sábado, 12 de janeiro de 2019

Exercícios sobre Mussolini e o fascismo italiano - com gabarito

Questão 01 - CEFET-MG - 2018 - Técnico Integrado - A educação militar fazia parte de toda uma estrutura de ensino que visava formar o “novo homem” através de uma educação integral que envolvia o lado psicológico, físico e social. No começo do governo, as aulas de educação física se converteram no cenário ideal para preparar os corpos e as mentes dos jovens para o espírito guerreiro. 
ROSA, Cristina Souza. Pequenos soldados do Fascismo: a educação militar durante o governo de Mussolini. Antíteses, vol. 2, n. 4, Londrina, PR, p. 622, jul-dez de 2009 
A educação de crianças e jovens, como a implementada pelo governo fascista na Itália (1922-1943), tinha por objetivo formar cidadãos 
a) apoiadores do socialismo e do movimento operário. 
b) adeptos do nacionalismo e da subordinação hierárquica. 
c) simpatizantes da democracia e das liberdades individuais. 
d) defensores das inovações modernistas e da emancipação feminina. 

Questão 02 - CEDAF – UFV 2018 - Leia o texto abaixo:
O Fascista
I- agradece a Deus por ter nascido italiano
II- crê na religião dos mártires e dos herois
III- aspira à pátria como recompensa ao mérito
IV- crê na universalidade da ideia fascista
V- detesta a felicidade do ventre e desdenha a vida cômoda
VI- desconsidera o perigo e busca a luta
VII- considera o trabalho o dever e o dever uma lei
VIII- considera o sacrifício uma necessidade e a obediência uma alegria
IX- concebe a vida como um esforço contínuo de superação e de conquista
X- está pronto para todo sacrifício, mesmo ao sacrifício supremo, contanto que o DUCE triunfe
Decálogo de Benito Mussolini. Apud: GALEOTTI, Carlo. Mussolini ha sempre ragione. Milano: Garzenti Libri, 2000. p. 217 
Os mandamentos acima circularam em cartões-postais italianos nos anos 1930. O princípio da doutrina fascista que melhor se encaixa nesses mandamentos é: 
a) A valorização dos indivíduos que se submetessem inquestionavelmente às regras do Estado e de seu líder.
b) O empenho do Estado em estruturar medidas de pacificação na Europa e de desvalorização do trabalho formal.
c) A defesa do capitalismo internacional e das práticas do livre mercado para solucionar a crise financeira da Europa.
d) A crença na revolução das classes trabalhadoras como forma de solucionar os conflitos que destruíram a Itália.

Questão 03 - UERJ 2003 - Exame de Qualificação -
O que é exatamente o fascismo que o senhor fundou?
O fascismo é antes de tudo uma fé. O fascismo é uma grande mobilização de forças morais e materiais.
O que é mais importante, o arado ou a espada? O arado abre o sulco na terra, mas é a espada que o protege.
Quando as massas pensam, elas não se opõem às políticas imperialistas?
O raciocínio jamais será o motor das multidões. A multidão ama os homens fortes. A multidão é mulher.
O que os fascistas pensam sobre a violência?
A violência é imoral quando é fria e calculada, mas não quando é instintiva e impulsiva.
Então a violência fascista não deve ser planejada? A violência fascista deve ser pensante, racional, cirúrgica.
Não me parece muito coerente, mas vamos adiante. O capitalismo na Itália não precisa da democracia?
É possível que no século XIX o capitalismo tenha precisado da democracia. Hoje, pode muito bem passar sem ela.
(Adaptado de KONDER, Leandro. Jornal do Brasil, maio de 2003.)
No texto acima, o filósofo brasileiro Leandro Konder produziu uma entrevista fictícia com Mussolini. Ele inventou as perguntas, mas as respostas foram retiradas de escritos desse líder fascista italiano. A partir do trecho da “entrevista”, pode-se caracterizar o fascismo pelo seguinte traço:
(A) apoio ao expansionismo militarista
(B) estímulo à participação política reflexiva
(C) descrença no sistema capitalista de produção
(D) valorização dos interesses das massas populares

Questão 04 - UFT 2018.1 - Transferência - Em 1922, organizaram a marcha dos “camisas negras”, exigindo o poder, com seu líder obtendo concessões do Rei Vitor Emanuel III, e passando a organizar o gabinete do governo. Em 1924, ganharam a maioria parlamentar. Em 1929, ganharam o apoio do clero. Tais fatos referem-se a:
(A) Hitler e ao nazismo alemão.
(B) Stálin e ao comunismo soviético.
(C) Churchill e ao liberalismo inglês.
(D) Lenin e ao socialismo russo.
(E) Mussolini e ao fascismo italiano.

Questão 05 - FUVEST 2018 - 1ª Fase -  O futurismo de Marinetti e o fascismo de Benito Mussolini têm em comum
(A) a constatação da falência cultural da Itália, que se agarrou ao passado romano e ignorou os grandes avanços da Primeira Revolução Industrial.
(B) o desejo de proporcionar aos cidadãos italianos o acesso aos bens de consumo e a implantação do Estado de bem-estar social.
(C) o esforço de modernização cultural e a tentativa de demolir as edificações que restaram do passado romano.
(D) a valorização e a adoção das bases e dos princípios das teorias revolucionárias anarquistas e socialistas.
(E) a glorificação da ideologia da guerra e da velocidade proporcionada pelos avanços técnicos e militares


Questão 06 - FATEC - 2007/2 - “Eu poderia ter transformado esta sala num campo armado de ‘camisas negras’, um acampamento para cadáveres. Eu poderia ter costurado as portas do Parlamento.”
(Benito Mussolini, 16/11/1922) 
Esse discurso 
a) instaurou um governo nacional socialista e democrático na Itália, em oposição ao governo fascista do Rei Vitor Emanuel III. 
b) atacou a inoperância do Parlamento Socialista Italiano, que emperrava as reformas políticas e sociais propostas pelo Partido Fascista Socialdemocrata italiano. 
c) marcou a despedida do cargo de deputado exercido por Mussolini, que, a partir daquele momento, começou a lutar na região de Piemonte para derrubar o Rei. 
d) defendeu o fim do governo absolutista do Rei Vitor Emanuel III e a criação de uma Monarquia Parlamentar nos moldes da República francesa. 
e) instaurou um novo governo, cuja maioria pertencia ao Partido Fascista Italiano, o qual ocasionou o fim da democracia parlamentar e a formação de uma ditadura fascista.

Questão 07 - UNICAMP 2019 - 1ª fase -
Partido Nacional Fascista de Benito Mussolini em 1934
*si – significa “sim” em italiano.

Bella Ciao
Querida, adeus
Esta manhã, eu acordei
Querida, adeus! Querida, adeus! Querida, adeus, adeus,
adeus!
Esta manhã, eu acordei
E encontrei um invasor
Oh, membro da Resistência, leve-me embora
Querida, adeus! Querida, adeus! Querida, adeus, adeus,
adeus!
Oh, membro da Resistência, leve-me embora
Porque sinto que vou morrer
E se eu morrer como um membro da Resistência
Querida, adeus! Querida, adeus! Querida, adeus, adeus,
adeus!
E se eu morrer como um membro da Resistência
Você deve me enterrar
E me enterre no alto da montanha
Querida, adeus! Querida, adeus! Querida, adeus, adeus,
adeus!
E me enterre no alto da montanha
Sob a sombra de uma bela flor. (...).

A fotografia anterior registra a fachada do Partido Nacional Fascista de Benito Mussolini em 1934. A música Bella Ciao foi um hino cantado contra o fascismo de Mussolini e as tropas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Em 25 de abril de 2018, quando a Itália celebrou 73 anos de sua libertação do nazifascismo, a canção foi entoada em várias partes do país. Sobre os usos da imagem e da música, assinale a alternativa correta.
a) Através de vários mecanismos de propaganda ideológica e coerção física, os italianos foram forçados a entoar a música Bella Ciao, a fim de demonstrar publicamente sua adesão ao fascismo. Este caráter umbilical da relação da massa com o líder aparece retratado na fotografia.
b) Por se tratar de um produto da indústria cultural com forte apelo comercial, compreende-se a circulação e o consumo desta música em plano global e em várias mídias (shows musicais, novelas e séries). Neste sentido, a imagem é um cartaz caracterizado pela neutralidade política.
c) Trata-se de uma música de alcance internacional entoada em várias partes do mundo, em diferentes contextos de resistência política contra o fascismo, regime caracterizado pela adesão da massa em relação ao seu líder, como explicita a fotografia.
d) O gesto que recupera em 2018 esta canção sugere uma semelhança entre o tempo de antes (do fascismo) e o de hoje, aproximando Silvio Berlusconi de Mussolini, dirigente retratado na fotografia. Antes, como agora, Bella Ciao exalta a resistência, identificando-se como uma canção nacionalista.

GABARITO
01 - B
02  - A
03 - A
04 - E
05 - E
06 - E
07 - C

Nenhum comentário: