sábado, 4 de julho de 2015

Cuba

CUBA - País insular localizado na América Central, no Mar do Caribe. Há controvérsias sobre a origem de seu nome, embora se tenha a certeza de que é uma palavra de origem indígena. Colombo anotou este nome em seu diário de viagem, em 1492.

Localização: Caribe
Capital: Havana
Idioma: Espanhol
População: 11.258.597 habitantes
Extensão Territorial:  109.890 Km²
Bandeira de Cuba

Mapa de Cuba
Em 28 de outubro de 1492, Cristóvão Colombo desembarcou na ilha pela primeira vez, dando-lhe o nome de Juana, em homenagem ao primeiro filho dos reis católicos espanhóis, Juan de Castilla (que morreria em 1497). Um despacho real mudaria o nome para Fernandina, em fevereiro de 1515. Posteriormente, foi novamente trocado para Santiago e depois por Ave Maria, até que o nome indígena prevalecesse e ficasse definitivamente como sendo Cuba.

Ao chegar na ilha, os espanhóis encontraram dois troncos indígenas: os taínos e os siboneys. Os primeiros, vinham provavelmente da Venezuela ou de Trinidad-Tobago. Eram agricultores e se alimentavam basicamente de mandioca. Os siboneys eram originários da Flórida e eram extremamente primitivos. Desconheciam a cerâmica e viviam apenas da caça e da pesca.

Colombo explorou a ilha parcialmente em sua primeira viagem. Na segunda, explorou mais ao sul e descobriu uma outra ilha a que deu o nome de San Juan Evangelista. Obrigou a população a assinar um termo garantindo ser Juana (ou Cuba) terra continental, pois acreditava estar em continente asiático. Nicolas de Ovando esteve ali, em 1908, e mandou circunavegar a ilha, desfazendo qualquer dúvida sobre a natureza insular daquela terra.

A sua conquista e exploração foi iniciada por Diego de Velázquez, que em 1512 fundou a primeira povoação: Nossa Senhora da Assunção de Barancoa. Velázquez encontrou a resistência do cacique Hatuey, que fugira dos espanhóis, vindo do Haiti, e acabou preso e queimado vivo.

Cuba serviria como base para expedições que levaram à descoberta e conquista do México. Entretanto, depois da exploração de um pequeno veio de ouro na ilha, ela se restringiu apenas a servir de entreposto para os navios que seguiriam para a Espanha, saindo das terras do Novo Mundo. Ali, eles paravam no porto de Havana para se reabastecer.

Somente no Século XVIII Cuba teria alguma importância econômica, por conta do início ali do cultivo de tabaco e cana-de-açúcar. Por conta disso, um pequeno núcleo urbano foi estabelecido em Havana, inclusive com a criação da Universidade, em 1728.

Durante a Guerra dos Sete Anos, os ingleses invadiram e dominaram a ilha de Cuba, transformando-a em importante porto estratégico. Pelo Tratado de Paris, em 1763, Cuba foi devolvida aos espanhóis.

A ilha se tornou um importante centro produtor de tabaco e açúcar, cultivados com mão-de-obra escrava negra, importada da África.

Durante o Século XIX, idéias de independência começaram a circular pela ilha. Em 1895, José Marti, Antonio Maceo e Máximo Gómez iniciam a guerra pela independência. Com a iminência da vitória, Os Estados Unidos declaram guerra à Espanha e invadem a ilha por Guantánamo, região ao sul. Os americanos ficam no poder ali até 1902, quando devolvem a ilha aos cubanos, mas retém Guantánamo, que se transformou em base norte-americana e o é até os dias atuais.

A partir dali, uma série de ditadores se revezaram no governo de Cuba. Em 1933, Fulgêncio Batista assume com o apoio dos EUA. Em 26 de julho de 1953, Fidel Castro com um grupo de revolucionários assaltam o quartel de Moncada, em Santiago de Cuba, iniciando a luta que levaria a tomada de poder pelos rebeldes. Isso aconteceu em 31 de dezembro de 1958, quando Batista foge de Cuba e Fidel, juntamente com Ernesto “Che” Guevara e Camilo Cienfuegos tomam o Palácio do Governo.

Em 1961, os EUA tentam tomar o poder, a partir da invasão da Baía dos Porcos, mas são rechaçados.

Fidel se alia à URSS, tornando comunista o regime cubano. O país soviético tenta instalar mísseis nucleares na ilha. Os EUA ameaçam invadi-la e começar uma guerra de proporções devastadoras. A URSS retrocede. Os EUA impõem a exclusão de Cuba da OEA e iniciam um bloqueio econômico, para isolar Fidel na América. Cuba resiste, mesmo assim.

Após 49 anos no poder, Fidel Castro renunciou, em 18 de fevereiro de 2008, devido ao seu delicado estado de saúde. Seu irmão, Raúl, foi eleito o novo chefe de governo, substituindo uma das figuras mais emblemáticas do Século XX/XXI.

Fonte: IBGE

Nenhum comentário: