PESQUISAR ESTE BLOG

quarta-feira, 28 de junho de 2023

Exercícios de Literatura sobre Fernando Pessoa - com gabarito

1 - UFRGS 2016 - Assinale a alternativa CORRETA a respeito da vida e da obra do poeta português Fernando Pessoa. 
a) Pessoa foi um dos líderes da revista de literatura Orpheu, juntamente com Mário de Sá-Carneiro e Eça de Queiroz. 
b) A criação da revista de literatura Orpheu identifica Pessoa como um dos fundadores do Modernismo português. 
c) Pessoa foi responsável pelo espírito derrotista, em que Portugal estava mergulhado no final do século XIX. 
d) Os heterônimos de Pessoa, tais como Álvaro de Campos e Ricardo Reis, podem ser vistos como pseudônimos, utilizados pelo poeta para burlar a censura. 
e) A criação de heterônimos é uma prática comum aos poetas colaboradores da revista Orpheu.

2 - PUC-RS 2019 - Considerando as particularidades de cada um dos heterônimos de Fernando Pessoa, é possível afirmar que os versos 
“Há metafísica bastante em não pensar em nada. 
O que penso eu do mundo? 
Sei lá o que penso do mundo! 
Se eu adoecesse pensaria nisso.” 

pertencem a 

a) Alberto Caeiro. 
b) Álvaro de Campos. 
c) Ricardo Reis. 
d) Sá-Carneiro.

3 - UM-SP - A respeito de Fernando Pessoa, é incorreto afirmar que: 
a) não só assimilou o passado lírico de seu povo, como refletiu em si as grandes inquietações humanas do começo do século. 
b) os heterônimos são meios de conhecer a complexidade cósmica impossível para uma só pessoa. 
c) Ricardo Reis simboliza uma forma humanística de ver o mundo do espírito da Antiguidade Clássica. 
d) junto com Mário de Sá-Carneiro, dirige a publicação do segundo número de Orpheu, em 1926. 
e) a Tabacaria, de Alberto Caeiro, mostra seu desejo de deixar o grande centro em busca da simplicidade do campo.

4 - Unilus 2021 - Atente para a declaração abaixo, do poeta português Fernando Pessoa: Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa: “Navegar é preciso, viver não é preciso”. Quero para mim o espírito desta frase, transformada a forma para a casar com o que sou: viver não é necessário, o que é necessário é criar. 

Nessa declaração, Fernando Pessoa 
a) demonstra que mesmo um poeta criativo não imagina o quanto navegar importava para os velhos marujos. 
b) retoma uma frase de antigos navegadores para contestá-la em nome do espírito da literatura moderna. 
c) recorre a uma frase tradicional de navegadores antigos para valorizar sua presente necessidade de artista. d) considera que a criação poética não é tão fascinante quanto a vida que os antigos marujos deviam prezar. e) traduz o sentido enigmático de uma frase gloriosa atribuída aos antigos navegadores portugueses.

5 - URCA 2017/1
Segue o Teu Destino
Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.
A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós próprios.
Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como exvoto
aos deuses.
Vê de longe a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizerte.
A resposta
Está além dos deuses.
Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.
Ricardo Reis, in "Odes"

São heterônimos de Fernando Pessoa: 
a) Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos. 
b) Ricardo Reis, João Ubaldo e Álvares de Azevedo. 
c) Umberto Eco, Álvares de Azevedo e Ricardo Reis. 
d) Álvaro de Campos. Saramago e Alberto Caeiro. 
e) Fernando Veríssimo, Ricardo Reis e João Ubaldo.

GABARITO
1 - B
2 - A
3 - E
4 - C
5 - A

Nenhum comentário:

Qualquer valor...

Faça Uma Doação para o Blog de Geografia

Você gosta das postagens do blog e gostaria de ajudar: Ajude o blog "Blog  de Geografia" a manter seu trabalho. Para isso conto co...