sábado, 8 de julho de 2017

Carnaúba, a Árvore da Vida, da Prosperidade e da Beleza


A carnaubeira ( Copernicia prunifera) é uma árvore que pertence à família das palmeiras (família Arecaceae). O nome Carnaúba vem do tupi e significa "árvore que arranha". A resistência e longevidade da carnaúba sempre foi motivo de orgulho e satisfação para os sertanejos. A "árvore da vida" como é conhecida consegue suportar às adversidades da caatinga, como exemplo de resistência e poder produtivo. Países como Alemanha, Índia, Japão e Estados Unidos tem investido, sem sucesso, na tentativa de cultivar a Carnaúba em virtude da importância da cera extraída de suas folhas.


A Carnaúba que também é chamada de Carandá ou Carnaíba atinge em média 15 metros de altura. Sua copa é formada de leques, o tronco é parcialmente coberto por uma base de sulcos, em forma de hélice. Possui numerosas flores minúsculas e frutos em cachos, com cerca de 3cm de comprimento. As maiores concentrações de carnaubais encontram-se nos estados do Piaui e Ceará, sempre nos vales dos rios e terrenos arenosos. Intimamente ligada a seu habitat, a carnaúba é de grande longevidade, podendo viver até 200 anos.

O aproveitamento dessa palmeira é múltiplo e integral. Como bem diz o sertanejo "na carnaúba nada se perde"! Endêmica do semiárido nordestino, a árvore da vida, oferece uma infinidade de usos ao homem. È utilizada de forma que não prejudica nem a planta nem o meio ambiente. Suas palhas são retiradas e postas para secar ao sol, sem consumo de energia produzida de maneira poluente. Na retirada da cera, o que resta se torna adubo. A Carnaúba é importante para a natureza, e imprescindível para a economia da região.

A CARNAÚBA E SUAS UTILIDADES

1. O TRONCO (LENHO)
O lenho da carnaúba é resistente, podendo ser usado no na construção de edificações rústicas, e como lenha pesada. Inteiro, o estipe da carnaúba costuma ser usado como poste; fragmentado ou serrado, fornece ótimas porções de madeira usadas em construções, podendo também ser aplicada na marcenaria de artefatos torneados, tais como bengalas e objetos de uso doméstico. No Nordeste brasileiro, habitações inteiras são construídas com materiais retirados da carnaúba. O tronco dá o emadeiramento, os esteios, as linhas. as terças. as ripas, os caibros ou seja a ossatura geral da construção. Mais ainda. Todo mobiliário e utensílios são de carnaúba. As prateleiras, as mesas, os bancos, o armário são de taboas de carnaúba, porque essa palmeira fornece taboas sólidas e resistentes.
2. A FOLHA (PALHA)

Com suas folhas fazem-se telhados e coberturas de casas e abrigos. A palha forte e lisa presta-se para a confecção de acessórios os mais variados. Tecem-se esteiras, urupemas, as peneiras usadas no nordeste, a vassoura, o abanador e até sacos sólidos e duradouros para o transporte e acondicionamento dos cereais. A palha macerada e batida reduz-se a fibras, e temos uma nova série de produtos - os artefatos de fibras: as cordas, os trançados e até redes.
3. O FRUTO E RAIZ

A carnaúba produz um fruto comestível, que fornece uma fécula do mesmo valor alimentício que a mandioca. Seus frutos comestíveis e abundantes, quando verdes, constituem boa ração para o gado. Quando seco fornece um óleo fino. Torrados e moídos dão uma bebida semelhante ao café.
As raízes, principalmente da carnaúba conhecida como branca, são tradicionalmente reputadas como de propriedades medicinais no tratamento de algumas doenças. Possui propriedades diuréticas e usadas como chá é indicada para o tratamento do reumatismo e da sífilis.


4. A CERA

A cera de carnaúba já chamava a atenção desde o tempo do Brasil Colônia. Usada para fazer as velas que iluminava as casas da nobreza européia, tornou-se. já naquela época, em um dos principais produtos de interesse dos portugueses. O consumo aumentou nos séculos seguintes e atingiu o auge nos anos 50, quando a produção de cera chegou a atingir 100.000 toneladas. Hoje, a cera de carnaúba é um insumo valioso que entra na composição de diversos produtos industriais. Os principais mercados consumidores são os Estados Unidos, a Europa e o Japão. Vale lembrar que a cera de carnaúba, por ser um produto extrativista regional, tem como único país produtor e exportador o Brasil. 

A cera, principal produto obtido da carnaúba é, ainda hoje, extraída por processos manuais bastantes rudimentares: depois de cortadas, as folhas novas são estendidas pelo chão e postas ao sol, por vários dias, para secar. Quando as folhas secam e a película de cera que as recobre se transforma em um pó esfarinhado, elas são levadas para um quarto escuro, sem janelas. Ali , são rasgadas com grandes garfos e começa a "batedura" até que toda se desprenda, na forma de minúsculas escamas brancas, e possa ser separada da palha. Depois esse pó é recolhido e levado ao fogo com um pouco de água em grandes latões.Essa calda transforma-se em uma pasta esverdeada, que é jogada em uma prensa rústica de madeira, a partir da qual se obtém uma cera líquida que depois é despejada em gamelas de barro ou de madeira até esfriar.

Em 1935, Herbert Johnson, presidente da empresa SC Johnson, fabricante das Ceras Johnson e de outris produtos de limpeza, vaio ao Ceará para pesquisar as potencialidades da carnaúba. A cera produzida aqui era o principal item para os produtos fabricados pela SC Johnson, e Herbert Johnson quis conhecer o potencial de cultivo da carnaubeira a fim de assegurar uma fonte de recursos renováveis e manejáveis.Em 1938, foi a vez de Sam Johnson, filho de Herbert, vir ao Ceará onde fez várias doações e Entidades do Estado. 


APLICAÇÕES DA CERA DE CARNAÚBA
Comercializada há mais de um século, a cera de carnaúba esteve presente na lista dos dez produtos de exportação do Brasil. Esse produto assumiu o seu lugar na indústria contemporânea e o mercado atendido hoje, vem ampliando suas aplicações na industrialização de diversos produtos:


Polidores: Utilizados na fabricação de ceras para polimentos de automóveis, assoalhos, sapatos, móveis. 
Fundição: Isolantes e moldes
Acabamento: Couros para calçados e afins.
Cosméticos: Cremes, batons
Embalagens de alimentos: Impermeabilizantes para frutas e queijos finos
Revestimento: Cola. verniz, esmalte, papel, bombons. goma de mascar r porcelanas.
lubrificantes:Graxas e óleos finos
Escritórios: Papel carbono, tintas
Limpeza: Detergentes e aromatizantes
Medicinais: Cápsulas de comprimidos
Informática: Chips de computadores e Código de Barra.





UMA ÁRVORE VALIOSA




A Carnaubeira é apontada como uma das árvores mais valiosas, do ponto de vista econômico para o Nordeste do Brasil razão porque é destaque nas bandeiras do Rio Grande do Norte, onde aparece de forma bem evidente, e na bandeira do Ceará, cujo desenho faz parte do Brasão do Estado presente na bandeira. Encontrada em todo Nordeste, é nos Estados do Piaui, Ceará e Rio Grande do Norte onde ela ganha expressão econômica. Nesses estados representa geração de emprego e renda durante todo o ano, sendo muitas vezes, a única atividade, em muitas localidades.


UMA PLANTA ORNAMENTAL
Imponente, esbelta como a maioria das palmeiras brasileiras e, por isso mesmo, com alto potencial paisagístico, a carnaubeira deixou de ser apenas uma planta de grande beleza do sertão , para fazer parte do cenário urbano, ornamentando ruas, parques e jardins das cidades. Em Natal ela confere uma aparência distinta e um belo cenário em toda extensão da Rua Potengi, no Bairro de Petrópolis, e na Rota do Sol, uma longa avenida que nos leva ao Litoral Sul do Estado. Em frente ao Centro de Turismo também encontramos exemplares da magnífica carnaúba.
CARNAÚBAS DA RUA POTENGI -NATAL/RN
CARNAÚBAS DA ROTA DO SOL -NATAL/RN
Fonte: Blog Vento Nordeste.

Nenhum comentário: