sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Exercícios sobre a ditadura civil-militar no Brasil (1964-1985)

Questão 01 - EAD / UFPR 2016 - A revolução se distingue de outros movimentos armados pelo fato de que nela se traduz, não o interesse e a vontade de um grupo, mas o interesse e a vontade da Nação.
(Trecho do Ato Institucional número 1, de 09 de abril de 1964.)
A respeito do contexto de início da ditadura civil-militar brasileira, considere as seguintes afirmativas:
1. Uma das ações do presidente João Goulart, que contribuiu para a sua perda de legitimidade perante parte da população, foi o decreto da Superintendência da Reforma Agrária.
2. A Marcha da Família com Deus pela Liberdade, realizada em São Paulo em março de 1964, demonstrava que uma parte da população estava insatisfeita com os rumos do governo de Jango.
3. Em defesa do governo de João Goulart, Brizola organizou no Rio Grande do Sul uma significativa ação militar e popular.
4. Muitos militares e civis que assumiram – ou foram mantidos – no poder, naquele contexto, tinham forte ligação com a Escola Superior de Guerra.
5. Uma das ações do governo foi a criação, em 1966, do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, que trouxe consequências negativas para os trabalhadores, como a corrosão do valor pela correção monetária abaixo da inflação.
6. O Ato Institucional nº 1 suspendeu o calendário para eleições diretas para o governo dos Estados, o que evitou que candidatos de oposição chegassem ao poder.
7. Em novembro de 1964, foi lançado o Programa de Ação Econômica do governo, por meio do qual este buscou, entre outros objetivos, reduzir o déficit do setor público e controlar os gastos dos Estados.
São verdadeiras as afirmativas:
a) 1, 3, 5 e 6 apenas.
b) 2, 3, 4 e 6 apenas.
c) 2, 4, 6 e 7 apenas.
d) 1, 2, 4, 5 e 7 apenas. 
e) 1, 3, 4, 5 e 7 apenas.

Questão 02 - FUVEST 2013 - Transferência – No dia 13 de março de 1964, o jornal O Estado de S. Paulo publicou um editorial intitulado “O presidente fora da lei”, onde se liam as seguintes palavras: É, evidentemente, a última etapa do movimento subversivo que, já agora, não há dúvidas nenhumas, é chefiado sem disfarces pelo homem de São Borja. E é também o momento de as Forças Armadas definirem, finalmente, a sua atitude ambígua ante a sistemática destruição do regime pelo sr. João Goulart, apoiado nos comunistas. Luiz A. Dias. “Informação e formação: apontamentos sobre a atuação da grande imprensa paulistana no golpe de 1964”. N. Odalia & J.R. Caldeira [orgs]. História do Estado de São Paulo v.2. São Paulo: Imprensa Oficial, 2012, p.412.
O texto indica que, no Brasil de 1964,
a) havia uma possibilidade real de que João Goulart entregasse o governo do país à União Soviética, o que levou a opinião pública a defender, em massa, a democracia.
b) quando do golpe civil-militar, tanto João Goulart quanto as Forças Armadas mantiveram sua tradicional ambiguidade frente às grandes questões políticas do país.
c) a sociedade civil estava firmemente mobilizada em defesa do regime constitucional, o que a levou a depor tanto o governo de João Goulart como o militar que o sucedeu.
d) vários grandes órgãos de imprensa apoiaram o golpe civil-militar, contribuindo inclusive para a formação, na opinião pública brasileira, de um clima a ele favorável. 
e) O Estado de São Paulo era o único jornal a dispor de informações secretas acerca do golpe militar urdido em São Borja, e que teria João Goulart como seu comandante.

Questão 03 - IFMG - 2015/1 - “A edição do AI-2 não deixava dúvidas acerca das intenções políticas do novo regime em perpetuar-se no poder. Ao mesmo tempo, porém, procurava dar ao regime uma fachada democrática: ao extinguir todos os partidos políticos então existentes, substituía-os por dois únicos partidos: a Aliança Renovadora Nacional (Arena) – governista – e o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) – supostamente congregando a oposição, mas limitado em sua organização e no campo das manifestações públicas.” 
(NAPOLITANO, Marcos. O regime militar brasileiro: 1964-1985. São Paulo: Atual, 1998.) 
Com relação aos primeiros anos da ditadura civil-militar no Brasil, é correto afirmar que: 
A) o golpe que instaurou o novo regime foi arquitetado exclusivamente por militares, preocupados em afastar definitivamente a sociedade civil da política. 
B) o regime civil-militar praticou o alinhamento com os Estados Unidos, apesar de este último ter sido contra a implantação de um governo autoritário no Brasil, devido à defesa dos valores democráticos.  
C) a base do golpe civil-militar de 1964 pode ser percebida na defesa das Reformas de Base pelos militares e pelos setores empresariais e pela oposição de João Goulart, que pensava que tais reformas prejudicariam a entrada de capitais estrangeiros no país. 
 D) a Lei de Segurança Nacional, promulgada concomitantemente à Constituição de 1967, pretendia facilitar a atuação de órgãos de segurança do Estado contra os denominados “inimigos internos”. 

Questão 04 - UERR - 2017.1 - Em 1964, quase todos os jornais mais importantes do Brasil apoiaram entusiasticamente um Golpe de Estado que derrubou o presidente legítimo, João Goulart, depois de intensa campanha de propaganda e desestabilização. A capa do jornal O Globo de 2 de abril de 1964, reproduzida abaixo, comemorava o Golpe que suprimiu o regime democrático constitucional afirmando que se tratava, ao contrário, de “ressurgimento da democracia”, mesmo com o povo perdendo o direito de escolher seu governo. Começaria ali a mais longa ditadura da história brasileira.
Sobre a Ditadura Civil-Militar (1964-1985), leia atentamente as alternativas abaixo e assinale a única afirmação correta:
A) Todos os governadores do então Território Federal de Roraima, indicados pelo governo ditatorial, foram civis.
B) O Golpe de 1964 foi exclusivamente militar, sem participação de setores civis do empresariado, igrejas ou meios de comunicação de massa.
C) Ao encerrar-se oficialmente em 1985, o período ditatorial deixou a inflação sob controle, reduziu a dívida externa e completou 21 anos sem nenhum escândalo de corrupção e mostrando total respeito aos direitos humanos.
D) A doutrina da Segurança Nacional era compartilhada pelos generais que governaram ditatorialmente o Brasil, a Argentina, o Chile e o Uruguai nas décadas de 1970 e 1980, mas não houve nenhuma tentativa de cooperação entre essas ditaduras.
E) Em 1968, o AI-5 (Ato Institucional n.º 5) destruiu a autonomia do Judiciário e Legislativo, permitindo ao presidente-ditador fechar o Congresso, censurar os meios de comunicação e prender arbitrariamente qualquer cidadão.

Questão 05 - CEFET-MG - 2011-1 - Técnico Subsequente - O governo civil-militar brasileiro (1964-1985) tentou impedir as manifestações da sociedade. Apesar disso, os movimentos de oposição ao Estado autoritário ganharam força. Entre essas diversas lutas promovidas a partir de 1977 por entidades representativas da sociedade, NÃO se inclui a(o) 
a) mobilização popular nas ruas em favor da eleição direta para Presidente. 
b) movimento pela Anistia ampla, geral e irrestrita para anular os processos judiciais de natureza política. 
c) campanha em defesa dos Direitos Humanos contra a tortura e os maus-tratos aos presos políticos do regime militar. 
d) programa das reformas de base para promover alterações estruturais nos sistemas fundiário, urbano, bancário e educacional do país.

Questão 06 - IFBA 2018 - Subsequente - A ditadura implantada desde 1964 até 1985 se autoproclamava como uma revolução que retomou a democracia no Brasil, ameaçada pelo comunismo, pela corrupção e pela inflação. No entanto, os historiadores caminham para um entendimento de que o que aconteceu em 1964 foi um golpe de Estado de caráter “Civil-Militar”. Por quê? 
A) Contou com o apoio de toda a sociedade que saiu às ruas em marchas contra o comunismo e silenciou-se frente a tortura de militantes contrários à ditadura. 
B) Porque parte dos militares golpistas estavam na Reserva. 
C) Porque pretendia devolver o governo para os civis assim que o “inimigo interno” fosse vencido. 
D) Porque, como toda revolução, não pode ser feita sem a participação do povo, apoiando a tomada de poder. 
E) Porque setores do alto empresariado, associados a empresas internacionais, e grandes proprietários de terra financiaram e organizaram associações conspiratórias e desestabilizadoras durante o governo João Goulart e depois dele apoiaram o regime.

Questão 07 - IFRR 2015.1 - Em 2014 completaram-se cinquenta anos de um evento que deixou profundas marcas na história política do Brasil contemporâneo: a derrubada do presidente João Goulart por um grupo de militares apoiados por civis de oposição. Os governos que seguiram a esse evento tiveram como características:
I – O alinhamento político econômico com o bloco capitalista no contexto da Guerra Fria;
II – O emprego das cassações políticas, das prisões e da tortura como métodos sistemáticos de controle da oposição;
III – Altos índices de crescimento do PIB e aumento da disparidade entre ricos e pobres.
Estão associados à Ditadura Civil-militar apenas:
(A)O item II
(B) Os itens I e II
(C) Os itens II e III
(D) Os itens I, II e III 
(E) O item III

Questão 08 - EAD / UFPR 2016 - O processo de redemocratização do Brasil pós-ditadura civil-militar teve alguns momentos e elementos marcantes, como a Constituição de 1988. Com relação a esse contexto, numere a coluna da direita de acordo com sua correspondência com a coluna da esquerda.
1. Primeira eleição direta para presidente da República, desde 1960.
2. Auge da Campanha pelas Diretas Já.
3. Realização da eleição indireta para presidente da República, com a vitória de Tancredo Neves.
4. Legislação restabelece as eleições diretas para a presidência da República.
5. Lançamento do Plano Cruzado, que mudou o nome da moeda brasileira de cruzeiro para cruzado.
( ) 1984.
( ) Maio de 1985.
( ) 1986.
( ) 1989.
( ) Janeiro de 1985.
Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta da coluna da direita, de cima para baixo.
a) 3 – 4 – 2 – 1 – 5.
b) 3 – 1 – 2 – 4 – 5.
c) 2 – 5 – 1 – 4 – 3.
d) 4 – 1 – 5 – 3 – 2.
e) 2 – 4 – 5 – 1 – 3.

Questão 09 - UDESC  2019/2 - A partir de 1964 tem-se, no Brasil, a instauração de um regime que ficou popularmente conhecido como Ditadura Militar, instaurado a partir da deposição do então presidente João Goulart. Alguns historiadores, como Daniel Araão Reis Filho, reivindicaram, porém, a nomenclatura de Ditadura Civil Militar, na medida em que o regime contou com a participação civil. Para justificar esta nomenclatura e exemplificar este envolvimento cita(m)-se:
A. A atuação maciça do clero, especialmente pela CNBB que, durante todo o período da ditadura, temeu a instauração do comunismo no Brasil.
B. A participação popular, que manifestava apoio ao governo militar por meio dos pleitos para cargos no executivo e no legislativo.
C. As manifestações de apoio aos militares, como a passeata dos 100 mil e as campanhas de anistia.
D. A participação de políticos civis, grupos midiáticos e empresários, que davam sustentação ao governo dos militares, apoiando-os.
E. A presença de civis nos cargos do executivo. 

GABARITO
01 - D
02 - D
03 - D
04 - E
05 - D
06 - E
07 - D
08 - E
09 - D

Nenhum comentário: