segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

15 Questões de Concursos e Vestibulares sobre Yves Lacoste - com gabarito


Questão 01 - Prova: Professor de  Geografia - CESGRANRIO 2010
“O século XX, por fim, consagra a geografia como a ciência do espaço, e o geógrafo como o especialista de sua organização. O fato é que o planejamento estatal vai conferir à geografia e ao geógrafo um dos momentos de ápice de sua história. E será o responsável pela imagem pública de saber colocado às representações de mundo – a “geografia do professor”, e às práticas de administração do Estado, dos governos e dos negócios – a “geografia dos estados maiores” –, em suas necessidades de intervenção territorial. E essa ligação contemporânea com o Estado se torna tão forte que o destino deste se torna o seu próprio destino.” 
MOREIRA, Ruy. Pensar e Ser em Geografia. São Paulo: Contexto, 2008. (Adaptado) 
No contexto apresentado, o autor faz referência à “geografia do professor” e à “geografia dos estados maiores”, numa menção ao trabalho teórico de um geógrafo que na famosa obra “A Geografia – serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra”, distingue três tipos para análise: a geografia escolar, a geografia espetáculo e a geografia como instrumento de poder. Esse geógrafo é 
(A) Ratzel. 
(B) Pierre George. 
(C) Yves Lacoste. 
(D) Milton Santos. 
(E) Vidal de La Blache.

Questão 02 - Vestibular - 2ª Fase - Unicamp 2010
As cartas e as fotografias tomadas de avião ou de satélites (...) representam porções muito desiguais da superfície terrestre. Algumas cartas topográficas representam, mediante deformações calculadas e escolhidas, toda a superfície do globo, outras a extensão de um continente, outras ainda a de um Estado, de uma aglomeração urbana; algumas cartas representam espaços de bem menor envergadura; uma pequena cidade, uma aldeia. Há planos de bairros e mesmo de habitação. [grifo nosso] (Yves Lacoste, “Os objetos Geográficos”, em Seleção de Textos, nº 18, São Paulo: AGB, 1988, p. 9). 
a) Quais os principais elementos cartográficos que ocasionam as “deformações calculadas e escolhidas”mencionadas pelo autor?
b) Seguindo a seqüência de raciocínio do autor na delimitação geográfica, que vai da superfície do globo à habitação, indique quais as escalas cartográficas mais apropriadas aos estudos geográficos nesses dois casos.

Questão 03 - UESC 2010 - O geógrafo e geopolítico francês Yves Lacoste afirmou que,quando a economia dos países centrais sofre um resfriado,pela ocorrência de um período de recessão, inúmeros países do mundo periférico deverão desenvolver uma pneumonia.Uma situação dessa natureza indica
a) o esgotamento dos recursos naturais do mundo periférico,devido à sua exploração excessiva, pelos países centrais.
b) a extinção do poder de comprar das populações das nações periféricas, o que proporciona a falência do mercado interno.
c) o fato de a base da economia dos países periféricos ser o setor secundário.
d) uma grande dependência desses países em relação  externo.
e) a inter-relação entre a situação econômica e a saúde da população, prejudicada pela diminuição da oferta de alimentos, em períodos de crise

Questão 04 ESPM — JULHO/2006 - Observe cinco afirmações sobre geopolítica feitas por Yves Lacoste:
• A causa principal do fraco desenvolvimento da reflexão geopolítica é a verdadeira mutilação que sofreu o raciocínio geográfico.
• As reflexões geopolíticas não se situam somente no nível planetário ou em função de vastíssimos conjuntos territoriais ou oceânicos, mas também no quadro de cada Estado...
• Os professores de geografia propagaram na opinião essa concepção muito mutilada de sua disciplina e que,durante decênios, os geógrafos, na qualidade de pesquisadores, recearam aplicar seus métodos à análise dos conflitos...
• O raciocínio geopolítico não é, por essência, de direita ou de esquerda.
• Uma notável parte da opinião começa a pressentir que é importante levar em consideração as configurações espaciais no exame das relações de forças e é isso que explica a atenção que a geografia dedica, desde há algum tempo, a tudo aquilo que faz referência à geopolítica. 
Yves Lacoste, A geografia – isso serve em primeiro lugar, para fazer a Guerra, 1988 
Podemos depreender como a mais pertinente dentre as afirmações feitas pelo geógrafo:
a) A primeira afirmação conduz à ideia vigente nos dias atuais de que a geografia deve se afastar da geopolítica devido a seu caráter bélico.
b) Conflitos nacionais dentro de um mesmo Estado, como na Rússia, confirmam a segunda afirmação do autor.
c) A data da obra e as idéias do geógrafo nos permitem afirmar que não houve renovação do pensamento geográfico.
d) O pensamento geopolítico surgiu na extinta União Soviética, daí a preponderância dos pensamentos geopolíticos de esquerda.
e) As configurações espaciais são de ordem urbana e sociológica e por esse motivo a geografia deixou de se interessar pela geopolítica

Questão 05 (UFPR/2002) "A Geografia é, antes de mais nada, um saber estratégico intimamente ligado a um conjunto de práticas políticas e militares e são essas práticas que exigem a acumulação articulada de informações extremamente variadas." (LACOSTE, Y. A Geografia - isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. São Paulo: Papirus, 1989. p.21-30.) Aplicando essas considerações de Lacoste aos recentes conflitos que têm ocorrido em diversos continentes, é correto afirmar: 
(01) As estratégias de guerra implicam uma análise precisa de combinações geográficas entre elementos heterogêneos para planejar a ocupação de determinada área, para torná-la inabitável ou mesmo para levar a cabo um genocídio. 
(02) As zonas de tensão do mundo atual são espaços geográficos onde ocorrem, de forma aguda, conflitos étnicos, nacionalistas e separatistas. Esses conflitos são conduzidos por grupos organizados nacional ou internacionalmente. 
(04) Durante a Guerra Fria, os Estados Unidos e seus aliados da OTAN intervinham militarmente em países estrangeiros para manter ou expandir sua hegemonia política. Com a derrocada do comunismo, essas intervenções passaram a ser feitas para evitar que tensões localizadas tenham repercussões econômicas e geopolíticas mais amplas, que podem afetar os interesses desses países e a dinâmica econômica mundial, como no exemplo da Guerra do Golfo. 
(08) O emprego das novas tecnologias bélicas utilizadas no Vietnã, na Sérvia, no Iraque e no Afeganistão independe do conhecimento das condições ambientais, pois os fatores geopolíticos é que são decisivos.

Questão 06 URCA (2014.1) ­ Analise as informações sobre as Correntes do Pensamento Geográfico, e preencha com (V) para a assertiva que traz informações Verdadeiras e (E) para que traz informações Erradas. 
1) ( ) Determinismo Ambiental = Final século XIX = Frederic Ratzel = Condições naturais determinam o comportamento humano. 
2) ( ) Possibilismo = Final do século XIX = Vidal de La Blache = Natureza fornecedora de possibilidades para que o homem a modificasse. 
3) ( ) Método Regional = século XIX = Hartshorne = Integração entre fenômenos homogêneos que apresentam um significado geográfico e contribuem para a localização de áreas com alta definição. 
4) ( ) Geografia Crítica = século XX = Yves Lacoste e Milton Santos = Ruptura com o pensamento = positivista = Análise geográfica como um instrumento de libertação do homem. 
A alternativa que traz a seqüência correta é: 
a) V, F, V e F 
b) V, V, F e V 
c) F, V, F e V 
d) F, F, V e V 
e) F, V, F e F

Questão 07 - UFU 2007 - O mapa não é uma simples ilustração. É um meio de comunicação, um instrumento de localização, uma fonte de conhecimento sobre uma determinada realidade. Para o geógrafo francês Yves Lacoste, ler um mapa ou uma carta geográfica significa “saber agir sobre o terreno”.
Quanto à representação cartográfica, marque a alternativa correta.
A) Em um mapa de escala de 1: 200 000, a distância em linha reta entre duas cidades é de 20 cm, o afastamento real entre elas é de 400 Km.
B) Quanto maior a escala de um mapa, maior a área representada, o que permite a visualização de maior quantidade de detalhes. Os mapas-múndi são elaborados com escalas grandes como, por exemplo, a escala de 1: 5 000 000.
C) Nas projeções cilíndricas, os paralelos, retos e horizontais, e os meridianos, retos e verticais, formam ângulos retos.Essas apresentam deformações nas áreas de altas latitudes e conservam as proporções das superfícies próximas ao Equador.
D) Na representação do relevo, as cores convencionadas pela Carta Internacional do Mundo (CIM), para mostrar as altitudes,são as batimétricas, que indicam as cotas acima do nível do mar, e as hipsométricas, que indicam as cotas abaixo do nível do mar.

Questão 08 -
A geografia, enquanto descrição metodológica dos espaços, tanto sob os aspectos que se convencionou chamar de “físicos” como sob suas características econômicas, sociais, demográficas e políticas, deve absolutamente ser recolocada, como prática e como poder, no quadro das funções que exerce o aparelho de Estado, tanto para o controle e organização do território como para a guerra.
Fonte: (Adapt.) Lacoste, Yves. A Geografia – isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Campinas: Papirus, 1993, p. 23.No conflito recente no Iraque, a afirmativa acima é evidenciada, dentre outros fatos, considerando-se:
a) o uso intensivo, pelas forças armadas dos Estados Unidos e Grã-Bretanha, de imagens de satélite e fotografias aéreas de grande escala, permitindo a suas tropas o conhecimento detalhado do território iraquiano.
b) a dificuldade, por parte das forças armadas dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, em encontrar armas de destruição em massa no território iraquiano, porque elas não podem ser detectadas por foto-grafias aéreas e imagens de satélite.
c) a utilização, pelas forças armadas do Iraque, do expediente da queima de petróleo próximo a alvos estratégicos, gerando grande quantidade de fumaça para impedir a utilização de bombas e mísseis guia-dos pelo sistema de coordenadas.
d) o desconhecimento, pelas forças armadas dos Estados Unidos e Grã-Bretanha, das principais rodo-vias e pontes no território iraquiano, como resultado da pequena escala das imagens geradas por satélite.
e) a inadequação da ONU e de seus órgãos na resolução de conflitos para intervir diretamente no Iraque,necessitando do apoio militar dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha.

Questão 09 - FEI 2004 - "Terceiro Mundo foi uma fórmula imaginada em 1952 pelo célebre demógrafo Aifred Sauvy. Mas isso não ocorreu a partir de um raciocínio cientifico e não foi o demógrafo que a fon'ou, mas sim o cronista, o _jornalista que Sauvy foi, para concluir um artigo com alguma coisa que provocasse o interesse dos leitores. (...) “ Yves Lacoste apud De Benedictis, G. e Barbara, S. Geografia nos Vestibulares. São Paulo: Ed. Policarpo, 2000. pg. 221.
Assinale a alternativa que melhor defina o conceito de Terceiro Mundo: 
a) Área do planeta composta por países pobres alinhados aos Estados Unidos. 
b) Região do globo composta pelos países subdesenvolvidos emmeio ao mundo dividido entre capitalistas desenvolvidos(Primeiro Mundo) e socialistas (Segundo Mundo). 
c) Região do globo composta pelos países africanos e asiáticos pobres, surgidos no contexto da descolonização do pós-guerra e alinhados aos Estados Unidos. 
d) Área do planeta composta pelos países da America Latina` Ásia e África não-alinhados a nenhuma das duas superpotências ao longo da Guerra Fria` 
e) Área de influência soviética na Guerra Fria, compreendendo países da Ásia, Africa e Europa Oriental.

Questão 10 - UFG 2009 - No livro A geografia, isso serve, antes de mais nada para fazer a guerra (1988), Yves Lacoste faz uma crítica contundente à geografia francesa, especialmente em relação ao conceito de região, adjetivado pelo autor como “conceito obstáculo”. Para fundamentar sua crítica, o referido autor utiliza o conceito de (A) geograficidade. 
(B) territorialidade. 
(C) geografia espetáculo. 
(D) espacialidade diferencial.

Questão 11 - SEDUC-CE / CESPE/UnB - Para abordar e definir procedimentos de ensino da geografia, é importante a compreensão do processo histórico das concepções epistemológicas da geografia. Nesse sentido, tornam-se obrigatórias as leituras de autores como Yves Lacoste, David Harvey, Milton Santos, entre outros. A proposta desses autores consiste em
A) atribuir ao positivismo à consolidação da geografia crítica.
B) restaurar o pensamento espacial enquanto análise absoluta e estática.
C) reivindicar o pensamento espacial como prática social.
D) proporcionar uma reflexão centrada no determinismo

Questão 12 - Fadesp 2014 - “De todas as disciplinas ensinadas na escola, no secundário, a geografia, ainda hoje é a única [...] sem a menor aplicação prática fora do sistema de ensino. [...] Nenhuma esperança de que o mapa possa aparecer como uma ferramenta, como um instrumento abstrato do qual é preciso conhecer o código para poder compreender pessoalmente o espaço e nele se orientar ou admiti-lo em função de uma prática”. (Yves Lacoste. A geografia - isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Campinas-SP: Papirus, 1988, p. 56.) Considerando o conteúdo do fragmento de texto acima e seus conhecimentos sobre a Geografia e seu ensino, é correto afirmar que
(A) apesar de ter sido escrito há bastante tempo, esse texto ainda expressa uma verdade, haja vista que a Geografia, enquanto disciplina escolar, continua sem utilidade na vida cotidiana.
(B) os mapas e/ou cartas geográficas constituem instrumentos relevantes para a representação dos fenômenos geográficos, fato que justifica o destaque do autor à utilização deste recurso no ensino de Geografia.
(C) os mapas são recursos didáticos de extrema importância no ensino de Geografia, visto representarem uma imagem real do espaço mapeado, em tamanho e proporção.
(D) nos dias atuais, devido o avanço tecnológico dos instrumentos utilizados para levantamento dedados cartográficos, como o uso de satélites, dentre outros, tornaram-se sem nenhuma utilidade os levantamentos in loco para a elaboração de mapas e cartas geográficas.

Questão 13 - SEDUC/AM - Na década de 1970, na França, Yves Lacoste lança a revista Hérodote e publica sua obra intitulada La géographie, ça sert, d'abord, à faire la guerre(A Geografia serve, antes de mais nada,para fazer a guerra).Nesta publicação, numa posição mais radical do que a da então Nova Geografia, Lacoste apresenta
(A) uma defesa da chamada Nova Geografia por se constituir,ideologicamente, como um discurso científico puro e neutro.
(B) um destaque para a Geografia Regional de Vidal de la Blache, já que esta ressalta o papel do capitalismo como a força fundamental da organização do espaço.
(C) uma denúncia à face ideológica oculta da Geografia tradicional praticada pelos professores nas escolas francesas.
(D) um argumento que demonstra como a dimensão espacial sempre foi um elemento central na reflexão marxista clássica.
(E) um enquadramento da Geografia francesa, da década de 1970, ao domínio econômico em detrimento do viés político.

Questão 14 - UEPB  - Pref. Queimadas/PB 2008 - “De todas as disciplinas ensinadas na escola, no secundário, a geografia, ainda hoje é a única [...] sem a menor aplicação prática fora do sistema de ensino. [...] Nenhuma esperança de que o mapa possa aparecer como uma ferramenta, como um instrumento abstrato do qual é preciso conhecer o código para poder compreender pessoalmente o espaço e nele se orientar ou admiti-lo em função de uma prática”. (Yves Lacoste. A geografia - isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Campinas-SP: Papirus, 1988, p. 56.)
Conforme se observa no fragmento do texto, pode-se afirmar:
I - As pessoas só poderão atribuir utilidade prática ao uso dos mapas, em suas vidas cotidianas, se forem capazes de compreendê-los, e para isso, é preciso que tenham sido instruídas.
II - Todo mapa é uma imagem real do espaço concreto, por isso, a ênfase do autor sobre a sua utilização nas escolas.
III - Conforme nos mostra Lacoste, o único aspecto relevante que tem o ensino da Geografia é a leitura de mapas e se isso não acontecer é uma disciplina sem serventia para a vida.
IV - A cartografia é apenas uma das ferramentas utilizadas pela geografia para representar os fenômenos sobre a superfície da terra e o caráter prático da leitura de um mapa está no saber agir sobre o terreno.Está(ão) CORRETA(S), apenas:
a) I, II e IV
b) II e III
c) IV
d) II
e) I e IV

Questão 14 - (ENEM/1999) Uma pesquisadora francesa produziu o seguinte texto para caracterizar nosso país: O Brasil, quinto país do mundo em extensão territorial, é o mais vasto do hemisfério Sul. Ele faz parte essencialmente do mundo tropical, à exceção de seus estados mais meridionais, ao sul de São Paulo. O Brasil dispõe de vastos territórios subpovoados, como o da Amazônia, conhece também um crescimento urbano extremamente rápido, índices de pobreza que não diminuem e uma das sociedades mais desiguais do mundo. Qualificado de “terra de contrastes”, o Brasil é um país moderno do Terceiro Mundo, com todas as contradições que isso tem por conseqüência. ([Adaptado de] DROULERS, Martine. Dictionnaire geopolitique des états. Organizado por Yves Lacoste. Paris: Éditions Flamarion, 1995) O Brasil é qualificado como uma “terra de contrastes” por: 
a) fazer parte do mundo tropical, mas ter um crescimento urbano semelhante ao dos países temperados. 
b) não conseguir evitar seu rápido crescimento urbano, por ser um país com grande extensão de fronteiras terrestres e de costa. 
c) possuir grandes diferenças sociais e regionais e ser considerado um país moderno do Terceiro Mundo. 
d) possuir vastos territórios subpovoados, apesar de não ter recursos econômicos e tecnológicos para explorá-los. 
e) ter elevados índices de pobreza, por ser um país com grande extensão territorial e predomínio de atividades rurais.

GABARITO
01 - C
02 - 
a) As deformações são ocasionadas em virtude da projeção cartográfica e da escala.
b) Para grandes extensões (globo) adota-se uma escala cartográfica pequena (pouco detalhe) – 1:100.000.000, por exemplo; para pequenas extensões, uma escala cartográfica grande (muito detalhe) – 1:500, por exemplo.
03 - D
04 - B
05 - V V V F  Soma = 1+2+4
06 - B
07 - C
08 - A
09 - B
10 - D
11 - C
12 - B
13 - C
14 - E
15 - C

Nenhum comentário: