sábado, 24 de novembro de 2012

Exercícios Resolvidos de Geografia sobre a Região Nordeste

1. (Puc-SP) Leia o texto a seguir e assinale a alternativa incorreta sobre o Nordeste semi-árido brasileiro: “Existem na América do Sul três grandes áreas semi-áridas – a região Guajira, na Venezuela e Colômbia; a diagonal seca do Cone Sul que envolve muitas nuances de aridez ao longo do Argentina, Chile e Equador; e, por fim, o Nordeste Seco do Brasil. Das velhas e repetitivas noções do ensino médio herdadas um pouco por todos nós restaram observações pontuais e desconexas sobre o universo físico e ecológico do Nordeste Seco.”
(Aziz Nacib Ab’Saber, “Ciência Hoje”, Volume Especial – Eco Brasil, maio 1992.)
a) O semi-árido nordestino caracteriza-se por baixos níveis de umidade, escassez de chuvas anuais e irregularidades no ritmo das precipitações ao longo dos anos.
b) Um dos fatores marcantes da região é a inexistência de rios perenes e caudalosos. Essa drenagem intermitente inviabiliza projetos de irrigação na área.
c) O Nordeste seco possui um revestimento baixo de vegetação, arbustivoarbóreo e raramente arbóreo, de folhas miúdas e hastes espinhentas, exuberantemente verde nos períodos de chuvas.
d) Apesar de predominantemente seco, no semi-árido encontram-se algumas áreas de mata úmida, alimentadas por chuvas orográficas. Estas áreas são conhecidas, regionalmente, como “brejos”.
e) Ao contrário do que se imagina, o Nordeste seco não é o “império”

das chapadas. Em 85% do seu território predominam depressões
interplanálticas, situadas entre maciços antigos e chapadas
localizadas.

2 - (Puccamp)
I
Quando o inverno é constante
O sertão é terra santa:
Quem vive da agricultura
Tem muito tudo que planta
A fartura e boa safra,
Todo pobre pinta manta.
II
Dá milho, feijão
Tem fruta, tem cana,
Melão e banana
 Arroz, algodão.
As melancias dão
Tantas como areia.
III
Jerimum campeia
Na roça faz lodo
Vive o povo todo
De barriga cheia.
 
Os versos do improvisador popular Antônio Batista Guedes falam
de uma área nordestina onde:
a) existe a alternância de uma estação com temperaturas baixas e outra mais quente, sendo a policultura uma constante.
b) a palavra inverno deveria vir entre aspas porque refere-se apenas à estação das chuvas nas áreas sertanejas, quando os agricultores podem plantar e fazer a colheita de seu trabalho familiar.
c) as condições naturais da Zona da Mata são importantes para o desenvolvimento da agricultura camponesa e as populações alimentamse bem.
d) certas zonas, principalmente do Sertão ou do Agreste, apresentam
solos favoráveis ao desenvolvimento de uma agricultura comercial altamente valorizada.
e) os grandes plantadores da Zona da Mata deixam parte de suas terras para que seus empregados possam, no período menos quente, plantar para o auto-consumo da família.

3) (Puccamp) Considere os seguintes textos:
I. “As estradas que levam aos portos de Mossoró, Areia Branca e Macau estão cheias de retirantes, que vão se arrastando, fugindo do calvário da sua miséria, havendo, entre esses, muitas vítimas que caem inanimadas por não suportarem as fadigas e a duração da viagem.”
(Jornal A República, Rio Grande do Norte, setembro de 1903.)
II. “Metade dos municípios do Nordeste – 51,7% – está em situação  emergencial por causa da seca. São 8,7 milhões de pessoas nessas áreas em estado crítico, segundo relatório da Secretaria Nacional
da Defesa Civil.” (Jornal Folha de S. Paulo, novembro de 1992.)
A leitura dos dois textos e seus conhecimentos sobre a realidade nordestina permitem afirmar que:
a) o agravamento da seca no Nordeste é cíclico e as pesquisas federais revelam que o problema limita-se à irregularidade das chuvas e vem sendo reduzido ano a ano.
b) no início do século os problemas relacionados à seca eram muito mais graves, pois não havia ainda a ajuda governamental e a concentração das terras era muito grande.
c) a perpetuação do problema da falta de água no Nordeste tem a dupla finalidade de preservar o clientelismo e mascarar um grande problema da Região que é a má distribuição das terras.
d) o número crescente de áreas irrigadas tem permitido hoje evitar o êxodo forçado do sertanejo, como acontecia com maior freqüência no início do século.
e) atualmente o problema das secas é enfrentado com muito mais seriedade que no início do século, sendo prova disto a distribuição de “cestas básicas” e a perfuração de poços nas zonas mais afetadas.
 
4 - (UECE) Tratando-se do meio físico nordestino, a alternativa verdadeira
é:
a) as serras úmidas têm solos rasos e freqüentes afloramentos rochosos,
impedindo a atividade agrícola.
b) os processos de intemperismo físico e as ações erosivas pluviais
preponderam nos sertões semi-áridos.
c) os chapadões sedimentares têm baixas potencialidades de recursos
hídricos subterrâneos.
d) não há rede de drenagem perene nas depressões sertanejas semiáridas.
 
5 - (Fuvest) “Quando o pessoal via nós com o matulão nas costas já sabia: é corumba. Era tempo que chegava o empreiteiro da usina açucareira, o cabo, e chamava aquelas turmas, 10, 12, até 20 trabalhadores de uma vez ... ... ... Ah! dona moça, ninguém segura o trabalhador do agreste nas trovoadas de janeiro, aquilo é uma festa, ver que já pode botar roçado no seu sítio, plantar sua mandioca, seu milho, seu feijão.” (Tereza Sales. Agreste, Agrestes.)
O texto reproduz palavras de um agricultor que:
a) se dedica à pecuária e migra sazonalmente para o Sertão.
b) se dedica a culturas de mercado e migra definitivamente para a Zona da Mata.
c) se dedica à agroindústria e migra sazonalmente do Agreste para o Sertão.
d) se dedica a culturas de exportação e migra da zona rural para a zona urbana.
e) se dedica a culturas de subsistência e migra sazonalmente para a Zona da Mata.
 
6 - (Univiçosa) De acordo com o que se considera, no Brasil, áreas de influência urbana, Manaus se classifica como:
a) metrópole regional.
b) centro regional.
c) metrópole nacional.
d) centro local.
e) metrópole regional incompleta.
 
7- (Mackenzie) No Nordeste brasileiro, formações rochosas típicas do clima semi-árido, com presença de morros residuais onde houve colaboração da erosão eólia, recebem o nome de:
a) peneplanos.
b) mares de morros.
c) inselbergs.
d) tabuleiros.
e) trapps.

8 - (Mackenzie) Problemas econômicos e sociais são responsáveis por deslocamentos populacionais na região Nordeste. Os mais comuns podem ser designados como:
a) pendulares.
b) sertanejos.
c) sazonais.
d) paroaras.
e) bóias-frias.

9 - (Cesgranrio) A distribuição da população no Nordeste brasileiro, sempre influenciada pelas chuvas, pode ser sintetizada da seguinte maneira:
a) Maiores densidades no litoral e no agreste, vazios demográficos no sertão e adensamentos populacionais significativos nos vales úmidos do Maranhão e Piauí.
b) Baixas densidades em toda a região, exceto nas regiões metropolitanas de Salvador, Recife e Fortaleza.
c) Elevadas densidades em todo o litoral, seja no sentido norte-sul, seja na direção leste-oeste, e baixas densidades nas demais áreas.
d) Concentrações no litoral oriental, densidades ainda elevadas no agreste, menores densidades no sertão, onde se adensam populações nas ilhas úmidas.
e) Altas densidades em toda a região, mais elevadas nas zonas litorâneas, onde ocorre mais pluviosidade.
 
10 - (Faap) Fatores de sucesso da Cultura e da Indústria Canavieira no Nordeste, EXCETO:
a) clima quente e úmido
b) solo de terra vermelha
c) facilidades de transportes oferecidos pelos cursos d’água que se dirigem para o oceano
d) o mercado consumidor garantido, representado pela Europa
e) a presença do braço escravo.

11 - (FGV) O processo de industrialização do Nordeste iniciou-se na segunda metade do século XIX. No início do século XX, sofreu a implantação de indústrias diferentes das até então existentes.
A SUDENE reanimou o desenvolvimento industrial nordestino. Assinale a alternativa correta que se relaciona às afirmações anteriores.
a) a SUDENE criando novas indústrias nas décadas de 1960 e 1970 aumentou sensivelmente o número de empregos nas capitais nordestinas e reduziu as migrações para essas capitais.
b) a SUDENE conseguiu reanimar as indústrias tradicionais, na primeira metade do século XX, incentivando a implantação de fábricas de extração de óleo de sementes de algodão, de mamona e de oiticica que não sendo automatizadas resolveram, em boa parte, a questão do emprego.
c) a implantação de usinas de açúcar e de fábricas de tecidos ligadas à produção do algodão, do agave e caroá foram iniciadas apenas após a criação da SUDENE, na década de 1950.
d) apesar da SUDENE provocar um certo desenvolvimento industrial, não houve uma diversificação nos tipos de indústrias do Nordeste, após a década de 1950, permanecendo a mesma estrutura industrial, baseada na manufatura de produtos agrícolas.
e) incentivos fiscais contribuíram para a implantação de novas indústrias e a modernização de algumas das antigas, no entanto, a SUDENE investindo mais em áreas que já apresentavam um certo dinamismo econômico, não minimizou a pobreza nordestina e as migrações para as grandes cidades.
 
12 - (Furg) Em relação ao domínio morfoclimático das depressões interplanálticas semi-áridas do Nordeste, podemos afirmar que caracteriza- se por:
a) vegetação de caatinga, afloramentos rochosos, solos rasos e pedregosos e drenagem intermitente.
b) vegetação de cerrado, interflúvios tabuliformes de vertentes suaves,
solos lateríticos e drenagem perene.
c) vegetação de pradarias mistas, ondulações suaves, solos profundos e drenagem temporária.
d) vegetação de savanas, morros baixos e convexos, solos do tipo massapê e drenagem mista.
e) vegetação de cocais, alinhamentos de serras com encostas íngremes,
solos podzólicos profundos e drenagem densa do tipo dendrítica.
 
13 - (Puccamp) Considere o trecho do Poema “MORTE E VIDA SEVERINA”
de João Cabral de Melo Neto.
(..) Somos muitos Severinos
iguais em tudo e na sina:
a de abrandar estas pedras
suando-se muito em cima,
a de tentar despertar
terra sempre mais extinta,
a de querer arrancar
algum roçado da cinza (...)
A leitura do texto e seus conhecimentos sobre a realidade nordestina
permitem afirmar que o autor retratou:
a) o corumba na Zona da Mata, onde o trabalho temporário se reduz cada vez mais em função da mecanização do corte de cana.
b) as dificuldades do médio e pequeno produtor da Zona da Mata, cada vez produzindo menos em função da perda de fertilidade do solo.
c) o pequeno agricultor sertanejo, que sofre com a irregularidade do clima e sobretudo com a falta de terras para o plantio de subsistência.
d) o pobre agricultor do Meio-Norte que sofre com o avanço do processo de desertificação provocado pelas sucessivas queimadas.
e) o problema dos agricultores do Agreste que têm perdido grandes espaços agrícolas, em função da laterização dos solos agrícolas.

GABARITO
1) B 
2) B 
3) C
4) B 
5) E 
6) E
7) C 
8) C 
9) D
10) B 
11) E 
12) A
13) C

Nenhum comentário: