quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Exercícios resolvidos de Geografia sobre Rede Urbana

Geografia - Rede Urbana - 13 questões com gabarito - Vestibular
1. (UFJF-MG) As figuras a seguir representam dois esquemas de relações entre as cidades: o clássico e o atual.

Adap.: SENE, Eustáquio de; MOREIRA, João Carlos. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 1999.

Por que a concepção tradicional de hierarquia urbana está sendo substituída pela atual?
a) Porque muitos distritos, vilas e até mesmo bairros se emanciparam e foram elevados à categoria de município.
b) Porque o êxodo rural leva ao desaparecimento de muitas vilas e cidades pequenas, localizadas distantes das metrópoles.
c) Porque o avanço tecnológico dos transportes e comunicações e a disponibilidade de renda encurtam as distâncias.
d) Porque a queda de regimes totalitários não permitiu maior mobilidade da população e favoreceu a migração interurbana.
e) Porque as atuais diretrizes do planejamento urbano promovem a concentração das indústrias de base nas metrópoles.

2. UNICAMP 2004 - A construção da rede urbana brasileira obedeceu durante quatro séculos ao ritmo lento da exploração do território vasto, sempre em condições de baixa densidade. Ao final do século XIX muda o ritmo da urbanização. (Adaptado de Jorge Wilheim. “Metrópoles e faroeste no século XXI” in: Ignacy Sachs et alii. (orgs), Brasil: um século de transformações. São Paulo, Companhia das Letras, 2001, p. 476.)
a) Explicite um dos motivos para a aceleração da urbanização no Brasil a partir do século XIX. 
b) Cite duas características recentes da rede urbana brasileira.
c) O dinamismo da rede urbana brasileira dá-se principalmente por agregação de fluxos migratórios. As pessoas migram visando melhorar o padrão de vida. No entanto, tal expectativa vem sendo frustrada no Brasil.  Cite duas conseqüências dessa situação no cenário urbano do país.

3. VUNESP - Segundo a hierarquia urbana, as cidades mais importantes de um país, que comandam a rede urbana nacional, estabelecendo áreas de influência, correspondem aos (às): a)capitais regionais
b)centros regionais
c)metrópoles regionais
d)cidades-dormitórios
e)metrópoles nacionais

4. UFC 2010 - A rede urbana brasileira está em contínua construção, constituindo-se em um conjunto de centros que tiveram origem nos diversos séculos da história do Brasil e que coexistem de forma hierarquizada em uma mesma região. Na Amazônia, a rede urbana, até os anos de 1960, tinha o padrão espacial dendrítico, comandada por Belém. As transformações verificadas a partir de 1970 introduziram maior complexidade à rede urbana, originando novos padrões espaciais não mais definidos pela rede fluvial nem por ligações exclusivas com a capital paraense. Assinale a alternativa que apresenta de modo correto a hierarquia de centros e metrópoles existentes na Região, de acordo com a classificação do IBGE.

A) Centros sub-regionais, centros regionais e metrópole global.
B) Centros sub-regionais, centros regionais e metrópoles nacionais.
C) Centros sub-regionais, centros regionais e metrópoles regionais.
D) Centros regionais, metrópoles regionais e metrópoles nacionais.
E) Centros sub-regionais, metrópoles regionais e metrópoles nacionais.

5. UFV 2010 - Com relação ao conceito de “rede urbana”, assinale a afirmativa CORRETA:
a) Constitui um sistema integrado de cidades formado exclusivamente pela infraestrutura de transporte, energia e informação.
b) Apresenta-se como um conjunto de cidades interdependentes com um núcleo urbano central que articula as atividades econômicas entre elas.
c) Define um sistema integrado de cidades formado por uma realidade material (rede técnica) e outra imaterial (rede social).
d) Representa um conjunto de cidades com um sistema integrado a partir dos eixos centrais de distribuição de mercadorias.

6. UEL 2010 adaptada - Leia os textos a seguir e responda à questão.
Texto I
Dados do IBGE (2000), apontam para a configuração de uma hierarquia da rede urbana no Brasil com a classificação de quatro categorias de estudo:
• Metrópoles globais, nacionais e regionais (13 centros urbanos, exceto Manaus)
• Centros regionais (16 centros, com 13 aglomerações urbanas não-metropolitanas). Ex: Ribeirão Preto - SP, Londrina - PR, Florianópolis - SC, Uberlândia - MG, entre outras.
• Centros sub-regionais 1 e 2 (82 centros urbanos, sendo 31 CSR 1 e 51 CSR 2). Exs: CSR1: Maringá - PR; Joinville - SC; Criciúma - SC; São Carlos - SP; Uberaba - MG, entre outras.
• Centros de expressão local e cidades pequenas (o restante dos municípios do país).

Texto II
Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA (1999) mostram que o processo de urbanização no Brasil, nos anos 80 e 90, levou à formação de 12 metrópoles e 37 aglomerações urbanas não metropolitanas, concentrando aproximadamente 47% da população do país, segundo critérios estabelecidos por aquele instituto. (Santos, E. C. Caracterização do sistema urbano brasileiro e seus principais problemas. Ensaio. Curitiba, 2005.)

Sobre a rede urbana brasileira, um dos critérios adotados para a classificação das cidades é o tamanho. Com relação ao tamanho das cidades brasileiras, pode-se afirmar:

a) Enquadram-se na caracterização de metrópoles as cidades brasileiras que possuem mais de 500 mil habitantes. Apresentam-se condensadas por uma extensa porção do território ocupado por assentamentos populacionais de baixa renda.
b) O Brasil atualmente vem presenciando uma estabilidade no crescimento urbano metropolitano. Uma das razões mais plausíveis deve-se ao enfraquecimento das correntes migratórias para as grandes cidades brasileiras.
c) As cidades médias, caracterizadas como Centros Regionais pelo IBGE, devem ser entendidas como aquelas com menos de 500 mil habitantes. São centros regionais com estrutura urbana semelhante à das metrópoles e seus problemas referem-se ao crescente adensamento com verticalização central e dos anéis intermediários.
d) Cidades de grande porte, caracterizadas como Centros Sub-Regionais segundo o IBGE, são aquelas com população até 500 mil habitantes. Apresentam pequenas indústrias e comércio pulverizados na malha urbana com problemas de infraestrutura e boa acessibilidade.
e) As cidades de pequeno porte, caracterizadas pelo IBGE, são entendidas como aquelas com população até 100 mil habitantes. Com relação à concentração industrial, pela própria ocupação desordenada verificada no território, têm suas pequenas indústrias localizadas dentro da malha urbana.

7. UECE 2010.1 - Analisando a rede urbana brasileira e o estudo das Regiões de Influência das Cidades - 2007 do IBGE, pode-se concluir que, atualmente, no Brasil, existem 12 grandes redes de influência de primeiro nível, que interligam até mesmo municípios em estados diferentes, superando inclusive os limites da divisão territorial oficial. O mesmo estudo classifica a hierarquia das cidades em cinco grandes níveis, levando em conta a classificação dos centros de gestão do território, a intensidade de relacionamentos e a dimensão da região de influência de cada centro, bem como as diferenciações regionais. Sobre a rede urbana brasileira, a hierarquia das cidades e sua problemática é INCORRETO afirmar que

A) os doze principais centros urbanos brasileiros têm como características uma extensa área de influência direta e um forte relacionamento entre si, por isso são classificados como metrópoles.
B) as capitais regionais têm área de influência regional e capacidade de gestão logo abaixo das metrópoles. Incluídas nesta categoria estão algumas capitais estaduais brasileiras que não foram classificadas como metrópoles.
C) as metrópoles brasileiras são visivelmente o palco dos contrastes e das contradições urbanas, onde os cenários da miséria convivem ladeados a produção e a acumulação da riqueza.
D) o termo metrópole regional refere-se às cidades que polarizam uma imensa área circunvizinha como Belém, São Paulo e Salvador, concentrando elevado desenvolvimento industrial, sedes de órgãos governamentais e referencia em saúde, serviços, educação e infraestrutura altamente eficiente, o que se observa nas cidades supracitadas.

8. UEPG 2013 - Sobre a rede urbana do Brasil, assinale o que for correto.
01) O Norte e o Nordeste são desarticulados, com poucas cidades importantes, pequena malha rodoviária e baixa densidade urbana e industrial.
02) A rede urbana do Nordeste tem carência de portos, indústrias, rodovias e aeroportos, principalmente na área litorânea onde se encontram cidades como Salvador e Recife.
04) A terceira mais importante rede urbana está no Centro-Oeste devido às influências de Brasília, e possui boa articulação entre as grandes cidades da região, grande malha rodoviária e alta densidade urbana e industrial.
08) O Sudeste é a região brasileira mais importante quanto à rede urbana, porque possui as maiores e principais cidades e é bem articulada, pois é integrada por rodovias, aeroportos, portos, ferrovias e infovias.
16) A segunda rede urbana mais organizada do país está na região Sul graças a uma boa infraestrutura de transporte e comunicação.

9. FUVEST 2002 - Podemos afirmar que a rede urbana no Brasil é
a) pouco densa no Sul, devido ao desenvolvimento agrícola baseado no minifúndio familiar, voltado à produção de trigo para o consumo interno.
b) densa no Centro-Oeste, devido ao desenvolvimento agrícola baseado na produção de soja e trigo, constituindo uma hierarquia urbana completa.
c) rarefeita no Nordeste, devido à migração da população para outras regiões do país, que oferecem oportunidades de trabalho.
d) pouco densa no Norte, apresentando uma estrutura hierárquica incompleta, apesar dos investimentos estrangeiros em infraestrutura urbana, a partir de 1970.
e) densa no Sudeste, devido à bem desenvolvida infraestrutura de transporte e ao número de cidades, viabilizando um sistema de fluxos de mercadorias e de pessoas.

10. UDESC 2013.2 - Rede urbana é o conjunto de centros urbanos integrados que apresentam relações sociais, econômicas e políticas entre si. Dentro desta rede se estabelece uma hierarquia urbana, fruto dos diferentes graus de influência que um centro urbano exerce sobre os outros. Analise as proposições referentes à rede urbana.
I. Cascavel e Vitória da Conquista são centros sub-regionais.
II. Florianópolis, Juazeiro do Norte e Rio Branco são capitais regionais.
III. Porto Alegre e Salvador são metrópoles.
IV. Rio de Janeiro e Brasília são metrópoles nacionais. Assinale a alternativa correta.
A. Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.
B. Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.
C. Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.
D. Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.
E. Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.

11. UNIOESTE 2011 - 2. Sobre a rede urbana brasileira, assinale a alternativa INCORRETA.

A. O sudeste brasileiro pode ser caracterizado como uma rede urbana complexa, pelo seu alto grau de urbanização e pela sua economia diversificada, fortemente industrial e de serviços.
B. A configuração das redes urbanas regionais é definida geralmente pelo fator histórico e pelas atividades econômicas praticadas. Tem-se como exemplos alguns centros regionais e metrópoles nordestinas que se desenvolveram como portos exportadores de produtos agrícolas para o mercado internacional.
C. São Paulo e Rio de Janeiro se caracterizam como as maiores metrópoles brasileiras por concentrar sedes de empresas transnacionais e intensa dinâmica de fluxos informacionais.
D. Abaixo das metrópoles, no nível hierárquico que define a rede urbana brasileira, estão os centros regionais que concentram centros universitários, grande rede de hospitais, médicos e dentistas especializados, retransmissoras de televisão e shopping centers. Tem-se como exemplos Londrina e Ribeirão Preto.
E. O desenvolvimento mais recente da rede urbana brasileira esteve orientado pelo crescimento de sua malha ferroviária, que, a partir de 1960, foi a infra-estrutura de transportes que mais se destacou no território nacional.

12. UFT 2013.1 - As cidades estão ligadas entre si por uma estrutura de transportes e de meios de comunicação, formando uma rede urbana onde se estabelecem fluxos de mercadorias, pessoas e informações. As relações nessa rede urbana são hierárquicas, pois algumas cidades exercem papel de comando, estando no topo da hierarquia urbana: são as cidades globais e as metrópoles. LUCCI, E. A. et all, Geografia Geral e do Brasil - ensino médio, 2005, p.262 . QUESTÃO 33 Considerando o texto, as cidades globais se distinguem das metrópoles em função:
(A) Da sua infraestrutura quanto à realização de eventos nacionais e internacionais.
(B) Do papel que exercem como centros de poder e ordenamentos, influenciando outras cidades num contexto endógeno e exógeno ao território nacional.
(C) Da sua alta capacidade de concentração do capital industrial movimentado com exclusividade pelo conjunto das corporações internacionais.
(D) Da movimentação de capitais financeiros e da celeridade com que estes se movimentam na escala inter-regional.
(E) De se tornar a sede de grandes grupos internacionais, que, preferencialmente, realizam negócios imobiliários.

13. UNIRIO 2004 -  "A rede urbana não é "inocente", no sentido de ser um "simples" conjunto de cidades ligadas entre si por fluxos de pessoas, bens e informações, como se isso fosse coisa de menor importância ou não tivesse a ver com os mecanismos de exploração econômica e exercício do poder existentes em nossas sociedades." Extraído de Marcelo Lopes de Souza in ABC do desenvolvimento urbano. Com relação ao texto acima é correto afirmar que
a) o campo é a área do território nacional que escapa da rede de poder econômico e político exercido pelas cidades.
b) as cidades se apresentam, ao longo da rede urbana, como suportes de disseminação de ideias, das cidades menores para as maiores.
c) uma metrópole nacional, a exemplo de São Paulo, concentra as sedes das grandes empresas e, tendo como suporte a rede urbana, exerce a gestão do território.
d) os centros locais funcionam como centros de distribuição de bens e serviços e acumulam capital vindo dos centros regionais da rede urbana ao qual estão inseridos.
e) o campo funciona como suporte de disseminação de bens e ideias, até chegar à cidade.

GABARITO / Respostas
1.
2. a) Chegada de imigrantes estrangeiros; incipiente industrialização; economia cafeeira, vinculada à implantação de ferrovias, gerando atividades urbanas.

b) - Embora marcada por um número considerável de grandes cidades e metrópoles, a rede urbana brasileira não é muito desenvolvida, comparada com alguns países desenvolvidos; - apresenta fortes disparidades regionais; - não é muito densa no geral (número de cidades por área); - é marcada por acentuadas descontinuidades espaciais (“vazios”); - está havendo intensificação nas relações entre centros urbanos (comunicações, transportes, trocas comerciais); - há uma certa fraqueza hierárquica (nem sempre são encontrados os diferentes níveis hierárquicos -metrópoles, centros regionais, centros locais etc); - está havendo conurbação. OUTRAS POSSIBILIDADES: mais marcantemente adensadas nas áreas metropolitanas; cidades do interior experimentam uma maior crescimento que as regiões metropolitanas.

c) Crescimento da violência, abandono dos espaços públicos (“áreas perigosas”), crescimento do crime organizado, narcotráfico, aumento de desemprego, péssimas condições de vida e de moradia, subemprego, doenças ou problemas de saúde pelas péssimas condições de vida, favelamento, precariedade de infra-estrutura e de condições sanitárias.

3. E

4. C
Comentário: A questão versa sobre a hierarquização da rede urbana brasileira, tomando-se como destaque a Amazônia. De acordo com o IBGE, a rede urbana brasileira é configurada por cidades que ocupam posições hierarquicamente diversificadas. No nível mais baixo da hierarquia, no qual se enquadra a maioria das cidades brasileiras, estão os centros urbanos produtores de bens e serviços mais procurados pela população para sua reprodução social cotidiana, tais como alimentos, vestiário, centrais telefônicas e postos de saúde. Os demais níveis estão representados, sucintamente, da seguinte forma: centros subregionais, que dispõem de bens e serviços tais como revendedoras de automóveis e máquinas agrícolas, lojas de eletrônicos, escolas de ensino médio e, em alguns casos, universidades; centros regionais, que abrigam importantes centros universitários, grandes hospitais, médicos e dentistas especializados, escritórios de advocacia, escolas de alto padrão, retransmissoras de televisão e shopping centers, que atraem e polarizam um mercado consumidor relativamente mais amplo; metrópoles, que abrigam complexos hospitalares de alto padrão, centros de pesquisa científica, aeroportos internacionais, luxuosas redes hoteleiras, comércio atacadista e varejista, sedes de grandes bancos e empresas transnacionais. Estas últimas ocupam um lugar superior na hierarquia e sua influência estende-se para áreas além de suas fronteiras. No caso de metrópoles regionais, a influência se estende à região e aos municípios fronteiriços pertencentes a outras regiões; no caso das metrópoles nacionais, sua área de influência atinge de forma diferenciada todo o país. Diante do exposto, as alternativas A, B, D e E estão incorretas, já que não existem na Amazônia metrópoles nacionais ou metrópole global. A alternativa C é correta. De uma maneira sucinta, a rede urbana da Amazônia está configurada hierarquicamente com seus centros sub-regionais, em que se destacam as cidades de Marabá (PA) e Araguaína (TO), entre outras; com alguns centros regionais, em que se destacam as cidades de Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Boa Vista (RR) e Macapá (AP); e com suas metrópoles regionais, que possuem como sede as cidades de Belém (PA) e Manaus (AM).

5. C

6. E

7. D

8. 8 + 16 = 24

9. E

10. C

11. E

12. B

13. C

Nenhum comentário: