quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Mensagem de Natal: todo professor é um pouco Papai Noel

Era uma vez...

Quando soube que a Terra é um planeta flutuando no espaço sem nada, sem ninguém segurando, o Juninho teve um choque. Ele não entendeu direito aquela história do sol atrair a Terra, mas confiou na explicação do pai.

Agora pertinho do Natal, ouvir um amigo dizer que Papai Noel não existe foi demais... O Juninho vivia a benção da infância: o sentimento de que pelo menos algumas coisas na vida eram de graça. Mesmo se faltasse dinheiro em casa, ele podia jogar bola com os amigos na rua, soltar pipa, fazer guerra de mamona e comer goiaba no quintal do primo. E, claro, receber presentes de Natal do Papai Noel.

Para o Juninho, férias e Natal eram as melhores coisas do mundo. E nem precisa explicação: é só buscar lá no fundo uma boa lembrança da meninice. A melhor lembrança de Natal do Juninho começou com a pior pergunta:

__Paiê, se não existe Papai Noel quem vai dar o meu presente?

O pai, professor, estava acostumado com as perguntas  à queima-roupa da garotada. Mesmo assim ficou surpreso, pediu um minuto para separar uns livros, mas o que ele queria mesmo era um tempo para pensar a resposta em que a verdade não arranhasse a esperança do filho em um mundo melhor. 

__Meu filho, Papai Noel existe. Depende da gente acreditar porque...

Não pode continuar a explicação. 

__Existe nada - disse o Juninho - ; meu amigo disse.

E saiu bravo sem mais conversa. Menos por cansaço que obrigação, pegou no sono. Naquela noite Juninho não sonhou. Até por isso levantou cedo para ir na festa de formatura de Jovens e Adultos onde o pai dava aulas, a noite. 

__Pelo menos lá tem salgadinhos e refrigerantes - animou-se.

Ele não entendia como o pai depois de trabalhar o dia inteiro, ainda se dispunha a ensinar gente grande a ler. Ainda por cima sem ganhar nada: era voluntário.

Juninho ficou impressionado com o brilho no olhar das pessoas. Ao mesmo tempos humildes e orgulhosas. Uma senhora abraçou o professor dizendo: "Aprender a ler foi o melhor presente de Natal que eu já ganhei , obrigado Carlos - esse era o nome do pai do Juninho - você foi o nosso melhor Papai Noel".

O menino sorriu, sentiu orgulho. Na volta conversaram sobre espírito de Natal, a importância da solidariedade, de como para ele era importante ensinar, dar o seu conhecimento a alguém. 

Todo professor é um pouco Papai Noel. Carlos disse acreditar que cada pai alfabetizado ali, daria a seu filho  a oportunidade de estudar e também seria Papai Noel e os filhos dele seriam Papai Noel. Acreditar em Papai Noel é acreditar na bondade das pessoas.

Mensagem de Natal  - Imagem: Agência USP
Para o menino aquele Natal foi de verdade uma noite feliz, noite de paz.

E sabe o que é mais legal? Seja na escola, seja nas brincadeiras com os amigos, seja em casa... pro Juninho todo dia tem um pouco de Natal.

Fonte: Escola Brasil/Domínio Público

Nenhum comentário: