PETS

RESPOSTAS DO ENEM 2021

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

América do Sul é a única grande região fora do alcance de novo míssil norte-coreano

SEUL, COREIA DO SUL. O dirigente norte-coreano, Kim Jong-Un, anunciou nessa quarta-feira (29) que seu país é um Estado nuclear de pleno direito, depois de ter testado durante a madrugada um míssil balístico capaz de atacar qualquer lugar dos Estados Unidos.
 Mapa mostra o alcance estimado do míssil Hwasong-15, testado pela Coreia do Norte; apenas a América do Sul está fora da 'zona de risco'.


Esse disparo, o primeiro efetuado pela Coreia do Norte desde 15 de setembro, acaba com as esperanças de que a trégua observada de fato por esse país tivesse o objetivo de abrir uma porta para a solução negociada da crise provocada por seus programas nuclear e balístico.

A estimativa de especialistas de que o míssil balístico tenha o alcance de até 13 mil km torna a América do Sul como a única região do mundo que hoje está inteiramente livre da ameaça de um eventual bombardeio de Jong-un.

Além do Brasil e outros vizinhos sul-americanos, apenas alguns países da América Central e do leste da África, além de ilhas britânicas no Atlântico sul, estão fora do alcance dos mísseis.

Também constitui um novo desafio para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que prometeu impedir que a Coreia do Norte chegasse a ser uma potência nuclear. “Acabo de falar com o presidente da China, Xi Jinping, sobre as ações provocadoras da Coreia do Norte”, anunciou Trump no Twitter. “Serão impostas importantes sanções adicionais à Coreia do Norte hoje. Essa situação será gerenciada!”, acrescentou. A TV estatal norte-coreana recorreu à sua apresentadora estrela aposentada, Ri Chun-Hee, para anunciar o novo feito. “Kim Jong-Un declarou com orgulho que realizamos a grande causa histórica de completar a força nuclear de Estado, com o objetivo de construir um foguete potente”, disse.

Fonte: O Tempo.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

A diferença entre altura e altitude

Compreenda a diferença entre a altura e a altitude das formas de relevo.

Bem, ambos conceitos estão relacionados a distância vertical do relevo, contudo suas definições são diferentes.

A altura de um determinado relevo leva em consideração a distância vertical de sua base até sua extremidade superior.

Já, a altitude baseia-se na distância vertical em relação ao nível do mar (nível de zero metro).


Desta forma, como na imagem abaixo, uma montanha pode apresentar uma altura de 1000 metros (distância vertical de sua base até seu topo), e altitude de 4000 metros (distância vertical no nível do mar até seu topo). Note que a base desta montanha se localiza a 3000 metros de altitude.

Fonte: Mundo da Geografia.

domingo, 26 de novembro de 2017

Negros vendidos como escravos na Líbia: o horror que o imperialismo produz

DW Brasil: Migrantes africanos são vendidos a $ 400 dólares na Líbia. Jovens sem perspetiva de vida acreditam que vão chegar à Europa e encontrar um trabalho. Mas acabam tornando-se escravos em Trípoli.

Jovens sem perspetiva de vida acreditam que vão chegar à Europa e encontrar um trabalho. Mas acabam tornando-se escravos em Trípoli.


Novembro, 2017. Desde a última semana, um vídeo está a agitar o mundo. Nas imagens publicadas pela CNN, dois africanos negros aparecem num canto escuro, enquanto um leiloeiro os oferece como escravos por 400 dólares - cada um. Isso está a acontecer na Líbia. A razão: de acordo com a Organização Internacional para as Migrações, a OIM, um órgão da ONU, pelo menos 20 mil migrantes são mantidos em cativeiro em Trípoli - porta principal de saída dos africanos para chegar à Europa.

O diretor do Centro Magrebe de Estudos para a Líbia, Rachid Kechana, declarou que a situação é dramática. "O nível de pobreza no país deles é altíssimo. Eles fogem em busca de melhores oportunidades”, explicou.


O sonho de chegar à Europa X o pesadelo de tornar-se um escravo

Eles são jovens da África subsaariana. A maioria vem de países como Nigéria, Guiné, Burkina Faso ou Costa do Marfim, mas também da Eritreia ou da Somália. São muitas vezes jovens sem perspetiva de vida e acreditam que, se seguirem rumo à Líbia, vão chegar à Europa e encontrar um trabalho. No entanto, milhares deles acabam presos em campos imensos onde são mantidos até serem vendidos.

É em Tripoli, na capital da Líbia, que o objetivo de melhorar de vida no continente europeu chega ao fim. Ali, ao invés de conseguir um emprego, como desejavam, eles acabam vendidos como escravos em praças ou garagens, por motoristas ou moradores que recrutam os migrantes para trabalhos diários na cidade. Na maior parte das vezes, eles trabalham na construção civil. Ao fim de cada serviço, não existe pagamento. Pelo contrário, os raptores vendem seus escravos a novos compradores.

O jovem Souleymane, da Costa do Marfim, já esteve preso quatro vezes na Líbia. Em entrevista à DW, ele contou que viver em Trípoli é correr perigo de vida constantemente. "Eu constatei que há uma grande diferença entre Costa do Marfim e a Líbia. É muito difícil na Líbia. Todos os dias as pessoas morrem. Se for ao supermercado, pode ser pego por alguém para depois ser vendido. A vida na prisão é um inferno. Se conseguiu comer um pão de manhã, às vezes tem que esperar até o outro dia para comer novamente. Não se pode sair, nem mesmo ir ao banheiro. O lugar onde dorme, também é o lugar onde vai defecar; só se pode sair para obter comida e voltar. Não é fácil, não foi fácil para nenhum de nós", relatou o menino de 19 anos.

Vendidos, torturados e assassinados

Em uma coletiva de imprensa em Genebra, o chefe de missão da ONU para a Líbia, Othman Belbeisi, disse que os migrantes costumavam ser mantidos em cativeiro de dois a três meses, depois de serem negociados. "Estamos falando de migrantes vendidos como mercadorias. Estamos falando de escravidão também em cativeiros, onde os migrantes são presos por contrabandistas e por algumas milícias. A principal questão é que essas pessoas não têm documentos. Eles viajam por fronteiras irregulares e estão totalmente à mercê de contrabandistas. Durante esse período, eles são seqüestrados em troca de resgate, são vendidos, torturados e até assassinados", revelou Belbeisi.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse estar "horrorizado" com o caso. Guterres declarou que os leilões de refugiados africanos negros como escravos na Líbia devem ser investigados com urgência como crime contra a humanidade.

Seis anos após a queda de Muammar Gaddafi, a Líbia ainda é um estado sem lei, onde grupos armados competem por terras e pelos recursos naturais - e as redes de contrabando de pessoas operam impunes.

Investigação em curso

Nesta terça-feira (21.11), a presidente da Comissão da União Africana (UA), Moussa Faki Mahamat, informou os jornalistas na capital da Etiópia, Addis Abeba, que a UA iniciou uma investigação sobre o leilão de migrantes africanos como escravos por grupos armados na Líbia.

Segundo Mahamat, eles vão tentar obter acesso a centros de detenção ilegais nos quais os migrantes são mantidos sem razões legais. "Pedimos às autoridades da Líbia que facilitassem os inquéritos em curso. Os responsáveis serão tratados através do sistema judiciário", declarou Mahamat.

A presidente da Comissão da UA disse ainda que despachou seu comissário para Questões Sociais, Amir El Fadil, como enviado especial à Líbia para iniciar o inquérito. A UA apelou aos seus 55 Estados membros que forneçam suporte logístico com o objetivo de enviar os migrantes presos na Líbia para seus países de origem.

Foto chocante mostra elefantes em chamas fugindo de multidão

A imagem premiada revela uma cena triste – filhote e mãe de elefante-asiático correm para se salvar. A foto chocante de um filhote de elefante-asiático pegando fogo venceu um concurso de fotografia de vida selvagem – chamando atenção do mundo para os campos de batalha do conflito entre elefantes e humanos na Índia.
Filhote de elefante-asiático e sua mãe fogem de uma multidão que lança bolas de piche em chamas no estado indiano de Bengala Ocidental. FOTO DE BIPLAB HAZRA, SANCTUARY NATURE FOUNDATION.
A imagem, intitulada "O Inferno é Aqui", mostra uma cena perturbadora: um filhote de elefante e sua mãe tentam fugir de uma multidão no estado indiano de Bengala Ocidental – o filhote está em chamas depois dos dois serem atingidos por bolas de piche lançadas pelo grupo. 

O fotógrafo de vida selvagem amador Biplab Hazra fez a imagem que ganhou um concurso anual de fotografia de vida selvagem promovido pela revista Sanctuary Asia. Entre os jurados estava o fotógrafo da National Geographic Steve Winter.

“Eu nunca tinha visto um incidente como esse nos meus 14 anos fotografando vida selvagem”, disse Hazra, que é dono de uma olaria, ao jornal New Indian Express. “Toda minha concentração estava em fazer a foto.”

Em questão de horas, a imagem ganhou o mundo, expondo as tensões entre populações humanas e de paquidermes na Índia.


O país abriga mais de 27 mil elefantes-asiáticos, pelo menos metade da população mundial. A espécie é considerada ameaçada de extinção graças, em grande parte, a destruição e fragmentação do habitat natural por humanos.

Elefantes usam pelo menos 101 corredores para atravessar a Índia, dos quais quatro quintos possuem ocupações humanas, de acordo com pesquisa de agosto de 2017 da organização Wildlife Trust of India. Dois terços do dos corredores são cortados por estradas nacionais ou estaduais e menos de 13% dos corredores têm cobertura vegetal.

Mas em nenhum outro lugar da Índia humanos e elefantes entram tanto em conflito quanto na Bengala Ocidental, onde a foto foi feita. Cerca de 488 elefantes vivem nas florestas do norte do estado, repletas de assentamentos e plantações de chá.

A proximidade gera violência mortal, especialmente quando os paquidermes comem plantações, destroem colheitas ou danificam casas. De acordo com o Times of India, 18 pessoas foram mortas por elefantes na Bengala Ocidental nos primeiros nove meses de 2015. Em março de 2016, autoridades pediram o extermínio de um elefante que matou duas pessoas. Além disso, casos em que elefantes morrem eletrocutados depois de encostar na rede elétrica são comuns.

Hazra contou ao New Indian Express que talvez a intenção não era queimar o filhote de elefante da foto, mas disse que agricultores usam piche em chamas e fogos de artifício para espantar os paquidermes com frequência – uma tática que pode fugir do controle.

“Gestão de multidões é uma das práticas mais importantes em conflitos entre humanos e vida selvagem”, disse M. Ananda Kumar, cientista da Fundação Conservação da Natureza, em entrevista a revista britânica Geographical, em 2016. “Precisamos ensinar às pessoas que esses animais gigantes precisam de espaço. Temos que mostrar que comportamentos violentos só vão levar a incidentes trágicos.”

Nesse caso, porém, a situação poderia ter sido pior: Hazra disse que o filhote de elefante sobreviveu ao ataque.

sábado, 25 de novembro de 2017

MEC oferece especialização gratuita para professores pelo Profic

Programa de Formação Inicial Continuada para Professores da Educação Básica oferece formação em cinco áreas. Inscrições terminam em 1º de dezembro.
Inscrições para programa de formação do MEC ficam abertas até 1º de dezembro. (Foto: Wikimedia Commons).
O Ministério da Educação (MEC), por meio do Programa de Formação Inicial Continuada para Professores da Educação Básica (Profic), abriu vagas para os cursos de Primeira Licenciatura, Especialização em Educação Infantil, Alfabetização, Matemática e Língua Portuguesa.

Todos os cursos são gratuitos e exclusivos para professores formados, com exceção ao programa de Primeira Licenciatura destinado à professores sem formação, mas que atuam em sala de aula. A iniciativa é gerenciada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Quem deseja se inscrever deve acessar o site da Plataforma Freire, nova ferramenta para gestão de cursos disponibilizados pelo MEC, criar um login e, na seção vagas disponíveis, se candidatar.

Para visualizar devidamente todas as vagas abertas, o candidato deve ter certeza que preencheu às seguintes abas na plataforma: dados pessoais, formação acadêmica e atuação profissional. O prazo para participar vai até o dia 1º de dezembro.

Atenção: é necessário preencher o currículo para que surja a vaga de acordo com sua necessidade, somente depois de solicitar a vaga é que o sistema vai liberá-la.

* Fonte: BHAZ / Nova Escola.

Blog de Geografia tem mais de 19 milhões de acessos

A face mais visível e ativa da blogosfera, na área de Geografia.

O Blog de Geografia (www.suburbanodigital.blogspot.com.br)" - ultrapassou a marca dos 19 milhões de acessos reafirmando a sua qualidade de conteúdo educacional: um dos mais lidos do Brasil. O blog conta com vasto acervo de conteúdos educacionais ao seu dispor e informação, além de produção constante de mais artigos.


A imensa maioria das visualizações vem de buscas no Google seguido pelo Facebook. Já os países que mais trazem visitas ao blog além do Brasil são Estados Unidos, Portugal, Espanha, Índia, Holanda, Irlanda, França, Argentina e Índia.
Autor:
Gabriel Egidio do Carmo é professor de Geografia. Tem 30 anos. Mora no município de Teixeiras-MG. Trabalha na rede pública de ensino de Minas Gerais. Leciona na Escola Estadual Professor Samuel João de Deus, em Paula Cândido - MG

Redes Sociais
Forte também nas redes sociais o Blog de Geografia (em português) possui 3 páginas no Facebook, que juntas somam mais de 128 mil fãs.
Em inglês também? Sim. O Geography Blog (www.the-geography.blogspot.com) possui mais de 230 mil fãs no facebook.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

IBGE divulga nova edição do mapa político das regiões brasileiras

O IBGE acaba de atualizar a versão dos mapas político-administrativos das regiões brasileiras. A última atualização foi realizada em 2009. Produzidos para serem impressos no tamanho A0 (1,18 metro de largura por 84,1 cm de altura), os mapas estão disponíveis, a partir de hoje, em formato PDF, aqui:


O mapa abrange os 5.570 municípios brasileiros e traz informações sobre os limites geográficos estaduais e internacionais, do sistema rodoviário e das feições hidrográficas do Brasil, além de símbolos que permitem identificar portos, aeroportos e municípios conforme o tamanho da população.

“Os mapas políticos regionais proporcionam uma visão geral e integrada dos aspectos políticos e geográficos de cada região, com diversas possibilidades de uso como atividades escolares, gestão pública e privada, planejamentos diversos e logística”, destaca uma das responsáveis pela coordenação do projeto, Leila Freitas

Para a produção da versão 2017 dos mapas, o IBGE utilizou informações da Base Cartográfica Contínua do Brasil, ao milionésimo – uma plataforma digital com a representação cartográfica do país, atualizada regularmente. Os dados usados são referentes a 2016.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Menino de 8 anos desmaia na escola e marca um país devolvido à geografia mundial da fome

A notícia mais triste do Brasil nesta semana

Michelzinho e demais filhos de autoridades não têm nada a ver com isso, são inocentes e devem ser protegidos. Tirem as crianças da sala. Gostaria, no entanto, que seus pais não ignorassem a notícia mais triste desta semana entre tantos péssimos relatos brasileiros: um menino de 8 anos desmaiou de fome em uma escola pública na vizinhança dos palácios de Brasília. O agente de saúde do Samu que atendeu ao chamado de uma professora constatou a doença: falta de comida.


Valei-me são Josué de Castro (Recife,1908-1974), rogo ao médico e cientista pernambucano pioneiro na denúncia da fome como questão real da política, ainda nos tristes trópicos de 1946, depois de examinar operários que desmaiavam no chão de uma fábrica de tecidos no bairro da Torre, Recife. Sob a agulha da vitrola, o Chico Science & Nação Zumbi, free jazz sampleado das tripas do subdesenvolvimento, dá a letra: “Ô Josué eu nunca vi tamanha desgraça/ Quanto mais miséria tem, mais urubu ameaça”.

Escola do Distrito Federal onde aluno desmaiou de fome. REPRODUÇÃO.
Morador de um conjunto do Minha Casa, Minha Vida, no Paranoá Parque, o menino faminto estuda a 30 km da residência, no Cruzeiro, Distrito Federal. O caso foi noticiado pelo DF TV. Os governantes, como sempre, em suas notas frias e oficiais, lamentam o ocorrido.

Espero que a primeira-dama Marcela e a equipe do seu programa “Criança Feliz” atentem para a gravidade. Faço votos que a bancada do Congresso que tanto se escandaliza com a nudez artística, entre outras manifestações, se comova com a mais triste das notícias da semana. Ah se fosse apenas o menino da escola do Cruzeiro. Na mesma sala, palavra de professora, existem outros. A conta de somar é sem fim no Brasil devolvido à geografia da fome.

Não há manchete mais estarrecedora. Do tipo que merece as três exclamações exaltadas pelo cronista Nelson Rodrigues nos tempos d´”A Última Hora”.

Menino de 8 anos desmaia de fome no Brasil de Michel Temer!!!

MENINO DE 8 ANOS DESMAIA DE FOME NA VIZINHANÇA DO PALÁCIO DO PLANALTO. Com direito a sangrar a página em maiúsculas, óbvio.

Menino desmaia no Brasil que voltou ao mapa da fome. Amigo punk mancheteiro, faça você mesmo, rasgue a capa em seis colunas com a foto do seu canalha político predileto. Amigo, não compre jornal, minta você mesmo, como grita o grafite dos anarquistas espanhóis.

Menino de 8 anos desmente poema de Olavo Bilac. Criança, jamais verás desmaio como este. E assim todas as possibilidades jornalísticas ou de guerrilha na linguagem. Menino de 8 anos desmente programa “Criança Feliz”.

Um sequestro, um roubo sem perdão à infância prometida. Outro dia escrevi sobre o “Não verás país nenhum”, caríssimo escritor Ignácio de Loyola Brandão, agora só me resta bilaquiar no subjuntivo ou no modo do verbo equivalente ao que foi sem nunca ter sido: “Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste! / Criança! não verás nenhum país como este!”

Parem as máquinas, sempre, segundo clichê da manchete. Menino de 8 anos tem direito a estudar bem-alimentado. Por mais comida e menos notas oficiais, governo do Brasil e do DF. Por mais crianças felizes, sem o Temer e suas representações golpistas. Que a merenda não seja roubada em nenhum estado do país, muito menos em São Paulo, a dita locomotiva blindada pelos investigadores oficiais.

São tantas manchetes impossíveis e tantos pedidos, meu são Josué de Castro, mas não desisto.

Xico Sá, escritor e jornalista, é autor de “A Pátria em Sandálias da Humildade” (editora Realejo), entre outros livros.

Fonte: EL PAÍS Brasil.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Negros e negras brasileiros que deveriam ser mais estudados nas escolas

"Parece que os negros não têm passado, presente e futuro no Brasil. Parece que sua história começou com a escravidão, sendo o antes e o depois dela propositalmente desconhecidos."

Apesar de obrigatória no currículo escolar, história de negros brasileiros ainda é deixada de lado nos livros e nas aulas, segundo ativistas | Fotos: Domínio Público/Divulgação/Museu Histórico Nacional/Audálio Dantas/MiltonSantos.org.
Quem afirma é o antropólogo Kabengele Munanga, professor do Centro de Estudos Africanos da Faculdade de Filosofia, Letras, Ciências e Humanidades da USP. Não à toa, o Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro, é baseado na história envolta em mistérios e lendas de Zumbi dos Palmares, escravo que liderou um quilombo em Alagoas no século 17.

Considerado o maior herói do movimento negro brasileiro, Zumbi teria sido assassinado em 20 de novembro de 1695. A data, porém, só foi descoberta em 1970 e só em 2003 foi incluída no calendário escolar.

Ainda assim, é constante a reclamação, por parte de ativistas, de que negros e negras proeminentes na história brasileira continuam sendo deixados de lado nas aulas de História. Conheça alguns deles.


Zumbi dos Palmares
No século 17, Zumbi foi capturado por bandeirantes ainda bebê e entregue ao padre Antônio Melo, em Porto Calvo, região do Rio São Francisco. Sabe-se que ele foi batizado pelo padre com o nome de Francisco, mas a data exata de seu nascimento não é conhecida.

Zumbi foi o último líder do Quilombo dos Palmares
| Foto: Antônio Parreiras/Domínio Público.
Com 15 anos, Zumbi conseguiu fugir para o Quilombo dos Palmares, atual região de Alagoas. No quilombo - uma das comunidades livres fundadas por escravos que conseguiram fugir dos seus senhores -, o adolescente adotou o nome de Zumbi, que significa "espectro, fantasma ou deus" no idioma quimbundo.

O Quilombo dos Palmares foi o maior das Américas, abrigando cerca de 20 mil habitantes em 11 povoados.

"Zumbi liderou a luta contra a escravidão e reuniu não apenas muitos negros que fugiam das senzalas, mas também indígenas e brancos insatisfeitos com o regime escravista", disse Kabengele Munanga à BBC Brasil.

Zumbi foi o último líder do Quilombo dos Palmares e chefiou a luta de resistência contra os portugueses, que durou 14 anos e terminou com sua morte, em 1695.

Mesmo carente de armas, o Quilombo dos Palmares tinha uma eficiente organização militar. A comunidade resistiu a 15 expedições oficiais da Coroa. Na décima sexta expedição, depois de 22 dias de luta, Zumbi foi capturado, morto e esquartejado por bandeirantes. Sua cabeça foi enviada para o Recife, onde ficou exposta em praça pública até se decompor.

Dandara dos Palmares
Assim como Zumbi, não há registros do local nem da data de nascimento Dandara. Acredita-se que ela foi levada para o Quilombo dos Palmares ainda criança. Lá teria aprendido a caçar, lutar capoeira e manusear armas. Foi uma das líderes do exército feminino em Palmares e mulher de Zumbi, com quem teve três filhos.

Dandara teria sido líder do exército de mulheres em Palmares
| Foto: Jarid Arraes/Divulgação.

Depois que o Quilombo foi tomado pelos portugueses,em fevereiro de 1694, Dandara cometeu suicídio para não ser capturada e voltar à escravidão.

Milton Santos 
Milton Santos nasceu em 3 de maio de 1926, em Brotas de Macaúbas, na Bahia. Filho de dois professores primários, ele tornou-se um dos geógrafos negros mais conhecidos no mundo. Sua formação, no entanto, não era em Geografia, e sim em Direito, pela Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Geógrafo recebeu dezenas de títulos de Doutor Honoris Causa pelo mundo | Foto: Acervo pessoal.
Santos foi o precursor da pesquisa geográfica na Bahia e, na década de 1990, tornou-se o único pesquisador brasileiro a ganhar o Prêmio Vautrin Lud, considerado o Nobel de Geografia. No mesmo período, ganhou um Prêmio Jabuti, o mais importante da literatura brasileira, pelo livro A Natureza do Espaço.

Após o golpe militar de 1964, o baiano foi perseguido e preso pelo regime, por ter sido representante da Casa Civil na Bahia durante o curto governo de Jânio Quadros. Com ajuda do consulado da França, conseguiu asilo político na Europa.

O geógrafo deu aulas e fundou laboratórios na França, na Inglaterra, na Nigéria, na Venezuela, no Peru, na Colômbia e no Canadá. Ele conseguiu retornar ao Brasil somente nos anos 1980.

Apelidado de "Cidadão do mundo", Milton Santos recebeu vinte títulos de Doutor Honoris Causa de universidades da América Latina e da Europa, publicou mais de 40 livros e mais de 300 artigos científicos. Morreu em 24 de junho de 2001.

Machado de Assis
Filho de um mulato pintor de paredes e de uma imigrante portuguesa que trabalhava como lavadeira, Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839, no Rio de Janeiro. A escravidão foi abolida somente 49 anos após o seu nascimento.

Escritor foi o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras
| Foto: Academia Brasileira de Letras.
Por causa do preconceito racial, ele teve acesso limitado ao ensino e se tornou autodidata. No seu primeiro trabalho, em uma padaria, aprendeu com a patroa a ler e traduzir em francês.

Aos 17 anos, se tornou tipógrafo na Imprensa Nacional. Passou a colaborar para diversas revistas aos 19 anos e, pouco depois, trabalhou para jornais como Correio Mercantil e Diário do Rio de Janeiro.

Machado de Assis só se tornou um escritor conhecido a partir de 1872, com a publicação do romance Ressurreição. Ele foi eleito o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras. O livro Memórias Póstumas de Brás Cubas, publicado em 1881, é considerado sua maior obra e uma das mais importantes em língua portuguesa.

O romancista morreu em 29 de setembro de 1908.

Lima Barreto
Afonso Henriques de Lima Barreto nasceu em 13 de maio de 1881, no Rio de Janeiro, neto de escravos e filho de professores.

Em 1897, menos de dez anos após o fim da escravidão, ele foi aceito na importante escola de Engenharia do Rio de Janeiro - o único negro da sala. No entanto, ele abandonou a universidade em 1902 para cuidar do pai, que sofria de uma doença mental.

Reconhecimento de Lima Barreto veio apenas após a morte
| Foto: Domínio Público.
Lima Barreto tornou-se funcionário público para sustentar a família e, nas horas vagas, escrevia reportagens para o jornal carioca Correio do Amanhã, denunciando o racismo e a desigualdade social no Rio de Janeiro.

Um dos principais romances brasileiros, O Triste Fim de Policarpo Quaresma, foi o segundo romance publicado por Barreto.

Ele morreu em 1922, aos 41 anos, considerado louco. Deixou uma obra de dezessete volumes e nunca recebeu nada para escrever nenhum deles.

Seu reconhecimento como escritor veio somente após a morte. Em 2017, foi o homenageado da Feira Literária de Paraty, um dos maiores eventos da literatura brasileira.

Carolina Maria de Jesus
Carolina Maria de Jesus nasceu em 1914, em Sacramento, Minas Gerais. De família pobre, ela cursou somente os primeiros anos do primário, e se mudou para São Paulo em 1937, onde trabalhou como doméstica e catadora de papel.

Carolina de Jesus fez sucesso com o diário que contava a vida na favela | Foto: Audálio Dantas.
Nesse período, ela mantinha consigo inúmeros diários onde relatava o seu dia a dia como moradora da favela do Canindé.

Em 1958, ao fazer uma reportagem no Canindé, o jornalista Audálio Dantas conheceu Carolina e leu seus 35 diários. Dois anos depois, ele publicou um dos diários com o título de Quarto de Despejo: Diário de uma Favelada. A obra vendeu mais de 100 mil exemplares em 40 países e foi traduzida em 13 línguas.

Em 1961, Carolina de Jesus lançou Casa de Alvenaria: Diário de uma Ex-favelada e, no ano seguinte, publicou Pedaços da Fome, seu único romance.

Depois de desentendimentos com editores, em 1969, a escritora saiu de São Paulo e mudou-se para um sítio. Morreu em 1977, aos 62 anos, de volta à pobreza.

Abdias do Nascimento
Neto de escravos, Abdias do Nascimento nasceu em uma família em 1914, na cidade de Franca, em São Paulo. Ele começou a trabalhar aos 9 anos e, para conseguir se mudar para São Paulo, se alistou no Exército.

Nascimento teve que abandonar a instituição, no entanto, ao entrar para o movimento da Frente Negra Brasileira, que realizava protestos em locais públicos contra o racismo.

Grupo de teatro criado por Abdias do Nascimento alfabetizava ex-escravos
 | Foto: Agência Senado.
Em 13 de outubro de 1944, ele criou o Teatro Experimental do Negro, junto com outros artistas brasileiros. Escritores da época, como Nelson Rodrigues, escreveram peças teatrais especialmente para o grupo, que também se dedicou a alfabetizar ex-escravos e transformá-los em atores.

Durante a ditadura militar, Nascimento foi preso e enviado ao exílio. Ele retornou ao Brasil somente em 1981.

Além de ator, teatrólogo e ativista, Abdias Nascimento foi deputado federal pelo Rio de Janeiro logo após o final do regime militar. Na década de 1990, foi eleito senador, sempre com a plataforma da luta contra o racismo.

Ele faleceu em 24 de maio de 2011, aos 97 anos.

Teodoro Sampaio
Quem passa pela movimentada rua Teodoro Sampaio, no bairro de Pinheiros, em São Paulo, geralmente não sabe a importância do homem que dá nome à via. Filho de uma escrava e de um padre, Teodoro Sampaio nasceu em Santo Amaro da Purificação, na Bahia, em 1855.

Seu pai, o padre Manoel Sampaio, o levou para o Rio de Janeiro criança e o matriculou no regime de internato no Colégio São Salvador. Em 1877, ele se formou engenheiro.

Por anos, ele trabalhou como professor de matemática e desenhista do Museu Nacional para poupar dinheiro e comprar a alforria de sua mãe e irmãos.

Teodoro Sampaio foi um dos fundadores da Escola Politécnica da USP.
| Foto: Museu Histórico Nacional.

Em 1879, Sampaio participou da expedição científica ao Vale do São Francisco para estudar os portos do Brasil e a navegação interior. Ele ajudou a fundar o Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, em 1894, e a Escola Politécnica da USP, em 1930.

Morreu no Rio de Janeiro em 1937.

Sueli Carneiro
Aparecida Sueli Carneiro Jacoel nasceu em São Paulo, em junho de 1950. É a mais velha dos sete filhos de uma costureira e de um ferroviário. Doutora em filosofia pela USP, foi a única negra no curso de graduação da Universidade, na década de 1970.



Hoje, ela é uma das mais importantes pesquisadoras sobre feminismo negro do Brasil. Seu nome e ativismo foram relacionados à formulação da política de cotas e à lei antirracismo.

Em 1988, Sueli fundou o Geledés - Instituto da Mulher Negra, uma organização política de mulheres negras contra o racismo e sexismo. É uma das maiores ONGs de feminismo negro do país. Entre os vários serviços prestados pelo instituto, está o de assistência jurídica gratuita a vítimas de discriminação racial e violência sexual.

Ainda em 1988, Carneiro foi convidada para integrar o Conselho Nacional da Condição Feminina. É vencedora de três importantes prêmios sobre feminismo e direitos humanos: Prêmio Benedito Galvão, Prêmio Direitos Humanos da República Francesa e Prêmio Bertha Lutz.

André Rebouças
Neto de uma escrava alforriada e filho de Antônio Pereira Rebouças, um advogado autodidata que se tornou conselheiro de D. Pedro 2º, André Rebouças nasceu em 1838, em Cachoeira, Bahia, em uma família classe média negra em ascensão no Segundo Reinado.

Por causa da posição atípica de sua família para a época, André e seus seis irmãos receberam uma boa educação. O menino e um de seus irmãos, Antônio Rebouças, se tornaram importantes engenheiros e abolicionistas.

Após a proclamação da República, André Rebouças foi exilado do Brasil por sua ligação com D. Pedro 2º.
| Foto: Museu Histórico Nacional.

Como engenheiro, seu maior projeto foi o da estrada de ferro que liga Curitiba ao porto de Paranaguá, considerado, até hoje, uma realização arrojada.

Como abolicionista, ele criou, junto de Machado de Assis, Joaquim Nabuco e outros abolicionistas importantes da época, a Sociedade Brasileira Contra a Escravidão.

Após o fim da escravidão, no entanto, a monarquia também chegou ao fim. Com a proclamação da República, em 1889, a família de D. Pedro 2º e pessoas ligadas a ele, como a família Rebouças, tiveram que partir para o exílio.

André nunca mais retornou ao Brasil. Em 09 de maio de 1898, deprimido com o exílio, o engenheiro se jogou de um penhasco perto de onde vivia, em Funchal, na Ilha da Madeira.

Algumas capitais brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba, têm avenidas e túneis chamados de Rebouças em homenagem ao engenheiro negro.

Fonte: Laís Modelli De São Paulo para a BBC Brasil.

sábado, 18 de novembro de 2017

Crocodilos são esfolados vivos para a produção de bolsas e sapatos

Um vídeo terrível divulgados pela PETA mostra a extrema crueldade à qual milhares de crocodilos são submetidos ao serem esfolados para a fabricação de bolsas da marca Louis Vuitton.


Alguns podem ser vistos ainda se mexendo mesmo depois de toda pele ter sido arrancada. Crédito: PETA

Primeiramente, eles são brutalmente eletrocutados, então os funcionários fazem um corte no pescoço e enfiam barras de metal na coluna vertebral dos animais enquanto ainda estão vivos.

Em seguida, eles são esfolados – um processo que leva 15 a 20 minutos – e alguns podem ser vistos ainda se mexendo mesmo depois de toda pele ter sido arrancada.

Um dos funcionários da fábrica onde o vídeo foi filmado afirmou que não é raro que os animais demorem horas para morrer.

Além da tortura de serem esfolados, os crocodilos também são confinados em jaulas minúsculas e empilhados em instalações de concreto.

A Louis Vuitton é considerada uma marca “luxuosa” – uma bolsa de pele de crocodilo Louis Vuitton pode vender por £ 25,000.


Fonte: Laura Cruz, ANDA.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Vídeo: A formação da Cordilheira do Himalaia - 70 milhões de anos em 2 minutos


Como se formou a Cordilheira do Himalaia? Confira o vídeo sobre a formação da Cordilheira do Himalaia - 70 milhões de anos em 2 minutos

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Dolina que surgiu em fazenda tem mais de 20 m de diâmetro e profundidade indeterminada

O buraco gigante que chamou a atenção de internautas e que trata-se, provavelmente, de uma dolina, tem cerca de 20 metros de diâmetro e já foi avaliada por especialistas da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), de acordo com funcionários da Fazenda Santa Cruz e Conceição.

Moradores de uma fazenda em Coromandel, no Alto Paranaíba, foram surpreendidos por um fenômeno geológico na semana passada..

O Jornal de Coromandel esteve no local na tarde desta segunda-feira (13), juntamente com o secretário municipal de Meio Ambiente, Renato Sucupira, mas não pode se aproximar da dolina, porque a gerência da fazenda não liberou o acesso. O secretário foi ao local para avaliar e oferecer o apoio da Pasta para tentar determinar as causas do surgimento da cratera.

Segundo apurou a reportagem, o buraco surgiu no dia 4 de novembro e foi descoberto pelos funcionários da propriedade, que realizavam o plantio de soja na área.

O buraco teria um diâmetro de “mais de 20 metros”, o suficiente para engolir uma plantadeira, por exemplo. A profundidade ainda não foi determinada.

Na semana após o surgimento, pesquisadores da UFU teriam visitado a propriedade para coletar dados e avaliar as razões do acidente geológico.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

10 frases de Carl Sagan sobre o conhecimento científico

Quando ouvimos o nome de Carl Sagan, imediatamente pensamos em ciência. Carl Edward Sagan foi um dos divulgadores científicos mais populares nos anos 70 e 80, tudo graças à sua série de televisão "Cosmos", uma das suas tentativas de tornar a ciência e o conhecimento científico acessíveis e interessantes para todos os públicos. 
Carl Sagan: um dos maiores divulgadores de ciência de todos os tempos.
Nascido em 9 de novembro de 1934 na cidade de Nova York, Carl Sagan não era apenas um divulgador científico reconhecido, também era pesquisador, astrônomo, cosmologista, astrofísico e escritor. Entre outras coisas, fez estudos sobre a atmosfera de Vênus e foi um dos primeiros cientistas a estudar o efeito estufa em uma escala planetária. Nós compartilhamos algumas das suas frases mais cativantes sobre ciência e o conhecimento científico.

  1. A ciência é muito mais do que um corpo de conhecimentos. É uma maneira de pensar.
  2. Na ciência, a única verdade sagrada é que não há verdades sagradas.
  3. A ciência não é perfeita, muitas vezes é mal utilizada, é apenas uma ferramenta, mas é a melhor ferramenta que temos: ela se corrige, está sempre evoluindo e pode ser aplicada a tudo. Com essa ferramenta podemos conquistar o impossível.
  4. Alegações extraordinárias, exigem evidências extraordinárias.
  5. Dentro de um milênio, nossa época será lembrada como o momento em que nós nos afastamos da Terra pela primeira vez e contemplamos o nosso planeta como um ponto azul pálido quase perdido em um imenso mar de estrelas.
  6. Às vezes eu acho que há vida em outros planetas, e às vezes acho que não. Em ambos os casos, a conclusão é surpreendente.
  7. A Terra é um lugar muito bonito para nossos olhos. Mas essa beleza foi esculpida pela mudança: a mudança suave, quase imperceptível, e a mudança súbita e violenta. No cosmos, tudo pode mudar.
  8. O cosmos é tudo o que é, tudo o que foi e tudo o que será. 
  9. A curiosidade e o desejo de resolver dilemas são a marca de nossa espécie.
  10. Nós crescemos em uma sociedade baseada em ciência e tecnologia e em que ninguém sabe nada sobre essas questões.
Fonte: National Geographic (em espanhol).

National Geographic: um olho no futuro e outro no presente

Desde a fundação da Sociedade em 1888, muita coisa  mudou. Mas a National Geographic está mais comprometida do que nunca com o cuidado do planeta.
"Os heróis do século 21,  são pessoas comuns, que vivem entre nós.
Frase de Gary E. Knell, presidente e CEO da National Geographic Society.

Alexander Graham Bell, o segundo presidente da National Geographic Society, definiu a Geografia como "o mundo e tudo o que existe nele". Na verdade, a missão original da National Geographic era aumentar e difundir o conhecimento geográfico.

Para muitos, a palavra "geografia" suscita memórias de dua idade escolar de estudar os nomes de rios, oceanos ou capitais. Então é justo perguntar: a geografia é importante nos dias atuais?

National Geographic Society reafirmou o seu foco como organização sem fins lucrativos, e teve a oportunidade de repensar a sua relevância no século XXI. O mundo agora enfrenta desafios muito diferentes daqueles enfrentados no ano de sua fundação em 1888.

Hoje, habitamos um planeta com uma população em crescimento que deve alcançar 10 bilhões de pessoas em meados do século XXI. Isso é quase três vezes maior que 50 anos atrás - e faz repensar a forma como educamos, alimentamos e fornecemos energia para as pessoas sem sem destruir de vez o planeta.

A National Geographic usa seus recursos para educar as crianças e fala sobre os heróis do século 21, pessoas comuns, que vivem entre nós: cientistas, fotógrafos, jornalistas ambientais e científicos, geógrafos e professores. Então, a National Geographic traz as histórias desses heróis para mais de 730 milhões de pessoas em todo o mundo, através de sua revista e de aplicativos e canais de TV.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Projeto chocante mostra os estragos que a seca poderia causar no mundo


Com todas essas campanhas sobre aquecimento global e sobre a falta de água em alguns países, você já parou pra pensar como seria a vida dos humanos se realmente faltasse toda água no mundo?

É muito assustador pensar nisso, mas temos que nos alertar.

Querendo causar uma certa comoção nas pessoas, o designer americano Joel Krebs, resolveu mostrar como seria alguns pontos turísticos das grandes cidades pelo mundo se passassem por uma verdadeira seca.

O artista utilizou photoshop para fazer as manipulações das fotos, que nos deixaram uma reflexão se queremos ver isso acontecendo com o nosso planeta.

Confira!


Fonte: Criatives.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

ENEM 2017 - Questões de Climatologia e Geografia Física - com gabarito

Questão 54 - Enem 2017 - 
A leitura dos dados revela que as áreas com maior cobertura vegetal têm o potencial de intensificar o processo de 
a) erosão laminar.
b) intemperismo físico.
c) enchente nas cidades.
d) compactação do solo.
e) recarga dos aquíferos.

Questão 55 - Enem 2017 - O desgaste acelerado sempre existirá se o agricultor não tiver o devido cuidado de combater as causas, relacio - nadas a vários processos, tais como: empobrecimento químico e lixiviação provocados pelo esgotamento causado pelas colheitas e pela lavagem vertical de nutrientes da água que se infiltra no solo, bem como pela retirada de elementos nutritivos com as colheitas. Os nutrientes retirados, quando não repostos, são comumente substituídos por elementos tóxicos, como, por exemplo, o alumínio. LEPSCH, I. Formação e consumação dos solos. São Paulo: Oficina de Textos, 2002 (adaptado). A dinâmica ambiental exemplificada no texto gera a seguinte consequência para o solo agricultável: 
a) Elevação da acidez. 
b) Ampliação da salinidade. 
c) Formação de voçorocas. 
d) Remoção da camada superior. 
e) Intensificação do escoamento superficial.

Questão 59 - Enem 2017 - 

As temperaturas médias mensais e as taxas de pluviosidade expressas no climograma apresentam o clima típico da seguinte cidade:
a) Cidade do Cabo (África do Sul), marcado pela reduzida amplitude térmica anual.
b) Sydney (Austrália), caracterizado por precipitações abundantes no decorrer do ano.
c) Mumbai (Índia), definido pelas chuvas monçônicas torrenciais.
d) Barcelona (Espanha), afetado por massas de ar seco.
e) Moscou (Rússia), influenciado pela localização geográfica em alta latitude.

Questão 68 - Enem 2017 - Ao destruir uma paisagem de árvores de troncos retorcidos, folhas e arbustos ásperos sobre os solos ácidos, não raro laterizados ou tomados pelas formas bizarras dos cupinzeiros, essa modernização lineariza e aparentemente não permite que se questione a pretensão modernista de que a forma deve seguir a função. HAESBAERT, R. “Gaúchos” e baianos no “novo” Nordeste: entre a globalização econômica e a reinvenção das identidades territoriais. In: CASTRO, I. E.; GOMES, P. C. C.; CORREA, R. L. (Org.). Brasil: questões atuais da reorganização do território. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. O processo descrito ocorre em uma área biogeográfica com predomínio de vegetação 
a) tropófila e clima tropical. 
b) xerófila e clima semiárido. 
c) hidrófila e clima equatorial. 
d) aciculifoliada e clima subtropical. 
e) semidecídua e clima tropical úmido.

Questão 71 - Enem 2017 - 
Comparando os dados das hidrelétricas, uma características territorial positiva de Belo Monte é o(a) a) reduzido espaço relativo inundado.
b) acentuado desnível do relevo local.
c) elevado índice de urbanização nacional.
d) presença dos grandes parques industriais.
e) proximidade de fronteiras internacionais estratégicas.

Questão 72 - Enem 2017 - 
Trata-se da perda progressiva da produtividade de biomas inteiros, afetando parcelas muito expressivas dos domínios subúmidos e semiáridos em todas as regiões quentes do mundo. É nessas áreas, ecologicamente transicionais que a pressão sobre a biomassa se faz sentir com muita força, devido à retirada da cobertura florestal, ao superpastoreio e às atividades mineradoras não controladas, desencadeando um quadro agudo de degradação ambiental, refletido pela incapacidade de suporte para o desenvolvimento de espécies vegetais, seja uma floresta natural ou plantações agrícolas. CONTI, J. B. A geografia física e as relações sociedade-natureza no mundo tropical. In: CARLOS; A. F. A. (Org.) Novos caminhos da geografia. São Paulo: Contexto 1999 (adaptado). O
 texto enfatiza uma consequência da relação conflituosa entre a sociedade humana e o ambiente que diz respeito ao processo de 
a) inversão térmica. 
b) poluição atmosférica. 
c) eutrofização da água. 
d) contaminação dos solos. 
e) desertificação de ecossistemas.

Questão 75 - Enem 2017 - Palestinos se agruparam em frente a aparelhos de televisão e telas montadas ao ar livre em Ramalah, na Cisjordânia, para acompanhar o voto da resolução que pedia o reconhecimento da chamada Palestina como um Estado observador não membro da Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo era esperar pelo nascimento, ao menos-formal. de um Estado palestino. Depois da aprovação da resolução, centenas de pessoas foram à praça da cidade com bandeiras palestinas, soltaram fogos de artifício, fizeram buzinaços e dançaram pelas ruas. Aprovada com 138 votos dos 193 da Assembleia-Geral, a resolução eleva o status do Estado palestino perante a organização. Palestinos comemoram elevação de status na ONU com bandeiras e fogos. Disponível em: http://folha.com. Acesso em: 4 dez. 2012 (adaptado). A mencionada resolução da ONU referendou o(a)
a) delimitação institucional das fronteiras territoriais.
b) aumento da qualidade de vida da população local.
c) implementação do tratado de paz com os israelenses.
d) apoio da comunidade internacional à demanda nacional.
e) equiparação da condição política com a dos demais países. 

Questão 77 - Enem 2017 - 

Nas imagens constam informações sobre a formação de brisas em áreas litorâneas. Esse processo é resultado de
a) uniformidade do gradiente de pressão atmosférica.
b) aquecimento diferencial da superfície.
c) quedas acentuadas de médias térmicas.
d) mudanças na umidade relativa do ar.
e) variações altimétricas acentuadas.

Questão 87 - Enem 2017 - 


No dia em que foram colhidos os dados meteorológicos apresentados, qual fator climático foi determinante para explicar os índices de umidade relativa do ar nas regiões Nordeste e Sul? 
a) Altitude, que forma barreiras naturais. 
b) Vegetação, que afeta a incidência solar. 
c) Massas de ar, que provocam precipitações. 
d) Correntes marítimas, que atuam na troca de calor. 
e) Continentalidade, que influencia na amplitude da temperatura.

GABARITO:
54 - E
55 - A
59 - E
68 - A
71 - A
72 - E
75 - D
77 - B
87 - C

terça-feira, 7 de novembro de 2017

DGP Mundo: Canal no YouTube traz conteúdo sobre Geopolítica e Guerras

DGP Mundo é um canal do Youtube que posta diversos vídeos que envolvem diversos assuntos relacionados à Geopolítica e Guerras. De forma agradável e simples, os temas são tratados em animações que envolvem muitos mapas que servem como tabuleiros ondem se desenrolam os fatos narrados.

DGP Mundo: eis o link do canal:

Entre os vídeos do canal, o Blog de Geografia selecionou 2 para esse post. Vale a pena conhecer o canal e assistir os vídeos.


Vídeo: A Guerra da Coreia

Vídeo: A Primeira Guerra Mundial em 5 Minutos

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Enem 2017 - Questões relacionadas à Geografia - com gabarito

Geografia: Questões do Enem 2017 - com gabarito. Atenção! Você está visualizando as questões na ordem em que aparecem na prova AZUL.
Questão 47 - Enem 2017 - Após a Declaração Universal dos Direitos Humanos pela ONU, em 1948, a Unesco publicou estudos de cientistas de todo o mundo que desqualificaram as doutrinas racistas e demonstraram a unidade do gênero humano. Desde então, a maioria dos próprios cientistas europeus passou a reconhecer o caráter discriminatório da pretensa superioridade racial do homem branco e a condenar as aberrações cometidas em seu nome. SILVEIRA, R. Os selvagens e a massa: papel do racismo científico na montagem da hegemonia ocidental. Afro-Ásia, n, 23, 1999(adaptado). A posição assumida pela Unesco, a partir de 1948 foi motivada por acontecimentos então recentes, dentre os quais se destacava o(a) 
a) ataque feito pelos japoneses à base militar americana de Pearl Harbor. 
b) desencadeamento da Guerra Fria e de novas rivalidades entre nações. 
c) morte de milhões de soldados nos combates da Segunda Guerra Mundial. 
d) execução de judeus e eslavos presos em guetos e campos de concentração nazistas. 
e) lançamento de bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki pelas forças norte-americanas.


Questão 50 - Enem 2017 - Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam. competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens. BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: www. planalto. gov. br. Acesso em: 27 abr. 2017 A persistência das reivindicações relativas à aplicação desse preceito normativo tem em vista a vinculação histórica fundamental entre 
a) etnia e miscigenação racial. 
b) sociedade e igualdade jurídica. 
c) espaço e sobrevivência cultural. 
d) progresso e educação ambiental. 
e) bem-estar e modernização econômica.

Questão 52 - Enem 2017 - A configuração do espaço urbano da região do Entorno do Distrito Federal assemelha-se às demais aglomerações urbanas e regiões metropolitanas do pais, onde é facilmente identificável a constituição de um centro dinâmico e desenvolvido, onde se concentram as oportunidades de trabalho e os principais serviços, e a constituição de uma região periférica concentradora de população de baixa renda, com acesso restrito às principais atividades com capacidade de acumulação e produtividade, e aos serviços sociais e infraestrutura básica. CAIADO, M. C. A migração intrametropolitana e o processo de estruturação do espaço da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno. In: HOGAN, D. J. et al. (Org.). Migração e ambiente nas aglomerações urbanas. Campinas: Nepo/Unicamp, 2002. A organização interna do aglomerado urbano descrito é resultado da ocorrência do processo de 
a) expansão vertical. 
b) polarização nacional. 
c) emancipação municipal. 
d) segregação socioespacial. 
e) desregulamentação comercial.

Questão 53 - Enem 2017 - México, Colômbia, Peru e Chile decidiram seguir um caminho mais curto para a integração regional. Os quatro países, em meados de 2012, criaram a Aliança do Pacífico e eliminaram, em 2013, as tarifas aduaneiras de 90% do total de produtos comercializados entre suas fronteiras. OLIVEIRA, E. Aliança do Pacífico se fortalece e Mercosul fica à sua sombra. O Globo, 24 fev. 2013 (adaptado). 
O acordo descrito no texto teve como objetivo econômico para os países-membros 
a) promover a livre circulação de trabalhadores. 
b) fomentar a competitividade no mercado externo. 
c) restringir investimentos de empresas multinacionais. 
d) adotar medidas cambiais para subsidiar o setor agrícola. 
e) reduzir a fiscalização alfandegária para incentivar o consumo.


Questão 54 - Enem 2017
A leitura dos dados revela que as áreas com maior cobertura vegetal têm o potencial de intensificar o processo de 
a) erosão laminar.
b) intemperismo físico.
c) enchente nas cidades.
d) compactação do solo.
e) recarga dos aquíferos.

Questão 55 - Enem 2017 - O desgaste acelerado sempre existirá se o agricultor não tiver o devido cuidado de combater as causas, relacio - nadas a vários processos, tais como: empobrecimento químico e lixiviação provocados pelo esgotamento causado pelas colheitas e pela lavagem vertical de nutrientes da água que se infiltra no solo, bem como pela retirada de elementos nutritivos com as colheitas. Os nutrientes retirados, quando não repostos, são comumente substituídos por elementos tóxicos, como, por exemplo, o alumínio. LEPSCH, I. Formação e consumação dos solos. São Paulo: Oficina de Textos, 2002 (adaptado). A dinâmica ambiental exemplificada no texto gera a seguinte consequência para o solo agricultável: 
a) Elevação da acidez. 
b) Ampliação da salinidade. 
c) Formação de voçorocas. 
d) Remoção da camada superior. 
e) Intensificação do escoamento superficial.

Questão 56 - Enem 2017 - Os maiores consumidores da infraestrutura logística para exportação no Brasil são os produtos a granel, dentre os quais se destacam o minério de ferro, petróleo e seus derivados e a soja, que, por possuírem baixo valor agregado, e por serem movimentados em grandes volumes, necessitam de uma infraestrutura de grande porte e baixos custos. No caso da soja, a infraestrutura deixa muito a desejar, resultando em enormes filas de navios, caminhões e trens, que, por ficarem grande parte do tempo ociosos nas filas, têm seu custo majorado, onerando fortemente o exportador, afetando sua margem de lucro e ameaçando nossa competitividade interna - cional. FLEURY P. F. A infraestrutura e os desafios logísticos das exportações brasileiras. Rio de Janeiro: CEL; Coppead; UFRJ. 2005 (adaptado). No contexto do início do século XXI, uma ação para solucionar os problemas logísticos da soja apresentados no texto seria a 
a) isenção de impostos de transportes. 
b) construção de terminais atracadouros. 
c) diversificação dos parceiros comerciais. 
d) contratação de trabalhadores portuários. 
e) intensificação do policiamento das rodovias.

Questão 57 - Enem 2017 - A diversidade de atividades relacionadas ao setor terciário reforça a tendência mais geral de desindustrialização de muitos dos países desenvolvidos sem que estes, contudo, percam o comando da economia. Essa mudança implica nova divisão internacional do trabalho, que não é mais apoiada na clara segmentação setorial das atividades econômicas. 
RIO, G. A. P. A espacialidade da economia. In: CASTRO, I. E.: GOMES. P. C. C.; CORRÊA, R. L. (Org. ). Olhares geográficos: modos de ver e viver o espaço. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012 (adaptado). 
Nesse contexto, o fenômeno descrito tem como um de seus resultados a 
a) saturação do setor secundário. 
b) ampliação dos direitos laborais. 
c) bipolarização do poder geopolítico. 
d) consolidação do domínio tecnológico. 
e) primarização das exportações globais.

Questão 59 - Enem 2017 - 

As temperaturas médias mensais e as taxas de pluviosidade expressas no climograma apresentam o clima típico da seguinte cidade:
a) Cidade do Cabo (África do Sul), marcado pela reduzida amplitude térmica anual.
b) Sydney (Austrália), caracterizado por precipitações abundantes no decorrer do ano.
c) Mumbai (Índia), definido pelas chuvas monçônicas torrenciais.
d) Barcelona (Espanha), afetado por massas de ar seco.
e) Moscou (Rússia), influenciado pela localização geográfica em alta latitude.

Questão 61 - Enem 2017 -A primeira Guerra do Golfo, genuinamente apoiada pelas Nações Unidas e pela comunidade internacional, assim como a reação imediata ao Onze de Setembro, demonstravam a força da posição dos Estados Unidos na era pós-soviética. HOBSBAWM, E. Globalização, democracia e terrorismo. São Paulo: Cia. das Letras, 2007. Um aspecto que explica a força dos Estados Unidos. apontada pelo texto, reside no(a)
a) poder de suas bases militares espalhadas ao redor do mundo.
b) alinhamento geopolítico da Rússia em relação aos EUA.
c) política de expansionismo territorial exercida sobre Cuba.
d) aliança estratégica com países produtores de petróleo como Kuwait e Irã.
e) incorporação da China à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). 

Questão 68 - Enem 2017 - Ao destruir uma paisagem de árvores de troncos retorcidos, folhas e arbustos ásperos sobre os solos ácidos, não raro laterizados ou tomados pelas formas bizarras dos cupinzeiros, essa modernização lineariza e aparentemente não permite que se questione a pretensão modernista de que a forma deve seguir a função. HAESBAERT, R. “Gaúchos” e baianos no “novo” Nordeste: entre a globalização econômica e a reinvenção das identidades territoriais. In: CASTRO, I. E.; GOMES, P. C. C.; CORREA, R. L. (Org.). Brasil: questões atuais da reorganização do território. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. O processo descrito ocorre em uma área biogeográfica com predomínio de vegetação 
a) tropófila e clima tropical. 
b) xerófila e clima semiárido. 
c) hidrófila e clima equatorial. 
d) aciculifoliada e clima subtropical. 
e) semidecídua e clima tropical úmido.

Questão 69 - Enem 2017 - A instalação de uma refinaria obedece a diversos fatores técnicos. Um dos mais importantes é a localização, que deve ser próxima tanto dos centros de consumo como das áreas de produção. A Petrobras possui refinarias estrategicamente distribuídas pelo país. Elas são responsáveis pelo processamento de milhões de barris de petróleo por dia, suprindo o mercado com derivados que podem ser obtidos a partir de petróleo nacional ou importado. MURTA, A. L. S. Energia: o vício da civilização; crise energética e alternativas sustentáveis. Rio de Janeiro: Garamond, 2011. A territorialização de uma unidade produtiva depende de diversos fatores locacionais. A partir da leitura do texto, o fator determinante para a instalação das refinarias de petróleo é a proximidade a 
a) sedes de empresas petroquímicas. 
b) zonas de importação de derivados. 
c) polos de desenvolvimento tecnológico. 
d) áreas de aglomerações de mão de obra. 
e) espaços com infraestrutura de circulação.

Questão 71 - Enem 2017 - 
Comparando os dados das hidrelétricas, uma características territorial positiva de Belo Monte é o(a) a) reduzido espaço relativo inundado.
b) acentuado desnível do relevo local.
c) elevado índice de urbanização nacional.
d) presença dos grandes parques industriais.
e) proximidade de fronteiras internacionais estratégicas.

Questão 72 - Enem 2017 - 
Trata-se da perda progressiva da produtividade de biomas inteiros, afetando parcelas muito expressivas dos domínios subúmidos e semiáridos em todas as regiões quentes do mundo. É nessas áreas, ecologicamente transicionais que a pressão sobre a biomassa se faz sentir com muita força, devido à retirada da cobertura florestal, ao superpastoreio e às atividades mineradoras não controladas, desencadeando um quadro agudo de degradação ambiental, refletido pela incapacidade de suporte para o desenvolvimento de espécies vegetais, seja uma floresta natural ou plantações agrícolas. CONTI, J. B. A geografia física e as relações sociedade-natureza no mundo tropical. In: CARLOS; A. F. A. (Org.) Novos caminhos da geografia. São Paulo: Contexto 1999 (adaptado). O
 texto enfatiza uma consequência da relação conflituosa entre a sociedade humana e o ambiente que diz respeito ao processo de 
a) inversão térmica. 
b) poluição atmosférica. 
c) eutrofização da água. 
d) contaminação dos solos. 
e) desertificação de ecossistemas.

Questão 73 - Enem 2017 - 
O fenômeno da mobilidade populacional vem, E desde as últimas décadas do século XX, apresentando transformações significativas no seu comportamento, não só no Brasil como também em outras partes do mundo. Esses novos processos se materializam, entre outros aspectos, na dimensão interna, pelo redirecionamento dos fluxos migratórios para as cidades médias, em detrimento dos grandes centros urbanos; pelos deslocamentos de curta duração e a distâncias menores; pelos movimentos pendulares, que passam a assumir maior relevância nas estratégias de sobrevivência, não mais restritos aos grandes aglomerados urbanos. OLIVEIRA, L. A. P.; OLIVEIRA, A. T. R. Reflexões sobre os deslocamentos populacionais no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2011 (adaptada). A redefinição dos fluxos migratórios internos no Brasil, no período apontado no texto, tem como causa a intensificação do processo de 
a) descapitalização do setor primário. 
b) ampliação da economia informal. 
c) tributação da área residencial citadina. 
d) desconcentração da atividade industrial. 
e) saturação da empregabilidade no setor terciário.

Questão 75 - Enem 2017 - Palestinos se agruparam em frente a aparelhos de televisão e telas montadas ao ar livre em Ramalah, na Cisjordânia, para acompanhar o voto da resolução que pedia o reconhecimento da chamada Palestina como um Estado observador não membro da Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo era esperar pelo nascimento, ao menos-formal. de um Estado palestino. Depois da aprovação da resolução, centenas de pessoas foram à praça da cidade com bandeiras palestinas, soltaram fogos de artifício, fizeram buzinaços e dançaram pelas ruas. Aprovada com 138 votos dos 193 da Assembleia-Geral, a resolução eleva o status do Estado palestino perante a organização. Palestinos comemoram elevação de status na ONU com bandeiras e fogos. Disponível em: http://folha.com. Acesso em: 4 dez. 2012 (adaptado). A mencionada resolução da ONU referendou o(a)
a) delimitação institucional das fronteiras territoriais.
b) aumento da qualidade de vida da população local.
c) implementação do tratado de paz com os israelenses.
d) apoio da comunidade internacional à demanda nacional.
e) equiparação da condição política com a dos demais países. 

Questão 77 - Enem 2017 - 

Nas imagens constam informações sobre a formação de brisas em áreas litorâneas. Esse processo é resultado de
a) uniformidade do gradiente de pressão atmosférica.
b) aquecimento diferencial da superfície.
c) quedas acentuadas de médias térmicas.
d) mudanças na umidade relativa do ar.
e) variações altimétricas acentuadas.

Questão 80 - Enem 2017 - Com a Lei de Terras de 1850, o acesso à terra só passou a ser possível por meio da compra com pagamento em dinheiro. Isso limitava, ou mesmo praticamente impedia, o acesso à terra para os trabalhadores escravos que conquistavam a liberdade. 
OLIVEIRA, A. U. Agricultura brasileira: transformações recentes. In: ROSS, J. L. S. Geografia do Brasil. São Paulo: Edusp, 2009. 
O fato legal evidenciado no texto acentuou o processo de
a) reforma agrária. 
b) expansão mercantil. 
c) concentração fundiária. 
d) desruralização da elite. 
e) mecanização da produção.

Questão 83 - Enem 2017 -No período anterior ao golpe militar de 1964, os documentos episcopais indicavam para os bispos que o desenvolvimento econômico, e claramente o desenvolvimento capitalista, orientando-se no sentido da justa distribuição da riqueza, resolveria o problema da miséria rural e, Consequentemente, suprimiria a possibilidade do proselitismo e da expansão comunista entre os camponeses. Foi nesse sentido que o golpe de Estado, de 31 de março de 1964, foi acolhido pela igreja. MARTINS, J. S. A política do Brasil: lúmpen e místico. São Paulo: Contexto. 2011 (adaptado). Em que pesem as divergências no interior do clero após a instalação da ditadura civil-militar, o posicionamento mencionado no texto fundamentou-se no entendimento da hierarquia católica de que o(a)
a) luta de classes é estimulada pelo livre mercado.
b) poder oligárquico é limitado pela ação do Exército.
c) doutrina cristã é beneficiada pelo atraso do interior.
d) espaço político é dominado pelo interesse empresarial.
e) manipulação ideológica é favorecida pela privação material. 

Questão 86 - Enem 2017 - O terremoto de 8,8 na escala Richter que atingiu a costa oeste do Chile, em fevereiro, provocou mudanças significativas no mapa da região. Segundo uma análise preliminar, toda a cidade de Concepción se deslocou pelo menos três metros para a oeste, enquanto Santiago, mais próxima do local do evento, deslocou-se quase 30 centímetros para a oeste-sudoeste. As cidades de Valparaíso, no Chile, e Mendoza, na Argentina, também tiveram suas posições alteradas significativamente (13,4 centímetros e 8,8 centímetros, respectivamente). Revista InfoGNSS, Curitiba, n. 31. 2010. No texto, destaca-se um tipo de evento geológico frequente em determinadas partes da superfície terrestre. Esses eventos estão concentrados em 
a) áreas vulcânicas, onde o material magmático se eleva, formando cordilheiras. 
b) faixas costeiras, onde o assoalho oceânico recebe sedimentos, provocando tsunamis. 
c) estreitas faixas de intensidade sísmica, no contato das placas tectônicas, próximas a dobramentos modernos. 
d) escudos cristalinos, onde as rochas são submetidas aos processos de intemperismo, com alterações bruscas de temperatura. 
e) áreas de bacias sedimentares antigas, localizadas no centro das placas tectônicas, em regiões conhecidas como pontos quentes.

Questão 87 - Enem 2017 - 


No dia em que foram colhidos os dados meteorológicos apresentados, qual fator climático foi determinante para explicar os índices de umidade relativa do ar nas regiões Nordeste e Sul? 
a) Altitude, que forma barreiras naturais. 
b) Vegetação, que afeta a incidência solar. 
c) Massas de ar, que provocam precipitações. 
d) Correntes marítimas, que atuam na troca de calor. 
e) Continentalidade, que influencia na amplitude da temperatura.

Questão 89 - Enem 2017 - O comércio soube extrair um bom proveito da intera - tividade própria do meio tecnológico. A possibilidade de se obter um alto, desenho do perfil de interesses do usuário, que deverá levar às últimas consequências o princípio da oferta como isca para o desejo consumista, foi o principal deles. SANTAELLA, L. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das minhas à cibercultura. São Paulo; Paulus, 2003 (adaptado). Do ponto de vista comercial, o avanço das novas tecnologias, indicado no texto, está associado à 
a) atuação dos consumidores como fiscalizadores da produção. 
b) exigência de consumidores conscientes de seus direitos. 
c) relação direta entre fabricantes e consumidores. 
d) individualização das mensagens publicitárias. 
e) manutenção das preferências de consumo.

GABARITO:
47 - D
50 - C
52 - D
53 - B
54 - E
55 - A
56 - B
57 - D
59 - E
61 - A
68 - A
69 - E
71 - A
72 - E
73 - D
75 - D
77 - B
80 - C
83 - E
86 - C
87 - C
89 - D