domingo, 16 de agosto de 2015

História: Questões sobre a Independência do Brasil - com gabarito

Questão 01 - CESPE - 2011 - Instituto Rio Branco - Diplomata - 2ª etapa
Assinale a opção correta com relação ao processo de independência do Brasil
A) Um tipo de conflito de interesses que reapareceria em outros contextos da história do Brasil, centrado nas atribuições do Poder Executivo e do Legislativo, ocasionou a primeira grave crise política do nascente Estado nacional brasileiro e redundou na dissolução da assembleia constituinte encarregada de elaborar a primeira Constituição do país. 
B) O reconhecimento da independência brasileira pela Inglaterra ocorreu quase simultaneamente à decisão dos Estados Unidos da América (EUA) de reconhecer o nascimento do Estado brasileiro sob a liderança do antigo príncipe regente português; em ambos os casos, condicionou-se o reconhecimento à abertura do mercado brasileiro ao comércio internacional. 
C) Os dois partidos políticos constituídos no início do Primeiro Reinado, o Conservador e o Liberal, ofereceram a Dom Pedro I o apoio e a estabilidade necessários para o seu governo, cenário de estabilidade política que desapareceu em face da violenta repressão do governo central a movimentos separatistas como a Cabanagem e a Sabinada. 
D) A emancipação política do Brasil, além de não ensejar grandes alterações na ordem econômica e social, preservou a monarquia, em meio aos vizinhos republicanos, situação somente possível devido à existência de uma elite política homogênea, detentora de sólida base social e de um projeto de nação consensualmente construído. 
E) A Cisplatina e a Bahia foram as províncias brasileiras nas quais se manifestou a resistência portuguesa, tendo o governo de Lisboa contratado comandantes militares estrangeiros, como, por exemplo, o oficial francês Pedro Labatut, para liderar as tropas lusas no confronto com as forças leais a Dom Pedro I.

Questão 02 - CESPE - 2013 - Instituto Rio Branco - Diplomata - Prova 2
Assinale a opção correta a respeito do processo de independência do Brasil
A) O movimento republicano secessionista no norte do Brasil, em 1820, propiciou a conscientização da elite do sudeste da necessidade da independência, a fim de se impedir que regiões brasileiras a fizessem autonomamente e se desintegrassem do território nacional. 
B) Embora o exclusivismo comercial tenha acabado em 1808, com a abertura dos portos às nações amigas, somente em 7 de setembro de 1822, o Brasil deixou de ser colônia política. 
C) A Revolução Liberal do Porto, em 1820, criou, tanto em Portugal quanto no Brasil, um clima de liberdade, que favoreceu a discussão de novas ideias políticas. 
D )A tentativa das Cortes de Lisboa de impor à colônia brasileira a condição de Reino Unido, por acarretar impostos adicionais à elite local, foi o fato desencadeador da Proclamação da Independência do Brasil. 
E) A derrota portuguesa da tentativa de ocupar a Banda Oriental desmoralizou D. João perante as elites brasileiras e contribuiu para o surgimento do projeto de rompimento dos laços coloniais.

Questão 03 - FCC - 2012 - SEE-MG - Professor de Educação Básica - História
Logo ao chegar, durante sua breve estada na Bahia, D. João decretou a abertura dos portos do Brasil às nações amigas (28 de janeiro de 1808). Mesmo sabendo-se que naquele momento a expressão “nações amigas” era equivalente à Inglaterra, o ato punha fim a trezentos anos de sistema colonial. (Boris Fausto. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 2008. p.122) O texto permite concluir que Dom João, ao decretar a abertura dos portos, 
(A) criou o Estado brasileiro e garantiu a unidade do país. 
(B) reforçou a relação de dependência com a metrópole. 
(C) acelerou o processo de Independência do Brasil. 
(D) impediu a consolidação da autonomia provincial.

Questão 04 - CESGRANRIO - 2010 - Prefeitura de Salvador - BA - Professor - História
“Em agosto de 1820, irrompeu em Portugal uma revolução liberal inspirada nas ideias ilustradas. Os revolucionários procuravam enfrentar o momento de profunda crise na vida portuguesa. Crise política (...); crise econômica (...); crise militar (...). Basta lembrar que, na ausência de D. João, Portugal foi governado por um conselho de regência presidido pelo marechal inglês Beresford.” FAUSTO, Boris. História do Brasil. Edusp. 1994. A Revolução do Porto de 1820 tinha aspectos contraditórios no que se refere ao Brasil e Portugal. Se, para Portugal, ela podia ser definida como liberal, condenando a monarquia absoluta e defendendo a elaboração de uma Constituição para o país, no que se referia ao Brasil, as Cortes de Lisboa adotaram medidas de caráter recolonizador que acabaram acelerando a Independência do Brasil. Dentre as medidas recolonizadoras das Cortes de Lisboa que conduziram ao crescimento da ideia separatista, aponta-se a(o) 
(A) aliança das Cortes de Lisboa com o chamado “partido brasileiro” que, por temer uma revolução popular, defendia a manutenção da subordinação do Brasil à Metrópole. 
(B) anulação das medidas liberais adotadas no Brasil, no Período Joanino, que, se, por um lado, prejudicaram a burguesia lusa ao romperem o monopólio comercial, por outro, beneficiaram tanto os ingleses quanto os grandes proprietários rurais brasileiros. 
(C) neutralização, pelas Cortes de Lisboa, da pressão inglesa contra a recolonização, através do compromisso de manter os privilégios comerciais obtidos pela Inglaterra no Brasil, entre 1808 e 1821. 
(D) envio das forças militares da Santa Aliança para conduzir a Família Real de volta a Portugal, independente do desejo contrário dos brasileiros. 
(E) envio de um representante direto das Cortes de Lisboa para o Rio de Janeiro, que obrigava os representantes das províncias brasileiras a responderem somente a ele.

Questão 05 - IF-BA - 2013 - IF-BA - Processo Seletivo - Modalidade Integrada
A separação do Brasil de Portugal, tal como a das colônias norte-americanas da Inglaterra, e da América espanhola da Espanha, pode ser explicada, até certo ponto, em termos de uma crise geral – econômica, política e ideológica – do velho sistema colonial em todo o mundo atlântico, no final do século XVIII e no início do século XIX. BETHELL, Leslie (Org.). História da América Latina: da Independência a 1870. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo/Imprensa Oficial do Estado; Brasília, DF: Fundação Alexandre de Gusmão, 2001. V. 3, p. 228-30. De acordo com a ideia apresentada no texto, a independência do Brasil se relaciona com a:
A) luta na América e na Europa contra as restrições impostas pelo pacto colonial e pela liberdade de comércio. 
B) vontade pessoal do Príncipe Regente, D. Pedro, que abdicou ao trono brasileiro para assumir a monarquia portuguesa. 
C) invasão militar napoleônica às Américas portuguesa e hispânica, impondo a formação de um império francês no Continente. 
D) radicalização da política colonial portuguesa e do monopólio comercial, durante a permanência da corte portuguesa na Colônia. 
E) vinda da corte portuguesa para a Colônia, responsável pela antecipação e pelo pioneirismo brasileiro na luta por independência na América.

Questão 06 - VUNESP - 2013 - PM-SP - Tecnólogo de Administração
Leia fragmento da obra da historiadora Emília Viotti da Costa. A emancipação política realizada pelas categorias dominantes interessadas em assegurar a preservação da ordem estabelecida, cujo único objetivo era romper o sistema colonial no que ele significava de restrição à liberdade de comércio e à autonomia administrativa, não ultrapassaria seus próprios limites. A fachada liberal construída pela elite europeizada ocultava a miséria e escravidão da maioria dos habitantes do país. Conquistar a emancipação definitiva da nação, ampliar o significado dos princípios constitucionais seria tarefa relegada às futuras gerações. (Introdução ao estudo da emancipação política do Brasil. Em: Carlos Guilherme Mota (org.). Brasil em Perspectiva. Adaptado) De acordo com a historiadora, está correto afirmar que o processo de independência do Brasil representou:
(A) a manutenção da lógica econômica do sistema colonial. 
(B) uma profunda transformação apenas na estrutura polí­tica do Brasil.
(C) um momento de liberalização econômica e social, mas não política. 
(D) uma confluência de interesses das elites e das massas populares coloniais. 
(E) o fortalecimento do liberalismo, enquanto sistema polí­ tico e econômico.

GABARITO
01 - A
02 - C
03 - C
04 - B
05 - D
06 - A

Nenhum comentário: