domingo, 5 de julho de 2015

México

MÉXICO - É delimitado ao norte pelos Estados Unidos da América, a leste pelo Golfo do México e pelo Mar do Caribe, através dos quais se aproxima de Cuba, a sul pela Guatemala e por Belize, e a oeste pelo Oceano Pacífico. Além do território continental e ilhas adjacentes à costa, o México inclui também as Ilhas Revillagigedo, localizadas no Oceano Pacífico, a mais de 400 km a sul do Cabo San Lucas, na Baixa Califórnia.
Localização: América do Norte
Capital: Cidade do México
Idioma: Espanhol
População: 123.799.215 habitantes
Extensão Territorial:  1.964.380 Km²
Bandeira do México
Mapa do México
Em 1519, os espanhóis aportaram no México através da ilha de Cozumel. Liderados por Hernán Cortés, os espanhóis fizeram vários aliados entre os povos descontentes com os astecas. Neste ínterim, Montezuma "rei asteca" recebia Cortés pacificamente, acreditando que se tratava do deus Quetzalcoatl. Segundo a lenda, este deus foi pelo mar até o oriente, jurando que retornaria para tomar de volta seu território. Contudo, a matança provocada pelos espanhóis em Toxcatl levou os astecas às armas contra os estrangeiros e seus aliados. Com os militares espanhóis também desembarcaram os missionários da Igreja, que se dedicaram à conversão dos indígenas ao catolicismo. Por isso, muitos historiadores creditam que tanto os exércitos espanhóis quanto a Igreja foram responsáveis pela queda do império asteca e conseqüente domínio dos povos autóctones. Importante notar que o novo modelo de sociedade imposto pelos europeus estava baseado numa rígida segmentação, onde os indígenas ocupavam a base da pirâmide social.

A ocupação da Espanha pelas tropas de Napoleão, em princípios do século XIX, serviu como base para os afãs separatistas da elite criolla mexicana. Após sangrentas lutas, a independência do México teve lugar em 15 de setembro de 1810. Com o Tratado de Córdoba, em 1821, nasceu, finalmente, o México. A independência, em princípio, pouco modificou as diferenças sociais existentes. 

O século XIX foi um período bastante conturbado para o México, sobretudo, pelo permanente enfrentamento entre liberais e conservadores que se somou aos conflitos com os Estados Unidos (ocorrido nos anos de 1846 e 1848, que resultou na perda da metade do território nacional). Com a assinatura do Tratado de Guadalupe-Hidalgo, o México foi obrigado a entregar mais da metade de seu território pela irrisória soma de um pouco mais de 6 dólares por quilômetros quadrados. 

No ano de 1876 Porfírio Diaz tomou o poder ante a uma derrota eleitoral infligida por Benito Juárez. Díaz inaugurou a chamada "ditadura democrática", prolongou-se por três décadas. Nesse período, foram assentadas as bases da industrialização do país, construíram-se as principais estradas de ferro e fomentou-se uma reforma na educação. Porém, favoreceu a concentração de propriedade e, a mineração, os bancos e a indústria do petróleo passaram às mãos estrangeiras. Porfírio Diaz, foi derrotado por Francisco Madero na eleições de 1910 e, muito cedo, se iniciou a Revolução Mexicana. Com o movimento armado, o povo pretendia melhorar as precárias condições de vida e recuperar os recursos naturais. Pelo norte o general Francisco Villa e pelo sul o emblemático Emiliano Zapata, lutaram pelo ideal de terminar com o latifúndio e a exploração, ao grito de "Terra e Liberdade". A Revolução Mexicana foi uma batalha liderada por camponeses que procuravam profundas reformas nas leis agrárias, e a instituição do sufrágio universal. 

Depois da II Guerra Mundial, a infraestrutura do país desenvolveu os setores manufatureiros e industriais, expandiu-se igualmente a produção agrícola, fortalecendo a classe média. Nos últimos anos empreenderam-se importantes reformas econômicas e políticas que têm permitido avançar o país, a pesar de toda classe de contratempos. Desde então, o PRI tem governado o país no meio a fortes crises econômicas sem que, até agora os logros da Revolução tenham chegado a todos os setores da população.

Nenhum comentário: