quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Depois de abrir uma crise com a bancada evangélica, Jair Bolsonaro deve anunciar o nome do colombiano Ricardo Vélez Rodriguez para a pasta

Depois de abrir uma crise com a bancada evangélica, Jair Bolsonaro deve anunciar o nome do colombiano Ricardo Vélez Rodriguez para a pasta

A divulgação do nome do assessor de Viviane Senna e diretor do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves Ramos, para a pasta do Ministério da Educação, foi logo bombardeada pela bancada evangélica, provocando nova crise em um governo que ainda não assumiu, uma vez que o educador tem um perfil considerado moderado demais pelos evangélicos. Com isso, Jair Bolsonaro novamente recuou e deve anunciar um colombiano para o cargo: Ricardo Vélez Rodriguez.

Depois de mais um início de crise, Rodriguez foi chamado rapidamente de Juiz de Fora, Minas Gerais, onde coordena o Centro de Pesquisas Estratégicas da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), para conversar com Bolsonaro ainda nesta quarta-feira (21). O nome do colombiano já aparecia entre os cogitados para a pasta.

O possível escolhido é colombiano, coordenador do Centro de Pesquisas Estratégicas da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e também coordenou o Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos, o Núcleo Tocqueville-Aron de Estudos sobre as Democracias Contemporâneas e o Núcleo de Cosmologia e Filosofia da Ciência.

Rodriguez é, também, professor associado aposentado da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professor emérito da Escola de Comando e Estado Maior do Exército (ECEME). Já trabalhou na Universidade Estadual de Londrina (UEL) e na Universidad Pontificia Bolivariana, na Colômbia.

É membro do conselho consultivo da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa), do Instituto de Geografia e História Militar, Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e da Academia Brasileira de Filosofia. Autor de “Da Guerra à Pacificação”, “O Patrimonialismo Brasileiro em Foco” e “A Grande Mentira – Lula e o Patrimonialismo Petista”. O professor também é mestre e doutor em Filosofia.

Nenhum comentário: