domingo, 27 de janeiro de 2013

Como funciona a escala Richter?

Luanda Lima

Você já deve ter ouvido falar que no Brasil não existem terremotos. Na verdade, pequenos tremores de terra acontecem por aqui de vez em quando, mas raramente têm vítimas ou efeitos graves. Tanto no nosso país quanto no mundo, a intensidade desses tremores pode ser medida pela chamada escala Richter, desenvolvida em 1935 pelo pesquisador norte-americano Charles F. Richter e pelo alemão Beno Gutenberg.
O número dado a um terremoto tem a ver com a quantidade de energia liberada por ele (Martin Luff/Creative Commons)
De acordo com a quantidade de energia liberada por um tremor, há um número correspondente na escala. Sismos com mais de 4,5 graus, por exemplo, já costumam provocar estragos. Não há um limite matemático para os tremores, mas o terremoto mais intenso da história alcançou 9,5 pontos e foi registrado no Chile em 1960. Apesar de ser a mais conhecida pelo público, a escala mais usada hoje para medir a intensidade dos terremotos é a MMS, que é a forma abreviada da expressão inglesa para "escala de magnitude de momento".

*Com informações da EBC.

Nenhum comentário: