sábado, 4 de julho de 2015

África do Sul

ÁFRICA DO SUL - País localizado no extremo sul do continente africano. Somente a partir de 1961 ele recebeu definitivamente este nome, a partir da criação da República da África do Sul. Até 1910, seu território não formava uma unidade política. Havia ali várias regiões autônomas, cada uma com uma denominação: Cape Colony, Transvaal, Orange River Colony e Natal.

Localização: África Meridional
Capital: Pretória / Cidade do Cabo / Bloemfontein
Idioma: Africâner e Inglês.
População:  53.139.528 habitantes
Extensão Territorial:  1.219.090 Km²
Bandeira da África do Sul
Mapa da África do Sul
Os primeiros habitantes daquele extremo sul africano foram bosquímanos, seguidos por outros agrupamentos tribais de negros (khoi, xhosas, zulus), que foram dispersos com a invasão de bantos, a partir do Século XI. Bem mais tarde, já no Século XV, navegadores portugueses chegaram até o litoral sul-africano: Diogo Cão, em 1485, e Bartolomeu Bueno da Silva, em 1488. No Século XVII, holandeses, alemães e franceses ocupam a área - eram os chamados bôeres ou africânderes, que criam, inclusive, uma língua própria, o africânder. Cem anos depois, a Companhia das Índias Ocidentais instalou no Cabo da Boa Esperança (nome dado por navegadores portugueses, assim como o anterior, Cabo das Tormentas) um entreposto para o armazenamento de provisões a serem utilizadas pelos comerciantes da rota comercial para as Índias. Em 6 de abril de 1652, Jan van Riebeek fundou uma colônia ali, que foi posteriormente ocupada por huguenotes franceses, escravos malaios e malgaxes recém-libertos e cristianizados que a expandiram. Houve ali forte mestiçagem, que mais tarde acarretaria em problemas de natureza social.


De 1781 a 1784, aquela região esteve sob domínio da França, mas foram os ingleses, a partir de 1785, que ocupam o território mais meridional da África. Em 1806, os ingleses tomam a Cidade do Cabo, enfrentando negros e bôeres. Os choques levam os bôeres a emigrarem maciçamente para o nordeste, na chamada Grande Jornada, em 1836, onde fundam duas repúblicas independentes, Transvaal e Estado Livre de Orange. Lá, abrem guerra contra os zulus e os expulsam da região, instalando-se também em Natal (nome dado pelos portugueses, no Século XVI). Os britânicos expandem seus domínios, especialmente atraídos pelas jazidas de diamantes e os enfrentam na sangrenta Guerra dos Bôeres, conflito que durou de 1899 a 1902, sendo vencido pela Inglaterra. Milhares de bôeres são confinados em campos de concentração, causando a morte de cerca de 20 mil deles.


A história contemporânea da África do Sul começa a partir da Guerra do Bôeres e a anexação inglesa. À constituição da União Sul Africana, depois República da África do Sul, sucederam-se várias leis de cunho racista e protecionista em prol da minoria branca.


Em 1931, a África do Sul tornou-se independente. Em 1939, com o advento da II Guerra Mundial, o Parlamento quase se divide ao votar sobre quem apoiariam: aliados ou Alemanha nazista. Por apenas 13 votos, decidiu-se o apoio aos Aliados.


Durante longo tempo, quase um século, na África do Sul imperou o regime do apartheid, palavra africânder que significa separação. Até o final do Século XX, esta questão segregacional foi posta em xeque pela maioria negra. Leis que dattavam de 1913 garantiam a posse de 87% do território sul-africano à minoria branca. Na resistência contra o apartheid, destacaram-se líderes como o bispo Desmond Tutu e o ativista Nelson Mandela, que inclusive esteve preso durante vários anos. Em 1994, o seu partido, o Congresso Nacional Africano (CNA), obtém 62,6% dos votos, em uma vitória histórica. Mandela é eleito o primeiro presidente negro da República da África do Sul, pondo fim ao apartheid.

Fonte: IBGE

Nenhum comentário: