segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Falar que nazismo foi movimento de esquerda é 'besteira completa', diz embaixador da Alemanha

Falar que nazismo foi movimento de esquerda é ‘besteira completa’, diz embaixador da Alemanha

Para Georg Witschel, reações negativas a vídeo publicado pela embaixada no Facebook são insignificantes se comparadas às positivas

POR ANDRÉ DUCHIADE /  O Globo

Pessoas em protesto na cidade alemã de Chemnitz onde homem de 22 anos foi morto, supostamente por dois imigrantes - HANNIBAL HANSCHKE / REUTERS


RIO - O embaixador alemão no Brasil, Georg Witschel, afirmou nesta segunda-feira que “é uma besteira completa” dizer que o nazismo foi um movimento político de esquerda. Em entrevista ao GLOBO, o diplomata disse que há amplo consenso entre historiadores alemães e mundiais de que Hitler liderava uma corrente política de direita.

— É uma besteira argumentar que o fascismo e o nazismo são movimentos da esquerda. Isso não é fundamentado, é um erro, é simplesmente uma besteira — analisou Witschel. — Isso é um fato bem fundamentado na História. É um consenso entre os historiadores da Alemanha e do mundo que o nazismo foi um movimento de extrema direita.

Na última semana, um vídeo publicado pela embaixada da Alemanha no Brasil contra o extremismo de direita provocou forte reação nas redes sociais. Na publicação, a embaixada fala da importância de não se esquecer os crimes do nazismo entre 1933 e 1945, período em que o Holocausto levou à morte de cerca de 6 milhões de judeus e de 5 milhões de pessoas de outros grupos.


O embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel - Divulgação / Marco Falkowski.
Alguns brasileiros, no entanto, questionaram a publicação alemã, negando que tenha existido o Holocausto ou dizendo que o Terceiro Reich era um regime de esquerda, e não de extrema direita.

Witschel explicou que o uso da palavra “socialismo” no nome do partido nazista — Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães — foi uma estratégia para apelar “a trabalhadores e setores pobres da população”.

— Lembremos de quantos regimes brutais usam a palavra “democrata” em seu nome — ele disse.

O embaixador observou que, em suas origens, o partido incluía uma linha minoritária anticapitalista e social-revolucionária, liderada pelos irmãos Gregor e Otto Strasser, que poderia ser associada a aspirações socialistas. Mas essa vertente foi “esmagada, liquidada e assassinada” depois de 1934, quando qualquer raiz que pudesse ser de esquerda “foi extinta completamente”.

Motivação para publicação foram manifestações da extrema direita

A publicação do vídeo foi motivada por manifestações da extrema direita, incluindo grupos neonazistas, que aconteceram entre o final de agosto e o início de setembro na cidade de Chemnitz, no Leste da Alemanha, depois que um alemão foi morto em uma briga, supostamente por dois imigrantes. Na ocasião, grupos xenófobos saíram às ruas perseguindo estrangeiros.

O embaixador disse que a Embaixada quis subir o vídeo para informar a população sobre uma “página terrível da história” alemã:

— O Estado alemão tem a missão de informar sobre o nazismo, para nunca mais deixar nada parecido acontecer na Alemanha ou no mundo — disse o embaixador. — A ascensão do nazismo faz parte de todos os currículos escolares de ensino médio e superior no país. Todos os estudantes vão ser ensinados sobre isso. A discussão histórica ainda ocupa uma parte enorme da programação de rádios, teatros e jornais do país. A História está bem viva na Alemanha, com um alto consenso.

Nenhum comentário: