PETS

terça-feira, 30 de abril de 2013

Questões de Geografia - Vestibular UFPE 2005 - Gabarito e resolução comentada

Questões de Geografia - Vestibular UFPE 2005 - Gabarito e resolução comentada
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
(UFPE 2005  - Geografia - Questão 23) “O vento passa a rir, torna a passar, Em gargalhadas ásperas de demente, E esta minh’alma trágica e doente, Não sabe se há de rir, se há de chorar! Vento de voz tristonha, voz plangente, Vento que ris de mim, sempre a troçar, Vento que ris do mundo e do amor, A tua voz tortura toda a gente! Vale-te mais chorar, meu pobre amigo! Desabafa essa dor a sós comigo, E não rias assim... Ó vento, chora!” (Versos do poema Ao Vento, de Florbela Espanca) Sobre o fenômeno natural, poeticamente explorado por Florbela Espanca, é correto dizer que: 
1) os ventos sopram dos centros de altas pressões para os centros de baixas pressões ou ciclonais. 
2) o ar em deslocamento é o resultado direto da ausência de desequilíbrios barométricos na baixa atmosfera de uma região. 
3) o vento tem “voz plangente” porque a sua velocidade aumenta com a diminuição do gradiente de pressão. 
4) os alísios e as monções, que atuam em amplas áreas do planeta, são exemplos marcantes de ventos periódicos que transportam umidade para os continentes. 
5) os alísios de sudeste e de nordeste se originam em centros de altas pressões semifixos das faixas subtropicais e se deslocam para a faixa equatorial.
Está(ão) correta(s) apenas: 
A) 2, 3 e 5 
B) 1 
C) 4 D) 1 e 5 
E) 2, 3 e 4

Letra D 
Justificativa: A afirmativa 1 é correta. Os ventos se deslocam dos centros de altas pressões para os de baixas pressões, também chamadas de ciclonais . 
A afirmativa 2 é falsa. Os desequilíbrios barométricos são os responsáveis pelos deslocamentos do ar atmosférico. 
A afirmativa 3 é falsa. A velocidade do vento aumenta com o aumento do gradiente ou diferença de pressão entre duas áreas. A expressão “voz plangente” é apenas uma figura de linguagem poética. 
A afirmativa 4 é falsa. Os alísios não são ventos periódicos, pois sopram durante todo o ano, variando muito pouco de direção. As monções, sim, são ventos periódicos. 
A afirmativa 5 é verdadeira. Os alísios se originam nos centros de altas pressões semifixos das faixas subtropicais e avançam para a faixa equatorial do planeta.

(UFPE 2005 - Geografia - Questão 24) O homem deste milênio tem uma nítida percepção do poder da sociedade moderna em alterar o ambiente econômico, social e natural. Em parte, as rápidas mudanças do último século ocorreram de forma consciente; outras surpreenderam, agradável ou desagradavelmente. Sobre esse tema, é incorreto dizer que: 
A) o sistema industrial atual, em diversos países do mundo, vem respondendo ao problema da poluição com soluções que vão desde o simples controle dos efluentes até conceitos de “produção mais limpa”. 
B) uma das surpresas desagradáveis foi o poder destrutivo e insustentável dos sistemas de produção e do consumo. 
C) torna-se cada vez mais eminente a necessidade de compreender a relação existente entre os sistemas humanos e os sistemas naturais. 
D) a melhoria tecnológica reduz, em parte, o desperdício dos recursos naturais e, conseqüentemente, a poluição ambiental. 
E) as ações antrópicas sobre o sistema natural, apesar de acarretarem efeitos desagradáveis, provocam, nos espaços rurais, a diminuição do assoreamento fluvial e a intensificação da erosão.

Letra  E
Justificativa: As ações antrópicas nos espaços rurais não implicam a diminuição do assoreamento. O que se observa é exatamente uma intensificação desse processo deposicional.

(UFPE 2005 - Geografia - Questão 25) As paisagens geomorfológicas, em geral, refletem as influências dos fatores litológicos, tectônicos e morfoclimáticos. A paisagem esboçada a seguir pode ser caracterizada como um(a):
A) brejo de altitude, no Agreste pernambucano, desenvolvido em litologias mais resistentes aos processos erosivos. 
B) tipo de cuesta, em áreas costeiras litologicamente homogêneas. 
C) estrutura tectonicamente falhada em placas litosféricas divergentes. 
D) estrutura tectonicamente dobrada, com anticlinal e sinclinal. 
E) inselbergue de resistência, desenvolvido em ambientes morfoclimáticos semi-áridos.

Letra  D
Justificativa: A paisagem mostra as influências tectônicas que acarretaram um dobramento dos terrenos. Na paisagem, verificam-se uma sinclinal e uma anticlinal.

(UFPE 2005 Questão - Geografia - 26) O comércio varejista do Brasil fechou o primeiro semestre do ano de 2006 com expansão de 5,68%, segundo informações do IBGE. O desempenho foi melhor do que o dos seis primeiros meses de 2005, quando o setor havia crescido 4,64%. Que fatores justificam essa expansão? 
A) A adoção de uma rígida política protecionista adotada pelo Governo Federal e a inflação baixa. 
B) O aumento da inflação e a valorização do dólar. 
C) Os preços menores dos alimentos e a inflação baixa. 
D) A inflação baixa e a elevação do “Risco Brasil”. 
E) O inverno rigoroso no Centro-Sul e a inflação alta.

Letra  C
Justificativa: A inflação baixa assegurou boa parte da melhoria do rendimento ao ampliar o poder de compra da população. Os preços menores, especialmente de alimentos, “puxaram” para cima as vendas dos supermercados.

(UFPE 2005 - Geografia - Questão 27) A atividade vulcânica compreende todos os fenômenos associados com o derrame sobre a superfície terrestre dos materiais magmáticos procedentes do interior da Terra. Sobre esse assunto, é incorreto afirmar que: 
A) no Estado de Pernambuco, há evidências de atividades vulcânicas, ocorridas em épocas pretéritas, na Zona da Mata; os solos dessas áreas vulcânicas são, em geral, bons para a agricultura. 
B) o vulcanismo é um fenômeno endógeno exclusivo de áreas de colisão de placas litosféricas, em face da ação das correntes de convecção do manto. 
C) além da erupção de gases aquecidos e lavas fundidas, procedem dos vulcões vastas quantidades de materiais fragmentados que são produzidos pela expansão de gases. 
D) o magma, ao se solidificar nas fissuras rochosas preexistentes, origina diques mais ou menos espessos. 
E) as erupções variam muito de caráter, de acordo com a pressão e a quantidade de gás e a natureza da lava posta em liberdade.

Letra  C
Justificativa: A afirmativa é incorreta, pois o vulcanismo também ocorre em áreas de separação de placas e até no interior destas.

(UFPE 2005 - Geografia - Questão 28) As exportações do Brasil para a China bateram um recorde histórico em julho de 2006. A balança bilateral reverteu os saldos negativos ou de baixo valor registrados até maio desse ano e atingiu o superávit de US$ 413 milhões de julho, com exportações de US$ 1,7 bilhão e importações de US$ 653 milhões. A maior pauta de exportações, feitas pelo Brasil, para aquele país asiático, refere-se aos seguintes produtos: 
A) minério de ferro, álcool e açúcar. 
B) petróleo, computadores e medicamentos genéricos. 
C) soja, minério de ferro e petróleo. 
D) soja, carvão mineral e açúcar. 
E) açúcar, álcool e cacau.

Letra  C
Justificativa: Cerca de 70% das vendas brasileiras para a China advêm da soja, do minério de ferro e do petróleo

(UFPE 2005 - Geografia - Questão 29) O Fundo Monetário Internacional (FMI) disse que países com dívidas públicas altas, como o Brasil, ou com déficits externos altos, como Turquia e Índia, são vulneráveis. Alertou, ainda, que a economia global começa a “esfriar”, o que pode significar uma piora do cenário internacional. O que justifica esse “esfriamento” da economia global apontado pelo FMI? 
A) Os juros maiores nos países centrais, os preços do petróleo, ainda elevados, e o desaquecimento do mercado imobiliário nos Estados Unidos. 
B) As catástrofes naturais permanentes e a tensão política no Oriente Médio. 
C) Os juros maiores nos países centrais e os conflitos étnicos na Europa e na Ásia.
D) O elevado “Risco País” do Brasil e da Turquia e a aceleração da inflação nos países capitalistas emergentes. 
E) As dívidas públicas elevadas dos países capitalistas desenvolvidos e as catástrofes naturais de grande porte.

Letra  A
Justificativa: A economia global começou a esfriar por conta de juros maiores nos países centrais, do petróleo, ainda apresentando um patamar elevado, e do desaquecimento do mercado imobiliário nos Estados Unidos.

(UFPE 2005 - Geografia - Questão 30)  Na Região Sudeste do Brasil, existem dois tipos bem definidos de paisagem fisiográfica, representados, de um lado, pelas “serras” do Mar e da Mantiqueira e, do outro, pela serra do Espinhaço. Essas duas primeiras “serras” originaram-se em conseqüência do tectonismo. Quais as evidências dessa formação tectônica? 1- Solos bem desenvolvidos, sobretudo nas escarpas. 2- Adaptação da drenagem a uma rede de falhas. 3- Assimetria do relevo. 4- Domínio de colinas convexas e vales em V. 5- Patamares escalonados. Estão corretas apenas: 
A) 1, 2, 4 e 5 
B) 1 e 2 
C) 3 e 4 
D) 1, 2 e 3 
E) 2, 3 e 5

Letra  E
Justificativa: As evidências da formação tectônica das “serras” referidas são: adaptação da rede de drenagem a uma rede de falhas, como, por exemplo, o rio Paraíba do Sul; a assimetria do relevo, que denuncia falhamentos, e os patamares escalonados, que indicam diversos níveis de falhas. Nas escarpas, por razões topográficas, não podem ocorrer solos bem desenvolvidos, e esses, no caso, não seriam evidências de tectonismo. As colinas convexas, por outro lado, refletem as condições climáticas quentes e úmidas e, não, as manifestações tectônicas.

(UFPE 2005 - Geografia - Questão 31) Num relatório de trabalho de campo, realizado por um grupo de alunos encarregados de estudar geograficamente uma determinada área do Brasil, foi dito o seguinte: “A área investigada, situada na Zona da Mata pernambucana, apresenta um relevo dominantemente composto por colinas de perfil convexo, em áreas cristalinas. Os solos são bem desenvolvidos e, nas várzeas, são excelentes para o desenvolvimento de atividades agrícolas. Essa área apresenta semelhanças notáveis com alguns trechos da Região Sudeste do país, especialmente no que se refere às condições de umidade atmosférica, pedológicas e cobertura vegetal. Contudo o uso do solo e o processo de ocupação do espaço exibem grandes diferenças quando comparadas com essa macrorregião brasileira mencionada”. Que princípio da análise geográfica foi utilizado nesse texto? 
A) Princípio da Analogia 
B) Princípio do Atualismo 
C) Princípio da Atividade 
D) Princípio do Determinismo 
E) Princípio da Causalidade

Letra  A
Justificativa: O Princípio implícito no texto é o da Analogia, que foi enunciado por Karl Ritter. De acordo com esse princípio, depois de uma área estudada ser delimitada, deve-se compará-la com outras áreas, estabelecendo as semelhanças e diferenças que existam.

(UFPE 2005 - Geografia - Questão 32) O continente africano possui inúmeras características semelhantes às observadas no Brasil, sobretudo no que se refere às características naturais. Por exemplo, a área escura no mapa a seguir apresenta um tipo climático encontrado numa das regiões brasileiras e denominado:

A) Clima semi-árido. 
B) Clima subtropical. 
C) Clima subtropical de altitude. 
D) Clima temperado. 
E) Clima equatorial.


Letra  E
Justificativa:  O clima da área escura é o equatorial, também encontrado na Região Norte do Brasil.

A organização do espaço brasileiro: território e regionalização - Questões de Vestibulares e Enem

1. (UFAC 2008) Sobre o Estado do Acre podemos afirmar que a partir da década de 1970, o espaço acreano passou por uma série de transformações socioeconômicas importantes, entre as quais podemos destacar a (o): 
a) Perda de importância das tradicionais migrações nordestinas em favor das migrações de produtores rurais sulistas e crescente concentração de terras. 
b) Crescente aumento da polarização das cidades em detrimento das duas metrópoles regionais. 
c) Estagnação do processo de urbanização e substituição da colonização oficial pela privada, o que reduziu a interferência do Estado. 
d) Redução do êxodo rural e difusão da atividade agrícola como a cafeicultura e a fruticultura. 
e) Aumento das migrações nordestinas em virtude da mudança econômica do extrativismo da borracha para a introdução da atividade agropecuária.

2. (Fuvest 2005) Observe o mapa. 

Quanto às atuais dificuldades de efetivação dos direitos indígenas, é correto afirmar que:
a) as áreas I e II apresentam o mesmo problema: ausência de legislação para demarcação de terras.
b) a área II tem como maior problema a inexistência de terras demarcadas devido à supremacia das atividades agropecuárias.
c) a área I apresenta, como maior problema, o desinteresse das populações indígenas em preservar sua integridade cultural.
d) a área II tem como problemas a existência de pequenas áreas demarcadas, além da intensa exposição ao processo de aculturação.
e) a área I está com seu processo de demarcação de terras interrompido devido às solicitações de fazendeiros e garimpeiros.
3. (MACKENZIE 2005) As regiões retratadas nos fragmentos de mapas do Brasil apresentam um produto agrícola comum. No mapa 1 — RS — seu cultivo é histórico e no mapa 2 — no Vale Médio do Rio São Francisco —, surge como novo produto. Trata-se:
Fonte: Folha de São Paulo
a) do algodão.  
b) da vinha. . 
c) do arroz. 
d) do trigo.
e) de frutas tropicais

4. (UFPA 2005) Em relação à recente desconcentração espacial da industria brasileira e suas diferenciações tecnológicas, podemos afirmar: 
I - Essa desconcentração industrial também foi intra-regional, pois muitas indústrias, concentradas nas regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro, deslocaram-se para outros centros regionais como Campinas (SP) e Resende (RJ). 
II - Os estados da Região Sul só passaram a receber um maior volume de indústrias neste início de século, devido à criação do Mercosul, que atraiu muitas empresas interessadas no seu amplo mercado. 
III - No nordeste brasileiro a forte intervenção estatal, os baixos salários e os incentivos fiscais foram fundamentais para a vinda de novas indústrias, principalmente para as regiões metropolitanas de Salvador (BA), Recife (PE) e São Luiz (MA), contribuindo para o acelerado crescimento urbano dessas metrópoles. IV - No Centro-Oeste, a recente industrialização é verificada em Brasília (DF), Goiânia (GO) e Campo Grande (MS), onde a presença da agroindústria é muito forte, com as indústrias químicas, alimentícias e de laticínios. 
V - Na Região Norte, também sob forte intervenção estatal, vem se desenvolvendo uma industrialização ligada aos setores eletroeletrônicos na Zona Franca de Manaus (AM), e à industria extrativa mineral (minerometalúrgica) e florestal (madeireira) no Estado do Pará. São corretas somente as afirmativas: 
(A) I, II e III. 
(B) I e V. 
(C) II, III e IV. 
(D) IV e V. 
(E) I, II, III, e V.

5. (UNIFAP 2008) Leia os textos que seguem. (...) a produção do açúcar, além das plantações e dos engenhos, animava uma série de atividades complementares que contribuíam para o crescimento da capitania duartina. Completando o quadro dessa primeira zona de povoamento e difusão, cabe lembrar que se inicia, no período enfocado, a expansão da pecuária nas terras mais secas do interior nordestino. MORAES, A. C. R. Bases da formação territorial brasileira. São Paulo: HUCITEC, 2000 (com adaptações). 

O descobrimento de ouro no Planalto Cristalino de Minas Gerais, no início do século XVIII, ativou um intenso ciclo minerador, que, ao contrário da plantation açucareira, ocorreu a centenas de quilômetros do litoral e promoveu a multiplicação de pequenas cidades nas proximidades dos aluviões e minas. BECKER, B. K; EGLER, C. Brasil – uma nova potência regional na economia-mundo. 3a Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998 (Com adaptações). 
A partir dos trechos acima e dos conhecimentos associados ao processo de colonização do território brasileiro, julgue os itens a seguir.
(01) Esse período da colonização, no Brasil, ficou caracterizado pela introdução da ferrovia, da eletricidade e do telégrafo por parte da metrópole portuguesa, principalmente, na região nordestina, já que Salvador era a capital do país. 
(02) A ocupação primeira do território pela colonização ocorreu com a introdução da cultura da cana-de-açúcar, em seguida do fumo e dos produtos alimentícios. Essa cultura da cana-deaçúcar permitiu a criação das primeiras plantations e de pequenos centros no Recôncavo da Bahia e na Zona da Mata. 
(04) A interiorização do povoamento pela colonização ocorreu através da mineração de diamantes e ouro na região das Minas Gerais, e da criação de gado nas fazendas dispersas pelo território dos sertões. 
(08) Uma fase fundamental para o entendimento da conformação do território brasileiro pela colonização foi a unificação das Coroas ibéricas (1580-1640). Nesse momento houve a expansão territorial para as extremidades das áreas ocupadas, por exemplo, a Amazônia, e o rompimento com os limites estabelecidos pelo Tratado de Tordesilhas.

6. (Unicamp 2008) Durante o Estado Novo (1937-1945), foi criado o Conselho Nacional de Geografia, que deu origem ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE. Uma das atribuições do IBGE era produzir estatísticas básicas sobre a população brasileira, por meio de Censos. Também caberia ao Instituto produzir informações cartográficas, bem como propor e instituir uma regionalização do território brasileiro. As figuras abaixo dizem respeito a dois momentos históricos da regionalização do território brasileiro. Pergunta-se:

A Evolução das Grandes Regiões


Fonte: www.ibge.gov.br
a) Qual o principal critério utilizado para instituir a regionalização do território brasileiro em 1940? Qual a principal finalidade do Estado brasileiro ao regionalizar o seu território?
b) Em 1988 o Estado de Tocantins foi criado. Tocantins foi desmembrado de qual Estado? Por que ele foi inserido na região Norte do Brasil?ocantins foi criado. Tocantins foi desmembrado de qual Estado? Por que ele foi inserido na região Norte do Brasil?

Gabarito/Resolução comentada
1. A
2. B
3. B  Baixe a resolução comentada no link aqui! (Questão 38)
4. B
5. 02 + 04 + 08 = 14
6. Resolução comentada.
a) A regionalização do território brasileiro fundamentou-se no critério fisiográfico, sendo a vegetação o principal parâmetro. A regionalização foi realizada para que o Estado pudesse desenvolver e operacionalizar políticas públicas com o objetivo de integrar o território e pudesse, ao mesmo tempo, interferir no processo de desenvolvimento capitalista do país e atenuar desigualdades regionais.
b) Tocantins foi desmembrado do Estado de Goiás. A justificativa para o novo Estado ser inserido na região Norte 
foi o fato de ter maior articulação econômica com o Estado do Pará e com o sul do Maranhão, além de 
similaridades fisiográficas. 

Amazônia - Questões de vestibulares e Enem - Geografia

1. (UNIFAP 2006) Leia o texto abaixo: “ Os desmatamentos para a criação de grandes latifúndios agropecuários substituiu a floresta por pastagens e empobreceu grandes extensões de solo. Projetos como o Grande Carajás e Jarí, a exploração mineral e hidrelétrica são fontes de grandes impactos ambientais de âmbito regional” (Adaptado de ROSS, 1995) 
De acordo com texto e com os seus conhecimentos, associe a coluna superior com a inferior, indicando as conseqüências para a destruição provocada pelos grandes projetos implantados na Amazônia. 
I – Degradação da Biodiversidade 
II – Destruição do solo 
III – Mudanças Climáticas 
IV – Estresse e doenças 
( ) A retirada da floresta rompe com o sistema natural de ciclagem dos nutrientes, ficando desprotegido da ação da erosão da chuva e tornando-se improdutivo. 
( ) O desmatamento elimina de um só vez grande contingente de espécies ainda desconhecidas pela ciência e homogeneíza o ecossistema quando se implanta a monocultura. 
( ) As monoculturas implantadas na Amazônia são mais sensíveis ao ataque de pragas e parasitas que são combatidas com agrotóxicos, os quais destroem, por sua vez, a diversidade dos ecossistemas. 
( ) As florestas são responsáveis pela umidade local. Sua destruição elimina essa fonte injetora de vapor d’água na atmosfera e, ao mesmo tempo, diminui a captura do CO2 atmosférico. A associação correta, pela ordem, é: 
a) I, II III e IV 
b) II, IV, I e III 
c) IV, II, III e I 
d) III, I, II e IV 
e) II, I, IV e III


2. (UNIFAP 2006) Observe os mapas a seguir:

O dois mapas apresentam áreas indígenas e unidades de conservação. A respeito da territorialidade dos povos indígenas e das políticas ambientais, no que diz respeito às unidades de conservação na produção do espaço amapaense, é correto afirmar que 
a) estão preservadas e livres do desmatamento e da degradação ambiental. 
b) atraem turistas de todo o mundo, sendo o principal ramo da atividade econômica do Estado. 
c) reverteram a tendência da desagregação dos povos indígenas e a degradação dos ecossistemas amapaenses.
d) estão a salvo da ação das mineradoras e madeireiras devido à atual legislação e a ação dos órgãos fiscalizadores. 
e) representam mais de 60% do território amapaense. Porém, as políticas públicas implementadas nestas áreas são insuficientes para conservação e preservação.

3. (UNIR 2005) Sobre a ocupação da região amazônica, assinale a afirmativa INCORRETA. 
a) As atividades de mineração ganharam destaque a partir da década de 80 do século XX com as obras de infra-estrutura patrocinadas pelo Governo Federal, especialmente na implantação dos projetos para extração de ferro, alumínio, estanho e manganês. 
b) Com a intensa ocupação humana nos últimos anos, a Amazônia brasileira transformou-se numa região de média densidade demográfica, ocupando o segundo lugar no ranking brasileiro. 
c) Foi instalado o Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM) que tem como objetivo fiscalizar as ações predatórias em relação à natureza e coibir o tráfico de drogas na imensa zona de fronteira morta do Brasil. d) As reservas extrativistas são áreas de manejo sustentável da floresta, criadas inicialmente no Acre, tendo como idealizador o seringalista Chico Mendes, reconhecido internacionalmente por sua luta em defesa da ecologia e dos povos da floresta. 
e) A agropecuária constitui o setor econômico mais importante da Amazônia desde a década de 70 do século XX, tendo na criação de gado para exportação, na exploração da madeira, juta, pimenta do reino o forte de sua arrecadação.

4. (UNIFESP 2009) A Amazônia brasileira possui atributos físicos que a individualizam no território brasileiro e a tornam atraente a investimentos externos. 
a) Aponte e descreva as características físicas que a tornam um importante reservatório hídrico. 
b) Aponte e comente dois usos da água na Amazônia contemporânea relacionados ao capital internacional.

5. (UNICAMP) Uma das definições de desenvolvimento sustentável é: o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender às necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro. (Adaptado de http://www.wwf.org.br/informacoes/questoes_ambientais/desenvolvimento_sustentavel/) 
a) O solo é um recurso fundamental para a subsistência da população mundial. Que práticas de conservação do solo podem garantir sua preservação para as gerações futuras? 
b) Segundo o INPE, nos últimos meses de novembro, dezembro e janeiro, foram registrados, na Amazônia Legal, 754 km² de desmatamentos por corte raso ou degradação progressiva. Indique o principal objetivo desse desmatamento e as consequências ambientais dessa ação. 


6. (Enem 2008) Calcula-se que 78% do desmatamento na Amazônia tenha sido motivada pela pecuária – cerca de 35% do rebanho nacional está na região – e que pelo menos 50 milhões de hectares de pastos são pouco produtivos. Enquanto o custo médio para aumentar a produtividade de 1 hectare de pastagem é de 2 mil reais, o custo para derrubar igual área de floresta é estimado em 800 reais, o que estimula novos desmatamentos. Adicionalmente, madeireiras retiram as árvores de valor comercial que foram abatidas para a criação de pastagens. Os pecuaristas sabem que problemas ambientais como esses podem provocar restrições à pecuária nessas áreas, a exemplo do que ocorreu em 2006 com o plantio da soja, o qual, posteriormente, foi proibido em áreas de floresta. Época, 3/3/2008 e 9/6/2008 (com adaptações). A partir da situação-problema descrita, conclui-se que
a) o desmatamento na Amazônia decorre principalmente da exploração ilegal de árvores de valor comercial.
b) um dos problemas que os pecuaristas vêm enfrentando na Amazônia é a proibição do plantio de soja.
c) a mobilização de máquinas e de força humana torna o desmatamento mais caro que o aumento da produtividade de pastagens.
d) o superavit comercial decorrente da exportação de carne produzida na Amazônia compensa a possível degradação ambiental.
e) a recuperação de áreas desmatadas e o aumento de produtividade das pastagens podem contribuir para a redução do desmatamento na Amazônia.

7. (Enem 2004) Em 2003, deu-se início às discussões do Plano Amazônia Sustentável, que rebatiza o Arco do Desmatamento, uma extensa faixa que vai de Rondônia ao Maranhão, como Arco do Povoamento Adensado, a fim de reconhecer as demandas da população que vive na região. A Amazônia Ocidental, em contraste, é considerada nesse plano como uma área ainda amplamente preservada, na qual se pretende encontrar alternativas para tirar mais renda da floresta em pé do que por meio do desmatamento. O quadro apresenta as três macrorregiões e três estratégias que constam do Plano.
Estratégias:
I. Pavimentação de rodovias para levar a soja até o rio Amazonas, por onde será escoada.
II. Apoio à produção de fármacos, extratos e couros vegetais.
III. Orientação para a expansão do plantio de soja, atraindo os produtores para áreas já desmatadas e atualmente abandonadas. Considerando as características geográficas da Amazônia, aplicam-se às macrorregiões Amazônia Ocidental, Amazônia Central e Arco do Povoamento Adensado, respectivamente, as estratégias
a) I, II e III.
b) I, III e II.
c) III, I e II.
d) II, I e III.
e) III, II e I.


Gabarito/Resolução comentada
1.   E
2.   E
3.   B
4. Baixe a resolução comentada no link aqui!

5. Resolução comentada.

a) Rotação de culturas, plantio em curvas de nível, terraceamento, plantio direto, adubação orgânica, implementos agrícolas mais leves, redução das queimadas, redução do uso de agrotóxico 
b) O principal objetivo desse desmatamento é a abertura de clareiras para a atividade agropecuária, extração de madeira, áreas de produção mineral, infraestrutura de transporte e hidroeletricidade  As principais consequencias são: redução da biodiversidade, degradação do solo, erosão, assoreamento dos rios, alteração de microclima, aquecimento global, emissão de gás carbônico.

6. E   Acesse a resolução comentada no link aqui!
7. D   Acesse a resolução comentada no link aqui!

Nordeste - Questões de Vestibulares e Enem - Geografia

Questões de Vestibulares e Enem - Geografia - Nordeste - com gabarito
1. (Enem 2007)
O açúcar
branco açúcar que adoçará meu café
nesta manhã de Ipanema
não foi produzido por mim
nem surgiu dentro do açucareiro por milagre.

Vejo-o puro
e afável ao paladar
como beijo de moça, água
na pele, flor
que se dissolve na boca. Mas este açúcar
não foi feito por mim.
Este açúcar veio da mercearia da esquina e tampouco o fez o Oliveira,
[dono da mercearia.

Este açúcar veio
de uma usina de açúcar em Pernambuco
ou no Estado do Rio
e tampouco o fez o dono da usina.

Este açúcar era cana
 e veio dos canaviais extensos
 que não nascem por acaso
 no regaço do vale. (...)

Em usinas escuras,
homens de vida amarga
 e dura
produziram este açúcar
branco e puro
com que adoço meu café esta manhã em Ipanema.
Ferreira Gullar. Toda Poesia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980, p. 227-8.

A antítese que configura uma imagem da divisão social do trabalho na sociedade brasileira é expressa poeticamente na oposição entre a doçura do branco açúcar e
a) o trabalho do dono da mercearia de onde veio o açúcar. 
b) o beijo de moça, a água na pele e a flor que se dissolve na boca. 
c)o trabalho do dono do engenho em Pernambuco, onde se produz o açúcar. 
d) a beleza dos extensos canaviais que nascem no regaço do vale. 
e) o trabalho dos homens de vida amarga em usinas escuras.

2. (Enem 2001) A Mata Atlântica, que originalmente se estendia por todo o litoral brasileiro, do Ceará ao Rio Grande do Sul, ostenta hoje o triste título de uma das florestas mais devastadas do mundo. Com mais de 1 milhão de quilômetros quadrados, hoje restam apenas 5% da vegetação original, como mostram as figuras.
a) as transformações climáticas, especialmente na Região Nordeste, interferiram fortemente na diminuição dessa floresta úmida. 
b) nas três últimas décadas, o grau de desenvolvimento regional impediu que a devastação da Mata Atlântica fosse maior do que a registrada. 
c) as atividades agrícolas, aliadas ao extrativismo vegetal, têm se constituído, desde o período colonial, na principal causa da devastação da Mata Atlântica. 
d) a taxa de devastação dessa floresta tem seguido o sentido oposto ao do crescimento populacional de cada uma das Regiões afetadas. 
e) o crescimento industrial, na década de 50, foi o principal fator de redução da cobertura vegetal na faixa litorânea do Brasil, especialmente da região Nordeste.

3. (ENEM 2006)
Na região sul da Bahia, o cacau tem sido cultivado por meio de diferentes sistemas. Em um deles, o convencional, a primeira etapa de preparação do solo corresponde à retirada da mata e à queimada dos tocos e das raízes. Em seguida, para o plantio da quantidade máxima de cacau na área, os pés de cacau são plantados próximos uns dos outros. No cultivo pelo sistema chamado cabruca, os pés de cacau são abrigados entre as plantas de maior porte, em espaço aberto criado pela derrubada apenas das plantas de pequeno porte. Os cacaueiros dessa região têm sido atacados e devastados pelo fungo chamado vassoura-de-bruxa, que se reproduz em ambiente quente e úmido por meio de esporos que se espalham no meio aéreo. As condições ambientais em que os pés de cacau são plantados e as condições de vida do fungo vassoura-de-bruxa, mencionadas acima, permitem supor-se que sejam mais intensamente atacados por esse fungo os cacaueiros plantados por meio do sistema
a) convencional, pois os pés de cacau ficam mais expostos ao sol, o que facilita a reprodução do parasita. b) convencional, pois a proximidade entre os pés de cacau facilita a disseminação da doença.
c) convencional, pois o calor das queimadas cria as condições ideais de reprodução do fungo.
d) cabruca, pois os cacaueiros não suportam a sombra e, portanto, terão seu crescimento prejudicado e adoecerão.
e) cabruca, pois, na competição com outras espécies, os cacaueiros ficam enfraquecidos e adoecem mais facilmente.

4. (UFPE 2007) Num relatório de trabalho de campo, realizado por um grupo de alunos encarregados de estudar geograficamente uma determinada área do Brasil, foi dito o seguinte: “A área investigada, situada na Zona da Mata pernambucana, apresenta um relevo dominantemente composto por colinas de perfil convexo, em áreas cristalinas. Os solos são bem desenvolvidos e, nas várzeas, são excelentes para o desenvolvimento de atividades agrícolas. Essa área apresenta semelhanças notáveis com alguns trechos da Região Sudeste do país, especialmente no que se refere às condições de umidade atmosférica, pedológicas e cobertura vegetal. Contudo o uso do solo e o processo de ocupação do espaço exibem grandes diferenças quando comparadas com essa macrorregião brasileira mencionada”. Que princípio da análise geográfica foi utilizado nesse texto?
A) Princípio da Analogia
B) Princípio do Atualismo
C) Princípio da Atividade
D) Princípio do Determinismo
E) Princípio da Causalidade

5. (Enem 1999) Muitas usinas hidroelétricas estão situadas em barragens. As características de algumas das grandes represas e usinas brasileiras estão apresentadas no quadro abaixo.
A razão entre a área da região alagada por uma represa e a potência produzida pela usina nela instalada é uma das formas de estimar a relação entre o dano e o benefício trazidos por um projeto hidroelétrico. A partir dos dados apresentados no quadro, o projeto que mais onerou o ambiente em termos de área alagada por potência foi
a) Tucuruí.
b) Furnas.
c) Itaipu.
d) Ilha Solteira.
e) Sobradinho.

6. (UNESP 2006)  O Estado assinalado no mapa possui grandes depósitos de areia que são movimentados pela ação do vento, constituindo bela paisagem geográfica, atualmente muito explorada pelo turismo.

Assinale a alternativa que contém o nome do Estado, a formação decorrente da acumulação eólica e a paisagem geográfica resultante.
a) Ceará; restingas; Lençóis Cearenses.
b) Paraíba; salinas; Falésias Paraibanas.
c) Piauí; salinas; Dunas do Piauí.
d) Maranhão; dunas; Lençóis Maranhenses.
e) Rio Grande do Norte; dunas; Salinas Potiguares.

Gabarito/Resolução comentada
1. E  
2. C  Acesse a resolução comentada aqui!
3. B  Acesse a resolução comentada aqui!
4. A  Comentário:
O Princípio implícito no texto é o da Analogia, que foi enunciado por Karl Ritter. De acordo com esse princípio, depois de uma área estudada ser delimitada, deve-se compará-la com outras áreas, estabelecendo as semelhanças e diferenças que existam.
5. E  Acesse a resolução comentada aqui!
6. D Acesse a resolução comentada aqui! (Questão 25)

Geografia: Centro-Sul - Questões de vestibulares e Enem

Conteúdos: Região geoeconômica Centro-Sul. Economia, cultura, sociedade e meio ambiente.
Questões de vestibulares e Enem
1. (Enem 2007)

Antonio Rocco. Os imigrantes, 1910, 
Pinacoteca do Estado de São Paulo.
Um dia, os imigrantes aglomerados na amurada da proa chegavam à fedentina quente de um porto, num silêncio de mato e de febre amarela. Santos. — É aqui! Buenos Aires é aqui! — Tinham trocado o rótulo das bagagens, desciam em fila. Faziam suas necessidades nos trens dos animais onde iam. Jogavam-nos num pavilhão comum em São Paulo. — Buenos Aires é aqui! — Amontoados com trouxas, sanfonas e baús, num carro de bois, que pretos guiavam através do mato por estradas esburacadas, chegavam uma tarde nas senzalas donde acabava de sair o braço escravo. Formavam militarmente nas madrugadas do terreiro homens e mulheres, ante feitores de espingarda ao ombro. Oswald de Andrade. Marco Zero II — Chão. Rio de Janeiro: Globo, 1991. Levando-se em consideração o texto de Oswald de Andrade e a pintura de Antonio Rocco reproduzida acima, relativos à imigração européia para o Brasil, é correto afirmar que 
a) a visão da imigração presente na pintura é trágica e, no texto, otimista. 
b) a pintura confirma a visão do texto quanto à imigração de argentinos para o Brasil. 
c) os dois autores retratam dificuldades dos imigrantes na chegada ao Brasil. 
d) Antonio Rocco retrata de forma otimista a imigração, destacando o pioneirismo do imigrante. 
e) Oswald de Andrade mostra que a condição de vida do imigrante era melhor que a dos ex-escravos.

2. (Enem 2006) “No princípio do século XVII, era bem insignificante e quase miserável a Vila de São Paulo. João de Laet dava-lhe 200 habitantes, entre portugueses e mestiços, em 100 casas; a Câmara, em 1606, informava que eram 190 os moradores, dos quais 65 andavam homiziados (*)”. (*) homiziados: escondidos da justiça. Nelson Werneck Sodré, Formação histórica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1964. “Na época da invasão holandesa, Olinda era a capital e a cidade mais rica de Pernambuco. Cerca de 10% da população, calculada em aproximadamente 2.000 pessoas, dedicavam-se ao comércio, com o qual muita gente fazia fortuna. Cronistas da época afirmavam que os habitantes ricos de Olinda viviam no maior luxo”. Adaptado de Hildegard Féist. Pequena história do Brasil holandês – São Paulo: Moderna 1998.
Os textos anteriores retratam, respectivamente, São Paulo e Olinda no início do século XVII, quando Olinda era maior e mais rica. São Paulo é, atualmente, a maior metrópole brasileira e uma das maiores do planeta. Essa mudança deveu-se, essencialmente, ao seguinte fator econômico:
a) maior desenvolvimento do cultivo da cana-de-açúcar no planalto de Piratininga do que na Zona da Mata Nordestina.
b) atraso no desenvolvimento econômico da região de Olinda e Recife, associado à escravidão, inexistente em São Paulo.
c) avanço da construção naval em São Paulo, favorecido pelo comércio dessa cidade com as Índias.
d) desenvolvimento sucessivo da economia mineradora, cafeicultora e industrial no Sudeste do país.
e) destruição do sistema produtivo de algodão em Pernambuco quando da ocupação holandesa.

3. (Enem 2001)Dados do Censo Brasileiro 2000 mostram que, na última década, o número de favelas tem crescido consideravelmente, com significativa alteração na sua distribuição pelas regiões do País. Considerando a dinâmica migratória do período, pode-se afirmar que esse processo está relacionado 
a) ao declínio acentuado da industrialização no Sudeste, que deslocou grandes parcelas da população urbana para outras regiões do país. 
b) à ampliação do número de zonas francas de comércio em grandes metrópoles, o que atraiu a população rural para essas áreas. 
c) ao deslocamento das correntes migratórias rurais para os cinturões verdes criados em torno dos centros urbanos. 
d) à instalação, na Região Nordeste, de inúmeras empresas de alta tecnologia, atraindo de volta a população que migrara para o Sudeste. 
e) à mudança no destino das correntes migratórias, que passaram a buscar as cidades de médio e grande portes, além de São Paulo e Rio de Janeiro.

4. (UFPE 2003) (Ufpe) No último quartel do século XX, particularmente na década de 90, uma nova forma de organização empresarial tem agregado os centros de formação de pessoal de alto nível às unidades de produção e de serviços, empregando os mais modernos recursos de microeletrônica. Em tais centros estão se implantando atividades de alta tecnologia, como em Campinas e São José dos Campos, na região Sudeste do Brasil. Qual a denominação dada a esses centros? 
a) centros megalopolitanos 
b) centros-acrópoles 
c) regiões metropolitanas 
d) tecnopólos 
e) edifícios empresariais urbanos

5. (ESPM-SP) A área em destaque refere-se:

a) À exportação de soja pelo Porto de Paranaguá; 
b) Ao escoamento do minério de ferro de Corumbá; 
c) Ao gasoduto Brasil-Bolívia; 
d) À futura hidrovia Tietê-Paraná; 
e) À exportação algodoeira pelo Porto de Santos

Gabarito
1. C    Baixe a resolução comentada aqui!
2. D    Acesse a resolução comentada aqui!
3. E    Acesse a resolução comentada aqui!
4. D
5. C

domingo, 28 de abril de 2013

Exercícios sobre Urbanização - Questões de Vestibular

Questões e Testes - Vestibular - O espaço urbano e o processo de urbanização - com gabarito

1. (Ibmec-RJ) Esta é uma clássica definição sobre as chamadas cidades globais: “As cidades globais são os principais centros financeiros e bancários do planeta. Concentram o controle administrativo de grandes empresas ou de organizações internacionais, além de serviços modernos e especializados”. As mais importantes cidades globais são: 
a) Berlim, Nova York, Paris. 
b) Los Angeles, Paris, Londres. 
c) Washington, Moscou, Pequim. 
d) Nova York, Londres, Tóquio. 
e) Detroit, Estocolmo, Amsterdã

2. (Unesp-SP) As previsões de especialistas para 2015 projetam que cerca de 33 cidades do mundo terão, pelo menos, 8 milhões de habitantes ocupando 0,4% da área do planeta. Assinale a alternativa que contém o processo descrito e alguns impactos ambientais importantes dele resultantes. 
a) Envelhecimento da população; favelas; voçoroca. 
b) Globalização; efeito estufa; assoreamento dos rios. 
c) Urbanização; segregação espacial; enchentes. 
d) Emigração; chuva ácida; migrações pendulares. 
e) Favelização; secas; erosão eólica.

3. (Uerj-RJ)) A análise da tabela permite estabelecer uma associação entre demografia e hierarquia urbana que pode ser formulada corretamente como: 
a) o país desenvolvido com maior população urbana abriga a metrópole mais rica. 
b) a concentração de riqueza não apresenta relação direta com a população absoluta.
c) as megacidades são encontradas sobretudo na rede urbana dos países centrais. 
d) os aglomerados urbanos mais ricos não se localizam nas grandes megalópoles do planeta.

4. (UFMG-MG) Após a década de 50, verifica-se, no processo de urbanização de algumas regiões do mundo, a formação de megalópoles. Sobre esse tipo de região urbana, é incorreto afirmar que: 
a) está associado às características do processo de urbanização típicas dos países desenvolvidos, sem condições de ocorrência nos países subdesenvolvidos. 
b) apresenta uma grande área de conurbação, cuja constituição é orientada pelos eixos de crescimento das principais cidades da região. 
c) ocorre em espaços onde se verificam fluxos intensos, decorrentes do dinamismo das atividades produtivas e de distribuição, dentre outras. 
d) foi identificado, primeiramente, nos EUA, mas, atualmente, é encontrado em outras áreas do mundo, notadamente em países da Europa e no Japão.

5. (UFJF-MG) As figuras a seguir representam dois esquemas de relações entre as cidades: o clássico e o atual.
Por que a concepção tradicional de hierarquia urbana está sendo substituída pela atual? 
a) Porque muitos distritos, vilas e até mesmo bairros se emanciparam e foram elevados à categoria de município. 
b) Porque o êxodo rural leva ao desaparecimento de muitas vilas e cidades pequenas, localizadas distantes das metrópoles. 
c) Porque o avanço tecnológico dos transportes e comunicações e a disponibilidade de renda encurtam as distâncias. 
d) Porque a queda de regimes totalitários não permitiu maior mobilidade da população e favoreceu a migração interurbana. 
e) Porque as atuais diretrizes do planejamento urbano promovem a concentração das indústrias de base nas metrópoles.

6. (Unifesp-SP) Megacidades são aglomerações urbanas que: 
a) alojam centros do poder mundial e sedes de empresas transnacionais. 
b) concentram mais de 50% da população total, em países pobres. 
c) têm mais de 10 milhões de habitantes, em países ricos ou pobres. 
d) pertencem a países de grande importância no comércio mundial. 
e) não têm infraestrutura de comunicação suficiente, apesar de serem grandes.

7. (PUC-SP) É comum encontrar, nas referências sobre a urbanização no século XX, menções ao fato de ela ter sido fortemente marcada pela metropolização. De fato, as metrópoles são fundamentais para se entender a vida urbana contemporânea. A respeito das metrópoles modernas brasileiras, pode-se afirmar que: 
a) não são aglomerações tão grandes quanto as de outros países, porque elas são fragmentadas em vários municípios, como no caso de São Paulo. 
b) são configurações cujas dinâmicas, em alguns casos, levaram seus limites para além do núcleo municipal de origem, formando aglomerações multimunicipais. 
c) elas são aglomerações modestas em razão da inviabilidade de se administrar em países pobres áreas urbanas de grande porte. 
d) apenas uma delas pode ser considerada de fato metrópole, logo, não se pode afirmar que no Brasil houve uma urbanização metropolitana. 
e) elas estão com o seu crescimento paralisado, sofrendo, em alguns casos, encolhimento, em função de novas políticas de planejamento.

8. (Fuvest-SP) 
A recente urbanização brasileira tem características parcialmente representadas nas situações I e II dos esquemas. Considerando essas situações, é correto afirmar que, entre outros processos: 
a) I representa a involução urbana de uma metrópole regional. 
b) I representa a perda demográfica relativa da cidade central de uma Região Metropolitana. 
c) II representa o desmembramento territorial e criação de novos municípios. 
d) II representa a formação de uma região metropolitana, a partir do fenômeno da conurbação. 
e) II representa a fusão político-administrativa de municípios vizinhos.

9. (Unifesp-SP) No Brasil, em decorrência do processo de urbanização, verificou-se uma intensa metropolização, da qual resultaram: 
a) cidades médias, que se industrializaram após a abertura econômica da década de 1990, como Campinas e Ouro Preto. 
b) metrópoles nacionais, sedes do poder econômico e político do país, como São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro. 
c) cidades mundiais, que receberam vultosos investimentos externos no início do século XXI, como Belo Horizonte e Rio de Janeiro. 
d) megacidades dispersas pelo país, graças ao retorno de imigrantes, como Manaus, Goiânia e Curitiba. 
e) metrópoles regionais, que constituem a primeira megalópole do país, como Fortaleza, Recife e Salvador.

10. (FGV-SP) Observe a imagem, que apresenta um fato comum encontrado em grande parte das médias e grandes cidades brasileiras na década de 1990.
Decorridos mais de 10 anos entre o momento da foto e os dias atuais, pode-se afirmar que o planejamento urbano, no Brasil, é: 
a) uma realidade evidente que, de certo modo, consegue reduzir o apartheid urbano. 
b) considerado renovador porque está sempre transformando as áreas centrais das cidades. 
c) incipiente porque não consegue corrigir as distorções criadas pelo crescimento desordenado. 
d) resultado do amadurecimento e mobilização da sociedade que reivindica melhorias na infraestrutura.
e) responsável por um rígido controle do crescimento urbano, via fiscalização do Estado.


11. (UFF-RJ) Os mapas ilustram o processo de urbanização do território brasileiro ao longo da última metade do século XX.

Analisando a geografia da urbanização brasileira, pode-se afirmar que: a) o fenômeno urbano no Brasil caracteriza-se pelo crescimento homogêneo das cidades na região Centro-Sul – sobretudo por causa da difusão das indústrias – e bastante heterogêneo no Nordeste, graças ao domínio dos latifúndios.
b) as cidades brasileiras ganharam expansão sob os eixos norte-sul (1970) e leste-oeste (1996), concentrando o maior número da população brasileira e acompanhando as mudanças no processo das migrações regionais. 
c) esse processo de urbanização acompanha a concentração industrial e de serviços e forma uma rede urbana polarizada pelas metrópoles nacionais e regionais da faixa leste do território brasileiro. 
d) a urbanização das regiões agrícolas marca uma mudança no eixo da urbanização, pois seu crescimento econômico é responsável pela atual interiorização da concentração de cidades, em detrimento das concentrações urbanas tradicionais. 
e) a pequena expressão da urbanização nas regiões Norte e Centro-Oeste deve-se ao fato de as condições naturais apresentarem-se pouco propícias à industrialização e à concentração demográfica observadas nas regiões Sudeste e Sul. 

12. (Fatec-SP) Nos últimos anos, ocorreram mudanças no padrão migratório brasileiro. As metrópoles do Sudeste já não apresentam o elevado grau de atração demográfica que tinham antigamente. Entre as causas desse fato, pode-se citar: 
a) o maior controle por parte do Estado brasileiro para inibir o crescimento descontrolado das cidades. 
b) a criação das frentes pioneiras no Sul do país, que representam grande potencial de empregos na zona rural. 
c) a redução das históricas diferenças econômicas entre as regiões, graças à modernização das atividades agrícolas. 
d) a descentralização econômica, pois inúmeras empresas estão saindo do Sudeste e se instalando em outras regiões. 
e) o empenho de órgãos, como o IBGE, que tentam promover o aumento das densidades demográficas no interior do país.

Gabarito
1. D
2. C
3. A
4. A
5. C
6. C
7. B
8. D
9. B
10. C
11. C
12. D

sábado, 27 de abril de 2013

Questões de Vestibular e Enem de Geografia - O espaço geográfico brasileiro


Questões de Geografia: Vestibular e Enem - O espaço geográfico brasileiro
Assuntos -  Brasil: território, Estado e População. A indústria, a modernização do campo e a urbanização brasileira. O modelo de desenvolvimento e as desigualdades sociais no Brasil.


1. (PUC - PR/2002) Sobre o estado do Amapá, assinale a única afirmativa INCORRETA:
a) Exporta manganês e castanha-do-pará.
b) O rio Oiapoque é uma linha limítrofe do estado a oeste.
c) Sua cobertura vegetal é a mais bem preservada do Brasil.
d) É cortado pelo Trópico de Capricórnio na altura de Macapá.
e) A pororoca no rio Araguari é um dos atrativos turísticos da região.

2. (UEL/2001) “O espaço brasileiro não é imenso só para os ufanistas retóricos. É, geograficamente, uma realidade imensa. É ecologicamente um conjunto de espaços que se contrapõem, com suas diferenças, completando-se, porém, no essencial de sua unidade, a qual, em síntese, é marcada por uma ecologia tropical. (FREYRE, G. In: FREYRE, G. e MELLO, F. de. Engenharia social e outros temas. Recife: Fundação Joaquim; E. Massangana, 1985. p. 6.) 
Em relação ao tema, é correto afirmar:
a) A unidade ecológica brasileira, citada por Freyre, corresponde à área da Floresta Atlântica, que se estende desde o Rio. Grande do Norte até o Arroio Chuí, no Rio Grande do Sul.
b) O espaço a que se refere Freyre, caracterizando o Brasil como um país tropical, está situado ao norte do Trópico de Capricórnio, ocupando a maior parte do território nacional.
c) O espaço tropical brasileiro caracteriza-se por um clima no qual a temperatura média anual é superior a 30°C, e o total de precipitação é inferior a 800 mm por ano.
d) O espaço tropical brasileiro caracteriza-se por um relevo constituído predominantemente de planícies, como a da Amazônia.
e) O verdadeiro “Brasil tropical” está restrito ao litoral nordestino, embora essa expressão seja comumente atribuída a todo o território nacional.

3. (UFAC/2003) Considere os seguintes textos sobre os grandes ecossistemas brasileiros. 
Texto 1: ............. é o grande ecossistema mais bem protegido. Cerca de 1% do seu território consiste em Unidades de Conservação. Dispõe de 85% de áreas naturais remanescentes. O desmatamento, em geral, está associado à expansão da fronteira agrícola, ao manejo de pastagens e ao corte seletivo de madeira. 

Texto 2: .............é um dos ecossistemas mais extenso do Brasil. Originalmente ocupava cerca de 25% do território brasileiro. Sua vegetação está associada ao clima tropical e à formação de pequenas árvores e arbustos em seu estrato superior e uma vegetação rala e rasteira composta por gramíneas em seu estrato inferior. Foi declarado “Sítio do Patrimônio Mundial”, pela Unesco, em 13 de dezembro de 2001. 

Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas dos textos 1 e 2, respectivamente. 
a) A Amazônia – A Mata Atlântica 
b) A Amazônia – A Caatinga 
c) O Cerrado – O Pantanal 
d) A Amazônia – O Cerrado 
e) A Mata Atlântica – O Pantanal

4. (UEL/2004) No Brasil existem seis domínios morfoclimáticos com características bem definidas: Amazônico, Cerrado, Mares de Morros, Caatinga, Araucária e Pradarias. Atualmente, cada um deles possui problemas ambientais, em grande parte decorrentes das ações antrópicas. Assinale a alternativa que faz a correspondência correta entre domínio morfoclimático e seus problemas ambientais atuais mais expressivos. a) Pradarias: destruição das florestas latifoliadas nativas, decorrente da intensa exploração ilegal de madeira nobre, perda da fertilidade do solo em função da diminuição da produção de matéria orgânica florestal, chuva ácida, aumento da acidez do solo, poluição e esgotamento dos recursos hídricos por atividades industriais. 
b) Mares de Morros: destruição de florestas de galerias para implantação da rizicultura nos vales fluviais, derrubada e extermínio da floresta latifoliada equatorial, em decorrência da exploração madeireira para exportação, aumento progressivo do processo de desertificação decorrente das atividades industriais, intensificação dos processos de salinização do solo. 
c) Cerrado: chuva ácida, contaminação do solo e dos recursos hídricos decorrentes de processos de extração de petróleo, extinção da fauna remanescente da floresta latifoliada, empobrecimento dos solos decorrente de intenso processo de lixiviação, desmatamentos e derrubada indiscriminada de florestas tropicais. 
d) Caatinga: contaminação do solo e da água por atividade industrial, compactação e conseqüente impermeabilização do solo decorrente da prática de agricultura mecanizada pesada, intensa perda de solo por processos de erosão pluvial e fluvial e diminuição de sua fertilidade em função de processos naturais de lixiviação. 
e) Domínio Amazônico: contaminação do solo e da água por atividades de garimpo e mineração, poluição do ar e da água por atividade industrial, exploração indiscriminada de madeira proveniente de vegetação nativa, ameaça e extinção de espécies silvestres, aumento de processos erosivos e perda da fertilidade do solo decorrentes da derrubada da floresta.

5. (PUC-SP/2000) Quando da fundação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nos anos 40 do nosso século, entre suas missões encontrava-se a de produzir mapeamentos oficiais do país que delimitassem, com rigor, as fronteiras entre os estados. Depoimentos dos profissionais em exercício, na época, dão conta que expedições saídas do Rio de Janeiro - cujo destino seria o coração do Centro-Oeste (fronteira entre o Maranhão e o atual Tocantins) - só atingiram seu objetivo após mais de um mês de viagem árdua. Assinale a alternativa correta.
a) Até os anos 40, o território brasileiro era desintegrado, com baixo número de ligações por terra e por telefone. Mas, de modo geral, esse era um dado comum a todos os outros países. 
b) Após os anos 40, o território brasileiro é integrado, com a construção de grandes estradas de rodagem e ferroviárias, a partir de investimentos de capitais privados e estrangeiros. 
c) Apesar da desintegração territorial do Brasil, antes dos anos 40, o governo federal conseguia fazer chegar suas influências, ações e ordens em quase todos os pontos do território. 
d) O processo de integração territorial, no Brasil, se dará após os anos 40, a partir de ações do Estado nacional, que investiu maciçamente em estradas de rodagem e telecomunicações. 
e) As consequências da integração territorial do país, após os anos 40, restringem-se praticamente à área econômica, em especial, no que tange à construção de um mercado nacional.

6. (Mackenzie/2004) Segundo o Greenpeace, hoje, o desmatamento da Amazônia chega a 16% dos 4 milhões de km² da área total coberta por florestas. O processo de desflorestamento em grande escala iniciou-se entre o final dos anos 60 e o início dos anos 70, período em que se instituiu a política “Integrar para não Entregar”, em que se desenvolveram projetos sem um adequado estudo do potencial socioeconômico do país. Um dos objetivos propostos para a integração da Amazônia era: 
a) transformar esse espaço geográfico na Nova Fronteira Agrícola do país, incentivando o cultivo de cereais para a auto-suficiência nacional. 
b) desviar o eixo de migração interna, que até então se orientava para os grandes centros urbanos, construindo rodovias intra e inter-regionais. 
c) explorar o grande potencial hidráulico da região, para abastecer as diversas áreas metropolitanas do Norte e Centro-Oeste do país. 
d) regularizar a estrutura fundiária da região, para que os novos assentamentos passassem a adotar o conceito de desenvolvimento agroecológico. 
e) estimular as atividades extrativas vegetais, que, na época, apresentavam alto valor econômico, para aumentar o superávit da balança comercial.

7. (UERJ/2004) O avanço da produção de soja na Amazônia Legal tem levado a um significativo aumento dos problemas ambientais. Por outro lado, seu cultivo vem contribuindo para a incorporação de vastas áreas ao espaço econômico nacional. Essa expansão ocorreu sobretudo em ecossistemas originalmente adversos ao plantio da soja, como o cerrado e, mais recentemente, a floresta equatorial. Dentre os fatores que viabilizaram este processo de expansão podemos citar: 
a) declínio da produção em outras áreas do país e redução do protecionismo norte-americano 
b) aplicação de políticas de estímulo ao pequeno proprietário e manutenção de mão-de-obra barata 
c) investimento em pesquisas na área de biotecnologia e crescente demanda no mercado internacional 
d) existência de uma boa rede de transporte e estabelecimento de acordos de livre comércio com a União Européia

8. (UFRN/2004) O Brasil possui a maior reserva mundial de recursos hídricos do mundo, em razão de estar localizada, em seu território, uma das maiores redes hidrográficas do planeta. Entretanto, a escassez de água poderá vir a ser um dos grandes problemas nacionais em decorrência do:
a) assoreamento dos rios, em virtude das constantes irregularidades das precipitações pluviométricas. 
b) processo intensivo de represamento das bacias, em função da agricultura irrigada. 
c) uso intensivo dos recursos hídricos, associado ao desperdício e à poluição. 
d) uso predatório da água, devido ao crescimento das atividades comerciais e de serviços.

9. (UFPR) Sobre a estrutura etária da população, é correto afirmar que: 
01. Nos países industrializados europeus, tanto a taxa de natalidade quanto a de mortalidade são muito baixas, e a diferença entre elas é muito pequena, até mesmo nula. 
02. Os países desenvolvidos mais recentemente, como Austrália e Japão, apresentam altas taxas de natalidade e alto crescimento vegetativo. 
04. Suécia, Reino Unido e França são países onde se registra elevada expectativa de vida. 
08. A maioria dos países subdesenvolvidos não industrializados apresenta elevadas taxas de natalidade e de mortalidade, com elevado crescimento vegetativo. 
16. Nos países subdesenvolvidos que iniciaram um processo de industrialização após a Segunda Guerra Mundial, verificaram-se, entre 1950 e 1970, baixas taxas de natalidade e de mortalidade.

10. (UFPR 2001) “O meu pai era paulista / meu avô, 
pernambucano / o meu bisavô, mineiro / meu
 tataravô, baiano / vou na estrada. Há muitos
 anos sou um artista brasileiro.” 
(Holanda, F.B. Para Todos. In: CD Para Todos. BMG Ariola Discos LTDA. 1993)
Os versos da canção do compositor e músico Francisco Buarque de Holanda, conhecido como Chico Buarque, retratam as diferentes origens de quatro gerações de sua família. Esta diversidade exemplifica um dos muitos processos que contribuem para a formação do povo brasileiro. Sobre o tema, é correto afirmar:

01 Os versos de Chico Buarque são um testemunho poético da mobilidade populacional do povo brasileiro.
02 As emigrações não alteraram a composição étnica brasileira.
04 A mistura de povos de diferentes etnias contribui para o conflito linguístico existente no Brasil.
08 Desde a última década que não ocorre miscigenação porque cessaram os movimentos migratórios intrarregionais.
16 Uma das razões da mobilidade populacional está na diferença de desenvolvimento econômico existente entre as várias regiões do País.

11. (ENEM/2002) Em reportagem sobre crescimento da população brasileira, uma revista de divulgação científica publicou tabela com a participação relativa de grupos etários na população brasileira, no período de 1970 a 2050 (projeção), em três faixas de idade: abaixo de 15 anos; entre 15 e 65 anos; e acima de 65 anos. Admitindo-se que o título da reportagem se refira ao grupo etário cuja população cresceu sempre, ao longo do período registrado, um título adequado poderia ser: 
a) “O Brasil de fraldas”. 
b) “Brasil: ainda um país de adolescentes”. 
c) “O Brasil chega à idade adulta”. 
d) “O Brasil troca a escola pela fábrica”. 
e) “O Brasil de cabelos brancos”.

12. (UFC/2003) No Brasil, os índices de natalidade e de mortalidade diminuíram nos últimos 30 anos. Aponte dois motivos para a redução dos índices de:
a) natalidade.
b) mortalidade.

13. (UNICAMP/2003) A construção da rede urbana brasileira obedeceu durante quatro séculos ao ritmo lento da exploração do território vasto, sempre em condições de baixa densidade. Ao final do século XIX muda o ritmo da urbanização. (Adaptado de Jorge Wilheim. “Metrópoles e faroeste no século XXI” in: Ignacy Sachs et alii. (orgs), Brasil: um século de transformações. São Paulo, Companhia das Letras, 2001, p. 476.)
a) Explicite um dos motivos para a aceleração da urbanização no Brasil a partir do século XIX. 
b) Cite duas características recentes da rede urbana brasileira.
c) O dinamismo da rede urbana brasileira dá-se principalmente por agregação de fluxos migratórios. As pessoas migram visando melhorar o padrão de vida. No entanto, tal expectativa vem sendo frustrada no Brasil. Cite duas conseqüências dessa situação no cenário urbano do país.

14. (UESPI/2004) O êxodo rural, no Brasil, foi mais acentuado entre as décadas de 50 e 80 do século XX. Esse foi um período em que:
O êxodo rural, no Brasil, foi mais acentuado entre as décadas de 50 e 80 do século XX. Esse foi um período em que: 
a) as migrações pendulares diminuíram, sobretudo nos grandes centros urbanos da Região Sudeste. 
b) as maiores metrópoles brasileiras atuaram como pólos de atração populacional. 
c) as atividades agrícolas no Centro-Oeste e no Nordeste do país foram intensificadas, fixando o homem ao campo. 
d) diminuiu o processo de favelização das áreas urbanas brasileiras. 
e) as migrações, no país, passaram a ser predominantemente do tipo sazonais.

15. (UFRGS/2003) Uma característica do processo de urbanização brasileiro é a formação de grandes aglomerados urbanos em detrimento da formação de cidades de porte médio. Disso resultam problemas ambientais, como o tratamento do lixo, ou sociais, como o transporte coletivo, que vão além dos limites municipais. O “encontro” entre duas cidades, resul­tado do crescimento horizontal, denomina-se 
a) megalópole. 
b) metrópole. 
c) conurbação. 
d) cidades gêmeas. 
e) grandes cidades.

16. (UFSC/2003) “O Brasil se caracteriza por ter um território muito extenso, marcado por uma enorme diversidade de condições naturais, cujo uso, através dos séculos levou à produção, sempre renovada, de diversificações sócio-espaciais”. Milton Santos. Fonte: INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Diretoria de Geociências. Atlas Nacional do Brasil. 3. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2000. Considere a afirmação de Milton Santos e os seus conhecimentos a respeito do tema e assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). 
01. A enorme diversidade das condições naturais acima citadas é responsável pelas especificidades das regiões no Brasil, enquanto que as tensões internacionais a que está submetido o país não interferem na sua organização sócio-espacial. 
02. Aproximadamente os últimos 50 anos de vida da nação brasileira mostraram, além da urbanização do interior do país, a difusão da modernidade, paralelamente aos esforços de integração do território e do mercado interno. 
04. Os sucessivos meios técnicos, criados e introduzidos a partir de 1850, provocaram uma mecanização generalizada e mantiveram no território brasileiro um conjunto de “ilhas econômicas”, voltadas para o atendimento da demanda nacional. 
08. O Brasil de hoje é fruto dos avanços da ciência, da técnica e da informação que criaram as condições para uma maior especialização do trabalho em alguns pontos do território, para a valorização de áreas periféricas e para a remodelação de regiões ocupadas. 
16. A fisionomia atual do espaço geográfico brasileiro é resultado de ações humanas, relativas às últimas décadas, que destruíram todos os vestígios das heranças dos séculos anteriores, materializadas em diferentes regiões do território nacional. 
32. Os primeiros três séculos e meio de existência do país caracterizaram-se por uma ocupação e um povoamento do território brasileiro cujos ritmos eram ditados, principalmente, pelas condições naturais.

17. (UERJ/2004) Nos anos 90, o Brasil passou a incorporar uma pauta de problemas sociais característicos do mundo do trabalho no cenário do capitalismo mundial e que são impostos pela nova ofensiva do capital na produção. (ALVES, G. O novo (e precário) mundo do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2000.) 
Um desses principais problemas sociais que caracterizam o atual mercado de trabalho brasileiro é:
a) ampliação do desemprego estrutural 
b) redução dos processos de terceirização 
c) diminuição da qualificação profissional 
d) elevação da ocupação no setor primário

18. (UFRGS/2002) Sobre a agricultura brasileira são feitas as seguintes afirmações. 
I - A mecanização da agricultura é uma das manifestações da modernização agrícola, e trouxe consigo o êxodo rural. 
II - A estrutura fundiária brasileira mantém-se excludente, na medida em que privilegia o grande capital e as culturas de exportação, em detrimento da agricultura familiar. 
III - A reforma agrária é atualmente uma das grandes questões sociais e políticas do Brasil, congregando vários setores da sociedade e partidos políticos. Quais estão corretas?
a) Apenas I. 
b) Apenas II. 
c) Apenas III. 
d) Apenas I e II. 
e) I, II e III.

19. (ENEM 1999) “Viam-se de cima as casas acavaladas umas pelas outras, formando ruas, contornando praças. As chaminés principiavam a fumar; deslizavam as carrocinhas multicores dos padeiros; as vacas de leite caminhavam com o seu passo vagaroso, parando à porta dos fregueses, tilintando o chocalho; os quiosques vendiam café a homens de jaqueta e chapéu desabado; cruzavam-se na rua os libertinos retardios com os operários que se levantavam para a obrigação; ouvia-se o ruído estalado dos carros de água, o rodar monótono dos bondes.” AZEVEDO, Aluísio de. Casa de Pensão. São Paulo: Martins, 1973 O trecho, retirado de romance escrito em 1884, descreve o cotidiano de uma cidade, no seguinte contexto: 
a) a convivência entre elementos de uma economia agrária e os de uma economia industrial indicam o início da industrialização no Brasil, no século XIX. 
b) desde o século XVIII, a principal atividade da economia brasileira era industrial, como se observa no cotidiano descrito. 
c) apesar de a industrialização ter-se iniciado no século XIX, ela continuou a ser uma atividade pouco desenvolvida no Brasil. 
d) apesar da industrialização, muitos operários levantavam cedo, porque iam diariamente para o campo desenvolver atividades rurais. 
e) a vida urbana, caracterizada pelo cotidiano apresentado no texto, ignora a industrialização existente na época.

20. (UFMG/2004) O coronel e o lobisomem, romance regional, aborda, com rara felicidade, o mundo agrário de uma região brasileira em um dado momento histórico. Muitas das características desse mundo são encontradas, ainda hoje, em grande parte do Brasil. Leia estes trechos selecionados do livro: • “Herdei do meu avô Simeão terras de muitas medidas, gado do mais gordo, pasto do mais fino.” (p. 7) 
• “... Francisquinha, negra de confiança, vinda dos tempos apagados do meu avô rapazola.[...] A velha sabia dar ordem na cozinha, governar sala e saleta. Morava no meio de um bando de negrinhas e afilhadas.” (p. 9) • “Era riqueza de avantajado porte, não só em terras como em benfeitorias e dinheiros. Diante de tanta escritura lavrada e papéis de valia, torci a barba e medi sala em passo militar.” (p. 17) 
• “Tomei respeito, não só pela herança de boi e pasto, como pela patente de coronel que em seguimento recebi.” (p. 18) 
• “Simpatizei com ele, com o seu modo cerimonioso de tratar as partes. Era coronel para lá, coronel para cá.” (p. 20) 
• “Veio render sua vassalagem assim que viu este coronel...” (p. 34) 
• “Subi demais. No dobrar do primeiro ano de compra e venda eu tinha sacudido pela orelha as rotinas do comércio. Era quem mais queria falar comigo e muito nababo do açúcar tomou suadouro de cadeira na saleta de Fontainha.” (p. 205) 
CARVALHO, José Cândido de. O coronel e o lobisomem. 46. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2000. Com base na leitura desses trechos do livro e tendo em vista a situação atual do país, COMPARE: 
A) a estrutura fundiária do Brasil que transparece no romance e a atual. 
B) a estrutura social no meio rural retratada no livro, embora romanceada, e a vigente, hoje, no País.

21. (FUVEST/2003) Justifique a seguinte afirmação: “A questão fundiária no Brasil encontra suas origens no passado e não na falta de terras”.

22. (UEL/2004) Cotidianamente, seções de classificados em jornais e placas afixadas em imóveis urbanos ofertam moradias para venda ou locação. No entanto, o problema da moradia no Brasil ainda exige solução. Sobre o tema, é correto afirmar: 
a) O problema de moradia nas cidades brasileiras funda-se na procura que é maior que a oferta, ocasionando aumento no preço dos imóveis. 
b) Como em qualquer sociedade pós-moderna, o ritmo da construção de casas é lento em relação à demanda por compra e locação, ocasionando o problema de moradia. 
c) A alta densidade populacional das cidades, os baixos salários da maioria da população e a apropriação do solo como mercadoria dificultam o acesso à moradia. 
d) O problema da moradia no Brasil foi equacionado e um dos fatos que comprovam tal afirmação é a permanente oferta deste bem para as diferentes classes sociais. 
e) O problema da moradia no Brasil é insolúvel, pois oferta e demanda estão espacializadas em diferentes lugares.

23. (ENEM/1999) Uma pesquisadora francesa produziu o seguinte texto para caracterizar nosso país: O Brasil, quinto país do mundo em extensão territorial, é o mais vasto do hemisfério Sul. Ele faz parte essencialmente do mundo tropical, à exceção de seus estados mais meridionais, ao sul de São Paulo. O Brasil dispõe de vastos territórios subpovoados, como o da Amazônia, conhece também um crescimento urbano extremamente rápido, índices de pobreza que não diminuem e uma das sociedades mais desiguais do mundo. Qualificado de “terra de contrastes”, o Brasil é um país moderno do Terceiro Mundo, com todas as contradições que isso tem por conseqüência. ([Adaptado de] DROULERS, Martine. Dictionnaire geopolitique des états. Organizado por Yves Lacoste. Paris: Éditions Flamarion, 1995) O Brasil é qualificado como uma “terra de contrastes” por: 
a) fazer parte do mundo tropical, mas ter um crescimento urbano semelhante ao dos países temperados. 
b) não conseguir evitar seu rápido crescimento urbano, por ser um país com grande extensão de fronteiras terrestres e de costa. 
c) possuir grandes diferenças sociais e regionais e ser considerado um país moderno do Terceiro Mundo. 
d) possuir vastos territórios subpovoados, apesar de não ter recursos econômicos e tecnológicos para explorá-los. 
e) ter elevados índices de pobreza, por ser um país com grande extensão territorial e predomínio de atividades rurais.

24. (UEL/2002) Assinale a alternativa que descreve corretamente as características assumidas pela rede urbana e pelas relações cidade-campo nos países que, como o Brasil, lograram fazer a transição da sociedade agrícola para a sociedade urbano industrial, embora sem superar a heterogeneidade econômica e social herdada do processo de colonização. 
a) No Brasil, as relações cidade-campo assumem a forma de exploração do meio rural pelas grandes cidades, o que explica porque o campo se caracteriza pelo atraso sócio-econômico, enquanto as cidades apresentam -se como espaços de modernidade. 
b) No Brasil, a subordinação do campo em relação à cidade se dá na medida em que o campo funciona como fornecedor de mão-de-obra e alimentos para os mercados urbanos, é um importante gerador de exportações (necessárias para financiar as importações de petróleo e maquinário) e constitui o mercado de várias indústrias, como as de produção de adubos, fertilizantes, etc. 
c) A orientação exportadora do setor agropecuário brasileiro, herdada do período colonial, impede uma integração efetiva entre campo e cidade, na medida em que é pequena a participação desse setor no abastecimento do mercado nacional. 
d) A rede urbana brasileira apresenta um número reduzido de grandes metrópoles articuladas diretamente às pequenas cidades, sem haver um extrato significativo de cidades médias entre esses dois níveis hierárquicos.
e) Em países de passado colonial, a rede urbana não chega a se estruturar nos mesmos moldes em que isso ocorre nos países industrializados, pois as grandes metrópoles continuam mantendo laços mais intensos com o exterior do que com as demais cidades do próprio país.

25. (FUVEST/2004) “Evidentemente que hoje a reforma agrária que sonhamos não é mais a reforma agrária clássica capitalista (...). Hoje, o desenvolvimento das forças produtivas na agricultura e na sociedade e o modelo agrícola que foi adotado exigem o que chamamos de reforma agrária de novo tipo (...) em que não é mais suficiente apenas dividir a terra, lotear em parcelas e botar o pobre em cima e que se vire. Cinqüenta anos atrás, ele se viraria, mas hoje não consegue mais”. João Pedro Stedile, um dos coordenadores nacionais do MST. Entrevista à revista Caros Amigos, n. 18, p. 05, Set 2003. Caracterize essa “reforma agrária de novo tipo” a que o texto se refere.

26. (ENEM/2002)
Good-bye .
Não é mais boa noite, nem bom dia
Só se fala good morning, good night 
Já se desprezou o lampião de querosene 
Lá no morro só se usa a luz da Light Oh yes!. 
A marchinha Good-bye, composta por Assis Valente há cerca de 50 anos, refere-se ao ambiente das favelas dos morros cariocas. A estrofe citada mostra 
a) como a questão do racionamento da energia elétrica, bem como a da penetração dos anglicismos no vocabulário brasileiro, iniciaram-se em meados do século passado. 
b) como a modernidade, associada simbolicamente à eletrificação e ao uso de anglicismos, atingia toda a população brasileira, mas também como, a despeito disso, persistia a desigualdade social. 
c) como as populações excluídas se apropriavam aos poucos de elementos de modernidade, saindo de uma situação de exclusão social, o que é sugerido pelo título da música. 
d) os resultados benéficos da política de boa vizinhança norte-americana, que permitia aos poucos que o Brasil se inserisse numa cultura e economia globalizadas. 
e) o desprezo do compositor pela cultura e pelas condições de vida atrasadas características do "morro", isto é, dos bairros pobres da cidade do Rio de Janeiro.

27. (FGV/2000) A análise da distribuição geográfica das indústrias no Brasil permite afirmar que: 
a) as indústrias de transformação estão localizadas, em sua quase totalidade, nas áreas urbanizadas. 
b) as indústrias de bens de consumo duráveis estão concentradas nas regiões metropolitanas. 
c) a tendência na concentração geográfica da indústria continua indicando o município de São Paulo, comparativamente, como o de maior índice de crescimento industrial. 
d) nos últimos anos, não houve mudanças na tendência da distribuição geográfica das indústrias no país. 
e) a Região Nordeste, dentro da atual política econômica, foi a que não se beneficiou com a instalação de novas indústrias de transformação.

28. (UEL/2001) A análise da distribuição geográfica das indústrias no Brasil permite afirmar que: 
a) as indústrias de transformação estão localizadas, em sua quase totalidade, nas áreas urbanizadas. 
b) as indústrias de bens de consumo duráveis estão concentradas nas regiões metropolitanas. 
c) a tendência na concentração geográfica da indústria continua indicando o município de São Paulo, comparativamente, como o de maior índice de crescimento industrial. 
d) nos últimos anos, não houve mudanças na tendência da distribuição geográfica das indústrias no país. 
e) a Região Nordeste, dentro da atual política econômica, foi a que não se beneficiou com a instalação de novas indústrias de transformação.

29. (PUC-PR/2002)  Em relação à agricultura brasileira, é CORRETO afirmar que: 
a) a política fundiária nos últimos anos, embora não tendo conseguido garantir terra para todos, eliminou a figura do grileiro e do posseiro 
b) os melhores solos e as maiores inversões de capitais na agricultura estão voltados para o cultivo de subsistência, principalmente no centro-sul do País 
c) a produção agrícola gera divisas suficientes para financiar a expansão industrial 
d) os pequenos proprietários de terra, embora possuindo áreas extremamente pequenas, são responsáveis pela produção de gêneros destinados à exportação, como soja e café 
e) persiste um elevado padrão de concentração da propriedade da terra

30. (PUC-PR/2002) As alternativas seguintes descrevem características de personagens da estrutura agrária brasileira. Assinale a correta.
a)Posseiro: pessoa que se apropria ilegalmente de terras e apresenta título falsificado de propriedade. b)Gato: trabalhador organizado em busca de acesso à terra. 
c)Latifundiário: proprietário de grandes extensões de terras. 
d)Sem terra: trabalhador rural que tem posse da terra, mas não o documento de propriedade da terra. e)Grileiro: pessoa que contrata trabalhadores braçais como mão-de-obra para as fazendas ou projetos agropecuários.

Gabarito/Respostas:

1. D
2. B
3. B
4. E
5. D
6. B
7. C
8. C
9. Soma = 13 (01, 04 e 08)
10. Soma = 17 (01 e 16)
11. E

12. Solução comentada -  Baixe e veja(nº08) 
A) Os índices de natalidade vêm diminuindo em decorrência de vários fatores: a urbanização e a disseminação do uso de anticoncepcionais; o maior acesso aos meios de comunicação nas diversas camadas sociais; a maior participação da mulher no mercado de trabalho; o aumento do custo dos filhos na cidade e o aumento da média de idade das pessoas que se casam, principalmente, nos centros urbanos. 
B) Sobre a diminuição dos índices de mortalidade, entre outros fatores, destacam-se: a melhoria das condições sanitárias e higiênicas, com a expansão das redes de esgoto e água encanada, principalmente, nas áreas urbanas; a disseminação do uso de sulfas, antibióticos e inseticidas, possibilitando o controle de grande número de enfermidades, e a vacinação em massa da população contra doenças, como, por exemplo, varíola, tifo, febre amarela, etc.

13. 
a) Chegada de imigrantes estrangeiros; incipiente industrialização; economia cafeeira, vinculada à implantação de ferrovias, gerando atividades urbanas.
b) Embora marcada por um número considerável de grandes cidades e metrópoles, a rede urbana brasileira não é muito desenvolvida, comparada com alguns países desenvolvidos; - apresenta fortes disparidades regionais; - não é muito densa no geral (número de cidades por área); - é marcada por acentuadas descontinuidades espaciais (“vazios”); - está havendo intensificação nas relações entre centros urbanos (comunicações, transportes, trocas comerciais); - há uma certa fraqueza hierárquica (nem sempre são encontrados os diferentes níveis hierárquicos -metrópoles, centros regionais, centros locais etc); - está havendo conurbação. OUTRAS POSSIBILIDADES: mais marcantemente adensadas nas áreas metropolitanas; cidades do interior experimentam uma maior crescimento que as regiões metropolitanas. 
c) Crescimento da violência, abandono dos espaços públicos (“áreas perigosas”), crescimento do crime organizado, narcotráfico, aumento de desemprego, péssimas condições de vida e de moradia, subemprego, doenças ou problemas de saúde pelas péssimas condições de vida, favelamento, precariedade de infra-estrutura e de condições sanitárias.

14. B
15. C
16. Soma = 37 (02, 08 e 32)
17. D
18. E
19. A
20. 
a) O romance descreve a tradicional concentração fundiária, desde o início da colonização, predominantemente no Nordeste brasileiro. O que se observa nos dias atuais é um pequeno avanço em relação ao período descrito, permanecendo a estrutura de concentração que sustenta os conflitos fundiários. b) A época descrita no livro retrata as relações de trabalho do final dos anos 30, com a presença dominante do coronel e a praticamente servidão dos agregados. Nos dias atuais, o coronelismo está praticamente extinto, não significando, porém, mudanças sociais drásticas nas relações existentes entre a elite dominante e demais classes sociais.

21. "Uma das questões mais graves que se observa na área rural brasileira refere-se à extrema concentração de terras em mãos de poucos proprietários, o que, por sua vez, implica um grande número de trabalhadores rurais sem acesso a essa propriedade. Tal estrutura é a principal causa do grande número de conflitos pela posse da terra e da intensificação de movimentos de ocupação de terras consideradas improdutivas. A origem desse problema, no entanto, não está na falta de terras, pois, segundo dados do Atlas Fundiário do Brasil, publicado pelo IBGE em 1996, 71,4% de todo o nosso território corresponde a áreas de matas ou de terras não aproveitadas, significando, assim, que o espaço efetivamente ocupado pelas atividades agrárias equivale a 28,6% da área do país. A explicação para a grande concentração fundiária remonta ao processo de ocupação colonial das terras brasileiras, iniciado nos primeiros anos do século XVI. O governo português, objetivando facilitar a ocupação das novas terras, bem como intensificar sua exploração econômica, desenvolveu um sistema de doação de grandes áreas da colônia a pessoas de sua confiança — as capitanias hereditárias. Esses grandes proprietários (os donatários), por sua vez, repartiam suas capitanias em propriedades menores (mas ainda assim muito grandes), denominadas sesmarias. A implantação de uma estrutura fundiária baseada em imensas propriedades orientou toda a história brasileira por séculos e deixou como herança a persistência dos latifúndios em praticamente todas as regiões brasileiras. Segundo o IBGE, as grandes propriedades representam atualmente apenas 2,8% do conjunto das propriedades, mas são tão grandes que ocupam 56,7% da área total dos imóveis rurais. Assim, evidencia-se a má distribuição das terras em nosso país, com uma das maiores taxas de concentração fundiária do globo". (Anglo Resolve)

22. C
23. C
24. B

25. O que se denomina no texto de “reforma agrária de novo tipo” é a perspectiva de uma nova forma de distribuição das propriedades rurais, que atenda a três grandes objetivos. O primeiro é o de satisfazer as necessidades sociais básicas do homem do campo, como alimentação, habitação, saúde e educação. O segundo é o de solucionar parte dos problemas econômicos do agricultor, permitindo sua evolução para uma melhor situação de bem-estar. O terceiro é o de inserir essa nova área produtora no contexto da economia nacional, a fim de aumentar a produção agrícola e a renda regional, gerando um dinamismo que se distribua por toda a comunidade. Para que tal modificação se concretize, é preciso que, além de se dividir a terra, loteá-la em parcelas e instalar o agricultor para cultivá-la, implante-se também uma política de efetivo apoio à pequena e média agricultura. Para isso, é necessária a adoção de numerosas medidas, como, por exemplo: criação de um sistema de crédito agrícola específico para esse segmento, instalação de infraestrutura de escoamento rápido até os principais mercados consumidores da região, adequado sistema de armazenamento para equilibrar a distribuição nos períodos de entressafra e implementação de um sistema de acesso universal às novas tecnologias envolvidas com a produção agrícola. Dessa forma, a reforma agrária poderá realmente ser um elemento de transformação do campo, constituindo-se num novo modelo de se fazer agricultura no país, eficiente social, política e economicamente.

26. B
27. A
28. A
29. E
30. A

Inscreva-se e conheça nosso Canal: