segunda-feira, 29 de junho de 2015

Paraguai

PARAGUAI - País da América do Sul, com fronteiras com o Brasil, a Argentina e a Bolívia. O seu nome advém do guarani: paragua, "coroa de palmas"; y, "rio, águas". Logo, o principal rio do país significa "rio das coroas de palmas", que acabou designando toda a região e o próprio país.
Localização: América do Sul
Capital: Assunção
Idioma:  Espanhol e Guarani
População:  6.917.579 habitantes
Extensão Territorial:  406.750 Km²
Bandeira do Paraguai
Mapa do Paraguai

No Século XVI, povoavam as terras nas cercanias da bacia do rio Paraguai os índios guaranis, os gaycurus e os payaguás. Os primeiros estavam em um estágio mais avançado de desenvolvimento, cultivando produtos agrícolas e com organização social em torno de um chefe. Os dois últimos eram nômades caçadores e pescadores, que viviam exasperando os guaranis com assaltos constantes às suas lavouras. Quando os espanhóis subiram o Paraná em busca de metais preciosos, os guaranis, por vingança, ajudaram-nos contra as duas tribos rivais. 

A colonização espanhola na região começou no Século XVI, fundando o forte de Nossa Senhora da Assunção, em 1537. Desse pequeno povoado se originaria a futura capital daquela província do Rio da Prata. Dali, os espanhóis seguiriam para explorar a região, em busca da famosa montanha de prata que foi objeto de cobiça por Espanha e Portugal durante muito tempo. Pouco depois da criação do vilarejo, estabeleceu-se uma pequena mas importante rota de comércio entre Assunção e São Vicente no Brasil.

Em 1617, a coroa espanhola dividiu a região em dois vice-reinos: o do Prata, com sede em Buenos Aires, e o do Guairá, centralizado em Assunção. À essa época, aquelas terras já eram conhecidas como Paraguai. No Século XVIII, a erva-mate, o tabaco e a madeira eram os principais produtos explorados no território. 

O país tornou-se independente em 15 de maio de 1811. Em seguida, alcançou extraordinário crescimento econômico, tornando-se auto-suficiente; feito que lhe garantiu o status de potência regional no continente, exatamente sob os governos de três ditadores consecutivos: José Gaspar Rodríguez Francia (governou de 1814 até sua morte, em 1840), Carlos Antonio López (de 1842 a 1862) e seu filho Francisco Solano López (de 1862 a 1870).

A Guerra do Paraguai, entre 1865 a 1870, contra a Tríplice Aliança, composta pela Argentina, Brasil e Uruguai, apoiada economicamente pelo Reino Unido, foi motivada principalmente pela ambição paraguaia de uma saída para o mar. Essa guerra resultou numa verdadeira catástrofe para o país, pois foram mortos dois terços da população do sexo masculino e largas extensões de seu território foram perdidas. Além disso, a economia paraguaia ficou estagnada pelos 50 anos seguintes.

Em 1932, tropas bolivianas invadiram o Paraguai, desencadeando a Guerra do Chaco, (1932-1935), e culminando com a vitória paraguaia e a anexação do Chaco ao país. Durante as conversações para a assinatura dos acordos de paz entre os dois países, brilhou a estrela de José Carlos de Macedo Soares, embaixador brasileiro, que com extrema habilidade conduziu as negociações, recebendo por isso o título de "Chanceler da Paz".

Em 1948, Stroessner (aclamado herói na guerra contra a Bolívia) atingiu a patente de general-de-brigada e se tornou o general mais jovem da América do Sul. Em 1954, Stroessner alcançou o posto de general-de-divisão, tirando Frederico Chávez da presidência com um golpe de militar. Stroessner tornou-se presidente e foi reeleito por 7 mandatos consecutivos (em 1958, 1963, 1968, 1973, 1978, 1983 e 1988).

O governo ditatorial do Paraguai foi fundamentalmente mudado pela constituição de 1992, que garantiu a divisão dos poderes. O presidente e o vice-presidente são eleitos sobre o mesmo cargo pelo voto popular para um mandato de cinco anos. O presidente é o chefe de Estado, assumindo o poder executivo e a chefia do governo, nomeando, depois de sua eleição, o seu gabinete de ministros.

Desde 1989, quando o regime militar de mais de 35 anos de Alfredo Stroessner teve fim, o Paraguai tem sido governado por presidentes eleitos democraticamente. Os maiores desafios do Paraguai desde então têm sido a crescente instabilidade política e econômica e os sérios problemas com a corrupção.


Fonte: IBGE

Nenhum comentário: