terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Principais pensadores da Geografia urbana: - David Harvey

A carreira de David Harvey ilustra as enormes mudanças metodológicas que ocorreram na Geografia desde a década de 1970. Na verdade, é difícil pensar em alguém que tenha tido mais influência sobre a geografia humana durante esse período. 

Harvey começou sua carreira no final dos anos 1960 sendo adepto de uma abordagem "científica", positivista e métodos quantitativos, e fez um argumento forte para essas abordagens em seu livro Explanation in Geography (1969). 

No entanto, durante o início da década de 1970, começamos a sentir que os geógrafos estavam prestando atenção insuficiente às numerosas questões sociais que se manifestaram durante esses tempos difíceis. Seu próximo texto principal, A Justiça Social e a Cidade (1973), mostra sua mudança de uma posição "liberal" (na primeira metade do livro usando as Ciências Sociais dominantes para analisar os problemas) em direção a uma abordagem marxista (atualizando o marxismo clássico para explicar as mudanças recentes). 

David Harvey é um geógrafo britânico marxista. Trabalha com diversas questões ligadas à geografia urbana.
As cidades parecem ter desempenhado um papel importante na mudança radical de Harvey na sua perspectiva de análise. Sua mudança em 1969 da Universidade em Bristol (Inglaterra) para a Universidade Johns Hopkins (em Baltimore, Maryland, Estados Unidos.) tornou-o consciente da enorme escala de pobreza endêmica em muitas cidades dos EUA que sofreram grandes perdas de emprego naquele momento. 

David Harvey continuou a ser um fervoroso defensor das interpretações marxistas das transformações das cidades, resistindo à adoção generalizada de perspectivas pós-estruturalistas. Sua defesa é expressa em um dos mais vendidos livros de Ciência Sociais dos últimos anos - Condição pós-moderna (1989). O trabalho de Harvey foi criticado por se concentrar em fontes econômicas de conflitos baseadas em classes e por minimizar outras fontes de desigualdade nas cidades relacionadas ao gênero, etnia e sexualidade. Harvey argumenta que, embora existam muitas fontes de "diferenças" na sociedade são processos econômicos básicos que levam à exploração.

Tradução e adaptação: Gabriel, editor do Blog de Geografia.
Referência Bibliográfica:
Paul L Knox. Urban Social Geography: An Introduction (Livro). 6ª Edição. Ano 2010. 

Nenhum comentário: