terça-feira, 10 de abril de 2018

Prova de Geografia com gabarito oficial - FUMARC 2018 - SEE/MG

Ordenação das questões e GABARITO OFICIAL – TIPO 1
Questão 31 - FUMARC 2018 - SEE/MG - No Brasil, o movimento de renovação da Geografia centrou-se na categoria espaço geográfico, recebendo uma grande contribuição de autores da Geografia Crítica. Na perspectiva da abordagem crítica, ou seja, da dialética de Marx e Engels, é CORRETO afirmar: 
(A) Construção de modelos locacionais e/ou arranjos espaciais obtidos a partir de padrões de localização e distribuição de população, mercadorias, atividades econômicas etc. 
(B) Descrição do espaço a partir da identificação das atividades de uso do solo, ou seja, descrição da população, habitações, indústrias, etc., na busca de classificações tipológicas. 
C) Descrição do sítio e da posição geográfica do objeto de estudo. 
(D) Estudo do espaço centrado na percepção de seus habitantes, traduzida a partir de observações sobre a aparência física e as impressões subjetivas. 
(E) Estudo do espaço, sendo o homem sujeito, as técnicas de mediação e o espaço como um produto histórico, produzido através das ações do homem (trabalho) sobre o próprio espaço.

Questão 32 - FUMARC 2018 - SEE/MG - O conceito de território pode ser ligado à ideia de domínio ou de gestão de uma determinada área, sendo que dele emergem conceitos derivativos de territorialidade e de desterritorialização. Nessa perspectiva, analise as asserções abaixo: 
I. A expansão do território pode, por um lado, promover a ampliação da territorialidade e, por outro, promover a desterritorialização de certos grupos sociais. 
PORQUE 
II. A formação de um território dá às pessoas que nele habitam a consciência da sua participação, provocando o sentimento de territorialidade que, de forma subjetiva, cria uma consciência de identidade entre as mesmas. 
Acerca dessas asserções, é CORRETO afirmar: 
(A) I e II são proposições falsas. 
(B) I e II são proposições verdadeiras e II é uma justificativa correta de I. 
(C) I e II são proposições verdadeiras e II não é uma justificativa correta de I. 
D) I é uma proposição falsa e II é uma proposição verdadeira. 
(E) I é uma proposição verdadeira e II é uma proposição falsa.

Questão 33 - FUMARC 2018 - SEE/MG - As grandes metrópoles do mundo, sejam elas localizadas em países desenvolvidos ou mesmo em nações pobres, com toda a sua complexidade, parecem conter exemplos bastante interessantes e variados de territórios e territorialidades urbanas que podem ser amplamente utilizados pelos professores, em sala de aula, como forma de discutir essa categoria tão importante nos estudos da Geografia, em especial da Geografia Política. Nesses casos, é interessante destacar o território como um campo de forças, uma teia de relações sociais que, em sua complexidade, pode indicar limites que identificam espaços da identidade coletiva, onde se estabelece uma oposição ou rejeição aos indiví- duos ou grupos que passam a ser vistos como estranhos, os de fora. Entre esses exemplos, podem ser consideradas como expressões muito claras das territorialidades urbanas geradoras de tensão e conflitos em muitas das metrópoles brasileiras, todas as situações descritas abaixo, EXCETO: 
(A) A ocupação dos espaços públicos por vendedores ambulantes, provocando um conflito permanente entre o comércio formal e o comércio informal na cidade, muitas vezes marcados por incidentes violentos, envolvendo camelôs, lojistas e a polícia. 
(B) Os movimentos de reocupação dos espaços públicos, observados em várias cidades brasileiras, por meio de manifestações sociais, artísticas e culturais, que buscam recuperar os espaços da sociabilidade urbana. 
(C) Os territórios da prostituição, que se estruturam de acordo com as características do grupo que ali se instala, não sendo raros os conflitos decorrentes da ocupação dos “pontos” por indivíduos estranhos ao grupo. 
(D) Os territórios de gangues ou tribos urbanas, que se apropriam de determinados espaços da cidade, dificultando ou impedindo a interação com representantes de outros grupos. 
(E) Os territórios do tráfico de drogas e de organizações criminosas, que levam à configuração de comandos e/ou facções rivais, que impedem a circulação de membros dos outros grupos, sendo que, muitas vezes, ocorre acirramento dos conflitos pelo controle de regiões da cidade.

Questão 34 - FUMARC 2018 - SEE/MG - O professor, ao lecionar, tem entre seus objetivos formar nos alunos uma série de conceitos que permitam a compreensão da sua disciplina. No caso da Geografia, existem importantes categorias geográficas a serem analisadas e desenvolvidas, para se chegar a um raciocínio geográfico. Para cada uma dessas categorias, é possível encontrar uma congregação de autores que se dedicam a explicá- las e exemplificá-las, em função da corrente do pensamento geográfico de que são adeptos. No caso específico da Geografia Humanística, esta corrente refere-se a uma categoria geográfica como sendo o espaço que se torna familiar ao indivíduo, o espaço do vivido, do experienciado e do imediato. A categoria conceituada pela supracitada corrente é: 
(A) Lugar 
(B) Paisagem 
(C) Região 
(D) Território 
(E) Não lugar

Questão 35 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Considerando que a paisagem é uma categoria fundamental para o conhecimento geográfico, avalie as afirmativas a seguir: 
I. A paisagem é forma, ou seja, um conjunto de objetos que revelam a realidade sem deformá-la, uma vez que, independentemente de quem seja o observador, a realidade revelada é a mesma. 
II. A paisagem é a parte visível do espaço que pode ser descrita através dos elementos ou objetos que a compõem. 
III. As paisagens são formadas por elementos naturais, isto é, criados pela natureza e por elementos humanos ou sociais, ou seja, construídos pelos homens operando em sociedade. É CORRETO o que se afirma em: 
(A) I, apenas. 
(B) II, apenas. 
(C) I e III, apenas. 
(D) II e III, apenas 
(E) I, II e III.

Questão 36 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Leia o texto a seguir: “Mais do que nunca, é hoje uma necessidade imperiosa conhecer de forma inteligente (não decorando informações e sim compreendendo processos, as dinâmicas, as potenciais mudanças, as possibilidades de intervenção) o mundo em que vivemos, desde a escala local até a nacional e a mundial. E isso, afinal de contas, é ensino de geografia”. 
VESENTINI, J. W. O Ensino da geografia no século XXI. Campinas: Papirus, 2004. p. 7-12). 
As proposições citadas e adotadas por um professor de Geografia vão ao encontro das ideias de Vesentini, EXCETO: 
(A) Apresentar aos alunos que mais importante do que “decorar” nomes e posicionamento geográfico de rios, ou de estreitos ao redor do globo, é saber a sua importância política ou econômica, e como esses objetos geográficos influenciam na vida das pessoas que os circundam. 
(B) Desenvolver habilidades críticas em sala, para formar cidadãos atuantes, conscientes e não alienados. 
(C) Desenvolver o pensamento espacial, estimulando o entendimento geográfico, a fim de se representar e interpretar o mundo em permanente transformação. 
(D) Priorizar a produção do conhecimento no seu todo, de forma analítica, e, não apenas, descritiva. 
(E) Privilegiar a utilização dos livros didáticos como um recurso primordial e intrínseco às atividades didático-pedagógicas.

Questão 37 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Pode-se afirmar que, ao longo da maior parte do Século XX, a aplicação do Paradigma Fordista-Taylorista estruturou a lógica dos processos de produção fabril, a organização espacial da produção de bens e mercadorias e a divisão internacional do trabalho em quase todo o mundo. Esse paradigma se fundamentou, basicamente, na divisão técnica do trabalho nas linhas de produção e montagem, na utilização intensiva do trabalho repetitivo, especializado e semiqualificado e, em especial, na padronização da produção. Nesse sentido, o espaço geográfico da produção se caracterizava, normalmente, pelas grandes concentrações industriais em grandes cidades, normalmente localizadas próximas aos locais de exploração das matérias-primas ou próximas às ferrovias, rodovias ou portos de exportação. No final do Século XX, uma revolução de caráter técnico-científico foi modificando profundamente esses padrões de organização e localização. O conceito de produção massificada e em série foi sendo substituído pelo conceito de produção flexível, com a diversificação de produtos e modelos, voltados a diferentes tipos de consumidores e mercados. O trabalho intensivo, repetitivo e em série vem sendo reestruturado, agora com a utilização de processos sofisticados de automação, utilização de força de trabalho polivalente e altamente qualificada e na estruturação de novos espaços produtivos, com profundas modificações no espaço da produção e da circulação em todo o mundo. Esse novo paradigma, chamado de Paradigma da Produção Flexível, levou à organização de um meio geográfico bastante distinto do anterior, sendo chamado, nesse novo contexto, de meio técnico-científico-informacional. 

As características a seguir relacionam-se à estruturação desse meio técnico-científico e informacional, EXCETO: 
(A) A economia global passou a se organizar em sistemas integrados em rede, em escala global, onde a produção, a circulação e o consumo são impactados e mediados pelas tecnologias de informação. 
(B) As empresas passaram a constituir grandes redes integradas de fornecedores de produtos e serviços, integradas a modernos centros de montagem e distribuição, estrategicamente localizados em várias partes do mundo. 
(C) As grandes corporações passaram a investir em modernos centros de pesquisa e inovação técnica, como forma de ocupar posições de destaque no campo da propriedade intelectual e domínio de patentes, localizando-os preferencialmente em países e/ou regiões com forte presença de trabalhadores formados em sistemas de ensino altamente qualificados. 
(D) Concentração da produção de componentes, montagem de produtos e sistemas de distribuição em um único local, como forma de reduzir custos, levando ao superdimensionamento das plantas industriais e à restrição das opções locacionais. 
(E) Novos países, regiões e economias foram incorporadas ao circuito da produção e do consumo globais, adquirindo significativa importância no cenário econômico global.

Questão 38 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Dentre os diferentes tipos de redes urbanas, Christaller propõe o estudo de rede urbana enquanto um conjunto integrado de cidades, fornecendo uma teoria do tamanho, da função e do espaçamento dos centros de mercado. Na perspectiva da rede christalleriana, avalie as informações a seguir: 
I. A rede de Christaller, a partir de argumento de caráter geométrico, representa um conjunto de cidades num espaço hierarquizado, apresentando alguns lugares centrais mais importantes que outros, cujas funções centrais se estendem por regiões em que existem outros lugares centrais de menor importância. 
II. Na lógica do modelo geométrico de escala regional proposto por Christaller, cuja construção parte de um conjunto de suposições e de condições, dentre elas, a existência de uma planície isotrópica com uma população uniformemente distribuída e com o mesmo poder de compra, torna-se adequado considerar que as cidades conhecidas como globais, consideradas centros vitais da economia capitalista globalizada, representam a posição de maior nível hierárquico do modelo. 
III. Na rede de Christaller, as áreas hexagonais de mercado representam o melhor compromisso entre o ideal econômico e a realidade geográfica e produzem uma rede hierárquica de áreas de mercado com seis lados. 
É CORRETO o que se afirma em: 
(A) I, apenas. 
(B) II, apenas. 
(C) I e III, apenas. 
D) II e III, apenas 
(E) I, II e III.

Questão 39 - FUMARC 2018 - SEE/MG - De acordo com os documentos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), para que se desenvolva um raciocínio geográfico nos alunos, é necessário que se exercite o pensamento espacial embasado em aspectos fundamentais da realidade, tais como a localização, a extensão e a distribuição dos fatos e fenômenos na superfície terrestre; o ordenamento territorial e as conexões existentes entre componentes físico-naturais e as ações antrópicas. Segundo a BNCC, são princípios do raciocínio geográfico, EXCETO: 
(A) Conexão: Um fenômeno geográfico nunca acontece isoladamente, mas sempre em interação com outros fenômenos próximos ou distantes. 
(B) Distribuição: Exprime de que forma os objetos se disseminam pelo espaço. 
(C) Extensão: Refere-se ao espaço infinito e descontínuo, delimitado pela ocorrência do fenômeno geográfico. 
(D) Localização: Refere-se à posição particular de um objeto na superfície terrestre. A localização pode ser absoluta (definida por um sistema de coordenadas geográficas) ou relativa (expressa por meio de relações espaciais topológicas ou por interações espaciais). 
(E) Ordenamento: É o princípio geográfico de maior complexidade. Refere-se ao modo de estruturação do espaço de acordo com as regras da própria sociedade que o produziu.

Questão 40 - FUMARC 2018 - SEE/MG - “A cartografia é a área do conhecimento responsável pela elaboração e pelo estudo dos mapas e das representações cartográficas em geral, incluindo plantas, croquis e cartas gráficas. Essa área do conhecimento é de extrema utilidade não só para os estudos em Geografia, mas também em outros campos, como a História e a Sociologia, pois, afinal, os mapas são formas de linguagem para expressar uma dada realidade. Existem, dessa forma, alguns conceitos básicos de Cartografia que nos permitem entender os elementos dessa área de estudos com uma maior facilidade. Saber, por exemplo, noções como as de escala, legenda e projeções auxilia-nos a identificar com mais facilidade as informações de um mapa e as formas utilizadas para elaborá-lo.” 
(http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/conceitos-basicos-cartografia.htm) 
A respeito dos mapas, analise as afirmativas abaixo. 
I. Mapa é uma representação codificada fidedigna de um determinado espaço real. 
II. Através dos mapas, é possível compreender a distribuição e a organização dos espaços, tal como ter uma visão de conjunto, mostrando a interligação com espaços mais amplos. 
III. Todo mapa representa política e ideologicamente as ideias do cartógrafo que o elaborou. 
Está CORRETO o que se afirma em: 
(A) I, apenas. 
(B) II, apenas. 
(C) III, apenas. 
(D) II e III, apenas. 
(E) I, II e III.

Questão 41 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Observe os dois diferentes tipos de projeções cartográficas aplicadas aos mapas.
Com base nos conhecimentos sobre o assunto e nos mapas, é CORRETO afirmar: 
(A) Mapa 1: Projeção Cilíndrica Afilática, que não preserva nem a forma nem a correta área dos continentes. No entanto, ela minimiza as distorções nas altas latitudes. 
(B) Mapa 1: Projeção Cilíndrica Conforme, que mantém verdadeiras as distâncias próximas ao centro da projeção, distorcendo as áreas distantes. Os meridianos são linhas curvas e os paralelos são linhas retas. 
(C) Mapa 1: Projeção Cilíndrica Equidistante, que mantém verdadeiras as distâncias a partir do centro da projeção. As áreas próximas ao centro de projeção apresentam grandes deformações; entretanto, as mais distantes são pouco distorcidas. 
(D) Mapa 2: Projeção Cilíndrica Conforme, que preserva a forma dos continentes e altera as áreas. No Equador, há pequenas distorções; nas proximidades dos polos, as distorções aumentam. 
(E) Mapa 2: Projeção Cilíndrica Equivalente, que preserva a proporcionalidade das áreas dos continentes. As formas são alteradas, apresentando alongamentos norte-sul nos contornos dos continentes.

Questão 42 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Leia o texto a seguir. Sem Facebook Das minhas relações mais próximas, só três comungam comigo não ter facebook. Não pensem que tenho críticas, sou um entusiasta, apenas não quero usar. Pouco dou conta dos meus amigos, onde vou arranjar tempo para mais? Minha etiqueta me faz responder a tudo, teria que largar o trabalho se entrasse na rede social. Só recentemente minhas filhas me convenceram que se não respondesse um spam ninguém ficaria ofendido. A cidade ganhou a parada. Acabou o pequeno mundo onde todos se conheciam, onde não se podia esconder segredos e pecados. Viver na urbe é cruzar com desconhecidos, sentir a frieza do anonimato. Essa é a realidade da maioria. Meu apreço com as redes sociais é por acreditar que elas são um antídoto para o isolamento urbano. São uma novidade que imita o passado, uma nova versão, por vezes mais rica, por vezes mais pobre, da antiga comunidade. Detalhe: não quero retroceder, a simpatia é pelo resgate da nossa essência social. Vivemos para o olhar dos outros, essa é a realidade simples, evidente. Quem pensa o contrário vai à conversa da literatura de autoajuda, que idolatra a autossuficiência e acredita que é possível ser feliz sozinho. É uma ilusão tola. Nascemos para vitrine. Quando checamos insistentemente para saber como reagiram às nossas postagens, somos desvelados no pedido amoroso. O viciado em rede social é obcecado pela sociabilidade. Está em busca de um olhar, de uma aprovação, precisa disso para existir. Ou vamos acreditar que a carência, o desespero amoroso e a busca pelo reconhecimento são novidades da internet? Sei que o facebook é o retrato da felicidade fingida, todos vestidos de ego de domingo, mas essa é a demanda do nosso tempo. Critique nossos costumes, não o espelho. Sei também que as redes são usadas basicamente para frivolidades, é certo, mas isso somos nós. Se a vida miúda de uma cidadezinha fosse transcrita, não seria diferente. Fofoca, sabedoria de almanaque, dicas de produtos culturais, troca de impressões e às vezes até um bom conselho, além de ser um amplificador veloz para mobilizações. Também apontam que amigos virtuais não substituem os presenciais. Todos se dão conta, e justamente usam a rede na esperança de escapar dela. O objetivo final é ser visto e conhecido também fora. Usamos esse grande palco para ensaiar e se aproximar dos outros, fazer o que sempre fizemos. O facebook é a nostalgia da aldeia e sua superação. 
CORSO, Mário. Sem Facebook. Disponível em: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/cultura-e-lazer/ blogs/. (adaptado)
Em suas aulas, o professor de Geografia pode utilizar o conteúdo do texto como ponto de partida para abordar, EXCETO: 
(A) as inovações no campo da comunicação, que se aceleraram a ponto de alterar a nossa relação com o tempo e o espaço. 
(B) as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), que aumentaram extraordinariamente a quantidade de informações, ao mesmo tempo em que não significou, necessariamente, a ampliação do conhecimento. 
(C) o aumento da massificação de informações que, em tempo real, amplia o tempo disponível para a reflexão, aprimorando, assim, o esclarecimento das informações e notícias para o conjunto dos indivíduos. 
(D) o aumento das possibilidades de interatividade com o mundo, resultado da facilitação do acesso à informação e da intensificação dos fluxos imateriais. (E) o impacto que as transformações produzidas pela revolução técnico-científica causam no nosso cotidiano e nos nossos comportamentos sociais.

Questão 43 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Mesmo preservando seu lugar de maior economia do mundo, nas últimas décadas, os Estados Unidos da América vêm perdendo seu poder e influência, diante do surgimento de novas potências econômicas globais, ancoradas na organização de sistemas produtivos altamente eficientes e produtivos, como é o caso da China. Por outro lado, é bastante perceptível a ampliação do poder de influência de algumas nações como o Japão ou a Alemanha, que passaram por uma rápida recuperação econômica nas décadas que se seguiram ao Pós II Guerra Mundial. Acrescente-se a isso a formação de grandes espaços econômicos, integrando mercados e centros de produção, como a União Europeia, ou o ritmo acelerado de crescimento de algumas economias emergentes, em todo o mundo. Diante disso, as estratégias do governo americano vinham buscando a integração de sua economia aos novos centros dinâmicos da economia global, ao incentivo de novos setores da economia, conectados à chamada “nova economia”, ou ainda uma presença mais marcante nos grandes debates globais, envolvendo questões ambientais, novas fontes de energia limpa e renovável e uma nova forma de inserção dos EUA nos espaços multilaterais, como a ONU, a OMC e outros. No entanto, com a eleição de Donald Trump, estamos acompanhando a um verdadeiro desmonte das estratégias anteriores, com consequências ainda imprevisíveis na geopolítica global e no papel hegemônico exercido pelos Estados Unidos na ordem global. A seguir estão listadas algumas dessas iniciativas controversas do novo Governo dos Estados Unidos, que vêm sendo indicadas como fatos potencializadores deste novo cenário, EXCETO: 
(A) A adoção de uma estratégia de campanha eleitoral, baseada no slogan “América First”, ou a América em primeiro lugar, que parece indicar uma visão mais voltada para os problemas e as questões internas, em detrimento de uma agenda global, protagonizada pelos EUA. 
(B) A adoção de uma política bastante receptiva à imigração estrangeira, num momento em que se acirram as tensões multiculturais nos EUA. 
(C) A decisão dos EUA de se retirar dos Acordos do Clima e da UNESCO, indicando sua indisposição em participar da discussão de temas ou de se comprometer com compromissos que integram a Agenda Global, promovida pelas grandes organizações multilaterais do mundo. 
(D) A iniciativa de construção do muro com a fronteira mexicana, estabelecendo um acirramento diplomático com um dos países que integram o NAFTA, área de livre comércio que promoveu uma elevada integração econômica e produtiva entre as economias dos dois países, além do Canadá. 
(E) A retirada dos EUA do Acordo Transpacífico, iniciativa que visava integrar a economia dos EUA aos centros mais dinâmicos da economia global na atualidade.

Questão 44 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Pode-se afirmar que o processo de “globalização” ou “mundialização” é uma característica do processo de desenvolvimento e expansão do modo de produção capitalista. Consiste na integração / articulação do espaço geográfico, em escala global, por meio de processos econômicos, políticos, sociais e culturais, estando intimamente ligada ao desenvolvimento técnico, especialmente nos setores de transporte, comunicação e informação. Suas raízes remontam à expansão capitalista ocorrida na expansão colonial, se intensificando com o desenvolvimento industrial e o avanço das práticas imperialistas. Após a II Guerra Mundial, o processo de globalização se intensificou, com a expansão global das grandes corporações (multinacionais), a ampliação do comércio internacional, a formação dos blocos econômicos e, em especial, com a constituição de novos padrões de governança, em escala global, com a criação da ONU, do Banco Mundial, FMI, OMC etc. Nas últimas décadas do Século XX, o desenvolvimento e a expansão de um novo sistema técnico, sustentado nas tecnologias de informação, nos sistemas de comunicação por satélites, na utilização maciça dos recursos da informática, na modernização dos sistemas de transportes e telefonia proporcionaram o aparato técnico e estrutural para a intensificação das relações socioeconômicas em âmbito mundial. No entanto, nos últimos anos, alguns cientistas sociais e analistas políticos têm chamado a atenção para um suposto esfacelamento dos ideais e das características da globalização econômica, social e cultural, como reação aos efeitos perversos produzidos pela mesma. Analisando alguns desses indicativos, tais cientistas passaram a utilizar o termo “desglobalização”, para caracterizar essa nova tendência, marcada por um conjunto de fatos, dentre os quais se destacou a vitória do movimento Brexit no Reino Unido, que decidiu pela retirada do Reino Unido da União Europeia. Além desse fato, os estudiosos indicam vários outros, que apontariam na mesma direção. 
Dentre os aspectos apresentados abaixo, NÃO possui relação com a suposta tendência indicada no texto: 
(A) As inúmeras dificuldades enfrentadas no processo de negociações para o avanço dos processos de integração ou de intensificação de relações econômicas entre blocos econômicos. 
(B) O enfraquecimento do Sistema Internacional de Estados, em especial da ONU, com decisões unilaterais tomadas por parte dos Estados Membros. 
(C) O fortalecimento dos discursos políticos ultraconservadores, contrários à integração econômica e política e voltados para o fortalecimento dos Estados Nacionais. 
(D) O surgimento de novas potências econômicas globais, que fragilizam o sistema tradicional de forças econômicas e políticas do mundo, criando um cenário de desequilíbrio e incertezas. 
(E) Ressurgimento dos nacionalismos em várias regiões do mundo, trazendo de volta a perspectiva da fragmentação territorial.

Questão 45 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Observe a imagem a seguir.

Menino resgatado com vida sob os escombros de edifício após bombardeio em Aleppo (Foto: Aleppo Media Center/AP). 
Disponível em: 
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/08/imagem-de-menino-ferido-vira-novo-simbolo-da-guerra-nasiria.html 

A foto do menino resgatado com vida sob escombros após um bombardeio em Aleppo, em 2016, viralizou nas redes sociais e jornais de todo o mundo. Arrastando-se desde 2011, o conflito na síria possui características sectárias e parece estar longe de uma resolução. Nas aulas de Geografia, a temática “Espaço e Poder”, principalmente, na perspectiva do Oriente Médio, torna a Guerra Civil na Síria um tema imprescindível, já que esta já é considerada um dos maiores desastres humanitários dos últimos anos. A partir deste conflito, diversos são os temas que o professor de Geografia pode desenvolver em suas aulas. A seguir, são apresentados alguns temas e suas respectivas relações. A única alternativa que apresenta uma incongruência é: 
(A) Armas químicas: o último ataque, ocorrido em 4 de abril de 2017, supostamente realizado pelo governo sírio, reacendeu o debate internacional sobre a questão das armas químicas e as medidas para combater o seu uso. 
(B) Crise diplomática: a guerra na Síria gerou forte tensão e atrito nas relações entre Rússia e Estados Unidos, em virtude das posições estratégicas e divergentes de cada um destes em relação ao conflito. (C) Geopolítica do Petróleo: Diferentemente, dos demais países do Oriente Médio, onde a Geopolí- tica do petróleo está relacionada à grande importância mundial do “ouro negro”, na Síria, a guerra em questão não apresenta qualquer relação com este recurso. 
(D) Migração: atualmente, quase 5 milhões de sírios são refugiados, concentrando-se principalmente em países da região, como o Líbano, e também na Europa, onde as políticas de imigração estão cada vez mais restritivas. 
(E) Terrorismo: o avanço do Estado Islâmico sobre a Síria foi rápido e extremamente violento. Entretanto, não somente para esse país, mas também para todo o mundo, tal grupo representa uma ameaça, em virtude das ações terroristas praticadas.

Questão 46 - FUMARC 2018 - SEE/MG - No Brasil, graças às diversas modalidades do impacto da modernização sobre o seu território, todas as áreas do país, nas últimas décadas, conheceram um revigoramento do seu processo de urbanização, ainda que em níveis e formas diferentes, pois a lógica dada pela divisão territorial do trabalho em escala nacional privilegia, diferentemente, cada fração em dado momento de sua evolução. A lógica é comum, os resultados regionais e locais são diferentes. Considerando o texto, avalie as afirmativas a seguir: 
I. O Centro-Oeste apresenta-se extremamente receptivo aos novos fenômenos da urbanização e conhece, nas últimas décadas, uma elevada taxa de urbanização. 
II. No Nordeste, a introdução de inovações materiais e sociais encontra resistência de um passado cristalizado, atrasando o processo de desenvolvimento, tornando menos dinâmico o processo de revigoramento da sua urbanização, se comparado a outras áreas do país. 
III. Ao contrário do que aconteceu nas regiões Sudeste, Sul e Nordeste, onde o povoamento precedeu a urbanização, na Amazônia, o aparecimento de um recente e vigoroso processo de urbanização ocorre sobre poucos núcleos, em função da descontinuidade e da característica rarefeita do povoamento que o precede. É CORRETO o que se afirma em: 
(A) I, II e III. 
(B) I, apenas. 
(C) II, apenas. 
(D) I e III, apenas. 
(E) II e III, apenas

Questão 47 - FUMARC 2018 - SEE/MG - A dinâmica demográfica no território brasileiro parece indicar uma nova tendência: uma desmetropolização que se verifica em paralelo à permanência do fenômeno da metropolização. A opção que MELHOR explicita a tendência apresentada pelo texto é: 
(A) As metrópoles, em função da própria composição orgânica do capital e do espaço, continuam a acolher populações pobres e despreparadas frente às demandas econômicas e de mercado de trabalho. 
(B) O crescimento da população agrícola ganha relevância nas regiões Norte e Nordeste com implicações diretas no processo de desmetropolização no país. 
(C) O crescimento de indústrias de alimentos e, portanto, do emprego no setor fora dos espaços metropolitanos contribui para o processo de desmetropolização no país. 
(D) Cidades de mais de meio milhão de habitantes, localizadas dentro ou fora das regiões metropolitanas, vêm apresentando um crescimento relativo de sua população que supera o crescimento relativo da população nas metrópoles, embora estas continuem a apresentar um crescimento positivo de população em valores absolutos. 
(E) O Nordeste, onde se instalam muitas indústrias modernas, aponta para uma melhor distribuição nacional do emprego industrial, influindo diretamente no processo de desmetropolização da região Sudeste.

Questão 48 - FUMARC 2018 - SEE/MG - O conceito de Desenvolvimento Sustentável, apresentado pela primeira vez em 1987 no documento conhecido como Relatório Brundland, propõe a busca de modelo de consumo que atenda às necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem suas próprias necessidades. Segundo o Relatório, uma série de medidas devem ser tomadas pelos países para promover o desenvolvimento sustentável, como, por exemplo: 
(A) aumento do consumo dos recursos naturais renováveis, preservando os recursos não renováveis para as gerações futuras. 
(B) diminuição do consumo de fontes energéticas não renováveis e desenvolvimento de tecnologias com uso de fontes energéticas renováveis, como a solar, a eólica e a geotérmica. 
(C) estagnação do desenvolvimento tecnológico e econômico, em detrimento da manutenção de estoques de recursos naturais para as gerações futuras. 
(D) implantação de um programa de limitação do crescimento populacional pela Organização das Nações Unidas, sobretudo nos países não industrializados. 
(E) limitação do consumo de recursos naturais renováveis nos países mais pobres, garantindo a preservação das espécies animais em extinção e os habitats naturais.

Questão 49 - FUMARC 2018 - SEE/MG - “O Protocolo de Montreal completa 31 anos. Chancelado na cidade de mesmo nome no Canadá em 1987, ele vem, desde então, promovendo mecanismos de proteção da camada de ozônio. [...]”. Disponível em: goo.gl/QXWEHN. Acesso em: 26 fev. 2018. 

Com base nos conhecimentos sobre o assunto, é INCORRETO afirmar: 
(A) A Convenção de Viena para a Proteção da Camada de Ozônio, realizada em 1985, contribui para o surgimento, em 1987, do Protocolo de Montreal sobre Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio. 
(B) O Protocolo de Montreal é muito criticado por não prover assistência técnica e financeira aos países em desenvolvimento, com recursos provenientes dos países desenvolvidos, mecanismo que poderia contribuir com o êxito da implementação desse tratado internacional. 
(C) O Protocolo de Montreal entrou para a história ao se tornar, em 2009, o primeiro acordo ambiental multilateral a ser universalmente ratificado: 197 países assumiram o compromisso de proteger a camada de ozônio. 
(D) O Protocolo de Montreal estabelece metas de eliminação das Substâncias que destroem a Camada de Ozônio (SDOs), a qual funciona como filtro ao redor do planeta e protege os seres vivos dos raios ultravioleta. Essas metas valem para todos os países signatários, respeitando o princípio das responsabilidades comuns, porém diferenciadas. 
(E) O Protocolo de Montreal, ao longo dos anos, recebeu emendas e ajustes com o objetivo de introduzir outros tipos de medidas de controle, acrescentar novas substâncias controladas para a lista, acelerar os cronogramas de eliminação progressiva. Essas alterações ao Protocolo de Montreal são nomeadas de acordo com o local de sua adotação: Londres (1990), Nairóbi (1991), Copenhagen (1992), Bangkok (1993), Viena (1995), Montreal (1997), Pequim (1999) e Kigali (2016).

Questão 50 - FUMARC 2018 - SEE/MG - O gráfico abaixo representa o aumento da vazão fluvial em uma bacia hidrográfica durante um evento chuvoso em dois ambientes distintos: em uma área urbana e em uma área de floresta natural.
Fonte: DREW, David. Processos interativos Homem - Meio ambiente. 
Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1986. p. 93. (Adaptado) 
Através da análise do gráfico e considerando outros conhecimentos sobre o assunto, é CORRETO afirmar: 
(A) A bacia hidrográfica urbanizada reage prontamente à chuva e produz uma vazão muito maior de água no rio se comparado ao rio da bacia com floresta natural. 
(B) A diminuição da vazão fluvial em uma bacia com floresta natural diminui a taxa de infiltração da água da chuva, contribuindo para uma menor armazenagem de água no solo. 
(C) A impermeabilização do solo na área urbana aumenta a infiltração, proporcionando maior armazenagem de água subterrânea, diminuindo a vazão fluvial. 
(D) A interceptação da chuva pela vegetação diminui a quantidade de água armazenada no solo, aumentando a vazão fluvial na bacia com cobertura de floresta natural. 
(E) A vazão fluvial em uma bacia urbanizada aumenta lentamente após o início da chuva e atinge um fluxo máximo em nível muito inferior ao da bacia com floresta natural.

Questão 51 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Leia os versos da canção a seguir. 
Sertão Sofredor (Luiz Gonzaga) 

Ah, meu sertão véio sofredô! Terrazinha pesada da gota! Terra mole, vote... 
Quando chove lá, chove prá derreter tudo. A terra vira lama, a cheia acaba com os pobres, açudão pro
mundo... Aquilo num é nem chuva, é dilúvio! E quando não chove é mais pior meu chefe! É o verão brabo! 
Torrando tudo, lascando, acabando com o que era verde! Home... Pulo verão no meu sertão, de verde só fica 
mermo pano de bilhar, óculo reiban e pena de papagaio! É um desadouro meu chefe! 
Ah, Sertão Veio sofredor! 
Inté Paulo Afonso, que era a redenção do Nordeste, virou coisa de luxo. Só está servindo móde iluminar as cidade grande. 
Cadê as fábrica?
Cadê as indústria? 
Cadê as coisa boa anunciada pro Nordeste? 
E se vier outra seca lascada? 
Ah! Ah! É uma praga meu chefe... 
Ah! Sertãzinho sofredor... 
É por isso que eu canto: Posso falar? - Pode... 
Quero falar 
Do meu sertão 
Meu sertãozinho 
Desprezado como o que 
Peço a atenção 
De toda gente 
Prá minha terra 
Terra do meu bem querer 
Matéria-prima 
Tudo temos de primeira, sim 
Valor humano 
Gente honesta e ordeira também 
O que nos falta então 
É uma ajuda leal 
Do grande chefe 
Do governo Federal 
Pois é...

Disponível em: https://www.letras.mus.br/luiz-gonzaga/1565380/. Acesso em: 26 fev. 2018. Através da análise da canção e considerando outros conhecimentos sobre o assunto, quais características NÃO podem ser atribuídas ao “Sertão Nordestino”? 
(A) Assim como outras regiões semiáridas o Sertão, é caracterizado por atributos de origem climática, hídrica e fitogeográfica: baixos níveis de umidade, escassez de chuvas anuais, irregularidade no ritmo das precipitações ao longo dos anos; prolongados períodos de carência hídrica; solos problemáticos tanto do ponto de vista físico quanto do geoquímico (solos parcialmente salinos, solos carbonáticos) e escassez de rios perenes, sobretudo no que se refere às drenagens autóctones. 
(B) É uma região onde, historicamente, o planejamento estatal define projetos e incentivos econômicos de alcance desigual, mediante programas incompletos e desintegrados de desenvolvimento regional. 
(C) É uma região que mantem fortes relações com as metrópoles e grandes cidades costeiras, sendo necessário registrar ainda a presença das diversas capitais regionais (Campina Grande, Crato, Mossoró, Feira de Santana, Patos, Caruaru), com vigoroso comércio e múltiplas funções. No nível social, esses aglomerados urbanos constituem, por suas feiras populares, o grande ponto de encontro das populações residentes nos sertões. 
(D) O caráter híbrido do perfil socioeconômico do Sertão combina arcaísmos generalizados com importantes elementos pontuais de modernização, tais como uma razoável hierarquização urbana, um sistema de rodovias que garante minimamente as ligações intra e inter-regionais, e uma rede de açudes, com diferentes possibilidades de fornecimento de água para áreas irrigáveis de planícies de inundação (vazantes). 
(E) O Sertão é uma região interiorana, conhecida por ser terra das chapadas, de solos pobres e extensivamente gretados, habitada por agrupamentos humanos improdutivos, populações seminômades corridas pelas secas, permanentemente maltratadas pelas forças de uma natureza perversa.

Questão 52 - FUMARC 2018 - SEE/MG - A figura abaixo representa os domínios morfoclimáticos do Brasil definidos pelo Prof. Aziz Ab Saber (1965). Cada domínio morfoclimático possui características de relevo e vegetação que lhe conferem identidade e refletem a longa história de evolução das paisagens brasileiras.
Fonte: AB'SABER, A.N. Os Domínios de Natureza no Brasil: Potencialidades Paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial. P.17, 2003

Sobre as paisagens de cada um dos domínios morfoclimáticos, é CORRETO afirmar: 
(A) Domínio I: caracterizado pela presença da floresta de encosta, sobre extensões de relevos mamelonares, escarpas e serras e clima tropical litorâneo. 
(B) Domínio II: caracterizado pela presença de matas secas, abertas e decíduas sobre relevos serranos e clima tropical. 
(C) Domínio III: caracterizado por depressões interplanálticas semiáridas cobertas por vegetação xeromórfica e clima semiárido. 
(D) Domínio V: caracterizado pela presença de planaltos residuais cobertos pela floresta e clima equatorial. 
(E) Domínio VI: caracterizado pela presença de relevo de colinas suaves com predomínio de vegetação de gramíneas e clima subtropical.

Questão 53 - FUMARC 2018 - SEE/MG - A figura representa a distribuição superficial das principais placas tectônicas da litosfera terrestre.
Fonte: http://paraimprimir.org/mapa-de-las-placas-tectonicas-para-imprimir/ 

A análise da figura, que representa as principais placas tectônicas do globo terrestre, está corretamente expressa em: 
(A) A porção oeste da placa sul-americana encontra-se circundada por margens continentais passivas. 
(B) Movimentos divergentes entre placas africana e arábica conduziram a abertura do Mar mediterrâneo. (C) Na costa oeste dos EUA, as placas tectônicas deslocam-se sobre o manto terrestre em movimento divergente. 
(D) O surgimento da Islândia é resultante da convergência entre as placas Norte americana e Euroasiática. 
(E) O surgimento dos Andes e da fossa do Peru são resultantes do choque da Placa do Pacífico com a Placa Sul-Americana.

Questão 54 - FUMARC 2018 - SEE/MG - O mapa abaixo mostra a atuação de massas de ar no Brasil durante o Inverno e o Verão.
Fonte:http://www.not1.com.br/clima-e-massas-de-ar-do-brasil-mapas-e-climogramas-regioes-brasileiras/ (adaptado) 

Com base nos mapas acima e nos conhecimentos sobre as massas de ar que atuam no território brasileiro, é CORRETO afirmar: 
(A) A massa Equatorial continental (mEc), por ter sua origem no continente, assume característica quente e seca, provocando grandes períodos de estiagem na região Centro-Oeste durante seu deslocamento. 
(B) A massa Tropical atlântica (mTa), por ter sua origem no Oceano Atlântico, assume característica quente e úmida, é responsável por chuvas frontais na região Nordeste durante o verão. 
(C) Durante o inverno, a massa Polar atlântica (mPa), fria e seca, tem sua atuação restringida à região Sul do país, devido ao avanço da massa Equatorial continental (mEc) que se desloca para o interior do continente. (D) Durante o inverno, a massa Polar atlântica (mPa), ao entrar em contato com a massa Tropical atlântica (mTa), quente e úmida, provoca chuvas no litoral nordestino. 
(E) Durante o verão, a massa Tropical continental (mTc), quente e seca, que tem sua origem na depressão do Chaco, é responsável por longos períodos chuvosos na região Sul e interior da região Centro Oeste.

Questão 55 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Nas décadas que se seguiram ao Pós-Segunda Guerra Mundial, várias organizações multilaterais passaram a utilizar diferentes critérios de classificação dos países, buscando avaliar seu grau de desenvolvimento econômico e social. Para tanto, foram utilizados indicadores como o PIB – Produto Interno Bruto, o PIB per capita (Renda Per capita) e outros. Diante das críticas frequentes e da limitação que tais indicadores apresentavam, no início da década de 1990, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), divulgou um novo indicador, que atualmente serve de referência para estudos que avaliam as condições de vida das populações do mundo: o IDH – Índice de Desenvolvimento Humano. O IDH é um indicador composto, calculado e divulgado anualmente. A partir de 2010, esse indicador vem sendo construído pela conjugação de três índices, utilizando diferentes indicadores que são: 
(A) Capacidade produtiva instalada, Produto Interno Bruto, Razão de Dependência, Índice de Gini. 
(B) Consumo de Energia Per Capita, Índice de Fecundidade e Cotação da Moeda Nacional em relação ao dólar. 
(C) Expectativa de vida ao nascer, taxa de alfabetização, taxa de escolarização e Produto Interno Bruto Per Capita (em dólar). 
(D) Taxa de Analfabetismo, Taxa de Mortalidade Infantil, Valor do Salário Mínimo (em dólar) e Índice Anual de Inflação. 
(E) Taxa de Crescimento Populacional, índice de Fecundidade, Produto Interno Bruto e Poder de Compra dos Salários

Questão 56 - FUMARC 2018 - SEE/MG - Observe a tabela que apresenta informações sobre o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do Acre e analise as afirmações a seguir.

I. Considerando-se que as faixas de desenvolvimento humano são “Muito Baixo” (0,000 a 0,499), “Baixo” (0,500 a 0,599), “Médio” (0,600 a 0,699), “Alto” (0,700 a 0,799) e “Muito Alto” (0,800 a 1,000), em uma representação cartográfica do IDHM 1991, empregando-se a variável visual cor na representação de cada faixa, todos os municípios acreanos seriam exibidos em uma só cor. 
II. O mapeamento do IDHM dos municípios do Acre, para quaisquer um dos anos, por se tratar de representação quantitativa com modo de implantação zonal, empregará o método isarítmico. 
III. Para melhor compreensão das informações de cada um dos municípios, o gráfico triangular seria a representação gráfica mais adequada, pois sintetiza em uma única notação uma específica estrutura ternária, isto é, formada por três componentes, como é o caso. Está INCORRETO o que se afirma em: 
(A) I, II e III. 
(B) II e III apenas. 
(C) I e II apenas. 
(D) I e III apenas. 
(E) III, apenas.

Questão 57 - FUMARC 2018 - SEE/MG - “O rendimento domiciliar per capita do Brasil ficou em R$ 1.268 em 2017, conforme levantamento divulgado nesta quarta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (PNAD Contí- nua). [...] De acordo com o IBGE, o rendimento domiciliar per capita é o resultado da soma dos rendimentos recebidos por cada morador, dividido pelo total de moradores do domicílio. Essas estimativas servem como base para o rateio do Fundo de Participação dos Estados (FPE), conforme definido pela Lei Complementar nº 143, de julho de 2013. [...]”. Disponível em: goo.gl/jAdmpf. Acesso em: 28 fev. 2018. O rendimento médio domiciliar per capita por Unidade da Federação, em reais (R$), é apresentado na tabela ao lado. Com base nessas informações e em outros conhecimentos, analise as afirmações a seguir.

I. No período de 2014 a 2017, o maior rendimento domiciliar per capita sempre foi observado no Distrito Federal e o menor, no Maranhão. Ainda que ambos tenham apresentado crescimento da renda domiciliar per capita nesse período, nota-se que houve também um aumento na diferença entre essas duas Unidades da Federação. 
II. Em 2017, o rendimento domiciliar per capita do Brasil foi maior do que o rendimento domiciliar per capita de aproximadamente 70% dos estados brasileiros, indicando que o valor apresentado pela reportagem, além de não significar a média do rendimento domiciliar per capita das UFs, não é representativo, apesar de corroborar na denúncia das desigualdades do Brasil. 
III. Praticamente a metade dos estados brasileiros apresentaram, em 2017, rendimento domiciliar per capita abaixo do salário mínimo nacional em 2017, que era R$ 937,00. 
IV. O rendimento domiciliar per capita dos maranhenses, dos paraenses, dos capixabas, dos mato-grossenses e dos paranaenses foi o menor das regiões Nordeste, Norte, Sudeste, Centro-Oeste e Sul, respectivamente. Está CORRETO o que se afirma em: 
(A) I, II, III e IV. 
(B) I e II, apenas. 
(C) I e IV, apenas. 
(D) II e III, apenas. 
(E) III e IV, apenas.

Questão 58 - FUMARC 2018 - SEE/MG -“Em 5 de novembro de 2015, ocorreu o rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco, em Mariana (MG), o maior desastre socioambiental do país no setor de mineração, com o lançamento de 34 milhões de metros cúbicos de rejeitos no meio ambiente. [...]”. Disponível em: goo.gl/dUhjP5. Acesso em: 26 fev. 2018. 

Um(a) Professor(a) de Geografia, ao trabalhar essa questão em sala de aula, apresentou aos alunos a Carta Topográfica de Mariana. A figura a seguir representa um trecho da referida carta.
Disponível em: goo.gl/qk6S1n. Acesso em: 26 fev. 2018.
Tomando-se como referência a Série Cartográfica adotada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as coordenadas UTM e, também, a equidistância das curvas mestras de 100 metros, pode-se concluir que a escala da folha topográfica disponibilizada pelo(a) Professor(a) é: 
(A) 1:100.000 
(B) 1:500.000 
(C) 1:250.000 
(D) 1:25.000 
(E) 1:50.000

Questão 59 - FUMARC 2018 - SEE/MG -Leia o fragmento de texto a seguir e observe a tabela ao lado. “A Rússia impressiona, em todos os sentidos. E o torcedor brasileiro que pretende acompanhar a Copa do Mundo de perto neste ano vai poder comprovar isso. [...] O metrô de Moscou vai ser um capítulo à parte no Mundial. Ele abrange toda a cidade, do Kremlin a lugares mais distantes. Suas linhas são ordenadas por cores. Há uma Moscou ao ar livre, com seus monumentos e prédios estatais imponentes, alguns beirando o Rio Moscou, e outra debaixo da terra, subterrânea, com as lindas e históricas estações de metrô e shoppings que afundam na terra. Há um desses na Praça Vermelha. [...]”. 
Disponível em: goo.gl/abZDEv. Acesso em: 26 fev. 2018. 

Organizado a partir das informações disponíveis em: goo.gl/UCbBDr. Acesso em: 26 fev. 2018
Analise as afirmações a seguir. 
I. Num mapa, as cores que designam as linhas de metrô podem ser usadas como variável visual na representação. 
II. Ao se elaborar retas que representem as linhas de metrô de Moscou, na escala de 1:100.000, a Linha 1 (Vermelha) medirá 13,1 cm, a Linha 5 (Marrom) medirá 9,65 cm e a Linha 9 (Cinza) medirá 20,75 cm. 
III. A escala cartográfica de representação da Linha 11 por meio de uma reta medindo 34 cm é maior que a escala cartográfica de representação da Linha L1 (“Light Rail”) por meio de uma reta medindo 55 cm.
Está CORRETO o que se afirma em: 
A) I e II apenas. 
(B) I e III apenas. 
(C) II, apenas. 
(D) II e III apenas. 
(E) I, II e III.

Questão 60 - FUMARC 2018 - SEE/MG -A Federação Aeronáutica Internacional (FAI) escolheu a cidade de Shenzhen, na China, para sediar o 1º Campeonato Mundial de Drones (FAI World Drone Racing), que será realizado em novembro de 2018. A cidade chinesa concorria com as cidades de Albuquerque (EUA) e Barcelona (Espanha). Localizada no sul da China (Coordenadas Geográficas: Latitude 22°32'32.33" N e Longitude 114° 03'27.61" E), Shenzhen é uma das cidades em desenvolvimento mais rápido do mundo, e é conhecida pela inovação, tecnologia e intercâmbio internacional. Além do mais, a “corrida” de drones é cada vez mais popular na China, especialmente entre adolescentes. 

Supondo que o começo dessa competição seja realizado no dia 18 de novembro de 2018, domingo, às 9:00 (horário em Shenzhen), e desconsiderando horários de verão locais, os adolescentes, principalmente, e demais habitantes da cidade de Brasília (DF), localizada na Latitude 15°48'1.47" S e Longitude 47°53'1.79" W, poderão assistir, ao vivo, a abertura do 1º Campeonato Mundial de Drones em qual horário? 
(A) 22:00 do dia 17/11/2018 
(B) 20:00 do dia 17/11/2018 
(C) 01:00 do dia 18/11/2018 
(D) 17:00 do dia 18/11/2018 
(E) 21:00 do dia 18/11/2018

GABARITO
31 - E
32 - C
33 - B
34 - A
35 - D
36 - E
37 - D
38 - C
39 - C
40 - D
41 - E
42 - C
43 - B
44 - D
45 - C
46 - A
47 - D
48 - B
49 - B
50 - A
51 - E
52 - E
53 - B
54 - D
55 - C
56 - B
57 - A
58 - E
59 - A
60 - A

Nenhum comentário: