PETS

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

BRICS também isolam Bolsonaro e defendem pleno acordo ambiental

Assim como a França, que disse que não há hipótese de acordo comercial com o Brasil enquanto Jair Bolsonaro não se comprometer a respeitar as normas ambientais do Acordo de Paris, os países dos BRICS (Rússia, Índia, China e África do Sul) também defenderam a "plena implementação" das normas ambientais do acordo; ou seja, na prática, Bolsonaro vem sendo isolado na cena internacional; mais cedo, Bolsonaro disse que não assinaria acordos que prejudicassem o agronegócio
Da Sputnik Brasil / Brasil 247  - O BRICS emitiu comunicado nesta sexta-feira (30) com críticas ao protecionismo e fez defesa da Organização Mundial do Comércio (OMC) como fórum do comércio mundial e da importância do Acordo de Paris.

A nota é assinada pelos líderes de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

"Reafirmamos nosso total apoio ao sistema multilateral de comércio baseado em regras, representado pela OMC (...). O espírito e as regras da OMC são contrários a medidas unilaterais e protecionistas. Instamos todos os membros a se oporem a essas medidas inconsistentes com a OMC, a reafirmarem os compromissos que assumiram na OMC e a recuarem de tais medidas de natureza discriminatória e restritiva", afirmou o bloco em sua nota.

Os líderes das cinco principais economias emergentes disseram estar prontos para conversas francas com outros membros da OMC que ajudariam a melhorar o trabalho da organização.

O texto também pontua que o BRICS está comprometido com a "plena implementação" do Acordo de Paris e diz sobre "a importância e a urgência" de garantir recursos ao Fundo Verde para o Clima. "Instamos os países desenvolvidos a proverem aos países em desenvolvimento apoio financeiro, tecnológico e de capacitação, para aumentar suas capacidades de mitigação e adaptação [à mudança climática]", diz a nota.

Os líderes do BRICS pediram à comunidade internacional para unir esforços sob a égide da ONU na luta contra o terrorismo e aderir a uma abordagem multifacetada deste problema.

Bolsonaro compara índios em reservas a animais em zoológicos

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), deu declarações nesta sexta-feira 30 que demonstrou, mais uma vez, seu total desconhecimento com a causa indígena. Ao responder a um questionamento de uma jornalista sobre possíveis ações de seu governo em relação a reservas indígenas e ambientais, chegou a comparar índios em reservas a animais em zoológicos.
"Sobre o acordo de Paris, nos últimos 20 anos, eu sempre notei uma pressão externa – e que foi acolhida no Brasil – no tocante, por exemplo, a cada vez mais demarcar terra para índio, demarcar terra para reservas ambientais, entre outros acordos que no meu entender foram nocivos para o Brasil. Ninguém quer maltratar o índio. Agora, veja, na Bolívia temos um índio que é presidente. Por que no Brasil temos que mantê-los reclusos em reservas, como se fossem animais em zoológicos?", questionou, segundo o G1.

Ele cumpriu agenda de compromissos na região do Vale do Paraíba, em São Paulo, onde participou da formatura de sargentos da Aeronáutica em Guaratinguetá e visitou a comunidade católica Canção Nova, em Cachoeira Paulista.

Fonte: Brasil 247.

Mudanças climáticas são maior ameaça à saúde deste século, diz estudo

Especialistas alertam para efeitos do aquecimento global sobre vidas humanas e sistemas de saúde mundo afora. Impactos incluem novos padrões de doenças e maior risco de desnutrição.
Incêndios florestais como os recentes na Califórnia causam mortos e poluem o ar em amplas áreas.
As mudanças climáticas são a maior ameaça à saúde do século 21, e milhões de pessoas já vêm sofrendo suas consequências mundo afora nas últimas duas décadas, alertaram cientistas e profissionais da área da saúde.

Num relatório publicado na revista científica The Lancet nesta quarta-feira (28/11), eles afirmam que os efeitos das mudanças climáticas – de ondas de calor e tempestades mais intensas a enchentes e incêndios – ameaçam sobrecarregar sistemas de saúde pelo mundo.

O estudo, intitulado The Lancet Countdown on Health and Climate Change (Contagem regressiva sobre saúde e mudanças climáticas), envolveu a ONU, agências intergovernamentais e 27 instituições acadêmicas, abrangendo disciplinas que vão de saúde a engenharia e ecologia.

"Um clima num processo acelerado de mudança tem implicações terríveis para todos os aspectos da vida humana, expondo populações vulneráveis a extremos climáticos, alterando padrões de doenças infecciosas e comprometendo a segurança alimentar, a água potável e o ar limpo", alerta o relatório.

Tempestades e enchentes, por exemplo, não causam apenas ferimentos diretos e mortes, mas também podem provocar o fechamento de hospitais e desencadear surtos de doenças e problemas mentais de longo prazo para aqueles que perdem suas casas.

Incêndios florestais, por sua vez, deixam pessoas feridas e desabrigadas, mas também pioram dramaticamente a qualidade do ar em amplas áreas. Os recentes incêndios na Califórnia, impulsionados pela estiagem, deixaram não apenas mais de 80 mortos, mas também poluíram o ar até o estado de Massachusetts, diz Gina McCarthy, da escola de saúde pública de Harvard.

Além disso, temperaturas mais elevadas ligadas às mudanças climáticas estão aumentado o potencial alcance de doenças transmitidas por mosquitos, como a dengue. O clima mais quente também pode aumentar a resistência de micróbios a antibióticos.

Temperaturas mais altas também parecem estar afetando as colheitas mundo afora, diz o relatório. E o aumento dos níveis de CO2 na atmosfera reduz os nutrientes presentes em cereais, aumentando o risco de desnutrição mesmo para os que têm o suficiente para comer, afirma Kristie Ebie, professora de saúde global na Universidade de Washington.

Os efeitos do aquecimento global são mais graves para os mais velhos e os que vivem em cidades, as quais retêm calor e podem ser mais quentes que áreas ao redor, aponta o relatório.

A Europa e a região do Mediterrâneo Oriental, por exemplo, são mais vulneráveis do que a África e o Sudeste Asiático, pois concentram mais pessoas idosas em cidades densamente povoadas, afirmaram os especialistas.

Em comparação com o ano de 2000, 157 milhões de pessoas adicionais em situação vulnerável foram expostas a ondas de calor em 2017. O clima mais quente também levou à perda de 153 bilhões de horas de trabalho no ano passado, um salto de 60% em relação a 2000.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, entre 2030 e 2050, as mudanças climáticas possam causar 250 mil mortes adicionais por ano em consequência de diarreia, malária, desnutrição e estresse por calor.

"Tendências de impactos das mudanças climáticas revelam um risco elevado e inaceitável à saúde, agora e no futuro", afirmou Hilary Graham, professora da Universidade de York, no Reino Unido, e coautora do estudo publicado na The Lancet.

"A falta de progresso na redução de emissões e no estabelecimento de capacidade de adaptação ameaça tanto vidas humanas quanto a viabilidade dos sistemas de saúde nacionais dos quais elas dependem", conclui o relatório, que insta todos os setores a fazerem mais para combater as mudanças climáticas.

Fonte: DW Brasil.

Fotógrafo adota família de ratinhos e constrói uma vila para eles em seu jardim

Por Eliane Arakaki, ANDA

Madeira, frutas, vegetais, plantas e folhas foram alguns dos materiais utilizados para construir o lar dos novos moradores, que conta com segurança e abrigo contra chuva.

O senso comum delega injustamente aos ratos o ingrato papel de intrusos e portadores de doenças. Enquanto a maioria das pessoas os evita com armadilhas cruéis e gatos soltos pelas casa, Simon Dell teve uma reação diferente ao deparar-se com uma família de ratinhos no jardim de sua casa em Sheffield no Reino Unido. Ele os adotou.
Família de ratinhos desfruta de proteção e brigo em seu novo lar | Foto: Simon Dell.
Simon é fotógrafo e especialista em vida selvagem, e ao flagrar os animais em seu jardim em vez de buscar soluções para se livrar deles, ele seguiu pelo caminho oposto. “Estou acostumando a tirar fotos de pássaros e outras espécies circulando no meu jardim em função do meu trabalho, um dia olhei pra baixo e me deparei com um ratinho de pé no meio da grama olhando pra mim”, conta o fotografo.

Decidido, Simon iniciou a construção de uma pequena “vila” para que os ratinhos habitassem, com pequenas escadas, casas em miniatura, guleimas como nozes e gomos de frutas espalhadas por todo lado e até um pequeno lago.

Frutas e vegetais foram utilizados para construir as casinhas, pedaços de madeira, grama e folhas para enfeitar e completar o playground ao redor dela. Ele também deu nome aos ratinhos, Mildred e George e seu bebê Mini.

Você pode assistir abaixo ao vídeo dos ratinhos interagindo em sua vila:

Após finalizada a obra, os ratinhos se aproximaram, curiosos e atraídos pela novidade e o resultado foi um ensaio terno e colorido dessa descoberta feliz. Atualmente a família de ratinhos vive em sua pequena vila particular.

Simon se apegou de verdade à família de ratinhos e regularmente ele realiza melhorias na pequena vila. Ele até criou um meio de “transporte” para eles, mas ele não é muito usado.

Preocupado com a segurança dos ratinhos e sabendo que há gatos pela vizinhança, Simon construiu uma cerca de toras de madeira para mantê-los protegidos e uma casinha reforçada, toda em madeira para abrigá-los em caso de necessidade.

Este ano, os ratinhos vão celebrar o Natal em sua nova casa, Simon já preparou e colocou os enfeites especialmente para a festa em família. No vídeo ao final da matéria há cenas da família interagindo em seu novo lar.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Brasil, um país do passado

No Brasil, está na moda um anti-intelectualismo que lembra a Inquisição. Seus representantes preferem Silas Malafaia a Immanuel Kant. Os ataques miram o próprio esclarecimento, escreve o colunista Philipp Lichterbeck.
Partidários de Bolsonaro comemoram vitória eleitoral no fim de outubro, Rio de Janeiro.
É sabido que viajar educa o indivíduo, fazendo com que alguém contemple algo de perspectivas diferentes. Quem deixa o Brasil nos dias de hoje deve se preocupar. O país está caminhando rumo ao passado.

No Brasil, pode ser que isso seja algo menos perceptível, porque as pessoas estão expostas ao moinho cotidiano de informações. Mas, de fora, estas formam um mosaico assustador. Atualmente, estou em viagem pelo Caribe – e o Brasil que se vê a partir daqui é de dar medo.

Na história, já houve momentos frequentes de regresso. Jared Diamond os descreve bem em seu livro Colapso: Como as sociedades escolhem o fracasso ou o sucesso. Motivos que contribuem para o fracasso são, entre outros, destruição do meio ambiente, negação de fatos, fanatismo religioso. Assim como nos tempos da Inquisição, quando o conhecimento em si já era suficiente para tornar alguém suspeito de blasfêmia.

No Brasil atual, não se grita "herege!", mas "comunismo!". É a acusação com a qual se demoniza a ciência e o progresso social. A emancipação de minorias e grupos menos favorecidos: comunismo! A liberdade artística: comunismo! Direitos humanos: comunismo! Justiça social: comunismo! Educação sexual: comunismo! O pensamento crítico em si: comunismo!

Tudo isso são conquistas que não são questionadas em sociedades progressistas. O Brasil de hoje não as quer mais. 

Porém, a própria acusação de comunismo é um anacronismo. Como se hoje houvesse um forte movimento comunista no Brasil. Mas não se trata disso. O novo brasileiro não deve mais questionar, ele precisa obedecer: "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos". 

Está na moda um anti-intelectualismo horrendo, "alimentado pela falsa noção de que a democracia significa que a minha ignorância é tão boa quanto o seu conhecimento", segundo dizia o escritor Isaac Asimov. Ouvi uma anedota de um pai brasileiro que tirou o filho da escola porque não queria que ele aprendesse sobre o cubismo. O pai alegou que o filho não precisa saber nada sobre Cuba, que isso era doutrinação marxista. Não sei se a historia é verdade. O pior é que bem que poderia ser.

A essência da ciência é o discernimento. Mas os novos inquisidores amam vídeos com títulos como "Feliciano destrói argumentos e bancada LGBT". Destruir, acabar, detonar, desmoralizar – são seus conceitos fundamentais. E, para que ninguém se engane, o ataque vale para o próprio esclarecimento.

Os inquisidores não querem mais Immanuel Kant, querem Silas Malafaia. Não querem mais Paulo Freire, querem Alexandre Frota. Não querem mais Jean-Jacques Rousseau, querem Olavo de Carvalho. Não querem Chico Mendes, querem a "musa do veneno" (imagino que seja para ingerir ainda mais agrotóxicos). 

Dá para imaginar para onde vai uma sociedade que tem esse tipo de fanático como exemplo: para o nada. Os sinais de alerta estão acesos em toda parte.

O desmatamento da Floresta Amazônica teve neste ano o seu maior aumento em uma década: 8 mil quilômetros quadrados foram destruídos entre 2017 e 2018. Mas consórcios de mineradoras e o agronegócio pressionam por uma maior abertura da floresta.

Jair Bolsonaro quer realizar seus desejos. O próximo presidente não acredita que a seca crescente no Sudeste do Brasil poderia ter algo a ver com a ausência de formação de nuvens sobre as áreas desmatadas. E ele não acredita nas mudanças climáticas. Para ele, ambientalistas são subversivos.

Existe um consenso entre os cientistas conhecedores do assunto no mundo inteiro: dizem que a Terra está se aquecendo drasticamente por causa das emissões de dióxido de carbono do ser humano e que isso terá consequências catastróficas. Mas Bolsonaro, igual a Trump, prefere não ouvi-los. Prefere ignorar o problema.

Para o próximo ministro brasileiro do Exterior, Ernesto Araújo, o aquecimento global é até um complô marxista internacional. Ele age como se tivesse alguma noção de pesquisas sobre o clima. É exatamente esse o problema: a ignorância no Brasil de hoje conta mais do que o conhecimento. O Brasil prefere acreditar num diplomata de terceira categoria do que no Instituto Potsdam de Pesquisa sobre o Impacto Climático, que estuda seriamente o tema há trinta anos.

Araújo, aliás, também diz que o sexo entre heterossexuais ou comer carne vermelha são comportamentos que estão sendo "criminalizados". Ele fala sério. Ao mesmo tempo, o Tinder bomba no Brasil. E, segundo o IBGE, há 220 milhões de cabeças de gado nos pastos do país. Mas não importa. O extremista Araújo não se interessa por fatos, mas pela disseminação de crenças. Para Jared Diamond, isso é um comportamento caraterístico de sociedades que fracassam. 

Obviamente, está claríssimo que a restrição do pensamento começa na escola. Por isso, os novos inquisidores se concentram especialmente nela. A "Escola Sem Partido" tenta fazer exatamente isso. Leandro Karnal, uma das cabeças mais inteligentes do Brasil, com razão descreve a ideia como "asneira sem tamanho".

A Escola Sem Partido foi idealizada por pessoas sem noção de pedagogia, formação e educação. Eles querem reprimir o conhecimento e a discussão. 

Karl Marx é ensinado em qualquer faculdade de economia séria do mundo, porque ele foi um dos primeiros a descrever o funcionamento do capitalismo. E o fez de uma forma genial. Mas os novos inquisidores do Brasil não querem Marx. Acham que o contato com a obra dele transformaria qualquer estudante em marxista convicto. Acreditam que o próprio saber é nocivo – igual aos inquisidores. E, como bons inquisidores, exortam à denúncia de mestres e professores. A obra 1984, de George Orwell, está se tornando realidade no Brasil em 2018.

É possível estender longamente a lista com exemplos do regresso do país: a influência cada vez maior das igrejas evangélicas, que fazem negócios com a credulidade e a esperança de pessoas pobres. A demonização das artes (exposições nunca abrem por medo dos extremistas, e artistas como Wagner Schwartz são ameaçados de morte por uma performance que foi um sucesso na Europa). Há uma negação paranoica de modelos alternativos de família. Existe a tentativa de reescrever a história e transformar torturadores em heróis. Há a tentativa de introduzir o criacionismo. Tomás de Torquemada em vez de Charles Darwin.

E, como se fosse uma sátira, no Brasil de 2018 há a homenagem a um pseudocientista na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, que defende a teoria de que a Terra seria plana, ou "convexa", e não redonda. A moção de congratulação concedida ao pesquisador foi proposta pelo presidente da AL e aprovada por unanimidade pelos parlamentares.

Brasil, um país do passado. 

Philipp Lichterbeck queria abrir um novo capítulo em sua vida quando se mudou de Berlim para o Rio, em 2012. Desde então, ele colabora com reportagens sobre o Brasil e demais países da América Latina para os jornais Tagesspiegel (Berlim), Wochenzeitung (Zurique) e Wiener Zeitung. Siga-o no Twitter em @Lichterbeck_Rio.

Fonte: DW Brasil.

Vereadora do Escola sem Partido é presa por corrupção

Vereadora que quis instituir leitura obrigatória da Bíblia nas escolas é presa por fraudes no INSS. Estimativa é de que as fraudes possam ter causado prejuízo de R$ 170 milhões. 
Elian Santana é militante do 'Escola sem Partido'.
A vereadora Elian Santana (Solidariedade) foi presta na última segunda-feira (26) em São Paulo. A parlamentar é apontada como chefe de um grupo que chegava a cobrar R$ 10 mil para fraudar a contagem de tempo dos beneficiários.

A estimativa é de que as fraudes possam ter causado prejuízo de R$ 170 milhões. Elian é vereadora de Santo André (SP).

A chefe de gabinete da vereadora também foi presa nesta segunda. Os outros detidos são um homem que atuava como procurador dos segurados e um servidor da agência do INSS em Diadema que inseria os dados falsos nos sistemas informatizados da Previdência.

Segundo os investigadores, além das quantias cobradas pela prestação da falsa assessoria, o esquema gerava ganhos político-eleitorais à parlamentar, que figurava como responsável pela obtenção das aposentadorias aos clientes.

Os investigados responderão, de acordo com as condutas praticadas, pelos crimes de organização criminosa, inserção de dados falsos nos sistemas informatizados, corrupção passiva e estelionato qualificado.

Em nota, o Solidariedade disse que suspendeu a filiação de Elian e enviou a denúncia à comissão de ética do partido.

Bíblia

Em sua atuação parlamentar, Elian costumava fazer discursos religiosos e chegou a propor um projeto que obrigava a leitura da bíblia em escolas públicas e privadas. Outro projeto de Elian propunha o “Dia do Cantor Gospel”.

A vereadora também é uma árdua defensora do ‘Escola sem Partido’ — projeto patrocinado por partidos políticos que sugere uma espécie de ‘lei da mordaça’ em sala de aula.

Fonte: Pragmatismo Político.

Bolsonaro bate continência para assessor de Trump e humilha brasileiros

Na manhã desta quinta, o presidente eleito Jair Bolsonaro provou que governa para servir a interesses dos Estados Unidos e não do povo brasileiro; bateu continência para o assessor de segurança de Donald Trump, John Bolton, ao recebê-lo em sua casa no Rio; conhecido como 'senhor da guerra', Bolton quer que o Brasil, a nova colônia dos EUA na América Latina, pressione a Venezuela e sufoque Cuba; Bolsonaro já acabou com os Mais Médicos, deixando milhões de brasileiros sem assistência, e pode entrar num conflito com venezuelanos; militares nacionalistas, como o general Mourão, estão preocupados com a humilhante submissão do Brasil; segundo decreto que regulamente o tema, "a continência parte sempre do militar de menor precedência hierárquica"; assista o vídeo do momento humilhante para o país.

Com informações do 247.

Marcelo D2 ironiza continência de Bolsonaro a assessor de Trump

“Só perguntando: um presidente de uma nação prestar continência a um assessor de outra não é meio estranho? Não era pra ser Brasil acima de todos?”, questionou o cantor

Acostumado a ser contundente em seus comentários e intervenções políticas nas redes sociais e em seus shows, o cantor Marcelo D2, dessa vez, usou de ironia no Twitter para criticar o fato de Jair Bolsonaro ter prestado continência para receber, em sua casa, o assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, para uma reunião nesta quinta-feira (29).

“Só perguntando: um presidente de uma nação prestar continência a um assessor de outra não é meio estranho? Não era pra ser Brasil acima de todos?”, questionou D2, em tom irônico.

Em nova postagem, Marcelo D2 continuou as críticas ao militar eleito, constatando a subserviência do eleito ao governo dos EUA. O cantor comparou Bolsonaro à modelo Luma de Oliveira, que usou uma “coleira” escrita “Eike”, no Carnaval de 1998, em homenagem ao seu então marido, o empresário Eike Batista.

“Só outra pergunta (essa maldosa): será que vai ter político usando coleira escrito Trump nesse carnaval?”, disparou D2.

Fonte: Revista Fórum.

Leonardo Boff ‏: Bolsonaro é o "senhor da violência"

O teólogo e escritor Leonardo Boff no Twitter: "Bolton é chamado de "senhor da guerra". Bolsonaro é o "senhor da violência". O primeiro se empenhou para que os USA fizessem a guerra contra o Iraque, o segundo quer permitir armas para todo mundo.Ele já foi vítima de uma arma branca."Quem com ferro fere, com ferro será ferido".

Link para o tweet: https://twitter.com/LeonardoBoff/status/1068173278769016832

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Mais Médicos: menos de 10% dos inscritos apareceram para trabalhar

Dados divulgados pelo ministério da Saúde nesta quarta-feira (28) informam que somente 8,9% dos aprovados no novo edital do Mais Médicos, aberto após Cuba deixar o programa, se apresentaram para trabalhar nos postos de saúde; tanto o atual governo quanto o presidente eleito, Jair Bolsonaro, haviam comemorado o fato de 97,8% das vagas abertas terem sido preenchidas (8.319 de 8.500), porém, somente 738 profissionais apareceram para trabalhar; o prazo para se apresentarem é 14 de dezembro.
O prazo para se apresentarem é 14 de dezembro, de acordo com o edital.
Fonte: Brasil 247.

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Olavo de Carvalho citando o Dr. Carlos: Vacinas matam ou endoidam

Será mesmo?

O falecido Dr. Carlos Armando de Moura Ribeiro dizia explicitamente: "Vacinas matam ou endoidam. Nunca dê uma a um filho seu. Se houver algum problema, venha aqui que eu resolvo." Pois não é que o Percival teve nada menos que MENINGITE, e o Dr. Ribeiro o curou em 24 horas?

Link do post de Olavo de Carvalho no Facebook: 

Cristovam Buarque: Censurar professor é o sonho dos autoritários

O senador Cristovam Buarque escreveu no dia 24/11/2018, no Twitter:


Cristovam Buarque: Sr. Olavo de Carvalho me chamou de idiota; eu digo que ele é inteligente, ao tentar camuflar que escola sem partido é escola com partido único, do governo no poder: foi assim na Alemanha e na URSS. Ele é a mesmice tentando enganar. Censurar professor é o sonho dos autoritários..

Convenção de terraplanistas define que gravidade 'não existe'

Os participantes não conseguiram definir qual seria o real formato da Terra


Pessoas que acreditam na 'teoria' da Terra plana se reuniram e chegaram à conclusão que a gravidade não existe Foto: Wikimedia/Trekky0623.
Mais de 200 pessoas se reuniram entre os dias 27 e 29 abril de 2018 em um hotel em Birmingham, na Inglaterra, para discutir a 'teoria' da Terra plana. Cobrando ingressos que custam até 128 libras (cerca de R$ 620), os participantes da convenção definiram, entre outras coisas, que a gravidade não existe.

A notícia foi publicada no dia 02/05/2018, no jornal O Estado de S. Paulo.

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

SEE/MG 2015 - Resultado final do processo de certificação ocupacional de diretor de escola estadual

SEE MG 2015  - RESULTADO FINAL DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL DE DIRETOR DE ESCOLA ESTADUAL

A Secretaria de Estado de Educação, no uso de suas atribuições e considerando o Edital SEE nº 03/2015, publicado em 29 de setembro de 2015, divulga a lista de servidores certificados no Processo de Certificação Ocupacional de Diretor de Escola Estadual. A certificação tem validade de quatro anos, a contar desta publicação.

Data da publicação no Diário Oficial de Minas Gerais - IOF: 17/11/2015.

Você pode baixar a lista completa dos aprovados em PDF aqui!
Se preferir pode navegar em cada página no site da Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais (IOMG) aqui!

Temer sanciona reajuste do STF: de R$ 33 mil para R$ 39 mil

Luiz Fux.
Crédito: Foto: Beto Barata/PRCom o reajuste do STF,
salários dos ministros passarão dos atuais R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil.
Após muita polêmica e repercussão em todo o país, o presidente Michel Temer sancionou na tarde desta segunda-feira, 26, o reajuste salarial dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Com a mudança, a remuneração dos magistrados passará de R$ 33 para R$ 39 mil, conforme propunha o texto aprovado no Senado no último dia 7 de novembro.

Consequentemente, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, anunciou a revogação do auxílio-moradia para os juízes do Supremo.

Isso porque, para garantir o aumento, o STF, em cooperação com o governo, acordou acabar com o benefício dos magistrados visando reduzir o impacto do reajuste de 16,38%.Com informações do G1. 

Fonte: Catraca Livre.

Biografia de Ricardo Vélez Rodríguez

Ricardo Vélez Rodríguez (Bogotá, 15 de novembro de 1943) é um filósofo e professor de filosofia colombiano naturalizado brasileiro.
Possui graduação em Filosofia pela Universidade Pontifícia Javeriana (1964), graduação em Teologia - Seminário Conciliar de Bogotá (1967), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1974) e doutorado em Filosofia pela Universidade Gama Filho (1982). Atualmente é professor das faculdades de direito e administração da FACULDADE ARTHUR THOMAS - LONDRINA. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em História da Filosofia, atuando principalmente nos seguintes temas: pensamento brasileiro, patrimonialismo, filosofias nacionais, filosofia brasileira e liberalismo.

A sua biografia mais ampliada encontra-se na sua produção acadêmica que está disponível em seu Currículo Lattes  que  pode ser baixada em PDF neste link: Ricardo Vélez Rodríguez - Biografia 

Gabarito Oficial SEE MG 2018 - Prova Certificação Ocupacional de Diretor de Escola Estadual

 O Gabarito Oficial será disponibilizado, nesta área, no dia 26/11/2018 às 17:00 na página do Instituto Avaliar.

Certificação Ocupacional de Diretor de Escola Estadual - SEE/MG - 2018.

Gabarito Oficial em PDF já está disponível: Acesso ao Gabarito Oficial neste link: 

VÍDEO: Presidente de Angola diz que não vai tolerar “indivíduos inescrupulosos” que usam a fé e o nome de Deus para enriquecer


VÍDEO de Edir Macedo: o Espírito Santo... quer que você bata a mão no bolso”.

Um vídeo publicado por Clériston Andrade no Twitter chamou a atenção dos usuários: "Edir Macedo: “Não creio que o Espírito Santo queira palmas.... Ele quer que você bata a mão no bolso”.

ASSISTA AO VÍDEO:
Link do post no com o vídeo no Twitter: 
https://twitter.com/CleristonAndr/status/1066763114790690816

domingo, 25 de novembro de 2018

Bolsonaro descarta o Revalida para médicos brasileiros e abre fogo contra exame da OAB

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, descartou neste domingo (25) a possibilidade de submeter os médicos brasileiros ao Revalida – prova de avaliação e qualificação exigida para os profissionais formados fora do Brasil. A realização do exame foi um dos pontos que levou à crise até a saída dos médicos cubanos; segundo ele, a ideia, defendida pelo futuro ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta não é considerada; ele atacou a prova realizada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aos recém-formados para que tenham o número da entidade.
"Eu sou contra o Revalida para os médicos brasileiros, senão vai desaguar na mesma situação que acontece na OAB. Não podemos formar jovens e depois submetê-los a ser boys de luxo em escritórios de advocacia", afirmou o presidente eleito.

A afirmação de Bolsonaro ocorreu depois de ele participar de almoço na Escola de Educação Física do Exército, na Urca, no Rio de Janeiro, para participar do 10º Encontro do Calção Preto, que reúne antigos e atuais comandantes, professores e monitores da escola.

Histórico
Em entrevista ao jornal O Globo, o deputado federal ê, confirmado para o Ministério da Saúde, defendeu a aplicação do exame Revalida para os médicos brasileiros, nos moldes do que ocorre com os profissionais da OAB. Segundo ele, seria um bom exemplo uma recertificação após cinco anos da formatura.

Para Mandetta, o sistema que observa a atuação médica dos profissionais que trabalham no Brasil é “um dos modelos de fiscalização do exercício profissional mais frágeis do mundo”.

Fonte: 247 com Agência Brasil.

Guru de Bolsonaro gosta de matar ursos para fazer churrasco


Quando ganhou licença, nos Estados Unidos, o astrólogo/filósofo Olavo de Carvalho comemorou nas redes sociais, em 2014, com uma linguagem na exatamente acadêmica: “pau no cu dos ursos”.

Ele se mostrou feliz em preparar churrasco de urso.




Diante das críticas, ele afirma que está defendendo o meio ambiente:


A vida de Olavo de Carvalho está sendo mais conhecida por sua influência no governo Jair Bolsonaro. Ele esteve por trás de duas indicações: Ernesto Araújo para Relações Exteriores e Vélez Rodrígues, Educação.

Na sua primeira entrevista, o já presidente eleito apresentou, na mesa, livros que o influenciavam: a Bíblia e a Constituição, “O Mínimo que Você Precisa Saber para Não Ser um Idiota”, de Olavo de Carvalho, e “Memórias da Segunda Guerra”, de Winston Churchill.
Esse sinal de admiração não se limitou ao campo intelectual.

Fonte: Catraca Livre.

Antes da posse, deputado que quebrou placa de Marielle entra em escola e intimida diretora

Em nota publicada neste domingo (25), a Associação Petropolitana dos Estudantes (APE) repudia as declarações do "aspirante a deputado", que "de forma lamentável, fez um vídeo ofensivo contra professores e contra a diretora do Colégio Estadual Dom Pedro II em Petrópolis, falando sobre coisas as quais nem conhece. Copiando uma prática idêntica daqueles que o apoiam, ao propagar mentiras e em tom de ameaça".
Antes mesmo de tomar posse, mas já falando como deputado federal – “com vertente conservadora, que combate a ideologia socialista comunista” -, Daniel Silveira (PSL/RJ), que quebrou a placa em homenagem à vereadora Marielle Franco (PSol) durante a campanha, entrou no Colégio Estadual Dom Pedro II, em Petrópolis (RJ), e depois gravou vídeo com ameaças contra a diretora da escola neste sábado (24).

“Se você tem todo esse medo (que eu frequente a sua escola), isso me cheira à merda. E se me cheira à merda, eu vou fazer um favor a você, que será uma das minhas primeiras auditadas. Vou solicitar uma auditoria na sua escola desde o princípio de sua gestão, para ver se está tudo certinho e ver se você detém a moralidade da maneira como você diz que detém”, ameaçou o deputado eleito, dizendo que a diretora teria entregue há 2 anos a chave da escola para “vagabundos da esquerda tomarem a escola e atrapalharem as aulas”.

Silveira diz que “o marxismo cultural não será implantado” e que “iremos criminalizar e punir qualquer diretor ou professor que esteja doutrinando adolescentes em escolas com a ideologia socialista/comunista”.


Em nota publicada neste domingo (25), a Associação Petropolitana dos Estudantes (APE) repudia as declarações do “aspirante a deputado”, que “de forma lamentável, fez um vídeo ofensivo contra professores e contra a diretora do Colégio Estadual Dom Pedro II em Petrópolis, falando sobre coisas as quais nem conhece. Copiando uma prática idêntica daqueles que o apoiam, ao propagar mentiras e em tom de ameaça”.

Segundo a associação, um movimento de ocupação da escola aconteceu, de forma pacífica, justamente porque os alunos encontravam-se insatisfeitos com o momento de crise e sucateamento na rede estadual de ensino. “Ficamos no Colégio Estadual Dom Pedro II por 21 dias, cuidando da escola e realizando diversas atividades ao longo de nossa estadia, vocês podem conferir tudo na página mencionada acima”.

Segundo os estudantes, durante a ocupação todas as demandas eram tratadas diretamente com representantes da Secretaria de Educação do estado. “A informação de que a diretora do colégio nos entregou a chave da escola É MENTIRA”.

A associação ainda criticou a postura de Silveira. “Diante dos fatos, fica nítido que esse sujeito não conhece quais são as responsabilidades e deveres de um deputado federal. Precisamos dizer que você não é deputado federal ainda, você precisa tomar posse e isso será feito somente ano que vem. E, quando for, verá que não possui os ‘superpoderes'”.

Leia a íntegra da nota na página da Associação (abaixo).


Shopping na China abre um carrossel com CAVALOS REAIS amarrados à plataforma giratória

Um shopping center Chengdui, capital da província de Sichuan no sudoeste da China tem operado um carrossel com cavalos reais acorrentados à estrutura rotativa, atraindo acusações de crueldade contra animais.
Um shopping center no sudoeste da China tem operado um carrossel com cavalos reais acorrentados à estrutura rotativa, atraindo acusações de crueldade contra animais.
Vídeos e fotos do passeio de parque de diversões modificado surgiram mostrando quatro pôneis sendo amarrados a grandes estruturas de metal e trotando em círculos enquanto transportavam crianças e adolescentes.

A atração foi instalada no Shuangliu Wanda Plaza e cobra até 50 yuans por passeio de quatro minutos. As informações são do um jornal britânico Daily Mail.

Sem cabelos por causa da quimioterapia, mulher é agredida ao ser confundida com homossexual no Rio



O caso, que aconteceu neste sábado (24), ganhou notoriedade após um relato do marido de Deborah, Jorge Lourenço, ter sido compartilhado mais de 30 mil vezes no Facebook.

Com os cabelos curtos por causa de um tratamento com quimioterapia, a educadora Deborah Lourenço, sofreu ofensas homofóbicas e agressão no Centro do Rio de Janeiro nesse sábado (24).

Após mais uma sessão de quimioterapia, Deborah foi até o Centro para tomar um café. Ao estacionar um homem começou a xingar e empurrar a educadora por acreditar que ela era homossexual, uma vez que o tratamento para o câncer de mama ao qual se submete provocou a queda de seus cabelos.

O caso, ganhou notoriedade após um relato do marido de Deborah, Jorge Lourenço, ter sido compartilhado mais de 30 mil vezes no Facebook. No texto, Jorge desabafa. Ele diz que mesmo quem é cis-hétero e não imagina que a onda de ódio disseminada por políticos e pastores não o afetaram “ela vai chegar até você”. “Não se engane você não, que é cis-hétero normativo e imagina que a onda de ódio que certos políticos e pastores pregam nunca vai chegar até você, seus parentes ou seus amigos”, escreveu Lourenço.

Leia o relato completo
Hoje, a minha esposa Deborah foi agredida no Centro do Rio de Janeiro. Em tratamento de um câncer de mama, ela voltava da radioterapia quando, por conta da queda de cabelo da quimioterapia, foi confundida por um imbecil com um transsexual. Foi empurrada, ameaçada e xingada de “viado de merda” por essa pessoa depois de sair do carro. A situação só não foi pior porque o guardador de carros impediu. Mas sim, está tudo bem com ela, apesar do susto.

Infelizmente, vivo no meio de gente imbecil que relativiza machismo, homofobia e transfobia. Que ainda fala de “mimimi”, que ainda fala que o Brasil é sim um país tolerante. Homens inseguros ou fundamentalistas religiosos que normalizam o discurso de ódio, o tipo de coisa que permite imbecilidades como essa continuarem se repetindo por aí. De novo e de novo.

Não se engane você não, que é cis-hétero normativo e imagina que a onda de ódio que certos políticos e pastores pregam nunca vai chegar até você, seus parentes ou seus amigos.

Hoje, eu só agradeço por não estar do lado de Deborah quando isso aconteceu. Porque aí a intolerância ia ser da minha parte.



Fonte: Revista Fórum.

sábado, 24 de novembro de 2018

Gato se recusa a sair de perto de bombeiro que o salvou nos EUA

Um gato foi resgatado por um bombeiro durante os incêndios florestais que atingiram a Califórnia, nos Estados Unidos. Demonstrando gratidão a quem o salvou, o gato se negou a sair de perto do bombeiro.

Ryan Coleman encontrou o gato perdido e assustado e decidiu ajudá-lo. No Facebook, o bombeiro publicou um vídeo por meio do qual é possível ver o animal se esfregando carinhosamente em Ryan. As informações, do portal Incroyable, foram traduzidas pelo site Histórias com Valor.


A ligação entre os dois foi imediata e humano e animal logo se tornaram bons amigos.

O desastre causado pelos incêndios na Califórnia já matou 79 animais e fez com que mais de 200 mil animais fugissem à procura de um local seguro.

Fonte: Anda Agência de Notícias.

Guru de Bolsonaro: a moda é chamar de "educador" qualquer professorzinho bunda

Disse de guru de Bolsonaro, hoje, dia 24/11/2018...
O que você leitor pensa sobre isso?

"Agora a moda é chamar de "educador" qualquer professorzinho bunda, ignorante e analfabeto funcional. O Brasil está repleto de educadores que não educaram nem a si mesmos".

Exemplo: Angola proíbe pastores de pedir dinheiro em cultos e deve fechar mais de mil igrejas

Angola está dando um exemplo de como lidar com a metástase das igrejas evangélicas e seus pastores picaretas e com ambições políticas.



Neste mês, aquelas que estiverem em situação irregular — pelo menos 1220 delas — podem ser fechadas. Apenas 81 estão legais.

Mais de 50% das denominações implantadas no país são estrangeiras, provenientes do Brasil, Congo, Nigéria e Senegal.

Os requisitos para abrir uma empresa religiosa passam primeiro pelo alcance de 100 mil assinaturas reconhecidas presencialmente em cartório, em 12 províncias, por membros maiores de idade.

Os ficam proibidos, entre outras coisas, de cobrar objetos, serviços ou dinheiro em troca de “promessas e bênçãos divinas”.

Se desobedecerem, lhes serão confiscadas as licenças e autorizações.

Em 2013, a Universal teve sua operação suspensa por dois meses no país após um acidente no estádio Cidadela Desportiva que deixou 13 mortos.

Em fevereiro, o bispo João Leite, responsável pelo braço angolano da companhia, foi desligado. Leite divulgou um vídeo em que confessava ter traído sua mulher.

O site Angola 24 Horas falou do novo decreto:

Os bispos, padres, pastores e diáconos passarão a ser obrigados a declarar os seus bens e a fazer prova dos mesmos no momento da sua tomada de posse e da instrução do processo de reconhecimento da respectiva confissão religiosa. (…)

Aos ministros de cultos de nacionalidade estrangeira, a lei obriga a fazer prova da existência de requisitos para a sua acreditação, entre os quais a formação em teologia, académica, experiência missionária e situação migratória regularizada antes da entrada no território nacional.

Para exercerem essa actividade, os “servos de Deus na terra” passarão a ser certificados e credenciados não só pelos órgãos da respectiva confissão ou comunidade religiosa, como por uma entidade pública competente. (…)

“O exercício do ministério é considerado como actividade profissional do ministro de culto (bispos, pastores, padres e diáconos) quando isso lhe proporciona meios de sustento e constitui a sua actividade principal”, lê-se na proposta de lei que inova a proposta de revisão da Lei n.º 2/04, de 21 de Maio. (…)

Passarão a estar proibidas de “invocarem a liberdade religiosa para a prática de publicidade enganosa radiofónica, audiovisual ou escrita, bem como para a prática de actos que promovam intolerância religiosa”. (…)

Para descartar as suspeitas de que o Estado está a imiscuir-se na gestão interna das igrejas, reafirma-se que o país é laico e que a lei se rege por princípios da laicidade, igualdade, legalidade e cooperação. (…)

Para as igrejas se poderem manter, a lei permite que solicitem e recebam contribuições voluntárias dos fiéis, assim como beneficiem de doações de empresas públicas ou privadas nacionais e estrangeiras, ao abrigo da Lei do Mecenato.

À semelhança dos seus “caçadores de almas”, as igrejas passarão também a declarar os bens que recebem a título de doações, os quais devem estar registados, em conformidade com o estabelecido pela lei. (…)

Apesar de estarem proibidas de exercer actividades comerciais, as igrejas poderão, em casos excepcionais, desenvolver projectos de rendimento para fins sociais não lucrativos e para a prestação de serviços complementares, no âmbito de assistências humanitária a terceiros em situação de vulnerabilidade. Estarão isentas também do pagamento do Imposto Predial Urbano sobre alguns dos seus imóveis, bem como do imposto do SISA. (…)

Tendo em atenção que as igrejas também actuam, em muitos casos, como parceiros sociais do Estado, para além das actividades para as quais estão vocacionadas, estão salvaguardados os direitos de desenvolver actividades com fins não religiosos que lhes sejam complementares, designadamente:

1 Edificar escolas para a educação e ensino; 2 Criar instituições sanitárias e de acolhimento; 3 Criar centros voltados para a promoção das expressões culturais, e da cultura em geral; 4 Criar ou aderir a projectos sociais. No entanto, para materializarem tais acções, devem obter as licenças e autorizações necessárias das entidades públicas competentes para o exercício regular e legal da sua actividade.

O controlo da legalidade estará sob alçada dos magistrados do Ministério Público, em conformidade com a lei. Cabendo à PGR a prorrogativa de solicitar ao tribunal competente a suspensão das actividades das igrejas sempre que haja fortes indícios de práticas de actos ilícitos, ofensivos à ordem e a moral públicas, aos bons costumes e lesivos à soberania e integridade do país.

Filha de Olavo de Carvalho avisa o pai: a minha boca você não cala

No Facebook, Heloisa de Carvalho Martins Arribas publicou neste sábado 24/11/2018: "Estão enterrados por medo de vc, mas esse não é meu caso, a minha boca vc não cala. Eu entrei em contato com muitas pessoas do passado dele, e absolutamente todas falaram: Helô boa sorte torço por vc, mas não quero nem pronunciar o nome dessa pessoa".

Junto da sua publicação tinha um print do post do seu pai Olavo de Carvalho falando sobre a grande mídia.

‘É a Guerra do Atum’: navio pesqueiro brasileiro é atacado por embarcação chinesa

G1 - O Portal de Notícias da Globo, noticiou ontem (23/11/2018): Navio pesqueiro potiguar é atacado por embarcação chinesa; 'é a guerra do atum', diz sindicato da pesca do RN.  Segundo o Sindipesca, navio Oceano I levou uma batida que abriu um buraco no casco a 280 milhas da costa brasileira, já em águas internacionais. Marinha abre inquérito para investigar caso.

“Está acontecendo uma guerra no mar, uma guerra pelo atum”, disse Gabriel Calzavara, presidente do Sindpesca. O sindicalista contou que o navio chinês bateu propositalmente no Oceano Pesca I, que é o nome da embarcação potiguar. 

“Por rádio, o comandante chinês disse, em português, que iria mandar ao fundo o navio brasileiro. E começou a se aproximar muito rapidamente, até bater”, afirmou.

Aparentemente, não tenho alunos nem leitores:tenho seguidores...todos iletrados e de baixíssimo QI

Aparentemente, não tenho alunos nem leitores: tenho seguidores, devotos, fiéis, militantes e cultores idolátricos. Todos iletrados e de baixíssimo QI. Ninguém discute as minhas idéias nem me cobra explicações. Ninguém ousa sequer fazer perguntas. Todo mundo recorta o que eu escrevo, gruda na parede, decora e recita antes de dormir para ver se ganha na loteria.

Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro, era astrológo profissional



Esse anúncio acima, publicado no jornal “O Estado de S. Paulo”, mostra que, na década de 1980, Olavo de Carvalho atuava como astrólogo profissional.

Era um curso de oito meses e uma aula semanal. “É um estudo da ‘vocação’ da pessoa segundo o estudo de seu mapa astrológico”, dizia o anúncio.

A curiosidade se deve ao fato de que Olavo de Carvalho é visto como o guru do clã Bolsonaro.

Na sua primeira entrevista, o já presidente eleito apresentou, na mesa, livros que o influenciavam: a Bíblia e a Constituição, “O Mínimo que Você Precisa Saber para Não Ser um Idiota”, de Olavo de Carvalho, e “Memórias da Segunda Guerra”, de Winston Churchill.

Esse sinal de admiração não se limitou ao campo intelectual. Carvalho ajudou a indicar dois ministros: Ernesto Araújo ( Relações Exteriores) e Ricardo Vélez Rodríguez ( Educação).

Além da astrologia, Olavo de Carvalho, fundador da Escola Jupiter de Astrologia, mostrava em cursos como as energias descobertas pelos orientais tinham comprovação científica.


No ano passado, Olavo Carvalho publicou artigo defendendo a astrologia.
“Ainda hoje, quando falamos em astrólogos, muita gente pensa em homens sinistros de chapéus pontudos, a contemplar o céu de suas altas torres e a interpretá-lo segundo seus delírios. E, no entanto, eles já estão penetrando nos gabinetes e laboratórios da ciência, misturando-se entre químicos, biólogos, meteorologistas, médicos e financistas. . .””

No artigo intitulado “A Volta da Astrologia”, ele escreve:

“Todos os debates que houveram ( sic)serviram para mostrar que a astrologia é um assunto infinitamente mais completo do que seus opositores jamais imaginaram”

Leonardo Boff: Olavo de Carvalho “é a cabeça mais insana já produzida nesse país”


"Podemos medir a cabeça do novo presidente pelas nomeações que fez a pedido de Olavo de Carvalho", tuitou o teólogo.

Professor emérito de Ética, Filosofia da Religião e Ecologia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, o teólogo Leonardo Boff criticou a influência do “filósofo autodidata” Olavo de Carvalho na formação da equipe ministerial do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

“Podemos medir a cabeça do novo presidente pelas nomeações que fez a pedido de Olavo de Carvalho: o ministro das relações exteriores e o da educação. Olavo é a cabeça mais insana já produzida nesse país. Não possui formação séria nenhuma. Diz os piores palavrões como o c. de sua mãe”, tuitou Boff, sobre as indicações de Ernesto Araújo, para Relações Exteriores, e do colombiano Ricardo Vélez Rodriguez, para Educação, feitas pelo guru intelectual da família Bolsonaro.


Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, Olavo disse que não tem mais nenhum ministro “no bolso” para indicar. O pseudo filósofo também já afirmou que o único cargo que aceitaria seria o de embaixador nos Estados Unidos – apesar de, segundo ele, Bolsonaro já ter oferecido os ministérios da Cultura e da Educação.

Eduardo Bolsonaro, deputado reeleito pelo PSL, disse, após as eleições, que quer levar os parlamentares do PSL para os Estados Unidos para terem aulas com Olavo. “É nossa base filosófica”, disse o filho do presidente eleito.

Biografia de Hitler lembra como uma democracia vira ditadura

Talento de ator, força como orador de massa, esperteza política são algumas das características pessoais que explicam o "caso Hitler", diz biógrafo. Mas não eximem os alemães da culpa pelo Holocausto.
Características pessoais de Adolf Hitler foram essenciais para sua ascensão e queda.
A cultura alemã da memória está sob ataque dos populistas de direita. Eles querem o fim da abordagem autocrítica da era nacional-socialista, declarando-a um mero interlúdio numa história, de resto, gloriosa. Exemplo disso foi a declaração do presidente do partido Alternativa para a Alemanha (AfD), Alexander Gauland, minimizando Adolf Hitler e os nazistas como um "cocô de passarinho em nossa história mais do que milenar".

Para o historiador e jornalista Volker Ullrich, declarações como essa são perigosas do ponto de vista histórico-político: "Quem pratica esse tipo de manipulação eufemística da história deve saber que está balançando os fundamentos da república", condena Ullrich, que acaba de publicar o segundo e último volume de sua biografia de Hitler.

Ele apresenta o "caso Hitler" como um exemplo cautelar, demonstrativo da rapidez com que a democracia pode ser desmontada e de quão fina é a camada separando a civilização da barbárie.

Já em seu primeiro volume, lançado em 2013, sobre os anos anteriores à eclosão da Segunda Guerra Mundial, Ullrich colocara a pessoa do ditador no centro de sua análise – na contramão da tendência predominante na pesquisa sobre o nazismo, há anos concentrada de forma crescente nas condições estruturais que levaram à ascensão e domínio nacional-socialista.

O historiador não deixa essas questões de fora, mas ao mesmo tempo enfatiza as características pessoais de Hitler que fizeram dele um "Führer" tão atraente para tantos alemães: seu talento de ator, sua força como orador de massa e organizador, assim como a esperteza em adaptar-se rapidamente a mudanças na situação política.

Nazistas tomam o poder no Reichstag de Berlim, em 30/01/1933.
Hitler como pessoa

Nas 894 páginas do segundo volume, Adolf Hitler – Die Jahre des Untergangs 1939-1945(literalmente: Os anos da queda), o biógrafo prossegue de forma consequente, sobretudo na avaliação do papel do líder nazista como supremo senhor da guerra e no Holocausto.

Sua tese é que se, por um lado, o assassinato dos judeus europeus não teria sido possível sem milhares de ajudantes, ele tampouco o seria sem a pessoa do ditador nascido na Áustria. Já na radicalização da política para com os judeus até 1939, ele detinha o controle sobre a sequência das ações, como última instância – um padrão que se repetiu nos tempos de guerra.

Ullrich mostra que o genocídio não foi precedido apenas pela declaração geral de intenção de Hitler pelo extermínio sistemático dos judeus europeus: em diversos casos foi necessária sua aprovação pessoal – fosse para obrigar os semitas a portar a estrela de Davi ou para deportá-los do território do Reich.

Foi no papel de supremo senhor da guerra que vieram à tona os déficits pessoais do ditador, acredita Ullrich. Entre eles, não só a propensão a subestimar o adversário, como a muito mais grave tendência de apostar tudo numa carta só.

Hitler reagiu com acessos de ira e ódio às derrotas no front oriental, achando que sabia tudo melhor e punindo também pessoalmente os membros do comando supremo da Wehrmacht. Contrariando o costume até então, nas reuniões estratégicas ele não dava mais a mão a nenhum dos presentes, e durante um tempo deixou de participar do almoço e jantar coletivos.

O autonomeado "Feldherr" (comandante de campo) possivelmente se envergonhava diante dos militares de carreira, supõe Ullrich: "Ele permanecia longe do alto escalão não só por seu ressentimento para com os militares, mas também por não mais poder se apresentar diante deles na pose superior de comandante-gênio."

Oficiais nazistas participam de congresso do Partido Nacional-Socialista em 1936. A dír., Hilter.
Sem desculpas para os alemães

Nascido em 1943, o historiador e jornalista Volker Ullrich dirigiu de 1990 a 2009 a seção "Livro político" no semanário hamburguês Die Zeit. Por sua atuação como publicista recebeu, entre outros, o Prêmio Alfred Kerr de 1992.

Para sua apresentação sobre Hitler, erudita e de leitura fluente, o autor pesquisou numerosos documentos de arquivo. Com essa avaliação pessoal, contudo, ele não deixa nenhuma brecha para desculpas – nem para os generais, que depois de 1945 tentaram minimizar a própria participação na catástrofe moral e militar, apontando para Hitler.

E tampouco para os alemães, em si, que após o Holocausto pretenderam de nada saber: "Desse modo, procede que apenas alguns poucos alemães sabiam tudo sobre a 'solução final', mas também eram muito poucos os que não sabiam de nada."

Fonte: DW Brasil.

Greenpeace denuncia projetos apoiados por Bolsonaro que ameaçam a Amazônia

A organização ambiental Greenpeace denunciou este sábado que as florestas, povos e clima da Amazônia brasileira estão sob ameaça caso o Congresso aprove projetos que, segundo a ONG, são apoiados pelo Presidente eleito do Brasil Jair Bolsonaro.
"Dependendo do Governo de Jair Bolsonaro, as previsões para a Amazônia (e para o clima) não são boas. Tudo o que funcionou no combate contra a destruição da floresta está sob ameaça", disse Marcio Astrini, coordenador de políticas públicas da Greenpeace Brasil, através de um comunicado.

Segundo Astrini, Bolsonaro, que em várias ocasiões se manifestou em defesa dos grandes produtores rurais e mineiros, tenciona "permitir a exploração de terras indígenas e de unidades de conservação", o que levaria a uma "explosão de violência no campo e poria em risco a esperança climática do planeta".

No Brasil existem cerca de 600 reservas indígenas, equivalentes a 13% do território brasileiro, mas muitas outras áreas reivindicadas por diferentes tribos ainda aguardam para serem legalmente delimitadas.

Segundo a organização, os projetos que ameaçam a Amazônia brasileira e que podem ser aprovados pelo Congresso estão relacionados com a flexibilização do licenciamento ambiental no Brasil, a redução de áreas protegidas, a paralisação das demarcações de terras indígenas, entre outras.

"Esse conjunto de propostas beneficia aqueles que vivem do desmatamento da floresta, da apropriação ilegal das terras e do roubo do patrimônio natural dos brasileiros. As consequências estão agora traduzidas nos números da destruição da Amazônia", disse Astrini.

A desflorestação da Amazônia brasileira registou um aumento de 13,7% entre agosto de 2017 e julho de 2018, período em que perdeu uma área total de 7.900 quilômetros quadrados, o equivalente a cerca de 1.185 milhões de árvores, segundo o Instituto Nacional de Investigações Especiais (Inpe), responsável pela monitorização da cobertura nativa da maior floresta tropical do planeta.

Para se ter uma noção da catástrofe, a Greenpeace frisa que a área perdida na Amazônia equivale a 987.500 campos de futebol.

"Os números da destruição, que já eram altos e inaceitáveis, foram ainda piores. Grande parte das respostas para esse aumento estão em Brasília, é a partir do centro de poder que vem parte do estímulo constante ao crime ambiental nos recantos da Amazônia" , disse o coordenador de políticas públicas da Greenpeace.

Fonte: SIC Notícias / Lusa.

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

VÍDEO: na despedida, médico cubano se emociona com homenagem de pacientes



Ao som de Gracias a La Vida, de Mercedes Sosa, os pacientes, na maioria idosos, fazem declarações e agradecimentos ao médico, que voltará para Cuba após o fim da parceria no Programa Mais Médicos por declarações e imposições do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).
Em vídeo que viralizou nas redes sociais, um médico cubano se emociona com a homenagem prestada por pacientes no seu último dia de trabalho no Centro de Saúde San Martin, unidade que atende uma população de 12 mil moradores em região periférica na zona norte da cidade de Campinas, no interior de São Paulo.

Ao som de Gracias a La Vida, de Mercedes Sosa, os pacientes, na maioria idosos, fazem declarações e agradecimentos ao médico, que voltará para Cuba após o fim da parceria no Programa Mais Médicos por declarações e imposições do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).


Reportagem de Matheus Magenta, no site da BBC News, informa que estudos revelam que o Programa Mais Médicos evitou 521 mil internações, gerando uma economia de R$ 840 milhões aos cofres públicos no ano de 2015.

Naquele ano, as 11,3 milhões de internações custaram R$ 18,2 bilhões (R$ 1.612, em média, cada uma), e a economia de quase R$ 840 milhões corresponde a cerca de 33% dos R$ 2,6 bilhões destinados ao Mais Médicos no período.

"Os pobres são os mais prejudicados pelo fim do convênio com Cuba"

Para o ex-ministro Alexandre Padilha, criador do Mais Médicos, a retirada dos profissionais cubanos afetará, sobretudo, as áreas mais vulneráveis
'Bolsonaro colocou o conflito ideológico com Cuba acima dos interesses da população', diz Padilha.
Ao lançar o Mais Médicos em 2013, o então ministro da Saúde Alexandre Padilha previu uma “revolução” na saúde pública brasileira. Muito além do provimento emergencial de médicos em áreas vulneráveis ou remotas, o grande objetivo do programa era estruturar a rede de atenção básica no País. Assim, seria possível garantir o diagnóstico e o tratamento precoce das doenças, de forma a evitar que os pacientes chegassem aos hospitais com complicações mais graves.

“Tudo isso foi brutalmente interrompido pelo despreparo do presidente eleito, que colocou o conflito ideológico com Cuba acima dos interesses da população”, afirma o médico infectologista, recém-eleito deputado pelo PT.

CartaCapital: Qual é o impacto da saída dos médicos cubanos para a saúde pública?
Alexandre Padilha: É desastroso. Esses profissionais estão nas áreas mais vulneráveis do País. Em 1,7 mil municípios, só havia médicos cubanos inscritos no programa. Essas cidades já vinham sofrendo com o aumento da mortalidade infantil em decorrência dos cortes em ações sociais e de saúde durante o governo Temer. Vale lembrar que os cubanos só foram chamados depois que 11 mil vagas não foram preenchidas por brasileiros, que têm prioridade na seleção.

CC: Bolsonaro lançou dúvidas sobre a qualificação dos cubanos, que não foram submetidos ao exame de revalidação dos diplomas médicos.
AP: Quando era deputado, Bolsonaro insistia nessas críticas e saiu derrotado. Desde o primeiro momento, ele desqualificou profissionais cubanos, dizendo que nem médicos eram. Foi derrotado no Congresso, no Supremo Tribunal Federal, na Organização Mundial da Saúde, por centenas de pesquisas científicas que atestam os impactos positivos do programa. E mais: em cinco anos de experiência, pode consultar a lista de denúncias de erros médicos, não há um único profissional cubano denunciado.

CC: Por que o Ministério da Saúde abriu mão de aplicar o Revalida para os profissionais do programa?
AP: Passamos dois anos estudando as experiências internacionais. Nosso modelo é inspirado, sobretudo, na experiência da Austrália e do Canadá, que também têm sistemas universais de saúde e criaram programas para fixar médicos em áreas vulneráveis ou remotas. Na Inglaterra, 37% da força de trabalho é composta de estrangeiros. Lá eles adotam outro modelo, porque existem muitas colônias inglesas, então são possíveis parcerias de recrutamento.

Na Austrália, os médicos estrangeiros podem ficar até 20 anos com registro provisório, para que eles permaneçam nos locais com maior carência de médicos. Se a gente revalidasse os diplomas, eles poderiam atuar em qualquer cidade, hospital e especialidade, inclusive na rede privada.

CC: E Cuba é uma referência em atenção básica e medicina preventiva, ou estou enganado?
AP: Sem dúvidas. Cuba foi o primeiro país a erradicar a transmissão vertical do vírus HIV. Possui um índice de mortalidade infantil inferior ao dos EUA. Dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, estabelecidos pelas Nações Unidas para 2015, apenas três países das Américas atingiram a meta de reduzir a mortalidade materna: Canadá, Chile e Cuba. Nem os americanos conseguiram tal feito.

CC: Como fica a relação do Brasil com a Organização Pan-Americana de Saúde, que chancelou esse convênio?
AP: Não falo em nome da Opas, mas nos preocupa muito os posicionamentos desrespeitosos de Bolsonaro com diversos organismos das Nações Unidas. Talvez ele ainda não tenha percebido que a eleição acabou, que ele não é mais um animador de rede social.

CC: E quanto à remuneração dos cubanos?
AP: Sinceramente, esta é uma polêmica criada por quem está mais preocupado em atacar o regime cubano do que avaliar um programa que atende 60 milhões de brasileiros. A dita economia com a suspensão desse convênio representa, na prática, um aumento das despesas no SUS, pois deixaremos de diagnosticar e tratar as doenças fora do ambiente hospitalar.

CC: Mas por que a remuneração dos cubanos não é semelhante à de outros profissionais estrangeiros?
AP: A relação de trabalho é completamente diferente. Os brasileiros ou estrangeiros que se inscrevem diretamente no programa são bolsistas transitórios. Quando se desligam do programa, eles não têm mais qualquer tipo de remuneração. Os cubanos são profissionais empregados por uma empresa de Cuba. Quando eles retornam, continuam empregados e com salário. Cerca de 30% do valor das bolsas é pago diretamente ao médico que está atuando no Brasil. Além disso, ele também recebe auxílio alimentação e de moradia das prefeituras.

Outros 30% vão para um fundo previdenciário para esses profissionais e seus familiares. O restante dos recursos fica com o Ministério da Saúde, para manter a formação desses profissionais, custear o sistema de saúde e também para financiar ações humanitárias pelo mundo. Cuba também participa de missões sem cobrar um centavo por isso, como ocorreu no Haiti e na África.

Fonte: CartaCapital.

Inscreva-se e conheça nosso Canal: