocorreu de forma homogênea no território. Dessa forma, o país pode ser dividido em três regiões com perfis econômicos distintos, conforme indicado a seguir: 
  • Regiões norte e nordeste. São as mais desenvolvidas, por apresentarem elevado nível de industrialização e urbanização. A cadeia dos Alpes possibilitou a construção de usinas hidrelétricas ao norte, com aproveitamento da água proveniente do degelo dos cumes das montanhas. A região também possui diversas jazidas de gás natural, aproveitado pelas indústrias. 
  • Região central. Alcançou recentemente grande dinamismo devido ao crescimento das médias e pequenas empresas dos ramos de calçados, tecidos e vestuário, que se destacam pelo emprego de alta tecnologia e por sua efetiva consolidação no mercado internacional. 
  • Região sul. Permanece basicamente agrária. O desenvolvimento da indústria turística e a ajuda econômica da União Europeia têm melhorado os indicadores socioeconômicos dessa região.
Fonte: A. Mais / Blog de Geografia.

Europa: o Relevo e a Hidrografia

Três unidades de relevo destacam-se no continente europeu. Observe o mapa.
  • Maciços antigos. Montanhas muito antigas, que se situam no centro-norte e no leste do continente, entre as quais se destacam os montes Urais — que separam a Europa da Ásia, a leste — e os Alpes Escandinavos. 
  • Planícies centrais. Localizadas na região central, apresentam grande extensão e solos muito férteis, onde predominam o cultivo de cereais e a criação de gado. 
  • Cordilheiras recentes. Montanhas jovens e de elevada altitude: os Pireneus, os Cárpatos, os Alpes, os Apeninos, os Alpes Dináricos, os Bálcãs e a cadeia do Cáucaso. 
Também são encontradas no continente algumas áreas de depressão, ou seja, que estão abaixo do nível do mar. A mais conhecida é a dos Países Baixos, país famoso pelos seus diques e pôlderes. Em áreas de clima de alta montanha ou próximas às regiões polares, há vazios demográficos. 

Outra característica física que se destaca na Europa é seu aspecto recortado e irregular devido ao grande número de penínsulas e arquipélagos e aos mares interiores. 

A rede hidrográfica europeia é densa e apresenta numerosos cursos de água. Seus rios e mares são utilizados para produção de energia, irrigação, comércio e navegação. Além disso, constituem importantes eixos de integração entre os países do continente. Dentre os rios europeus, destacam-se o Volga — o mais extenso, na Rússia —, e o Reno, que nasce nos Alpes suíços e deságua no Mar do Norte, junto ao porto de Roterdã (Países Baixos).

Fonte: A. Mais / Blog de Geografia.

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

PET - Observe os mapas do Brasil da divisão regional e municipal que possuem computador com acesso à internet para responder as atividades 3 e 4.

Observe os mapas do Brasil da divisão regional e municipal que possuem computador com acesso à internet para responder as atividades 3 e 4. 

03. Quais as regiões do Brasil com maior e menor acesso à internet? Cite uma causa para justificar esse dado. 
RESPOSTA: Maior acesso: Sudeste e Sul. Menor acesso: Norte e Nordeste. Esses dados revelam que a infraestrutura das regiões sudeste e sul são melhores e, por isso, viabilizam melhor acessibilidade.

04. A partir da leitura do texto da semana e da observação do mapa, quais ações devem ser tomadas pelos governos para ampliar o acesso da população à internet?
RESPOSTA: Implementar politicas de redistribuição de renda para melhorar a condição financeira daqueles com dificuldade de acesso. Criar politicas de redução das desigualdades de gênero para que mais mulheres tenham acesso a internet. Viabilizar cursos para aprimorar as habilidades digitais, sobretudo,  entre os mais carentes.

PET - Observe a tabela para responder as atividades 1 e 2.

Observe a tabela para responder as atividades 1 e 2.




01. Quais as regiões do mundo com menor acesso a internet? Cite duas causas para essa situação. 
RESPOSTA: África e  Ásia-Pacífico. Índices elevados de pobreza e de analfabetismo.

02. As Américas do Norte, Central e do Sul estão reunidas em uma mesma barra no gráfico, isso reflete a realidade de todos os países do continente? Explique.
RESPOSTA: Não, pois a América do Norte, sobretudo os Estados Unidos, tem um índice de acesso muito maior que os demais países da América Central e do sul.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

Questão Pet - Os domínios climáticos são caracterizados pela distribuição das latitudes pelo globo terrestre

06 – Os domínios climáticos são caracterizados pela distribuição das latitudes pelo globo terrestre, ou seja, quanto maior a latitude menor a temperatura e quanto mais próximo da linha do Equador maiores são as temperaturas. Observe o mapa de Zonas Climáticas do planeta e responda:




Qual domínio climático é predominante no território brasileiro? 
a) Domínio Temperado 
b) Domínio Tropical 
c) Domínio Polar 
d) Domínio Continental

Resposta: Letra B

Questão Pet - O mapa é um instrumento utilizado para representar

05 - O mapa é um instrumento utilizado para representar e apresentar os fenômenos que ocorrem no espaço geográfico. E para sua melhor interpretação é necessário conhecer e identificar seus elementos. Observe o mapa abaixo e responda. 

Disponível em: <https://atlasescolar.ibge.gov.br/mapas-atla>s. Adaptado. Acesso em: 08 nov. 2020.

Qual elemento de interpretação não é identificado no mapa? 
a) Legenda 
b) Título 
c) Escala 
d) Orientação

Resposta: Letra B.

Questão Pet - Diversos fenômenos que ocorrem na Terra têm origens fora do planeta

04 – Diversos fenômenos que ocorrem na Terra têm origens fora do planeta ou são resultantes dos movimentos de rotação e translação. Entre esses fenômenos, é considerada consequência direta do movimento de rotação a: 
a) Alternância das estações do ano. 
b) Força gravitacional da lua. 
c) Sucessão dos dias e das noites. 
d) A variação das marés.

Resposta: Letra C.

Questão Pet - Observe a imagem abaixo:

03 - Observe a imagem abaixo: 
Qual fenômeno climático urbano é apresentado na imagem? 
a) Efeito estufa 
b) Chuva ácida 
c) Ilha de calor 
d) Inversão térmica

Resposta: Letra C.

Questão Pet - A fotografia abaixo apresenta uma mina de exploração de minério de ferro.

02 – A fotografia abaixo apresenta uma mina de exploração de minério de ferro. Observe a fotografia e responda o que se pede:


a) A imagem representa qual tipo de paisagem geográfica? 
b) Paisagem Natural 
c) Paisagem Ambiental 
d) Paisagem Humanizada 
e) Paisagem Social

Resposta: Letra D.

Comentário: Questão com erro, pois a letra A,  é a pergunta,  e não uma alternativa. Mas não interfere na resposta. 

Questão Pet - A agricultura representou um marco histórico na organização socioespacial

01 - A agricultura representou um marco histórico na organização socioespacial, com intensas transformações e evoluções que ocorreram ao longo do tempo. Além do sedentarismo, qual outra característica a agricultura representou para a história humana? 


a) O aumento de seres humanos nômades no espaço geográfico. 
b) A continuidade das paisagens naturais, mesmo com o avanço agrícola. 
c) O surgimento das primeiras vilas e das trocas comerciais. 
d) A formação de uma nova classe social, a classe dos trabalhadores industriais.

Resposta: Letra C.

Questão Pet - Observe o mapa abaixo referente aos Domínios Morfoclimáticos:

06 - Observe o mapa abaixo referente aos Domínios Morfoclimáticos: 
Qual a alternativa que melhor caracteriza os Domínios Morfoclimáticos? 
a) Conceito geográfico que busca associar diferentes elementos naturais como o relevo, o clima e o solo. 
b) É a relação uniforme entre a vegetação e o tipo de rocha encontrados em diferentes localidades. 
c) Conceito científico que busca relacionar o relevo com a vegetação de áreas de planície. 
d) Conceito cartográfico que busca mapear o território nacional através da vegetação.

Resposta: Letra A.

Questão Pet - Analise as imagens e a descrição abaixo e marque a alternativa correta.

05 – Analise as imagens e a descrição abaixo e marque a alternativa correta. 
Vegetação marcada por árvores e arbustos espaçados de troncos retorcidos, devido ao tipo de solo, folhas pequenas e grossas, casca espessa e raízes profundas. Apresenta diferentes formações vegetais, como a formação campestre, a formação florestal e as formações Savânicas. O Domínio Morfoclimático indicado é denominado: 
a) Mata Atlântica 
b) Mata de Araucária 
c) Cerrado 
d) Caatinga

Resposta: Letra C.

Questão Pet - Os líderes dos países que integram os Brics

Os líderes dos países que integram os Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – encerraram seu terceiro encontro com um comunicado em que pedem conjunta e explicitamente, pela primeira vez, mudanças no Conselho de Segurança das Nações Unidas. O texto defende reformas na ONU para aumentar a representatividade na instituição, além de alterações no Fundo Monetário Internacional e no Banco Mundial. Para os líderes dos Brics, a reforma da ONU é essencial, pois não é mais possível manter as formas institucionais erguidas logo após a Segunda Guerra Mundial. 
(Adaptado de O Globo, 15/04/2011). 
Uma das principais mudanças no contexto internacional contemporâneo que se relaciona com as reformas propostas pelos Brics está indicada em: 
a) afirmação da multipolaridade. 
b) proliferação de armas atômicas. 
c) hegemonia econômica dos EUA. 
d) diversificação dos fluxos de capitais.

Resposta: Letra A.

Questão PET - Um dos fenômenos mais discutidos e polêmicos da atualidade é a “Globalização”

05 - Um dos fenômenos mais discutidos e polêmicos da atualidade é a “Globalização”, o qual impacta de forma negativa: 
a) na mão de obra desqualificada, desacelerando o fluxo migratório. 
b) nos países subdesenvolvidos, aumentando o crescimento populacional. 
c) no desenvolvimento econômico dos países industrializados desenvolvidos. 
d) nos países subdesenvolvidos, provocando o fenômeno da “exclusão social”.

Resposta: Letra D.

Questão Pet - O processo de Globalização consolidou-se no Brasil

04 - O processo de Globalização consolidou-se no Brasil a partir da década de 1990, tendo como principais características as questões a seguir, MENOS uma delas. Identifique a frase que não se aplica às características da Globalização e assinale-a: 
a) Expansão do sistema econômico neoliberal. 
b) Frente de ampla abertura comercial para o mercado externo. 
c) Flexibilização das frentes de trabalho. 
d) Transferência de patrimônio privado para o poder público.

Resposta: Letra D.

Questão Pet - (UFSC-1999 - Adaptada) Do ponto de vista histórico-social, o continente americano

03- (UFSC-1999 - Adaptada) Do ponto de vista histórico-social, o continente americano divide-se em América Anglo-saxônica e América Latina. Identifique a proposição que caracteriza INCORRETAMENTE a América Latina. 
a) A colonização por exploração deixou marcas profundas nessa parte da América, entre as quais destaca-se a excessiva concentração de terras. 
b) O colonizador fixou-se de imediato à terra, criando um mercado interno responsável por um precoce desenvolvimento industrial. 
c) A dependência, em relação aos países centrais, é estrutural, muito embora as forças endógenas também atuem na formação econômico-social. 
d) Países como o México, Brasil e Argentina podem ser caracterizados como uma periferia industrializada.

Resposta: Letra B.

Questão Pet - Sobre o território brasileiro, assinale a alternativa CORRETA:

02 - Sobre o território brasileiro, assinale a alternativa CORRETA: 
a) o Brasil é um país com dimensões continentais. 
b) a extensão do território brasileiro denuncia a pequena distância de seus pontos extremos. 
c) a localização do Brasil indica-se por longitudes negativas, no hemisfério oriental. 
d) a grande variação de latitudes explica a homogeneidade climática do país.

Resposta: Letra A.

Questão PET - Leia o trecho da música a seguir e responda.

Leia o trecho da música a seguir e responda. 
“Moro num país tropical, 
abençoado por Deus 
E bonito por natureza, mas que beleza 
Em fevereiro (em fevereiro) 
Tem carnaval (tem carnaval)”. 
(JOR, J. B. ; SIMONAL, W. País Tropical. Intérprete: Jorge Ben Jor). 
Assinale a alternativa que MELHOR completa e justifica o trecho: Ao dizer que o Brasil é um “país tropical”, o trecho acima está, em uma perspectiva geográfica 
a) correto, pois o território brasileiro é cortado por ambos os trópicos da Terra. 
b) incorreto, pois nenhum trópico, de fato, corta a área do país. 
c) correto, pois a maior parte do país encontra-se em uma zona intertropical. 
d) incorreto, pois não existe o “clima tropical” na classificação climática do Brasil. 

Resposta: Letra C.

Questão Pet - Um dos principais traços da dinâmica demográfica mundial é a migração

06 – Um dos principais traços da dinâmica demográfica mundial é a migração internacional, que recria conflitos espaciais de diferentes ordens. Esse tipo de migração é explicado 
a) pela incorporação de valores ocidentais no Oriente e de valores orientais no Ocidente, diminuindo as fronteiras simbólicas. 
b) pela facilidade do fluxo de trabalhadores condicionados pelos novos meios de comunicação e transportes. 
c) pela aprendizagem de idiomas dos países ricos como forma de incorporação às novas demandas da indústria. 
d) pelo aumento global do desemprego, que gera miséria nas nações de baixo índice de desenvolvimento humano.

Resposta: Letra D.

Questão Pet - O número de imigrantes que vivem nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

“O número de imigrantes que vivem nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) aumentou em um terço na última década, apesar da recente queda dos fluxos migratórios provocada pela crise econômica iniciada em 2008, afirma um relatório publicado pela entidade nesta segunda-feira.

Segundo a OCDE, que reúne 34 países, a maioria deles ricos, cerca de 110 milhões de imigrantes viviam nos países-membros da organização em 2009/2010, o equivalente a 9% da população total”.

BBC Brasil, 03 dez. 2012.
Em busca de melhores condições de vida, muitos imigrantes saem de países pobres em direção aos territórios de economias desenvolvidas. Essa procura intensifica-se porque nos países desenvolvidos:

a) há uma política de controle e recepção dos grupos imigrantes.
b) são registrados baixos índices de xenofobia (aversão a estrangeiros).
c) a burocracia facilita a regularização de imigrantes, mesmo que ilegais.
d) existem políticas de incentivos aos deslocamentos sazonais.
e) há uma elevada necessidade de mão de obra barata e de baixo custo.

Resposta: Letra E.

Questão Pet - (UEPA) O crescimento precipitado das cidades em decorrência do acelerado

04 - (UEPA) O crescimento precipitado das cidades em decorrência do acelerado desenvolvimento tecnológico da segunda metade do século XX produziu um espaço urbano cada vez mais fragmentado, caracterizado pelas desigualdades e segregação espacial, subemprego e submoradia, violência urbana e graves problemas ambientais. Sobre os problemas socioambientais nos espaços urbano-industriais, é correto afirmar que: 
a) os resíduos domésticos e industriais aliados aos numerosos espaços marginalizados, problemas de transportes, poluição da água e do solo, bem como os conflitos sociais, são grandes desafios das cidades na atualidade. 
b) as ações antrópicas, em particular, as atividades ligadas ao desenvolvimento industrial e urbano, têm comprometido a qualidade das águas superficiais, sem, contudo, alcançar os depósitos subterrâneos.
c) os conflitos sociais existentes no espaço urbano mundial estão associados à ampliação de políticas públicas para melhoria de infraestrutura que provocou o deslocamento de milhões de pessoas do campo para a cidade. 
d) a violência urbana, problema agravado nos últimos anos, está associada à má distribuição de renda, à livre comercialização de armas de fogo e à cultura armamentista existente na maioria dos países europeus.

Resposta: Letra A.

Questão Pet - A industrialização ampliou a divisão do trabalho

03 – “A industrialização ampliou a divisão do trabalho dentro da unidade de produção (a fábrica) e no interior da sociedade de cada país. Ao mesmo tempo, estabeleceu a Divisão Internacional do Trabalho entre os países industriais e as regiões fornecedoras de produtos agrícolas e minerais”. 
(LUCCI, E. A. et. al. Território e sociedade no mundo globalizado: Geografia Geral e do Brasil. Ensino Médio. Editora Saraiva, 2005. p.56). 
Assinale a alternativa que NÃO expressa uma característica da Divisão Internacional do Trabalho (DIT). 
a) Os países desenvolvidos exportam produtos tecnológicos e os países subdesenvolvidos exportam matérias-primas. 
b) A formação da DIT está relacionada, principalmente, com os eventos ligados ao colonialismo. 
c) Conferências internacionais são anualmente realizadas para se definir qual tipo de produto cada país produzirá no contexto do comércio internacional. 
d) A Divisão Internacional do Trabalho envolve, entre outras questões, as relações desiguais entre o norte desenvolvido e o sul subdesenvolvido nos campos político e econômico.

Resposta: Letra C.

Questão PET - (VEST Rio - adaptada) Cortando fronteiras com capital e tecnologia

(VEST Rio - adaptada) Cortando fronteiras com capital e tecnologia, as multinacionais otimizam mercados, recursos naturais e políticos em escala mundial. Uma nova forma de acumular lucros, uma nova divisão internacional do trabalho. A nova divisão internacional do trabalho tem como causa a seguinte atuação das multinacionais: 
a) importação de matérias-primas do 3° mundo. 
b) aplicação de capitais em atividades agropastoris nos países periféricos. 
c) exploração de novas fontes de energia. 
d) implantação de filiais em países de mão de obra barata.

Resposta: Letra D.

Questão PET - (UFPI) Sobre a economia globalizada, pode-se afirmar que:

(UFPI) Sobre a economia globalizada, pode-se afirmar que: 
a) Homogeneizou as culturas e reduziu as discrepâncias econômicas entre os países. 
b) Integrou economias e possibilitou a difusão de hábitos dos lugares pelo mundo. 
c) Proporcionou visibilidade às minorias, a povos e culturas de recantos isolados do mundo. 
d) Reduziu significativamente a xenofobia e os conflitos étnicos e religiosos em todo o planeta.

Resposta: Duas respostas: Letra B e Letra C.

Questão PET - Vários estudos atestam que os atuais padrões de consumo

06 – “Vários estudos atestam que os atuais padrões de consumo crescem mais rapidamente que a capacidade de regeneração dos sistemas naturais. Ou seja, para manter os níveis de uso de recursos como a água, os minérios, os solos e as florestas da maior parte da população mundial, seriam necessários vários planetas Terra”. 
MARTINS, D. et al. Geografia, sociedade e cotidiano: espaço mundial. Volume 03, 3ª ed. São Paulo: escala educacional, 2013. p.264. 

O padrão não sustentável de consumo das sociedades atuais fez emergir uma grande preocupação quanto ao esgotamento dos recursos naturais. A definição acima apresentada refere-se ao conceito de: 
a) Consumo alienante. 
b) Obsolescência planejada. 
c) Pegada ecológica. 
d) Níveis gerais de consumo. 
e) Esgotamento florestal.

Resposta: Letra C.
Comentário: O índice que mede a relação entre o consumo da população e a capacidade de renovação e disponibilidade dos recursos naturais é chamado de “pegada ecológica”.

Questão PET - Para ser alcançado, o desenvolvimento sustentável depende de planejamento

05 - “Para ser alcançado, o desenvolvimento sustentável depende de planejamento e do reconhecimento de que os recursos naturais são finitos. Esse conceito representou uma nova forma de desenvolvimento econômico, que leva em conta o meio ambiente”

WWF Brasil. O que é desenvolvimento sustentável. Disponível em: <WWF.org>. Acesso em: 10 nov. 2020.
Assinale a alternativa que NÃO aponta uma maneira correta de promover o desenvolvimento sustentável: 
a) Optar por recursos naturais renováveis, tais como os ventos e a energia solar. 
b) Praticar a agricultura orgânica com maior frequência, sem o uso de agrotóxicos. 
c) Redução da queima de combustíveis fósseis. 
d) Ampliação da área de cultivo agrícola em larga escala. 
e) Conservação das florestas e reflorestamento.

Resposta: Letra D.
Comentário: A ampliação das áreas agrícolas, embora seja necessária em alguns casos, gera a degradação de regiões naturais, como reservas florestais e outras. Portanto, nem sempre essa medida pode ser considerada como “sustentável”.

Questão PET - O Brasil enfrenta diversos problemas ambientais

04 - O Brasil enfrenta diversos problemas ambientais que prejudicam as diferentes espécies que aqui vivem. De acordo com o IBGE, três problemas ambientais são os mais relatados no Brasil. Marque a alternativa que indica esses problemas: 
a) Poluição do solo, poluição atmosférica e contaminação por metais pesados. 
b) Contaminação por metais pesados, desmatamento e caça. 
c) Poluição atmosférica, queimadas e caça. 
d) Assoreamento, desmatamento e queimadas. 
e) Queimadas, poluição do solo e contaminação por metais pesados.

Resposta: Letra D.
Comentário: De acordo com o IBGE, 90% dos municípios brasileiros apresentam problemas ambientais. Entre os mais relatados estão queimadas, desmatamento e assoreamento.

Questão PET - Observe o mapa dos Domínios Morfoclimáticos brasileiros:

03 - Observe o mapa dos Domínios Morfoclimáticos brasileiros: 
Os números 1 e 2 indicados no mapa representam, respectivamente, os domínios: 
a) Do semiárido e da mata atlântica. 
b) Da caatinga e dos mares de morro. 
c) Do sertão e das paisagens litorâneas. 
d) Do agreste e da mata tropical. 
e) Do polígono das secas e da zona da mata.

Resposta: Letra B.

Questão PET - Abaixo é reproduzido um mapa-múndi na Projeção de Mercator.

02 – Abaixo é reproduzido um mapa-múndi na Projeção de Mercator.
É possível AFIRMAR que, nesta projeção: 
a) Os meridianos e paralelos não se cruzam formando ângulos de 90°, o que promove um aumento das massas continentais em latitudes elevadas. 
b) Os meridianos e paralelos se cruzam formando ângulos de 90°, o que distorce mais as porções terrestres próximas aos polos e menos as porções próximas ao equador. 
c) Não há distorções nas massas continentais e oceanos em nenhuma latitude, possibilitando o uso deste mapa para a navegação marítima até os dias atuais. 
d) Os meridianos e paralelos se cruzam formando ângulos perfeitos de 90°, o que possibilita a representação da Terra sem deformações. 
e) Os meridianos e paralelos não se cruzam formando ângulos de 180°, o que promove um aumento das massas continentais em latitudes elevadas.

Resposta: Letra B.
Comentário: Na projeção de Mercator, os paralelos e meridianos se cruzam formando ângulos de 90º, o que determina uma crescente distorção das áreas representadas, quanto mais próximos dos polos estiverem.

Inscreva-se e conheça nosso Canal: