domingo, 24 de janeiro de 2016

Oito egípcios enfrentam acusações por reparos mal feitos na Máscara de Tutancâmon

Oito egípcios devem ir a julgamento por restaurar com cola  a máscara de ouro do rei Tutancâmon, um grande atrativo turístico para o país.

Promotores egípcios alegam que os empregados do Museu Egípcio do Cairo "trataram de forma imprudente" o artefato de 3300 anos, informou a imprensa egípcia. 
Os investigadores querem saber porque a  barba da máscara mortuária do jovem faraó foi colada com uma quantidade indecente de massa epóxi durante a sua restauração em 2014. Os promotores também disseram que os funcionários arranharam a peça durante a tentativa de remover o excesso de cola.

Os funcionários, incluindo o ex-diretor do museu, enfrentam acusações de negligência e violação de normas profissionais.

A antiguidade foi descoberto na tumba de  Tutancâmon por arqueólogos britânicos em 1922 e é um dos maiores atrativos para os visitantes do museu.

A máscara já foi reparada novamente por profissionais na Alemanha.

* Tradução livre, por Gabriel, com informações da VOA News. Data da publicação: 24/01/2016.

Nenhum comentário: