quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Exercícios sobre a Revolta da Vacina - com gabarito

Questão 01 - UERJ 2001 - 1º Exame de Qualificação -

A caricatura acima, publicada inicialmente em 1904, refere-se à vacinação obrigatória, que foi uma importante motivação para a Revolta da Vacina. Este movimento se apresentou como resultado de:
(A) imposição de uma política sanitarista pelo Estado
(B) apelo da população por melhores condições de vida
(C) reação do povo desinformado ao poder civilizatório das elites
(D) valorização das problemáticas da área de saúde pelo Congresso Nacional

Questão 02 - IFBA 2017 - Integrado - 
A imagem acima representa uma das Revoltas da história do Brasil, início do século XX: a Revolta da Vacina. Ocorrida no Rio de Janeiro, esse movimento demonstra os problemas mais recorrentes do Brasil nesse período, dentre os quais podemos destacar:
A) As reformas urbanas promovidas na época, que desalojaram centenas de moradores dos cortiços.
B) Diversas revoltas populares contrárias à manutenção da escravidão no início da República.
C) As medidas impopulares do governo da época, Deodoro da Fonseca, que estabelecia a continuidade do voto censitário.
D) A insatisfação popular contra o Regime Republicano e a centralização do Poder Moderador.
E) O fim da vacinação obrigatória, representada na imagem, e o controle, já efetivo nesse período, de doenças como a varíola.

Questão 03 - FCC - 2018 - TRT - 15ª Região (SP) - Entre as causas da Revolta da Vacina (1904), encontram-se
(A) as medidas autoritárias tomadas pelo governo estadual no processo de higienização da cidade e as revoltas sociais causadas pelo “encilhamento”, política econômica que provocou inflação, falências e desemprego no começo da República.
(B) a indignação popular causada pela repressão ao levante dos marinheiros negros contrários aos castigos corporais nos navios da Marinha de Guerra, e as barricadas urbanas decorrentes da intervenção policial nos morros cariocas, em perseguição aos capoeiras.
(C) a imposição de regras de moradia popular, com base na política sanitarista vigente, e a rebelião popular organizada pelo partido monarquista, que acusava a República emergente de anticonstitucionalismo e militarismo.
(D) as tensões sociais urbanas causadas pelo deslocamento de populações pobres do centro por causa das reformas urbanísticas do Rio de Janeiro e as tensões políticas envolvendo grupos positivistas e liberais na Primeira República.
(E) a insatisfação dos cariocas com a tentativa de golpe militar pelos partidários do Presidente Prudente de Moraes, e a reação popular causada pela obrigatoriedade da vacinação contra a Febre Amarela, extensiva a todos os bairros da cidade.

Questão 04 - ENEM 2011 -

Charge capa da revista “O Malho”, de 1904. Disponível em: http://1.bp.blogspot.com.

A imagem representa as manifestações nas ruas da cidade do Rio de Janeiro, na primeira década do século XX, que integraram a Revolta da Vacina. Considerando o contexto político-social da época, essa revolta revela
A) a insatisfação da população com os benefícios de uma modernização urbana autoritária.
B) a consciência da população pobre sobre a necessidade de vacinação para a erradicação das epidemias.
C) a garantia do processo democrático instaurado com a República, através da defesa da liberdade de expressão da população.
D) o planejamento do governo republicano na área de saúde, que abrangia a população em geral.
E) o apoio ao governo republicano pela atitude de vacinar toda a população em vez de privilegiar a elite.

Questão 05 - UFU 1998-2 - História - A Revolta da Vacina foi um "exemplo quase único na história do país de movimento popular de êxito baseado na defesa do direito dos cidadãos de não serem arbitrariamente tratados pelo governo".
CARVALHO, J. Murilo de. Os bestializados O Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo, Cia Das Letras, 1987, p.138-9 
Sobre este movimento, assinale a afirmativa INCORRETA. 
A) Operários, comerciantes, estudantes, pivetes e as chamadas "classes perigosas" participaram da revolta, saqueando, incendiando bondes e depredando prédios públicos.
B) O desemprego, provocado pela política antiindustrial do governo, foi uma das razões que explicavam a Revolta da Vacina, pois aumentava a miséria da população e agravava o clima de tensão social.
C) Outro fator importante para a eclosão do movimento foi a modernização da cidade do Rio de Janeiro, no governo do prefeito Pereira Passos, que provocou a demolição de cortiços, desabrigando milhares de pessoas pobres.
D) A revolta contra a vacina obrigatória foi um movimento de ex-escravos dos morros do Rio de Janeiro, assumindo um caráter de luta racial.
E) A resistência à obrigatoriedade da vacina contra varíola foi o pretexto utilizado pelos manifestantes para protestar contra a falta de democracia, a arbitrariedade e violência do governo, o aumento brutal dos preços e os baixos salários.

Questão 06 - Mackenzie 2008 - 1º dia -

A ilustração dada faz referência a um sério distúrbio social ocorrido nos primeiros anos do século XX, no Rio de Janeiro, envolvendo a figura do eminente sanitarista Osvaldo Cruz. Desse distúrbio é incorreto afirmar que
a) em suas origens, havia o descontentamento da população pobre da cidade, sobretudo por causa do plano de remodelação urbana implantado no governo de Rodrigues Alves (1902-1906), que, entre outras coisas, desalojou parte dessa população dos quarteirões de bairros centrais para abertura de avenidas e alargamento de ruas.
b) a decretação da obrigatoriedade da vacinação foi a razão imediata de o povo, já descontente com as desapropriações e demolições, insurgir-se contra os agentes sanitários, transformando o Rio de Janeiro em palco de violentos confrontos com a polícia.
c) a forma arbitrária e violenta com que as “brigadas sanitárias” realizavam a vacinação — invasão dos domicílios para, à força, vacinar as pessoas — provocou a indignação da população, que, ademais — não adequadamente esclarecida — desconhecia os verdadeiros efeitos médicos da medida.
d) a reação violenta da população deve ser entendida num contexto social mais amplo, de reação a um processo de modernização excludente do ambiente urbano, agravado pela atitude discricionária do poder público.
e) o grau de violência que a revolta atingiu, evidenciou o extremo conservadorismo da população, contrária a qualquer forma de modernização ou progresso, quer urbanística quer científica.

Questão 07 - FUVEST 2009 - No início do século XX, focos de varíola e febre amarela fizeram milhares de vítimas na cidade do Rio de Janeiro. Nesse mesmo período, a atuação das Brigadas Mata-Mosquitos, a obrigatoriedade da vacina contra a varíola e a remodelação da região portuária e do centro da cidade geraram insatisfações entre as camadas populares e entre alguns políticos. Rui Barbosa, escritor, jurista e político, assim opinou sobre a vacina contra a varíola: “...não tem nome, na categoria dos crimes do poder, a temeridade, a violência, a tirania a que ele se aventura (...) com a introdução, no meu sangue, de um vírus sobre cuja influência existem os mais bem fundados receios de que seja condutor da moléstia ou da morte.”
Considerando esse contexto histórico e as formas de transmissão e prevenção dessas doenças, é correto afirmar que:
A) a febre amarela é transmitida pelo ar e as ruas alargadas pela remodelação da área portuária e central da cidade permitiriam a convivência mais salubre entre os pedestres.
B) o princípio de ação da vacina foi compreendido por Rui Barbosa, que alertou sobre seus efeitos e liderou a Revolta da Vacina no Congresso Nacional.
C) a imposição da vacina somou-se a insatisfações populares geradas pela remodelação das áreas portuária e central da cidade, contribuindo para a eclosão da Revolta da Vacina. 
D) a varíola é transmitida por mosquitos e o alargamento das ruas, promovido pela remodelação urbana, eliminou as larvas que se acumulavam nas antigas vielas e becos.
E) a remodelação da área portuária e central da cidade, além de alargar as ruas, reformou as moradias populares e os cortiços para eliminar os focos de transmissão das doenças.

Questão 08 - FUVEST 2003 - 1ª fase - “Não é por acaso que as autoridades brasileiras recebem o aplauso unânime das autoridades internacionais das grandes potências, pela energia implacável e eficaz de sua política saneadora [...]. O mesmo se dá com a repressão dos movimentos populares de Canudos e do Contestado, que no contexto rural [...] significavam praticamente o mesmo que a Revolta da Vacina no contexto urbano”.
Nicolau Sevcenko. 
A revolta da vacina. De acordo com o texto, a Revolta da Vacina, o movimento de Canudos e o do Contestado foram vistos internacionalmente como 
a) provocados pelo êxodo maciço de populações saídas do campo rumo às cidades logo após a abolição.
b) retrógrados, pois dificultavam a modernização do país.
c) decorrentes da política sanitarista de Oswaldo Cruz.
d) indícios de que a escravidão e o império chegavam ao fim para dar lugar ao trabalho livre e à república.
e) conservadores, porque ameaçavam o avanço do capital norte-americano no Brasil.

Questão 09 - Albert Einstein (Medicina) - 2016 - “A revolta não visava o poder, não pretendia vencer, não podia ganhar nada. Era somente um grito, uma convulsão de dor, uma vertigem de horror e indignação. Até que ponto um homem suporta ser espezinhado, desprezado e assustado? Quanto sofrimento é preciso para que um homem se atreva a encarar a morte sem medo? E quando a ousadia chega nesse ponto, ele é capaz de pressentir a presença do poder que o aflige nos seus menores sinais: na luz elétrica, nos jardins elegantes, nas estátuas, nas vitrines de cristal, nos bancos decorados dos parques, nos relógios públicos, nos bondes, nos carros, nas fachadas de mármore, nas delegacias, agências de correio e postos de vacinação, nos uniformes, nos ministérios e nas placas de sinalização.”
Nicolau Sevcenko. A revolta da vacina. São Paulo: Brasiliense, 1984, p. 68. 
O texto trata da Revolta da Vacina, ocorrida em 1904, e associa a reação popular contra a vacinação obrigatória 
a) à irracionalidade da população do Rio de Janeiro e aos benefícios que a vacina traria para a saúde pública.
b) ao programa higienizador empreendido pelo prefeito do Rio de Janeiro e ao amplo esclarecimento da opinião pública quanto aos benefícios da vacina.
c) à participação de funcionários de todos os setores do governo federal na campanha de erradicação dos focos epidêmicos.
d) ao projeto de reurbanização do Rio de Janeiro e às diversas formas de segregação e exclusão social que ele promoveu.

Questão 10 - FGV-SP 2003/2 - 1ª fase - A cidade é um monstro onde as epidemias se albergam dançando sabats magníficos, aldeia melancólica de prédios velhos e alçapados, a descascar pelos rebocos, vielas sórdidas cheirando mal."
Nosso Século. São Paulo: Abril Cultural/Círculo do Livro, 

Era dessa forma que o jornalista Luiz Edmundo descrevia o Rio de Janeiro no começo do século XX. De fato, em 1904 eclodia na cidade a chamada Revolta da Vacina. Essa rebelião popular foi provocada:
a) pelo profundo descontentamento com a epidemia de dengue que afligia a cidade.
b) pela decisão do governo de limitar a importação de vacinas contra a febre amarela.
c) pela recusa do governo de promover a vacinação contra a peste bubônica.
d) pelo cancelamento da vacinação contra a paralisia infantil.
e) pelo decreto que tornava obrigatória a vacinação contra a varíola.

GABARITO
01 - A
02 - A
03 - D
04 - A
05 - D
06 - E
07 - C
08 - B
09 - D
10 - E

Nenhum comentário: