PETS

domingo, 30 de novembro de 2014

Qual é o maior deserto do mundo?

por Gabriel, editor do Blog de Geografia

A Antártica é o maior de todos os desertos do nosso planeta
Antártica. Imagem: NASA
A Antártida (ou Antártica) é o maior deserto do mundo. É o que chamamos de deserto frio. Deserto, em geografia, é uma região que recebe pouca precipitação pluviométrica. Entre os desertos frios(de gelo e neve) e quentes(de areia) existentes no planeta, a Antártica é o maior deles.

Para ser considerado um deserto uma área deve ter menos de 250 milímetros de precipitação anual. Usando esse critério, a Antártica é o maior deserto do planeta Terra. Antártida tem menos de 51 milímetros de chuva por ano, e pouca ou nenhuma vegetação. 

Curiosidades da Antártida
  • A Antártica é o continente mais frio e mais seco.
  • Não neva muito lá. Quando neva, a neve não derrete e acumula-se ao longo de muitos anos formando espessas camadas de gelo.
  • A Antártica é o continente mais austral. 
  • A Antártica é o quinto maior continente. 
  • Não há países na Antártida, embora sete nações reivindicam diferentes partes do continente: Nova Zelândia, Austrália, França, Noruega, Reino Unido, Chile e Argentina
  • Não há residentes permanentes humanos, mas diversos pesquisadores habitam as estações de pesquisa espalhadas por todo o continente. 
  • Apenas as plantas e animais adaptados ao frio sobreviver aqui: pinguins, focas, musgos, algas e vegetação de tundra.

O maior deserto quente
O Deserto do Saara é o maior deserto quente do mundo. Oficialmente, é o segundo maior deserto da Terra, logo após a Antártida.

Quantos países existem atualmente?

por Gabriel, editor do Blog de Geografia

A ONU conta 193, mas o Banco Mundial  e a Fifa ( Federação Internacional de Futebol Associado) tem números diferentes

Vamos considerar neste post os países  membros da ONU até este ano. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), existem 193 países independentes. Note-se que essa não é a única resposta, só que é a resposta aceita pela ONU. Mas há algumas ausências nesta lista. As 3 mais conhecidas são:
Kosovo: a Rússia bloqueia a entrada deste país na ONU
Vaticano: Estado "observador permanente", com direito a voto nas conferências
Taiwan: a China considera Taiwan como uma província rebelde


A ONU não considera possessões e territórios.  Para ser "sócio do clube" , o país deve ter fronteiras definidas, sustentação econômica e soberania nacional (reconhecimento de outros países da ONU, principalmente dos mais fortes). No entanto, existem os "quase países", aqueles que só falta entrarem no mapa. A Somalilândia, por exemplo, só está ausente do atlas e da existência formal, porque nenhuma nação reconheceu sua independência. É difícil entender, mas a Somalilândia é um país de verdade, mas não existe.

11 Créditos
Quantos países existem atualmente? - Mundo Estranho
Quantos países existem no planeta? - Recreio
Quantos países há no mundo? - Recreio
Sudão do Sul é o 193º Estado-Membro das Nações Unidas - ONU Brasil
Quantos países tem o mundo? - Estadão
Estado-Membro - Info ONU
O tamanho do mundo - Jornal do Comércio Online
Afinal, o que é um país? Superinteressante
Kosovo Independente - Veja
Somalilândia faz 17 anos em paz, após guerra civil - Folha de São Paulo
Segunda divisão da ONU - Superinteressante

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Download do livro: Milton Santos - O espaço da cidadania e outras reflexões

Fundação Ulysses Guimarães oferece download grátis do livro Milton Santos - o espaço da cidadania e outras reflexões

A Fundação Ulysses Guimarães disponibiliza, então, por esta coletânea, textos originais que enfocam o pensamento de Milton Santos para que o leitor o interprete segundo sua própria convicção.

Milton Santos certamente se enquadra em uma dessas personalidades que fazem a diferença. Foi livre pensador focado na urbanização do terceiro mundo e defensor de um novo modelo de globalização, recebendo, por isso, o título de Doutor Honoris Causa. Milton foi o único brasileiro a receber o mais alto prêmio internacional em geografia, o Vautrin Lud, em 1994, do qual foi dignamente merecedor porque soube refletir sobre as problemáticas de seu tempo e, além disso, equacioná-las.
Santos, Milton O espaço da cidadania e outras reflexões / Milton Santos; 
organizado por Elisiane da Silva; Gervásio Rodrigo Neves; Liana Bach Martins. – Porto Alegre: Fundação Ulysses Guimarães, 2011. (Coleção O Pensamento Político Brasileiro; v.3).

*Com informações da Fundação Ulysses Guimarães e Suburbano Digital.

domingo, 16 de novembro de 2014

Inscrição de candidatos para designação 2015 - Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais

Novo! Designação MG 2015 - Resolução SEE nº 2.741, de 20 de janeiro de 2015

Inscrição no banco de designação terá início no dia 17 de novembro pelo site da Secretaria de Estado de Educação -  Minas Gerais
Inscrição de candidatos para designação 2015
Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais
Período de inscrições para a Designação: 17/11/2014 09:00hs até 04/12/2014 23:00hs.
Para fazer a sua inscrição acesse o site http://www.designaeducacao.mg.gov.br

Inscrições
Os candidatos interessados em exercer função pública nas escolas estaduais e para a função de Analista Educacional / Inspetor Escolar nas Superintendências Regionais de Ensino deverão efetuar a inscrição pela internet no período de 17 de novembro a 04 de dezembro, no horário das 9h às 17h.

Os interessados em se inscrever para atuarem nos Centros de Apoio Pedagógico a Pessoas com Deficiência Visual (CAP), Centros de Capacitação de Profissionais de Educação e Atendimento à Pessoas com Surdez (CAS) e núcleos de capacitação na área de Educação especial deverão se inscrever nas próprias unidades, no mesmo período e horário.

O mesmo vale para os candidatos que desejarem atuar como professores nos Conservatórios Estaduais de Música; professores para atuação em componentes curriculares, técnicos profissionalizantes, em escolas com autorização para a oferta de educação profissional; e servidores para atuação em projetos autorizados para escolas específicas, pela SEE, nos componentes curriculares em que não haverá inscrição via internet.

Público-alvo

Poderão se inscrever na internet para a função pública na rede estadual de ensino: Analista Educacional/ Inspetor Escolar, Analista de Educação Básica (Assistente Social, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Psicólogo ou Terapeuta Ocupacional); Assistente Técnico de Educação Básica (Auxiliar de Secretaria, Agente Educacional, Auxiliar da Área Financeira); Auxiliar de Serviços de Educação Básica; Especialistas em Educação Básica (orientador Educacional ou Supervisor Pedagógico); e professor de Educação Básica.

Cronograma
Veja abaixo o cronograma, de acordo com o anexo III da Resolução:

-17/11 a 04/12/2014: Inscrição dos candidatos à designação.

-05 a 19/12/2014: Classificação dos candidatos inscritos.

-20/12/2014: Divulgação da classificação dos candidatos inscritos.

-Até 17/01/2015: Divulgação das listagens de classificação por meio de CD.

As normas de designação de servidores para o exercício de função pública para atuação nas escolas estaduais e para a função de Analista Educacional/ Inspetor Escolar nas Superintendências Regionais de Ensino serão definidas em resolução especifica.

Designação

A designação é a forma de preenchimento de cargo a título precário para assegurar o funcionamento das escolas estaduais conforme prevê o artigo 10 da Lei 10254/1990. Quando uma professora efetiva tira uma licença maternidade em uma escola estadual, por exemplo, ela é substituída por um professor designado durante o período da licença. A inscrição no cadastro é essencial, pois garante prioridade aos candidatos que concorrerão às vagas de designação no ano que vem. O concursado que ainda não foi nomeado terá prioridade se quiser concorrer a uma vaga de designação, em seguida a prioridade é do candidato inscrito no cadastro.

Os agentes modeladores ou modificadores do relevo

Principais formas do relevo: montanhas, planaltos, planícies e depressões.

O relevo é o resultado da ação das forças endógenas (agentes internos) e exógenas (agentes externos) que agiram e agem no decorrer dos anos e das eras geológicas. Essas forças são chamadas agentes do relevo. Quando essas forças ou agentes agem de dentro para fora da Terra, são denominados agentes formadores internos (endógenos), como o tectonismo, o vulcanismo e os abalos sísmicos. Quando ocorrem da atmosfera para a litosfera, isto é, na superfície, temos os agentes modeladores externos (exógenos) do relevo, como: as chuvas (ação pluviométrica), o gelo (ação glacial), mares (ação marítima), rios (ação fluviométrica ou hidrométrica), animais e vegetais (ação biológica, o intemperismo), e o próprio homem (ação antrópica) que altera (construindo e/ou reconstruindo e/ou destruindo) a superfície do planeta.

Intemperismo
Meteorização ou intemperismo é um conjunto de processos físicos, químicos e biológicos que atuam sobre as rochas provocando sua desintegração ou decomposição.
A rocha decomposta transforma-se num material chamado manto ou regolito, um resíduo que repousa sobre a rocha matriz, sem ter ainda se transformado em solo.
As rochas podem partir-se sem que se altere sua composição: é a desintegração física ou mecânica. Nos desertos, as variações de temperatura entre os dias e as noites chegam ao ponto de partir as rochas.
Nas zonas frias, a água que se infiltra na rachadura das rochas pode congelar, se dilatar e partir a rocha, num processo denominado gelivação. O intemperismo químico acontece quando a água, ou as substâncias nela dissolvidas, reage com os componentes das rochas. Nesse processo, as rochas modificam sua estrutura química, sendo mais facilmente erodidas, com o material sendo levado pelos agentes de transporte (vento, chuva, rios).
O oxigênio que existe na água oxida os minerais que contêm ferro e forma sobre as rochas o que costumamos chamar de ferrugem. A ação da água sobre o granito, por exemplo, o converte em quartzo e argilas.
Ação das águas das chuvas. Quando as chuvas caem sobre a Terra, suas águas podem seguir três caminhos: evaporar-se, indo para a atmosfera; infiltrar-se no solo para dentro do lençol freático; e escorrer pela superfície da Terra, sob a forma de enxurradas e torrentes. São um dos mais eficazes agentes de erosão, muitas vezes causando deslizamentos.

Agentes internos

Tectonismo
Os movimentos tectônicos resultam de pressões, vindas do interior da Terra e que agem na crosta terrestre. Quando as pressões são verticais, os blocos continentais sofrem levantamentos e baixamentos. Os movimentos resultantes de pressão vertical são chamados epirogenéticos. Quando as pressões são horizontais, são formados dobramentos ou enrugamentos que dão origem às montanhas. Esses movimentos ocasionados por pressão horizontal são chamados orogenéticos.
O diastrofismo (distorção) caracteriza-se por movimentos lentos e prolongados que acontecem no interior da crosta terrestre, produzindo deformações nas rochas. Esse movimento pode ocorrer na forma vertical (epirogênese) ou na horizontal (orogênese).
A epirogênese ou falhamento consiste em movimentos verticais que provocam pressão sobre as camadas rochosas resistentes e de pouca plasticidade, causando rebaixamentos ou soerguimentos da crosta continental. São movimentos lentos que não podem ser observados de forma direta, pois requerem milhares de anos para que ocorram.
A orogênese ou dobramento caracteriza-se por movimentos horizontais de grande intensidade que correspondem aos deslocamentos da crosta terrestre. Quando tais pressões são exercidas em rochas maleáveis, surgem os dobramentos, que dão origem às cordilheiras. Os Alpes e o Himalaia, dentre outras, originam-se dos movimentos orogênicos. A orogênese também é responsável pelos terremotos e maremotos.

Vulcanismo

Chama-se vulcanismo as diversas formas pelas quais o magma do interior da Terra chega até a superfície. Os materiais expelidos podem ser sólidos, líquidos ou gasosos (lavas, material piroclástico e fumarolas). Esses materiais acumulam-se num depósito sob o vulcão até que a pressão gerada faça com que ocorra a erupção. As lavas escorrem pelo edifício vulcânico, alterando e criando novas formas na paisagem. O relevo vulcânico caracteriza-se pela rapidez com que se forma e com que pode ser destruído.
Localização dos vulcões: A maioria dos vulcões da Terra está concentrada em duas áreas principais: Círculo de Fogo do Pacífico: desde a Cordilheira dos Andes até as Filipinas, onde se concentram 80% dos vulcões da superfície.
Outras localizações: América Central, Antilhas, Açores, Cabo Verde, Mediterrâneo e Cáucaso.

Abalos sísmicos ou terremotos

O terremoto ou sismo se ocorre devido aos movimentos convectivos que ocorrem na astenosfera. Esses movimentos forçam as placas tectônicas da litosfera (camada rochosa) movendo-as, como resultado as placas podem se chocar (formando bordas convergentes), se separar (formando bordas divergentes) ou deslizar (formando bordas transformantes). O terremoto é resultado do alívio da pressão que existe entre essas placas gerando, desta maneira, uma vibração. Essa vibração propaga-se através das rochas pelas ondas sísmicas. O ponto do interior da Terra onde é gerado o sismo é designado por hipocentro ou foco enquanto que o epicentro é o ponto da superfície terrestre. Os sismógrafos são os aparelhos que detectam e medem as ondas sísmicas. A intensidade dos terremotos é dada pela Escala Mercalli Modificada, que mede os danos causados pelo sismo.

Agentes externos


Os agentes externos modificam o relevo, estes são: as águas do mar, dos rios e das chuvas, o gelo, o vento e o homem, causando a erosão marinha, erosão fluvial, erosão pluvial, erosão glacial, erosão eólica e erosão antrópica.Eles agridem a superfície terrestre fazendo dela formatos e tamanhos diferentes.

As geleiras
Em algumas zonas de clima muito frio, a neve não derrete durante o verão. O peso das camadas de neve acumuladas durante invernos seguidos acaba por transformá-la em gelo. Quando essa enorme massa de gelo se desloca, corre como um poderoso rio de gelo. As geleiras realizam um trabalho de erosão nas rochas que as cercam, formando vales em forma de U. Os sedimentos transportados pelas geleiras são chamados morenas ou morainas.

Rios, os grandes construtores
A união de várias correntes acaba formando os rios, que são correntes de água com leito definido e vazão regular. A vazão pode sofrer mudanças ao longo do ano. Essas mudanças devem-se tanto a estiagens prolongadas quanto a cheias excepcionais, às vezes com efeitos catastróficos sobre as populações e os campos.
Quanto maior for o poder erosivo de um rio, maior será sua vazão e a inclinação do seu leito, que pode sofrer variações ao longo do percurso.
Em seu curso, os rios realizam três trabalhos essenciais para a construção e modificação do relevo:
Erosão, ou seja, escavação dos leitos. Quanto maior for o poder erosivo de um rio, maior será sua vazão e a inclinação do seu leito;
Transporte dos sedimentos, os chamados aluviões;
Sedimentação, quando há a formação de planícies e deltas.
Podemos dividir o caminho que o rio percorre da nascente até a foz em três porções que podem ser comparadas com as três fases da vida humana: alto curso, equipara-se à juventude; o curso médio equivale à maturidade; e o baixo curso, à velhice.
Alto Curso: O curso superior do rio é sua parte mais inclinada, onde o poder erosivo e de transporte de sedimentos é muito intenso. A força das águas escava vales em forma de V. Se as rochas do terreno são muito resistentes, o rio circula por elas, formando gargantas ou desfiladeiros.
Curso médio: No curso médio do rio, a inclinação se suaviza e as águas ficam mais tranquilas. Sua capacidade de transporte diminui e começa a depositar os sedimentos que não pode mais transportar.
Na época das cheias, o rio transborda, depositando nas margens grande quantidade de aluviões. Nessas regiões formam-se grandes planícies sedimentares, onde o rio descreve amplas curvas, chamadas meandros. A sedimentação é um processo muito importante para a humanidade. Culturas antigas, como as do Egito, Mesopotâmia e Índia, são relacionadas à fertilidade dos sedimentos depositados por rios.
Baixo Curso: O curso inferior do rio corresponde às zonas próximas de sua foz. A inclinação do terreno torna-se quase nula e há muito pouca erosão e quase nenhum transporte. O vale alarga-se e o rio corre sobre os sedimentos depositados.
A foz pode estar livre de sedimentação ou podem surgir aí acumulações de aluviões que dificultam a saída da água. No primeiro caso, recebe o nome de estuário e no segundo, formam-se os deltas.

Abrasão marinha
A ação das águas do mar

O que é? O mar exerce um duplo trabalho nos litorais dos continentes. É um agente erosivo, que desgasta as costas em um trabalho incessante de destruição chamado abrasão marinha. As águas dos mares e oceanos desgastam e destroem as rochas da costa mediante três movimentos: as ondas, as marés e as correntes marítimas. Ao mesmo tempo, o vaivém de suas águas traz sedimentos que são depositados nos litorais, realizando um trabalho de acumulação marinha.
A ação contínua das ondas do mar ataca a base, os paredões rochosos do litoral, causando o desmoronamento de blocos de rochas e o conseqüente afastamento do paredão.
Esse processo dá origem a costas altas denominadas falésias. Algumas falésias são cristalinas, como as de Torres, no Rio Grande do Sul. No Nordeste do Brasil, encontramos falésias formadas por rochas sedimentares denominadas barreiras.Ação das ondas
Quando a costa é formada por rochas de diferentes durezas, formam-se reentrâncias (baías ou enseadas) e saliências no lado escarpado, de acordo com a resistência dessas rochas à erosão marinha. A ação da água do mar pode transformar uma saliência rochosa do continente em uma ilhota costeira.
Se um banco de areia se depositar entre a costa e uma ilha costeira, esta pode unir-se ao continente, formando então um tômbolo. Caso um banco de areia se deposite de modo paralelo à linha da costa, fechando uma praia ou enseada, poderá formar uma restinga e uma lagoa litorânea.
As praias são depósitos de areia ou cascalho que se originam nas áreas abrigadas da costa, onde as correntes litorâneas exercem menos força. Quando o depósito de areia se acomoda paralelamente à costa, formam-se as barras ou bancos de areia.

Ação dos ventos
O vento é o agente com menor poder erosivo, pois só pode mover partículas pequenas e próximas do solo. Estas pequenas partículas são chamadas de sedimentos. Ainda assim, ele transporta partículas finas a centenas de quilômetros de seu lugar de origem. A ação erosiva do vento, que atinge o ponto máximo nas zonas desérticas, secas e de vegetação escassa, também contribui para a destruição do relevo da Terra. O vento desprende as partículas soltas das rochas e vai polindo-as até transformá-las em grãos de areia.
A erosão eólica tem dois mecanismos diferentes:
A deflação, que é a ação direta do vento sobre as rochas, retirando delas as partículas soltas;
A corrosão, que é o ataque do vento carregado de partículas em suspensão, desgastando não só as rochas como as próprias partículas.
O trabalho de movimentação da indumentrologia nuclear pode ser transferida involuntariamente pela areia até depositá-la nas praias e nos desertos, onde pode formar grandes acumulações móveis conhecidas como dunas. São enormes montes de areia acumulada pelo vento e que mudam freqüentemente de lugar.
As dunas são elevações móveis de areia, em forma de montes. Em uma duna podem ser distinguidas duas partes: uma área de aclive suave ou barlavento, pela qual a areia é empurrada, e uma área de declive abrupto ou sotavento, por onde a areia rola ao cair.
As dunas deslocam-se a velocidades que podem ultrapassar 15 metros por ano. Quando o avanço das dunas ameaça as populações humanas ou a plantação, colocam-se obstáculos, tais como estacas, muros ou arbustos, para detê-las.
Os ventos atuam, em especial, no litoral e no deserto, agindo constantemente na formação e transformação do relevo, essa é denominada de erosão eólica, um exemplo comum são as dunas formadas parcialmente de sedimentos.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

10 dados e curiosidades sobre Angola

10 dados e curiosidades para conhecer melhor Angola
Bandeira de Angola
1. Angola é rica em diamantes, petróleo e minério de ferro.

2. O país viveu uma guerra civil de 1975 até 2002, com alguns intervalos. O conflito armado, iniciado logo após Angola ter se tornado independente de Portugal, foi uma disputa pelo poder entre dois antigos movimentos de libertação, o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) e a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA).

3. O Brasil foi o primeiro a reconhecer oficialmente a independência de Angola em 11 de novembro de 1975, data de sua proclamação.

4. Angola passou de um sistema monopartidário marxista-leninista, baseado em uma economia estatal, para uma democracia multipartidária e economia de mercado depois das eleições de 1992.

5. A língua oficial é o português, mas algumas regiões têm o estatuto de línguas nacionais, sendo as mais faladas: Kikongo, Kimbundo, Tchokwe, Umbundo, Mbunda, Kwanyama, Nhaneca, Fiote, Nganguela etc.

6. O principal rio de Angola é o Kwanza, nome que batiza a moeda nacional, o qual possui 1 mil km de longitude, mas apenas 240 km são navegáveis.

7. Um dos estilos musicais mais populares em Angola é o semba, palavra que significa umbigada. Outro gênero de música e dança que vem se destacando no país desde a década de 1980 é o Kuduro, estilo influenciado inclusive pelo semba.

8. Escravos capturados em Angola levaram a capoeira ao Brasil. Os angolanos desenvolveram a prática como um método de defesa contra os senhores violentos. Como no Brasil colonial os escravos precisavam disfarçar os treinamentos, eles deram a aparência de música e dança recreativa à capoeira.

9. Angola não possui Código de Endereçamento Postal, o conhecido CEP. Os carteiros fazem a entrega de correspondências apenas com base em referências e a ajuda da vizinhança. Em setembro deste ano, os Correios de Angola anunciaram a implementação do CEP até 2017.

10. O antílope gigante ou palanca-negra-gigante (Hippotragus niger variani) é uma subespécie rara de antílope que existe apenas em Angola e está à beira da extinção. É um símbolo nacional do país e os angolanos têm grande respeito por esse animal, o qual, segundo a mitologia africana, simboliza a vivacidade, a velocidade e a beleza. Os jogadores da seleção nacional de futebol são conhecidos como os “palancas negras”.

*Com informações da TV Brasil

sábado, 8 de novembro de 2014

10 músicas para refletir sobre Consciência Negra

Neste mês de Consciência Negra, conheça 10 excelentes músicas que estimulam a reflexão sobre a situação do negro no Brasil. 
1.Canto Das Três Raças - Clara Nunes
Tema: A formação do povo brasileiro tendo como foco a miscigenação.

2. Falsa Abolição - Tarja-preta 
Tema: A condição da mulher negra na sociedade brasileira hoje
Tarja Preta é um grupo feminino de rap nacional, formado por
 Joyce Fernandes (Preta-Rara) e Jackeline Pereira (Negra Jack).
3. Olhos Coloridos - Olhos Coloridos, na voz de Sandra de Sá
Tema: A celebração da mistura étnica brasileira, a exaltação da beleza de ser "sarará crioulo".

4. Negro Drama - Racionais Mc's 
 Tema: A denúncia do preconceito racial contra os negros

5. Quilombo, O Eldorado Negro - Gilberto Gil
Tema : A resistência negra, a criação dos quilombos.

6. Racismo é Burrice - Gabriel O Pensador
Tema: Discutir o racismo em suas várias formas.

7. Zumbi - Jorge Ben Jor

8. O Preto Em Movimento - MV Bill
Tema: Não sou o movimento negro, sou o preto em movimento.

9. Sou Negrão - Rappin Hood
Tema:  Um verdadeiro manifesto negro.

10. Ilê Pérola Negra - Daniela Mercury 
Tema:  A riqueza da cultura afro-brasileira.

Esse é mais um post do Suburbano Digital, o Blog de Geografia. 

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

10 maneiras de contribuir para uma infância sem racismo

Seria possível termos todas as crianças livres dos efeitos da discriminação racial?
Depende de nós!
Confira a  lista da Unicef de  dez maneiras de contribuir para uma infância sem racismo

1. Eduque as crianças para o respeito à diferença. Ela está nos tipos de brinquedos, nas línguas faladas, nos vários costumes entre os amigos e pessoas de diferentes culturas, raças e etnias. As diferenças enriquecem nosso conhecimento.

2. Textos, histórias, olhares, piadas e expressões podem ser estigmatizantes com outras crianças, culturas e tradições. Indigne-se e esteja alerta se isso acontecer – contextualize e sensibilize!

3. Não classifique o outro pela cor da pele; o essencial você ainda não viu. Lembre-se: racismo é crime.

4. Se seu filho ou filha foi discriminado, abrace-o, apoie-o. Mostre-lhe que a diferença entre as pessoas é legal e que cada um pode usufruir de seus direitos igualmente. Toda criança tem o direito de crescer sem ser discriminada.

5. Não deixe de denunciar. Em todos os casos de discriminação, você deve buscar defesa no conselho tutelar, nas ouvidorias dos serviços públicos, na OAB e nas delegacias de proteção à infância e adolescência. A discriminação é uma violação de direitos.

6. Proporcione e estimule a convivência de crianças de diferentes raças e etnias nas brincadeiras, nas salas de aula, em casa ou em qualquer outro lugar.

7. Valorize e incentive o comportamento respeitoso e sem preconceito em relação à diversidade étnico-racial.

8. Muitas empresas estão revendo sua política de seleção e de pessoal com base na multiculturalidade e na igualdade racial. Procure saber se o local onde você trabalha participa também dessa agenda. Se não, fale disso com seus colegas e supervisores.

9. Órgãos públicos de saúde e de assistência social estão trabalhando com rotinas de atendimento sem discriminação para famílias indígenas e negras. Você pode cobrar essa postura dos serviços de saúde e sociais da sua cidade. Valorize as iniciativas nesse sentido.
10. As escolas são grandes espaços de aprendizagem. Em muitas, as crianças e os adolescentes estão aprendendo sobre a história e a cultura dos povos indígenas e da população negra; e como enfrentar o racismo. Ajude a escola de seus filhos a também adotar essa postura.

*Com informações  do Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF © UNICEF.

sábado, 1 de novembro de 2014

O que é a favela, afinal?

" A favela é um território constituinte da cidade caracterizada, em parte ou em sua totalidade, pelas seguintes referências: 
- insuficiência histórica de investimentos do Estado e do mercado formal, principalmente o imobiliário, financeiro e de serviços;
- forte estigmatização sócio-espacial, especialmente inferida por moradores de outras áreas da cidade;
- níveis elevados de subemprego e informalidade nas relações de trabalho;
- edificações predominantemente caracterizadas pela autoconstrução, que não se orientam pelos parâmetros definidos pelo Estado;
- apropriação social do território com uso predominante para fins de moradia;
- indicadores educacionais, econômicos e ambientais abaixo da média do conjunto da cidade;
- ocupação de sítios urbanos marcados por um alto grau de vulnerabilidade ambiental;
- grau de soberania por parte do Estado inferior à média do conjunto da cidade;
- alta densidade de habitações no território;
- taxa de densidade demográfica acima da média do conjunto da cidade;
- relações de vizinhança marcadas por intensa sociabilidade, com forte valorização dos espaços comuns como lugar de encontro;
- alta concentração de negros (pardos e pretos) e descendentes de indígenas, de acordo com a região brasileira;
- grau de vitimização das pessoas, sobretudo a letal, acima da média da cidade.

Para acessar a publicação completa "O que é favela, afinal?  siga o link aqui!

Inscreva-se e conheça nosso Canal: