domingo, 25 de março de 2018

História: Questões de Concursos sobre o Governo Jânio Quadros - com gabarito

Questão 01 - FUNCAB - 2010 - SEE-AC - Varre, varre, varre, varre, varre, varre
vassourinha 
Varre, varre a bandalheira 
Que o povo está cansado de viver dessa maneira 
Jânio Quadros é a esperança desse povo abandonado (...) 
Jânio Quadros saiu vencedor, com quase 6 milhões de votos, nas eleições de 1960 e após seis meses de governo, mergulhou o país numa das mais graves crises da sua história. Durante o seu governo, Jânio contrariou os grupos que o apoiaram, dentre eles a UDN e o seu líder Carlos Lacerda. Identifique um dos motivos para esse descontentamento: 
A) apoio à legalização do Partido Comunista Brasileiro. 
B) rompimento das relações diplomáticas com a URSS e Cuba. 
C) concessão de um aumento de 10% do salário mínimo. 
D) reatamento das relações diplomáticas com os Estados Unidos. 
E) implementação de uma política externa independente.

Questão 02 - UEM/CVU  - Inverno/2001 - Em janeiro de 1961, Jânio da Silva Quadros assumiu a Presidência do Brasil, tendo sido eleito com mais de 6 milhões de votos, a maior votação conseguida por um candidato à presidência da república, até aquela época. Sobre o governo de Jânio Quadros, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 
01) Ao assumir a Presidência do Brasil, Jânio encontrou o país em mais uma crise financeira. Para contorná–la, desvalorizou o cruzeiro e controlou os salários, ao mesmo tempo em que criou inúmeras comissões de inquérito para descobrir irregularidades no serviço público. 
02) Durante seu mandato, Jânio Quadros procurou fazer uma "reforma moral" no país. Para tanto, proibiu as corridas de cavalos nos dias úteis e as brigas de galo. Proibiu, também, as misses de desfilarem usando maiôs cavados. 
04) Apoiado por Getúlio Vargas, Jânio dizia ser um seguidor do "petebismo", portanto, um continuador da política trabalhista empreendida por Vargas. 
08) Antes de completar sete meses de governo, Jânio Quadros renunciou à Presidência do Brasil. 
16) No decorrer de seu mandato como presidente, o Brasil criou a Sudene, dando condições para o desenvolvimento do Nordeste, que sofria com as secas e a fome periódicas. 
32) Ao tomar posse, num gesto de ironia, Jânio Quadros desinfetou a poltrona presidencial onde o candidato concorrente, Fernando Henrique Cardoso, havia sentado. 
64) Apesar de ter sido eleito com o apoio da UDN, um partido conservador, Jânio tomou atitudes contrárias aos conservadores. Primeiro, decidiu que o Brasil não participaria do bloqueio comercial que os norte–americanos faziam à Cuba; segundo, condecorou o astronauta russo Yuri Gagarin e, terceiro, condecorou o líder revolucionário e ministro do governo cubano Ernesto "Che" Guevara.

Questão 03 - UNIFESP 2008 - “Proclamo aquilo que toda a Nação reconhece: está caduca a estrutura rural brasileira. A reforma agrária já não é, assim, tema de discurso, mas objeto de ação imediata: ação legislativa e ação executiva ...”
(Declaração do presidente Jânio Quadros, publicada no jornal Correio da Manhã, em 03.08.1961.) 
No momento dessa declaração, a reforma agrária no Brasil
a) estava na ordem do dia, daí a posição do presidente em seu favor. 
b) aparecia como uma questão ultrapassada, como demonstra a posição da presidência. 
c) era algo restrito apenas à região nordestina, onde agiam as Ligas Camponesas. 
d) há muito que era defendida pela maioria do Congresso, mas não pelo Executivo. 
e) jazia adormecida e, por razões demagógicas, foi despertada pelo presidente.

Questão 04 - MOVENS - 2007 - Prefeitura de João Pessoa - PB - Assinale a opção que apresenta a relevância que o curto Governo de Jânio Quadros, à frente da Presidência da República do Brasil, teve em sua política externa. 
(A) Por ser um político tradicional de direita, Jânio Quadros rompeu as relações diplomáticas com Cuba de Fidel Castro. 
(B) Mesmo sendo um político conservador, Jânio Quadros aproximou-se diplomaticamente de Cuba, da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e da China. 
(C) Jânio Quadros rompeu relações diplomáticas com os Estados Unidos da América (EUA), desagradando setores conservadores do Exército. 
(D) Jânio Quadros ganhou apoio pleno dos estudantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) ao condecorar Ernesto Che Guevara em Brasília. 
(E) Jânio Quadros fundou a socialdemocracia influenciado pela intelectualidade francesa da época.

Questão 05 - ITCO - 2008 - CEFET-Cuiabá-MT - O governo de Jânio Quadros marcou época por causa do seu caráter controverso. A respeito desse governo podemos dizer que, exceto: 
a) Após vencer as eleições de 1960, Jânio atacou o governo de Kubitschek, atribuindo ao ex-presidente ineficiência administrativa e responsabilidade pelos altos índices de inflação. 
b) Apoiou fortemente os movimentos sindicais e as ligas camponesas, o que ajudou a diminuir os conflitos sociais. 
c) Jânio tomou uma série de pequenas medidas que ficaram famosas, destinadas a criar uma imagem de saneamento moral, como a proibição do uso do biquíni. 
d) Tentou uma maior centralização de poderes com a adoção de uma mecânica de decisões que diminuísse o peso do Congresso Nacional e ampliasse a esfera de competência da Presidência. 
e) Procurou afirmar no plano externo, os princípios de uma política independente e aberta às relações com todos os países do mundo.

Questão 06 - Concurso IF-RN - 2010 - Analise a citação: 
“O pressuposto essencial das metodologias para a análise de textos em pesquisa histórica é o de que um documento é sempre portador de um discurso que, assim considerado, não pode ser visto como algo transparente. [...] ao debruçar-se sobre um documento, o historiador [e o professor de História] deve sempre atentar, portanto, para o modo através do qual se apresenta o conteúdo histórico que pretende examinar, quer se trate de uma simples informação, quer se trate de idéias”. 
CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. História e análise de texto. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia (Orgs.). Rio de Janeiro: Campus, 1997, p. 405-406 (grifos dos autores). 
Adotando essa perspectiva metodológica, um docente de História selecionou, para utilizar em sala de aula, o editorial de um jornal. No dia 19 de maio [de 1961], o editorial do jornal O Estado de São Paulo se intitulava: Guinada para a Esquerda, expressando a seguinte impressão sobre o então presidente brasileiro. 

“O Sr. Jânio Quadros foi sempre um adversário irredutível do princípio básico do regime democrático. E uma vez chegado à Presidência da República, não sossegou enquanto não transpôs para o terreno da política exterior a sua ojeriza a tudo que é sistemático e orgânico. Daí o investir contra todos os tratados e obrigações contraídas pelo Brasil no curso da sua história contemporânea. E assim, por temperamento e vocação, s.exa. tinha forçosamente de ser levado a demonstrar irrefreável aversão por homens como [...] o presidente da grande República do Norte, Sr. Kennedy, [...] e a entrar irresistivelmente na órbita em que gravitam o ditador Tito da Iugoslávia [...] e Fidel Castro, de Cuba”. 
SILVA, Hélio. A renúncia de Jânio: 1961. São Paulo: Editora Três, 1998, p. 109-110.(História da República Brasileira; 17) 

A utilização desse documento é conveniente, a partir do pressuposto defendido por Cardoso e Vainfas (1997), uma vez que a análise do seu conteúdo e do contexto no qual foi produzido, 
A) sinaliza o grande hiato existente entre o caráter socialista do governo brasileiro e aquele orientador da política externa dos Estados Unidos. 
B) defende o alinhamento automático do Brasil, na conjuntura da Guerra Fria, ao bloco político subordinado aos princípios do Pacto de Varsóvia. 
C) permite identificar o distanciamento entre o que é defendido por setores da imprensa e o perfil das forças políticas que controlavam o Executivo nacional. 
D) exprime a contradição entre as diretrizes das relações diplomáticas brasileiras e as diretrizes que nortearam a criação das Nações Unidas.

Questão 07 - NUCEPE - 2009 - SEDUC-PI - Com a renúncia de Jânio Quadros, em 1961, o Brasil mergulhou em grave crise política, na qual se fez presente a perspectiva de guerra civil. O vice-presidente João Goulart, acusado de esquerdista e de comprometido com o radicalismo sindical, teve sua posse contestada pelos adversários do getulismo. A crise somente foi contornada por meio da aprovação de um Ato Adicional à Constituição de 1946. Esse Ato Adicional estabelecia: 
a) A instalação do sistema parlamentarista de governo no Brasil. 
b) A convocação imediata de novas eleições, ato que não agradou a setores mais conservadores do exército. 
c) A criação de um governo de exceção, comandado conjuntamente pelos presidentes da Câmara e do Senado, até que retornasse ao Brasil o vice-presidente João Gulart, à época da renúncia em visita oficial à China. 
d) A criação de um gabinete civil-militar para governar o país até a realização de novas eleições, mas que terminou por precipitar o Golpe Militar, em 1964, antes da efetivação das eleições. 
e) A concessão de amplos poderes à Cadeia da Legalidade, liderada pelos setores nacionalistas e pelo PTB.

GABARITO
01 -E
02 - Resposta: 75 (64-08-02-01)
03 - A
04 - B
05 - B
06 - C
07 - A

Nenhum comentário: