terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Exercícios de História sobre a Guerra de Canudos - com gabarito

Questão 01 - VUNESP - 2013 - FUNDUNESP - Historiógrafo - A chamada Guerra de Canudos foi o confronto entre um movimento popular de fundo sociorreligioso e o exército da República, ocorrido entre os anos de 1896 e 1897, no arraial de Canudos, interior da Bahia. Vários foram os fatores que desencadearam essa guerra como, por exemplo, 
(A) a crença de que a Monarquia recém-destituída seria restabelecida sob o comando de Antônio Conselheiro, líder político do arraial de Canudos. 
(B) a ocorrência de secas cíclicas no nordeste brasileiro e, por consequência, a perda das plantações de subsistência, a morte do gado e a fome generalizada. 
(C) o grande número de reses sem dono espalhadas pela região. 
(D) a chegada de migrantes oriundos de vários estados do Nordeste em busca de novas terras para o plantio. 
(E) a convocação de escravos libertos pelo exército da República, provocando revolta entre os seguidores de Antônio Conselheiro.

Questão 02 - UERJ 2011 - 1º Exame de Qualificação -

A Guerra de Canudos, de 1896 a 1897, foi um dos principais conflitos que marcaram o início do período republicano no Brasil. Os prisioneiros retratados na foto são sobreviventes dessa guerra, sertanejos vítimas de exclusão social e política. Os fatores responsáveis por essa exclusão, naquele contexto, foram:
(A) êxodo rural – voto de cabresto
(B) desemprego – reação monarquista
(C) crise agrícola – sincretismo religioso
(D) concentração fundiária – coronelismo

Questão 03 - IFRR 2015.2 - A comunidade de Canudos, formada na última década do século XIX, contestava a forma de distribuição de terra no sertão nordestino e buscava uma nova alternativa de vida. Dessa forma, sob a liderança de Antônio Conselheiro a Comunidade de Canudos, desenvolveu um sistema, onde o trabalho era comunitário e os frutos do trabalho eram repartidos, não havendo cobrança de impostos, tendo, portanto suas próprias normas. Este sistema comunitário desagradou ao governo que empreendeu uma campanha militar para exterminar o Arraial de Canudos. Esta campanha militar, contou com a participação de um celebre escritor, que a partir de tudo viu, escreveu uma importante obra da literatura brasileira.
Nas opções abaixo indique qual das questões apresenta de forma correta, o nome do escritor e da obra produzida sobre o Arraial de Canudos.
(A)Mario de Andrade - Macunaíma;
(B)José de Alencar – O guarani;
(C) Graciliano Ramos – Vidas Secas;
(D)Euclides de Cunha – Os sertões; 
(E) Castro Alves - Os escravos.

Questão 04 - UECE-CEV - 2018 - SEDUC-CE - Professor - História - No que diz respeito à Guerra de Canudos, pode-se afirmar corretamente que
A) a oposição ao Estado laico da República, que instituiu o casamento civil e a secularização dos cemitérios, associada à miséria e ao abandono do povo, caracterizam a comunidade de Antônio Conselheiro. 
B) ocorreu no sertão nordestino, mas o objetivo de Antônio Conselheiro era espalhar aquele modelo socialista de comunidade a todos os cantos do Brasil com apoio dos antimonarquistas.
C) o discurso messiânico e sebastianista de Conselheiro tinha guarida entre os donos de terra que criticavam a República, pois faziam parte da elite monarquista deposta pelo golpe de 1889.
D) apesar de alguma simpatia popular, Canudos não teve apoio das populações das cidades vizinhas, devido aos saques e às invasões promovidas pelos jagunços liderados por Conselheiro.

Questão 05 - MPE-GO - 2015 - MPE-GO - No início da Primeira República (1889-1930), a oligarquia governante teve que enfrentar, no sertão baiano, um movimento social denominado: 
a) Cabanagem. 
b) Campanha Civilista. 
c) Levante do Contestado. 
d) Revolta de Canudos. 
e) Revolução Farroupilha.

Questão 06 - CEFET-MG - 2015 - Técnico Integrado - Agora tenho de falar-vos de um assunto que tem sido o assombro e o abalo dos fiéis, de um assunto que só a incredulidade do homem ocasionaria semelhante acontecimento: a República, que é incontestavelmente um grande mal para o Brasil que era outrora tão bela a sua estrela. Hoje porém foge toda a segurança, porque um novo governo acaba de ter o seu invento e do seu emprego se lança mão como meio mais eficaz e pronto para o extermínio da religião. [...]
Prédicas e discursos de Antônio Conselheiro [1895]. In: BONAVIDES, Paulo; AMARAL, Roberto. Textos políticos da História do Brasil. Brasília: Senado Federal, 2002. v. 3, p. 445.
Segundo o líder da Revolta de Canudos, a República era um grande mal para o Brasil porque
a) provocava o fim do latifúndio no país.
b) objetivava exterminar a religião católica. 
c) gerava uma violência antes não existente.
d) era uma forma de governo recém-inventada.

Questão 07 - UERJ 2001 - 1º Exame de Qualificação -
“As mulheres de Canudos
Guerreiam com água quente.
Os meninos com pedradas
Fazem voltar muita gente.”
(www.e-net.com.br/historia)
A trova de Sergipe acima citada destaca algumas das particularidades do movimento de Canudos (1893-1897). O conflito que aí se verificou pode ser caracterizado por:
(A) participação popular desvinculada da organização de um exército de defesa
(B) impedimento do uso de armas de fogo como instrumento de defesa
(C) reação militar centrada nas mulheres e crianças
(D) resistência baseada na organização comunitária

Questão 08 - Mackenzie 2001 - Os seguidores de Antonio Conselheiro acreditavam que Canudos era o lugar de salvação no mundo, um lugar privilegiado onde fiéis, através da vida limpa e piedosa, se preparavam para o Reino de Deus. Para os líderes do governo, a República estava em perigo, exigindo repressão ao movimento. A respeito do quadro social que gerou esse conflito na República Velha, está correto afirmar que:
a) as estruturas políticas tradicionais de dominação temiam a ascendência do Conselheiro sobre os sertanejos que, em sua cultura arcaica, buscavam na religião a solução para o isolamento e miséria e para a seca.
b) o Conselheiro era monarquista convicto e preparava um amplo movimento popular contra a República, ameaçando a capital, o Rio de Janeiro.
c) a ideologia republicana via o conflito como fruto do coronelismo, da miséria e das condições políticas novas não assimiladas pela cultura sertaneja, daí a solução pela tolerância.
d) o governqrepublicano, usando de tolerância, interferiu na ordem sociai,evitando o massacre defendido pelas lideranças militares.
e) no terreno econômico-social, o Conselheiro não admitia as desigualdades econômicas, incitando a população à revolta aberta contra proprietários e governo.

Questão 09 - VUNESP - 2013 - FUNDUNESP - Historiógrafo - Sobre a destruição de Canudos, é correto afirmar que 
(A) o rápido crescimento da comunidade de Canudos passou a incomodar a Igreja Católica, que perdia fiéis, e os coronéis locais, que perdiam mão de obra. Para pôr fim a seus problemas, Igreja e coronéis contrataram cangaceiros vindos de Pernambuco para atacar o povoado de Canudos, destruindo-o completamente em outubro de 1897. 
(B) inúmeras foram as tentativas do governo da Bahia para derrotar a comunidade de Canudos, mas foi a seca do nordeste que logrou derrotar os adeptos do beato Antônio Conselheiro, após seis meses de estiagem. 
(C) o fanatismo religioso dos seguidores do beato Antônio Conselheiro foi o responsável pelo suicídio coletivo da comunidade de Canudos, pouco antes do arraial ser invadido pelo exército. 
(D) após obter três vitórias contra as tropas do governo da Bahia, o arraial de Canudos foi totalmente dizimado pelo exército enviado pelo governo federal. 
(E) Antônio Conselheiro liderou a retirada da comunidade de Canudos e sua transferência para outro local do sertão baiano. Após o esvaziamento do arraial, os adeptos de Conselheiro destruíram e queimaram todas as casas do povoado.

Questão 10 - UNESP 2012 - Nunca se viu uma campanha como esta, em que ambas as partes sustentaram ferozmente as suas aspirações opostas. Vencidos os inimigos, vós lhes ordenáveis que levantassem um viva à República e eles o levantavam à Monarquia e, ato contínuo, atiravam-se às fogueiras que incendiavam a cidade, convencidos de que tinham cumprido o seu dever de fiéis defensores da Monarquia.
(Gazeta de Notícias, 28.10.1897 apud Maria de Lourdes Monaco Janotti. Sociedade e política na Primeira República.) 

O texto é parte da ordem do dia, 06.10.1897, do general Artur Oscar e trata dos momentos finais de Canudos. Para o militar, o principal motivo da luta dos canudenses era a
(A) restauração monárquica, embora hoje saibamos que a rejeição à República era apenas uma das razões da rebeldia.
(B) valorização dos senhores rurais, ligados ao monarca, cujo poder era ameaçado pelo crescimento e enriquecimento das cidades.
(C) restauração monárquica, que, hoje sabemos, era de fato a única razão da longa resistência dos sertanejos.
(D) valorização do meio rural, embora hoje saibamos que Antônio Conselheiro não apoiava os incêndios provocados por monarquistas nas cidades republicanas.
(E) restauração monárquica, o que fez com que a luta de Antônio Conselheiro recebesse amplo apoio dos monarquistas do sul do Brasil.

Questão 11 - IFAL - Vestibular 2013 UAB - 22 de Novembro – 1874. O jornal semanário "O Rabudo", editado na cidade de Estância (SE), publica pela 1ª vez uma noticia na imprensa sobre um certo Antônio dos Mares: A bons seis meses que por todo o centro desta e da Província da Bahia, chegado, (diz elle,) da do Ceará infesta um aventureiro santarrão que se apellida por Antônio dos Mares: (...) O fanatismo do povo tem subido a ponto tal que affirmão muitos ser o próprio Jesus Christo (...) Pedimos providencias a respeito: seja esse homem capturado e levado a presença do Governo Imperial, a fim de prevenir os males que ainda forão postos em prática pela auctoridade da palavra do Fr. S. Antonio dos Mares moderno. Dizem que elle não teme a nada, e que estará a frente de suas ovelhas. Que audácia! O povo fanático sustenta que n’elle não tocarão; Já tendo se dado casos de pegarem em armas para defende-lo. O Peregrino caminha incansavelmente, conhece cada palmo do sertão, seus segredos e mistérios. Por onde anda, faz sermões, prega o evangelho e dá conselhos. Antônio se transforma, de peregrino a beato, de beato a conselheiro: Antônio Conselheiro ou Santo Antônio dos Mares ou Santo Antônio Aparecido ou Bom Jesus Conselheiro. Deixa crescer o cabelo e a barba, aprofunda seu já grande conhecimento da Bíblia, e sua fama começa a percorrer todo o interior nordestino, e gradativamente vai formando em torno de si um número crescente de fiéis seguidores. O texto faz referência ao início de um grande conflito ocorrido na República Velha chamado de
A) Guerra do Contestado.
B) Guerra contra o Cangaço.
C) Guerra de Canudos.
D) Sedição de Juazeiro.
E) Revolta da Chibata.

GABARITO
01 - B
02 - D
03 - D
04 - A
05 - D
06 - B
07 - D
08 - A
09 - D
10 - A
11 - C

Nenhum comentário: