sábado, 19 de janeiro de 2019

Exercícios sobre o Governo Médici - com gabarito

Questão 01 - VUNESP - 2014 - PM-SP - A economia vai bem, mas o povo vai mal.
(Revista Visão, página 47, 1974)
A frase proferida, segundo fontes da época, pelo então presidente Emílio Garrastazu Médici, fazia referência 
(A) à vinda das multinacionais norte-americanas para o país, aumentando a oferta de empregos, cujas vagas não foram preenchidas pela escassez de trabalhadores com qualificação para ocupar os cargos oferecidos. 
(B) ao saneamento econômico do país, que permitiu a construção de obras como a Rodovia Transamazônica que, no entanto, comprometeram a saúde dos trabalhadores pelas condições de trabalho na floresta. 
(C) ao crescimento econômico do país, bastante significativo em função do chamado “milagre brasileiro”, e à acentuação da desigualdade social em função da brutal concentração de renda. 
(D) à tentativa de controle da inflação por meio da implantação de um novo padrão monetário, o Cruzeiro, objetivo não atingido pelo motivo de a nova moeda gerar um aumento do consumo pela população. 
(E) aos esforços do governo militar no sentido de buscar a autonomia industrial e tecnológica do país, em oposição aos desejos da maior parte da população, favorável à entrada de capital estrangeiro. 

Questão 02 - UFU 2001 -2 - História - 
Leia com atenção os slogans. 
“Pra frente Brasil” 
“Ninguém segura este país” 
“Até 1964 o Brasil era o país do futuro: agora o futuro chegou” 
“Brasil, ame-o ou deixe-o”. 
As alternativas, abaixo, propõem uma leitura destes slogans, relacionando-os às questões políticas, econômicas e sociais do período da ditadura militar do governo Médici. 
I) A política de nacionalização da economia aumentou o ritmo da industrialização e da geração de empregos, elevando os salários dos trabalhadores urbanos e rurais e justificando, portanto, a noção de que o Brasil caminhava “pra frente”. 
II) Enquanto o discurso oficial aproveitava conquistas esportivas, como o tricampeonato mundial de futebol, para criar um clima de euforia e ufanismo, na base do “ninguém segura este país”, a repressão perseguiu e a censura calou as forças de oposição ao governo militar. 
III) O sentimento compartilhado pela população brasileira de que “o futuro chegou” era respaldado pelo chamado “milagre econômico”, que produziu uma distribuição de renda mais equitativa, criando as condições para a ampliação do consumo de bens duráveis, eletrodomésticos, acesso à educação e à aquisição da casa própria. 
IV) O slogan “Brasil, ame-o ou deixe-o”, profundamente intolerante, expressava a ideia veiculada pelo discurso oficial de que opor-se ao governo, por qualquer meio, era um ato contrário aos interesses legítimos da nação brasileira, que buscava a paz, a harmonia e a ordem social, asseguradas pelos governos militares. 
Assinale a alternativa correta. 
A) II e III são corretas. 
B) I e II são corretas. 
C) III e IV são corretas.
D) II e IV são corretas. 

Questão 03 - UFF/1997 - 1ª Etapa - "Brasil, ame-o ou deixe-o" foi um dos célebres slogans do regime militar, em torno de 1970, época em que o Governo Médici divulgava a imagem do "Brasil Grande" e proclamava o "Milagre Econômico" que faria do país uma grande potência. Assinale a opção que caracteriza corretamente a política econômica correspondente ao chamado "Milagre".
(A) Fusão do capital industrial e do bancário, gerando monopólios capazes de impor preços inflacionários, dos quais resultaram o crescimento econômico e o aumento do mercado consumidor nos grandes centros urbanos.
(B) Desenvolvimento de obras de infra-estrutura, a exemplo de hidrelétricas e rodovias, com base na poupança nacional e no investimento de bancos públicos.
(C) Crescimento econômico e aquecimento do mercado de bens duráveis ancorados em políticas salariais redistributivas e na indexação de rendimentos do mercado financeiro.
(D) Elevados investimentos no setor de bens de capital e na indústria automobilística combinados a uma vigorosa agricultura comercial de médio porte.
(E) Incentivo à entrada maciça de capitais estrangeiros combinada ao arrocho salarial, resultando em elevados índices de crescimento econômico e inflação baixa.

Questão 04 - Mackenzie 2001 - Frases como “Ninguém segura este país”, “Brasil ame-o ou deixe-o” e “Prá frente Brasil” marcaram um governo do ciclo militar pós 64 que, utilizando-se da censura e eficiente máquina de propaganda, apresentava o país como uma ilha de paz e prosperidade a caminho de tornar-se uma grande potência, ocultando a repressão e as desigualdades do modelo econômico. Trata-se do governo de:
a) Humberto de Alencar Castelo Branco.
b) João Batista Figueiredo.
c) Artur da Costa e Silva.
d) Ernesto Geisel.
e) Emílio Garrastazu Médici.

Questão 05 - FCC - 2010 - Casa Civil-SP - Considere a charge e o texto.
(Ziraldo. In: Edgard Luiz de Barros. Os governos militares. São Paulo: Contexto, 1992 p. 70)

No governo Médici a miséria social estrangulou milhões de pessoas, empurradas para as periferias das grandes cidades. A análise da charge e o conhecimento histórico permitem inferir que no governo a que o texto faz referência
(A) disseminava-se os ideais de uma política de distribuição de renda por meio de propaganda, criada pelo regime militar, da vitória da seleção brasileira de futebol na Copa de 1970.
(B) procurava-se desmistificar a vitória da seleção brasileira de futebol na Copa de 1970, com a exposição da miséria da população, resultante da política econômica do regime militar.
(C) vivia-se da ilusão criada pela vitória da seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo de 1970, usada como poderoso instrumento de propaganda política pelo regime militar. 
(D) divulgava-se a vitória da seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo de 1970, como estratégia do regime militar para incutir hábitos culturais da elite e reduzir a miséria.
(E) associava-se a vitória da seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo de 1970 à preocupação do regime militar em criar políticas sociais para reduzir as desigualdades sociais.

Questão 06 - UEMA - PAES 2010 - O cartaz abaixo foi utilizado na comemoração da Semana da Pátria em 1971, na época do governo de Emílio Garrastazu Médici (1969-1974). Sobre esse governo, é correto afirmar que houve 
a) crescimento nos salários e um clima de euforia econômica, ao mesmo tempo em que eram realizadas grandes obras, como a Transamazônica e a construção da hidroelétrica de Itaipu, com repressão à luta armada (“ordem e progresso”).
b) crescimento econômico conjugado com uma distribuição de renda mais justa e aumento na expectativa de vida no território nacional, o que, para muitos, compensava a falta de liberdade política, daí o slogan “ninguém segura este país”. 
c) crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), importação de máquinas e modernização da produção, o que era a expressão de uma melhor divisão de renda entre ricos e pobres no país, gerando otimismo (“ninguém segura este país”). 
d) crescimento da produção, aumento do endividamento externo e achatamento dos salários, de forma que o slogan “ninguém segura este país” foi utilizado como propaganda do regime militar sem ter proporcionado a estabilidade econômica esperada. 
e) crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), mas aumento do endividamento externo, o que ficou conhecido como “Milagre Econômico”; a renda do trabalhador cresceu e por isso as greves diminuíram, daí o slogan “ninguém segura este país”.

Questão 07 - UNIFOR - 2006.2 - Analise o trecho da poesia e o texto que seguem. 
“(...) Que é do meu coração? 
Está no México, voou certeiro, sem me consultar(...) 
(...) Sou o estádio de Jalisco, triturado 
de chuteiras, a grama sofredora 
a bola mosqueada e caprichosa. 
Assistir? Não assisto. Estou jogando.(...) 
De repente o Brasil ficou unido
Contente de existir, trocando a morte 
O ódio, a pobreza, a doença, o atraso triste 
Por um momento puro de grandeza 
E afirmação no esporte (...)” 
(Carlos Drummond de Andrade. Copa do mundo de 70. Poesia e Prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar,1979. p. 694-1) 

Sinto-me feliz, todas as noites, quando ligo a televisão para assistir ao jornal. Enquanto as notícias dão conta de greves, agitações, atentados e conflitos em várias partes do mundo, o Brasil marcha em paz, rumo ao desenvolvimento. É como se eu tomasse um tranqüilizante, após um dia de trabalho. 
(Presidente Emílio Garrastazu Médici, 22/03/73 – Nosso século. S. Paulo: Abril Cultural, 1986. v.10, p. 50) 

Os textos referem-se a um período da história republicana do Brasil, caracterizado como:
(A) Regime Populista, marcadamente nacionalista e reformista, com programas de interesse comum aos trabalhadores e à burguesia. 
(B) Estado Fascista, que teve como princípios o nacionalismo, o militarismo, o unipartidarismo, com programas de incentivo aos esportes para a conquista plena da cidadania. 
(C) Regime Militar, caracterizado pelo fortalecimento do Poder Executivo em detrimento do Legislativo, cerceamento da liberdade de imprensa e repressão à oposição. 
(D) República Militar, instaurada para combater a anarquia, em defesa da democracia, do pluripartidarismo e do desenvolvimento econômico. 
(E) Regime Oligárquico, dominado pelos grandes proprietários preocupados em garantir estabilidade ao país e garantir o pagamento da dívida externa brasileira.

Questão 08 - PUC-SP 2012 - "Os anos 70, que se iniciaram em 1969, foram terríveis. Todo mundo parecia apoiar a ditadura. Os brasileiros começaram a década torcendo pelo Brasil na Copa, '90 milhões em ação', unidos em torno da excelente seleção, que levou o tricampeonato. A vitória deu grande prestígio a Emílio Garrastazu Médici, o militar de plantão no governo. O plano econômico, apelidado de 'milagre brasileiro', além de enriquecer ainda mais a burguesia, propiciou a expansão da classe média e ., elevou os padrões de consumo de muitas famílias: eletrodomésticos, um carr9, o segundo carro, financiamentos da casa própria pelo Banco Nacional da Habitação, o BNH. Mas, principalmente, o começo dos anos 70 marca o início da era da televisão no Brasil." 
Maria Rita Kehl. 'As duas décadas dos anos 70", in Anos 70: trajetórias. São Paulo: Iluminuras, 2006, p. 32. Adaptado. 
O texto faz um balanço da década de 1970 no Brasil e destaca, entre outros aspectos, o 
a) aumento da carestia, avanço do populismo e a explosão no consumo de bens de primeira necessidade. 
b) surgimento da indústria automobilística, a vitória eleitoral dos militares e a forte repressão à oposição institucional. 
c) aumento da prática de esportes, a militarização do cotidiano e o declínio do militar. 
d) surgimento do sonho da casa própria, a superação da hiperinflação e a plena democratização do país. 
e) aumento das desigualdades sociais, o avanço da cultura de massa e o autoritarismo político. 

Questão 09 - CFTMG 2005 - Em 30 de outubro de 1969, o general Médici dá início ao governo que representará o período mais absoluto de repressão, violência e supressão das liberdades civis de nossa história republicana. Sobre esse período da história, é correto afirmar que a(o) 
a) governo Médici implantou o pluripartidarismo no País para compensar os atos de repressão e violência, apesar de seu caráter autoritário. 
b) governo Médici impôs o Ato Institucional Nº 5 com o objetivo de promover eleições diretas para governadores dos estados brasileiros, através de uma ampla mobilização popular. 
c) ARENA, partido político que representou o regime militar, sofreu drástica derrota eleitoral no início dos anos 70, em razão do baixo crescimento econômico do período. 
d) Doutrina de Segurança Nacional, elaborada pelos militares, com o lema "segurança e desenvolvimento", impediu o crescimento da oposição de esquerda ao regime implantado em 1964.

Questão 10 - ENEM 2014 - 3ª Aplicação - 

Na charge, Ziraldo ironiza um lema adotado pelo governo Médici (1969-1974), denunciando que Na charge, Ziraldo ironiza um lema adotado pelo governo Médici (1969-1974), denunciando que
A) os exilados foram expulsos porque não tinham amor à pátria.
B) o caminho para os movimentos de oposição era a fuga do país.
C) o amor à pátria era um sentimento desprezado pelo regime militar.
D) a propaganda governamental ocultava a postura autoritária do regime.
E) a passividade do povo brasileiro era prejudicial ao desenvolvimento da nação.

Questão 11 - VUNESP - 2014 - MPE-SP - O desenvolvimento e crescimento econômico advindos da estabilização da economia contribuíram para estabilidade governamental. O governo Médici entrou para a história como o período em que se registraram os maiores índices de desenvolvimento e crescimento econômico do país. Porém, esta fase de prosperidade da economia brasileira tinha muito mais causas externas (internacionais) do que internas. O custo social e econômico para o país foi altíssimo. A brutal concentração da renda impediu que as camadas populares melhorassem sua condição de vida. As desigualdades sociais e a pobreza aumentaram neste período.
(Renato Cancian, http://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia-brasil/ governo-medici-1969-1974. Acesso em 24.03.2014. Adaptado) 
Os acontecimentos descritos no texto ficaram conhecidos pelo nome de 
(A) doutrina da segurança nacional.
(B) milagre econômico brasileiro.
(C) política das salvações.
(D) reformas de base.
(E) plano de metas.

Questão 12 - FUVEST 2016 - A ARMA DA PROPAGANDA
O governo Médici não se limitou à repressão. Distinguiu claramente entre um setor significativo mas minoritário da sociedade, adversário do regime, e a massa da população que vivia um dia a dia de alguma esperança nesses anos de prosperidade econômica. A repressão acabou com o primeiro setor, enquanto a propaganda encarregou-se de, pelo menos, neutralizar gradualmente o segundo. Para alcançar este último objetivo, o governo contou com o grande avanço das telecomunicações no país, após 1964. As facilidades de crédito pessoal permitiram a expansão do número de residências que possuíam televisão: em 1960, apenas 9,5% das residências urbanas tinham televisão; em 1970, a porcentagem chegava a 40%. Por essa época, beneficiada pelo apoio do governo, de quem se transformou em porta-voz, a TV Globo expandiu-se até se tornar rede nacional e alcançar praticamente o controle do setor. A propaganda governamental passou a ter um canal de expressão como nunca existira na história do país. A promoção do “Brasil grande potência” foi realizada a partir da Assessoria Especial de Relações Públicas (AERP), criada no governo Costa e Silva, mas que não chegou a ter importância nesse governo. Foi a época do “Ninguém segura este país”, da marchinha Prá Frente, Brasil, que embalou a grande vitória brasileira na Copa do Mundo de 1970.
Boris Fausto, História do Brasil. Adaptado 

A estratégia de dominação empregada pelo governo Médici, tal como descrita no texto, assemelha-se, sobretudo, à seguinte recomendação feita ao príncipe ou ao governante por um célebre pensador da política:
a) “Deve o príncipe fazer-se temer, de maneira que, se não se fizer amado, pelo menos evite o ódio, pois é fácil ser ao mesmo tempo temido e não odiado”.
b) “O mal que se tiver que fazer, deve o príncipe fazê-lo de uma só vez; o bem, deve fazê-lo aos poucos (...)”.
c) “Não se pode deixar ao tempo o encargo de resolver todas as coisas, pois o tempo tudo leva adiante e pode transformar o bem em mal e o mal em bem”.
d) “Engana-se quem acredita que novos benefícios podem fazer as grandes personagens esquecerem as antigas injúrias (...)”.
e) “Deve o príncipe, sobretudo, não tocar na propriedade alheia, porque os homens esquecem mais depressa a morte do pai que a perda do patrimônio”.

Questão 13 - UPENET - 2009 - PM-PE - O Ato Institucional Número 5 (AI-5), um dos mais terríveis instrumentos normativos lançados pelo Regime Militar, foi extinto no governo de 
A) João Batista de Figueiredo. 
B) Humberto de Alencar Castelo Branco. 
C) Emílio Garrastazu Médici. 
D) Ernesto Geisel. 
E) José Sarney

Questão 14 - Ufrgs 1996 - Considere o texto a seguir: "Mais do que uma República repressiva, criou-se um Estado policial. Os suspeitos passavam por interrogatórios, torturas, perda de empregos. Disseminava-se na população o medo e o convite à delação. Anulava-se o cidadão, gerando o pânico. Pode-se constatar isso no 'Decálogo de Segurança' que os Dops distribuíram nas portarias de prédios, fábricas, escolas, escritórios etc." "Se você for convidado ou sondado para conversas sobre assuntos que lhe pareçam estranhos ou suspeitos, finja que concorda e cultive relações com a pessoa que o sondou e avise a Polícia ou o quartel mais próximo. As autoridades lhe dão todas as garantias, inclusive de anonimato". 
(Júlio Chiavenato, "O Golpe de 64"). 

O texto anterior refere-se ao período em que o general-presidente foi 
a) Costa e Silva.
 b) Emílio Médici. 
c) Castelo Branco. 
d) Ernesto Geisel. 
e) João Figueiredo. 

Questão 15 - CFO PMMG 2007 - Observe a música e as frases ufanistas. 
“90 milhões em ação 
prá frente Brasil, do meu coração. 
Vamos juntos, vamos, 
prá frente Brasil 
Salve a seleção. 
De repente é aquela corrente prá frente 
Parece que todo o Brasil deu as mãos. 
Todos ligados na mesma emoção. 
Tudo é um só coração.” “ 
BRASIL AME-O OU DEIXE-O” “BRASIL CONTE COMIGO” “NINGUÉM MAIS SEGURA ESTE PAÍS” 
O período da História do Brasil retratado pela música e pelas frases acima é o: 
A) do governo Castelo Branco quando os militares editaram o Ato Institucional Número 5 suprimindo a liberdade política em nosso país. 
B) do governo Jânio Quadros quando os militares apoiados por forças políticas de esquerda promoveram o Golpe de 64. 
C) do governo Médici quando ocorreu violenta repressão aos grupos armados que se opunham ao governo. 
D) do governo Figueiredo quando foi iniciado o processo de abertura política “lenta, gradual e segura”.

GABARITO
01 - C
02 - D
03 - E
04 - E
05 - C
06 - D
07 - C
08 - E
09 - D
10 - D
11 - B
12 - B
13 - C
14 - B
15 - C

Nenhum comentário: