quinta-feira, 27 de agosto de 2015

História de Avanhandava, São Paulo – SP

Histórico do Município: Avanhandava, São Paulo – SP
Gentílico: avanhandavense 

Provindo de Franca-SP, em 1904, o Cel. Antônio Flávio Martins Ferreira adquiriu 3500 alqueires de terras no vale do rio Tietê, entre os rios Bonito e Dourado e aí fundou o patrimônio de Campo Verde. 

Em 1908, graças ao progresso alcançado, passou a Distrito policial, com o nome de Miguel Calmon, e ainda no mesmo ano foi inaugurada a estação da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil. No ano seguinte foi elevado a Distrito de Paz, com o nome simplificado para Calmon. 

Em 1921, foi construída a primeira edificação de tijolos, produzidos no local por Ampleato da Silva Teixeira e Celso Grassi a capela de Santa Luzia, a Padroeira de Calmon. 

Nessa época, os índios que habitavam a região, agrupados em duas grandes tribos- coroados e caingangues, viviam em constantes escaramuças com os brancos colonizadores, com grandes perdas para os primeiros. Para apaziguar e catequizar, veio o grande indigenista, na época Coronel José Cândido Mariano Rondon. 

Com a criação do Município, em 1925, e sugestão do seu fundador, Calmon teve o nome alterado para Avanhandava, em virtude do Salto existente no rio Tietê, no tupi”awe-anhã-aba”= lugar de forte correnteza, ou segundo Theodoro Sampaio, “aba-nhandaba”= lugar onde se corre para evitar perigo à navegação. 

Formação Administrativa 

Distrito criado com a denominação de Miguel Calmon, pela lei estadual nº 1171, de 21-10-1909, subordinado ao município de Rio Preto. 

Pela lei estadual nº 1225, de 16-12-1910, o distrito de distrito de Miguel Calmon, foi transferido do município de Rio Preto para o de Bauru. 

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Miguel Calmon figura município de Bauru. 

Pela lei estadual nº 1397, de 22-12-1913, o distrito de Miguel Calmon, foi transferido do município de Bauru para o de Penápolis. 

Nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920, o distrito de Miguel Calmon figura no município de Penápolis. 

Elevado à categoria de município com a denominação de Avanhandava, pela lei estadual nº 2102, de 29-12-1925, desmembrado de Penápolis. Sede no atual distrito Avanhandava (ex-Miguel Calmon). Constituído distrito sede. Instalado em 10-04-1926. 

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede. 

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 31-XII-1936. 

Pela lei nº 3009, de 30-06-1937, é criado o distrito de Gurupá e anexado ao município de Avanhandava. 

Em divisão territorial de 31-XII-1937, o município é constituído de 2 distritos: Avanhandava e Gurupá. 

Pelo decreto-estadual nº 9775, de 30-11-1938, o distrito de Gurupá foi transferido do município de Avanhandava para o de Promissão. 

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-9143, o município é constituído do distrito sede. 

Pelo decreto-lei estadual nº 14334, de 30-11-1944, é criado o distrito de Barbosa e anexado ao município de Avanhandava. 

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 2 distritos: Avanhandava e Barbosa. 

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1955. 

Pela lei estadual nº 5285, de 18-02-1959, desmembra do município de Avanhandava o de distrito de Barbosa. Elevado à categoria de município. 

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede. 

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2009. 

Alteração toponímica distrital 

Miguel Calmon para Avanhandava, alterado pela lei estadual nº 2102, de 29-12-1925. 

Transferência distrital 

Pela lei estadual nº 1225, de 16-12-1910, transfere o distrito de distrito de Miguel Calmon do município de Rio Preto para o de Bauru. 

Pela lei estadual nº 1397, de 22-12-1913, transfere o distrito de Miguel Calmon, do município de Bauru para o de Penápolis.

Fonte: Biblioteca do IBGE.

Nenhum comentário: